Categorias
Opinião

A geração $

 

Por Rodrigo Barneschi

100.000 sócios-torcedores, a camisa mais valiosa do Brasil, R$ 2,5 milhões de renda em qualquer joguinho. A “maior contratação da temporada”, ingressos a R$ 200, novas modalidades de patrocínio. 19 reforços, ticket médio nas alturas, sorvete Diletto a R$ 10. Liderança no ranking de arrecadação, meta de chegar a 160 mil sócios, “não há gratuidade no Allianz Parque”. Top 10 do mundo, porco inflável, a mentira dos 6.000 lugares “perdidos”. Avanti 5 estrelas, omoplata, R$ 700 mil para jogar em casa. Mais renda que os campeonatos Carioca e Mineiro juntos, “mas o Santos só arrecadou R$ 360 mil no clássico”, ampliação da exposição dos parceiros. R$ 23 milhões para cá, naming rights para lá, neófitos falando em RGT (é patético isso…) depois de terem passado os últimos anos dizendo que ela podia fazer o que quisesse por “pagar caro pelo futebol”.

Números, números, números. Há aí uma nova geração de torcedores que os adora. Mas não os entende. Vê neles um fim e não um meio. Nesse processo doentio, muito se perde.

A lógica financista que tomou conta do Palmeiras a partir de 2013 quase nos rebaixou no ano do centenário (e fomos, como bem lembrado ontem pela insignificante torcida do Santos FC, salvos por um rival); agora, ao que parece, vivemos a fase de “harvest”, para usar um termo muito caro aos rentistas, especuladores e que tais.

Não há como discutir a importância do crescimento das receitas. É louvável que depois de dois anos de ostracismo e compromisso com o erro, a gestão atual tenha catapultado o faturamento do clube a um patamar nunca antes visto. Ok, que se reconheça isso.

O problema todo é que a lógica financista vem alimentando uma geração, toda ela refugiada nas redes sociais, que toma os números como finalidade e não como um meio para obter aquilo que efetivamente importa: um time à altura de nossa história, vitórias (em clássicos e contra outros grandes) e títulos.

A (parte da) torcida que aplaude renda (eu nunca vou esquecer isso, seus filhos da puta miseráveis!) parece imune à sucessão de maus resultados que o time vem experimentando em clássicos estaduais e nos confrontos contra os outros times grandes do país. “O time está em formação”, “estamos em reconstrução”, “essas derrotas no começo de campeonato são normais”. Poderia parecer só conformismo, mas é o mais puro deslumbramento: não raro, a relativização é apenas o começo; os cifrões virão na sequência.

Deixá-los-ei com outros números, os que valem:

_Na gestão Nobre, o Palmeiras venceu 1 clássico em 15 disputados.

_Pior que isso: dos últimos 23 clássicos, o Palmeiras venceu 1 (este mesmo supracitado). 1 em 23! É, certamente, a pior sequência histórica já vivida por um dos grandes paulistas na somatória dos confrontos contra os outros rivais.

_Desde 2013, a partir do início da gestão Paulo Nobre, o Palmeiras se deparou 31 vezes contra outros times grandes. A campanha é vexatória: 3 vitórias (contra SPFW e Grêmio, como mandante; e Botafogo, como visitante), 9 empates e 19 derrotas. 3-9-19!

_O Palmeiras não vence o SCCP na capital paulista há longos 13 jogos.

_Retrospecto dos últimos 18 clássicos entre Palmeiras e SCCP: 1 vitória do Palmeiras, 8 empates e 9 vitórias do SCCP. A nossa vantagem histórica, que era bastante sólida, se esvaiu.

_Contra o SPFW, o Palmeiras amarga um tabu que parece infindável: são 13 anos e 21 jogos sem vitória no Jd. Leonor. Para contrastar com isso, temos o SCCP ostentando uma marca oposta: 13 partidas de invencibilidade como visitante.

_Contra o Santos, o pequeno Santos contra o qual temos vantagem até dentro do amontoado de laje, conquistamos apenas uma vitória nos últimos nove duelos.

_Contra o Fluminense, notório saco de pancadas nosso em SP ou no Rio, acumulamos uma sequência impressionante: um empate e sete derrotas nos últimos oito confrontos.

_Contra o Atlético/MG, cujo histórico nos dá vantagem mesmo nos jogos no Mineirão, chegamos ao fundo do poço: oito derrotas (quase todas inapeláveis) nos últimos oito encontros.

Eu poderia aqui listar mais algumas sequências catastróficas, mas imagino que todos já tenham captado a ideia.

Para a imensa maioria dos 100.000 sócios-torcedores, pode ser que nada disso tenha muita importância. Pode ser que não se sintam assim tão incomodados com as derrotas em série, com os números de nossa história sendo solapados por atuações débeis e covardes, com um gigante virando motivo de piadas para torcidas as mais insignificantes. Logo alguém haverá de lembrar que lideramos o ranking de renda, que temos uma marca notável no aumento de sócios-torcedores, que a camisa alviverde é a “mais valiosa” do país etc.

Entretanto, a derrota tem efeitos insuportáveis – não pela derrota em si, mas pelo contexto em que ela está inserida – para os 700 torcedores que ontem estivemos no amontoado de laje da Baixada e para todos aqueles que não sucumbiram à inversão de valores.

Para a geração $, não deve fazer muita diferença o resultado em campo; valem os cifrões. Importante é comparar os “míseros” R$ 360 mil da renda do Santos FC aos R$ 2 milhões de bilheteria que teremos no próximo domingo. O Palmeiras perdeu mais um clássico? Ah, não tem problema; vamos aí publicar um meme no Face porque domingo é dia de fazer uma selfie no estádio novo e dar um jeitinho de aparecer no telão widescreen de alta definição – “é o maior do Brasil, sabiam?”. É meio que isso aqui“Hoje em dia, os torcedores buscam uma experiência que vá além do futebol. Eles querem uma vivência inovadora e empolgante, mas que também traga conforto e comodidade, que seja algo agradável para todos os públicos. Por isso buscamos oferecer serviços diferenciados e com alto padrão de qualidade, atrelando entretenimento e culinária ao futebol”.

É…

Enquanto os deslumbrados das redes sociais vomitam atrocidades, fomos os 700, muitos dos quais excluídos do novo estádio por uma política de preços elitista e desconectada da realidade, que representamos o Palmeiras diante de um rival que antes era batido com enorme facilidade.

Quando o alviverde vai à cancha, não tem “experiência que vá além do futebol”; tem só o futebol mesmo. Nada de “vivência inovadora e empolgante”; tem, de novo, só o futebol. Não tem “conforto”; a verdade é que mal se vê o gol a partir da laje do portão 21. Não tem “comodidade”; e nem queremos que tenha. E, claro, não há “serviços diferenciados e com alto padrão de qualidade”; trocamos tudo isso, por favor, por um time com atitude e que volte a fazer do Palmeiras o gigante que sempre foi.

“Entretenimento e culinária atrelados ao futebol”? Não, não, obrigado. Porque, no final da noite, confinados entre o campo e o portão 21 do amontoado de laje, somos nós, os 700 de sempre, que temos de aguentar uma torcida de primário (aquela das sociais) a cantar aquilo que ainda não conseguem entender aqueles que aplaudiram renda: dentro de campo, o Palmeiras virou uma piada.

Ao final de mais uma jornada fracassada, madrugada adentro, o consolo: não chovia na Baixada. Ao apagar dos refletores, restamos poucos por ali: os 700 de sempre, alguns PMs, as cabines de imprensa ainda iluminadas, a equipe de manutenção desmontando tudo no gramado. O cenário, desolador, só fez reforçar uma convicção: os números e cifrões de que se vangloriam alguns de nada valem enquanto não formos representados por um time capaz de devolver ao Palmeiras a supremacia contra seus rivais.

Finalizo, pois, com uma citação do Paulo Silva Jr.“Não vou contar que já não me surpreendo com militante de naming rights; nem com torcedor de likes no canal do clube na internet; muito menos com quem celebra o aumento do número de parceiros da lanchonente do estádio: neste noite, aplaudiram a renda do jogo. E isso sim vai ser difícil de esquecer.

###

Inspirações para este post:

Arena e o Teatro da Imposição, do Leandro Iamin

Futebol, Século II, do Paulo Júnior

 

119 respostas em “A geração $”

“Quando as conquistas chegarem…” Quanto tempo estamos esperando por elas? 15 anos? Enquanto isso, os três jogos que contavam alguma coisa até agora, perdemos. Mas para que se preocupar, não? Amanhã, temos o XV na nossa arena, a renda vai bater 2 milhõezinhos, que neguinho vai aplaudir, e depois vamos lotar de likes a página do facebook. O mundo gira e a lusitana roda, e continuaremos esperando as conquistas chegarem….

Ah, o glorioso XV jogou com o SPFW, e não vi nenhuma charge como a do “café com bacon” que saiu esta semana… além de falta de conquistas, o respeito está cada vez menor, e isso causa um mal incalculável…

Nem tanto ao céu, nem tanto à terra.
Grana é importante mas não é tudo, concordo, mas querer que a imprensa volte apenas noticiar APENAS o nosso pior lado também não é o caminho.
Também entendo que houve um rompimento dessa gestão com as organizadas que deveria ser reparado, para que seja inclusive estimulada a paz pois, quanto mais excluídos, mais clima de guerra existirá.
Ajustes necessários para que o time, esse sim a razão de existir do novo estádio, sócio torcedor e tudo mais, possa render o seu melhor e, nesse quesito só o tempo dirá se o trabalho foi bem feito na montagem da comissão e elenco.
Sem alarde, afinal, diferentemente de outros anos, o vies é de alta e não de baixa.
E segue o jogo.

Se reatar relação com as organizadas significa dar ingressos, que continue assim, bem longe. Torcedor tem que ser tratado igual, do mais rico ao mais pobre.

3VV e RODRIGO Voceis vão ter que desenhar pra que essa torcidinha de SELFIE e que nunca viram um telão gigante, entendam !!! Contra os números, ou contra FATOS não ha ARGUMENTOS !! EM 31 jogos, ficamos só 28 sem ganhar, ou seja perdemos 19 e empatamos 9……Adianta pagar 500 ou 700 pra um treinador , seo elenco é medíocre ??

Desenhe tambem para os torcedores imediatistas que analisam futebol as quartas e domingos.. ganhou tudo lindo, perdeu é um lixo..
chamar um time de mediocre em 1 mes de futebol????
enfim cada um tem sua opiniao..e o respeito por ela e o mais importante…

E OS RIVAIS PIRAM COM O VERDÃO! Ha ha

Avanti, programa de sócio-torcedor, rende
mais que patrocinador master Palmeiras lucra
R$ 25 milhões com o programa, enquanto,
com o master, lucra R$ 23 milhões Quem diria
que, um dia, a torcida conseguiria ser mais
importante no mercado financeiro do futebol
do que grandes empresas? Mas, hoje, essa é
uma realidade, pelo menos no Palmeiras. Com
a marca superada de 100 mil sócios-
torcedores, o Verdão vai ter um lucrou anual
de R$ 25 milhões apenas com o programa,
valor superior aos R$ 23 milhões que são
pagos anuais pela Crefisa, patrocinadora
master. “É a credibilidade do projeto como um
todo. Rapidamente o torcedor percebeu que o
Palmeiras tinha um norte, pensando
novamente grande. Isso ajudou muito. O
torcedor está confiando, está mais feliz”, disse
Alexandre Mattos, diretor de futebol do
Palmeiras e um dos responsáveis por alavancar
o programa. A meta para o ano de 2015 é
chegar até o Internacional, que tem 130 miL,a
diretoria já faz planos para ver o torcidômetro
bater a casa dos 150 mil.

O comentário do Fábio Pereira só faz reforçar tudo o que eu escrevi. Mas ele nem precisaria escrever tudo isso: o primeiro parágrafo do meu texto já resolve o assunto.

o que deixa indignado é o cara escrever palavrão é não ir pra moderação.

Bateu forte… (se não for mais uma notícia plantada, né?) <<<<<<<<<>>>>>>>>>

Finalizo, pois, com uma citação do Paulo Silva Jr.: “Não vou contar que já não me surpreendo com militante de naming rights; nem com torcedor de likes no canal do clube na internet; muito menos com quem celebra o aumento do número de parceiros da lanchonente do estádio: neste noite, aplaudiram a renda do jogo. E isso sim vai ser difícil de esquecer.

### Nos surpreendamos com times medíocres e falta de perspectivas. Com pobreza e críticas. O que mais me surpreende como palmeirense é quantos palmeirenses adoram jogar contra. Isso desanima, em se tratando de um clube com a nossa história. Nunca conseguimos aglutinar. Imagino que potência seríamos.

Matéria de péssimo gosto, e na hora errada!!
Tudo bem que o Palmeiras perdeu 2 clássicos, porém a situação é completamente diferente, puta que pariu!!! Será que é tão difícil de ver isso?? A midia pouca dá importância ao verdão, sempre nos colocando pra baixo e dando pouco crédito às nossas marcas, como por exemplo termos sido eleitos o melhor estádio de 2014, agora os próprios Palmeirenses achincalhando o time é absurdo!!!
-Termos a torcida mais apaixonada e crescendo no sócio torcedor é de extrema grandeza e importãncia e não pode ser desprezada nunca
– Temos o melhor estádio do Brasil
– Temos um NOVO elenco, com 19 jogadores – quase 2 times
– Grandes patrocinadores

Enfim, que conclusão chegamos?
Que finalmente estamos no trilho certo, estamos finalmente voltando a ser GRANDE!!
E esse texto é totalmente irresponsável e diria que é de um corinthiano, se não soubesse se tratar de um PALMEIRENSE…

Por favor, tenhamos mais paciência e discernimento.

PALMEIRAS É GIGANTE!!!

1. Isso não é uma matéria – e o fato de você não saber diferenciar isso já diz muita coisa; 2. Os números aí expostos deixam claro que que “não perdemos apenas 2 clássicos”; 3. Paciência? Faz 10 anos que ouvimos a ladainha de que o time está sendo montado! Nobre passou dois anos assumindo um compromisso com o erro e nego agora vem pedir paciência?; 4. O texto é bastante claro ao direcionar a crítica para a postura mercantilista e deslumbrada de parte da torcida.

Ser grande e corrente virtuosa não se faz do dia pra noite. Em 92 o Palmeiras da fila quase chegou , mas só começou a ganhar em 93. Há um pouco de má vontade o 3VV. Ando decepcionado com vocês. Que tal fazer parte do otimismo centrado antes de criticar?

Verdi, conte os 23 clássicos disputados antes da Era Parmalat começar, veja a proporção de resultados (mesmo sem títulos) e tente entender a comparação que foi feita sem má vontade. Se você quiser posso pesquisar para você, mas tenho certeza de que não ganhamos apenas um duelo. E de virtuosa a gestão atual não tem nada.

Enfim, existe o lado bom dessa história, que é mostrar que estamos vivos, mais vivos do que nunca e que SOMOS FORTES, PALMEIRENSES!

O time sendo montado agora, perdeu 2 clássicos…… sendo que na quarta fez um gol legítimo anulado quando estava 1×1……. com 2 bons jogadores ainda por estrear……..e começa o desespero…… voltam a comparar as derrotas nos últimos 5 anos com os times horríveis que tínhmos…….. começam até a criticar estádio cheio e grana entrando……. quando aparecerá os herdeiros da mãe Diná prevendo o revbaixamento?????………… e vivem sonhando com o tempo da parmalat, no país dos governantes……. menti….ro…sos e torcedores do small club. Nem Freud explica isso.

É só meter umas 4 ou 5 x 0 no domingo que a torcida esquece tudo isso, quer apostar quanto? Com o tempo o time vai se ajeitando e acho que é FORTE candidato pra conseguir ao menos uma vaga na LIBERTA em 2015!

Levi, já apareceram vários profetas do apocalipse dizendo isso…bem previsível mesmo.

O time reina contra pequenos…. contra os grandes a defesa treme inteira, os laterais na acertam marcação, cruzamento e passes. Por isso tem corneta mode ON aqui…. Eu título o time como sendo a cara do técnico, SEM SAL e SEM AÇUCAR!

Como é o ciclo mesmo?………com boas receitas n dá para dar desculpa que n tem grana para contratar jogadores bons e experientes…..com receitas n vai dar para enganar a torcida mais um ano……com as receitas que o Palmeiras está tendo, small club e bambis estariam rindo à TOA………..mas nossa torcida prefere ficar com briguinhas por causa de preço de ingresso, sendo que para sócios avanti eles saem bem baratinhos………. isso depois de 9 jogos.

Pra quem vai sempre aos jogos, o melhor plano do Avanti é o OURO, que custa 69,90 e tem desconto de 100% no Gol norte e 75% no Gol sul fora que dá um desconto de 25% nas cadeiras centrais, mas terá um aumento, dizem que irá para 100 reais no Brasileiro, e também acho um preço justo pelos descontos, mas ai já viu.. os cornetas vão falar que está MUITO CARO, aquela mesma ladainha de sempre, eu não sou rico, muito longe disso, sou de classe média e VALE APENA PAGAR ESSE VALOR pra ver meu querido PALESTRA, fora o fato de estar contribuindo para que ele se mantenha cada vez mais forte, mas alguns palmeirenses infelizmente não pensa assim, tem muitos INTERE$$ES por trás, mas até entendo.

Resumo depois de 9 jogos………………………MANDA TODO MUNDO EMBORA…………… manda o técnico embora…………………………contrata mais uns medalhões experientes (acredito que para o brasileiro o mattos o fará, como fez no cruzeiro)…………..e começa tudo de novo daqui outros novos jogos e manda todo mundo embora……………..MAS O GOL LEGÍTIMO ANULADO, quando estava 1×1, todo mundo finge que não viu. Bom mesmo é ficar reclamando de tudo. E tem gente quase ofende e fica brigando com as imagens………………… Gabriel Jesus tem que jogar já como titular. Eainda tem Valdívia e Xavier para estrear…….. logo aparece um vidente dizendo que iremos ser rebaixados….

Assim como os ATOS RACISTAS CONTRA O AROUCA todo também mundo fingiu que não viu.

Os comentários estão desativados.