Categorias
Opinião

A geração $

 

Por Rodrigo Barneschi

100.000 sócios-torcedores, a camisa mais valiosa do Brasil, R$ 2,5 milhões de renda em qualquer joguinho. A “maior contratação da temporada”, ingressos a R$ 200, novas modalidades de patrocínio. 19 reforços, ticket médio nas alturas, sorvete Diletto a R$ 10. Liderança no ranking de arrecadação, meta de chegar a 160 mil sócios, “não há gratuidade no Allianz Parque”. Top 10 do mundo, porco inflável, a mentira dos 6.000 lugares “perdidos”. Avanti 5 estrelas, omoplata, R$ 700 mil para jogar em casa. Mais renda que os campeonatos Carioca e Mineiro juntos, “mas o Santos só arrecadou R$ 360 mil no clássico”, ampliação da exposição dos parceiros. R$ 23 milhões para cá, naming rights para lá, neófitos falando em RGT (é patético isso…) depois de terem passado os últimos anos dizendo que ela podia fazer o que quisesse por “pagar caro pelo futebol”.

Números, números, números. Há aí uma nova geração de torcedores que os adora. Mas não os entende. Vê neles um fim e não um meio. Nesse processo doentio, muito se perde.

A lógica financista que tomou conta do Palmeiras a partir de 2013 quase nos rebaixou no ano do centenário (e fomos, como bem lembrado ontem pela insignificante torcida do Santos FC, salvos por um rival); agora, ao que parece, vivemos a fase de “harvest”, para usar um termo muito caro aos rentistas, especuladores e que tais.

Não há como discutir a importância do crescimento das receitas. É louvável que depois de dois anos de ostracismo e compromisso com o erro, a gestão atual tenha catapultado o faturamento do clube a um patamar nunca antes visto. Ok, que se reconheça isso.

O problema todo é que a lógica financista vem alimentando uma geração, toda ela refugiada nas redes sociais, que toma os números como finalidade e não como um meio para obter aquilo que efetivamente importa: um time à altura de nossa história, vitórias (em clássicos e contra outros grandes) e títulos.

A (parte da) torcida que aplaude renda (eu nunca vou esquecer isso, seus filhos da puta miseráveis!) parece imune à sucessão de maus resultados que o time vem experimentando em clássicos estaduais e nos confrontos contra os outros times grandes do país. “O time está em formação”, “estamos em reconstrução”, “essas derrotas no começo de campeonato são normais”. Poderia parecer só conformismo, mas é o mais puro deslumbramento: não raro, a relativização é apenas o começo; os cifrões virão na sequência.

Deixá-los-ei com outros números, os que valem:

_Na gestão Nobre, o Palmeiras venceu 1 clássico em 15 disputados.

_Pior que isso: dos últimos 23 clássicos, o Palmeiras venceu 1 (este mesmo supracitado). 1 em 23! É, certamente, a pior sequência histórica já vivida por um dos grandes paulistas na somatória dos confrontos contra os outros rivais.

_Desde 2013, a partir do início da gestão Paulo Nobre, o Palmeiras se deparou 31 vezes contra outros times grandes. A campanha é vexatória: 3 vitórias (contra SPFW e Grêmio, como mandante; e Botafogo, como visitante), 9 empates e 19 derrotas. 3-9-19!

_O Palmeiras não vence o SCCP na capital paulista há longos 13 jogos.

_Retrospecto dos últimos 18 clássicos entre Palmeiras e SCCP: 1 vitória do Palmeiras, 8 empates e 9 vitórias do SCCP. A nossa vantagem histórica, que era bastante sólida, se esvaiu.

_Contra o SPFW, o Palmeiras amarga um tabu que parece infindável: são 13 anos e 21 jogos sem vitória no Jd. Leonor. Para contrastar com isso, temos o SCCP ostentando uma marca oposta: 13 partidas de invencibilidade como visitante.

_Contra o Santos, o pequeno Santos contra o qual temos vantagem até dentro do amontoado de laje, conquistamos apenas uma vitória nos últimos nove duelos.

_Contra o Fluminense, notório saco de pancadas nosso em SP ou no Rio, acumulamos uma sequência impressionante: um empate e sete derrotas nos últimos oito confrontos.

_Contra o Atlético/MG, cujo histórico nos dá vantagem mesmo nos jogos no Mineirão, chegamos ao fundo do poço: oito derrotas (quase todas inapeláveis) nos últimos oito encontros.

Eu poderia aqui listar mais algumas sequências catastróficas, mas imagino que todos já tenham captado a ideia.

Para a imensa maioria dos 100.000 sócios-torcedores, pode ser que nada disso tenha muita importância. Pode ser que não se sintam assim tão incomodados com as derrotas em série, com os números de nossa história sendo solapados por atuações débeis e covardes, com um gigante virando motivo de piadas para torcidas as mais insignificantes. Logo alguém haverá de lembrar que lideramos o ranking de renda, que temos uma marca notável no aumento de sócios-torcedores, que a camisa alviverde é a “mais valiosa” do país etc.

Entretanto, a derrota tem efeitos insuportáveis – não pela derrota em si, mas pelo contexto em que ela está inserida – para os 700 torcedores que ontem estivemos no amontoado de laje da Baixada e para todos aqueles que não sucumbiram à inversão de valores.

Para a geração $, não deve fazer muita diferença o resultado em campo; valem os cifrões. Importante é comparar os “míseros” R$ 360 mil da renda do Santos FC aos R$ 2 milhões de bilheteria que teremos no próximo domingo. O Palmeiras perdeu mais um clássico? Ah, não tem problema; vamos aí publicar um meme no Face porque domingo é dia de fazer uma selfie no estádio novo e dar um jeitinho de aparecer no telão widescreen de alta definição – “é o maior do Brasil, sabiam?”. É meio que isso aqui“Hoje em dia, os torcedores buscam uma experiência que vá além do futebol. Eles querem uma vivência inovadora e empolgante, mas que também traga conforto e comodidade, que seja algo agradável para todos os públicos. Por isso buscamos oferecer serviços diferenciados e com alto padrão de qualidade, atrelando entretenimento e culinária ao futebol”.

É…

Enquanto os deslumbrados das redes sociais vomitam atrocidades, fomos os 700, muitos dos quais excluídos do novo estádio por uma política de preços elitista e desconectada da realidade, que representamos o Palmeiras diante de um rival que antes era batido com enorme facilidade.

Quando o alviverde vai à cancha, não tem “experiência que vá além do futebol”; tem só o futebol mesmo. Nada de “vivência inovadora e empolgante”; tem, de novo, só o futebol. Não tem “conforto”; a verdade é que mal se vê o gol a partir da laje do portão 21. Não tem “comodidade”; e nem queremos que tenha. E, claro, não há “serviços diferenciados e com alto padrão de qualidade”; trocamos tudo isso, por favor, por um time com atitude e que volte a fazer do Palmeiras o gigante que sempre foi.

“Entretenimento e culinária atrelados ao futebol”? Não, não, obrigado. Porque, no final da noite, confinados entre o campo e o portão 21 do amontoado de laje, somos nós, os 700 de sempre, que temos de aguentar uma torcida de primário (aquela das sociais) a cantar aquilo que ainda não conseguem entender aqueles que aplaudiram renda: dentro de campo, o Palmeiras virou uma piada.

Ao final de mais uma jornada fracassada, madrugada adentro, o consolo: não chovia na Baixada. Ao apagar dos refletores, restamos poucos por ali: os 700 de sempre, alguns PMs, as cabines de imprensa ainda iluminadas, a equipe de manutenção desmontando tudo no gramado. O cenário, desolador, só fez reforçar uma convicção: os números e cifrões de que se vangloriam alguns de nada valem enquanto não formos representados por um time capaz de devolver ao Palmeiras a supremacia contra seus rivais.

Finalizo, pois, com uma citação do Paulo Silva Jr.“Não vou contar que já não me surpreendo com militante de naming rights; nem com torcedor de likes no canal do clube na internet; muito menos com quem celebra o aumento do número de parceiros da lanchonente do estádio: neste noite, aplaudiram a renda do jogo. E isso sim vai ser difícil de esquecer.

###

Inspirações para este post:

Arena e o Teatro da Imposição, do Leandro Iamin

Futebol, Século II, do Paulo Júnior

 

119 respostas em “A geração $”

“Quando as conquistas chegarem…” Quanto tempo estamos esperando por elas? 15 anos? Enquanto isso, os três jogos que contavam alguma coisa até agora, perdemos. Mas para que se preocupar, não? Amanhã, temos o XV na nossa arena, a renda vai bater 2 milhõezinhos, que neguinho vai aplaudir, e depois vamos lotar de likes a página do facebook. O mundo gira e a lusitana roda, e continuaremos esperando as conquistas chegarem….

Ah, o glorioso XV jogou com o SPFW, e não vi nenhuma charge como a do “café com bacon” que saiu esta semana… além de falta de conquistas, o respeito está cada vez menor, e isso causa um mal incalculável…

Nem tanto ao céu, nem tanto à terra.
Grana é importante mas não é tudo, concordo, mas querer que a imprensa volte apenas noticiar APENAS o nosso pior lado também não é o caminho.
Também entendo que houve um rompimento dessa gestão com as organizadas que deveria ser reparado, para que seja inclusive estimulada a paz pois, quanto mais excluídos, mais clima de guerra existirá.
Ajustes necessários para que o time, esse sim a razão de existir do novo estádio, sócio torcedor e tudo mais, possa render o seu melhor e, nesse quesito só o tempo dirá se o trabalho foi bem feito na montagem da comissão e elenco.
Sem alarde, afinal, diferentemente de outros anos, o vies é de alta e não de baixa.
E segue o jogo.

Se reatar relação com as organizadas significa dar ingressos, que continue assim, bem longe. Torcedor tem que ser tratado igual, do mais rico ao mais pobre.

3VV e RODRIGO Voceis vão ter que desenhar pra que essa torcidinha de SELFIE e que nunca viram um telão gigante, entendam !!! Contra os números, ou contra FATOS não ha ARGUMENTOS !! EM 31 jogos, ficamos só 28 sem ganhar, ou seja perdemos 19 e empatamos 9……Adianta pagar 500 ou 700 pra um treinador , seo elenco é medíocre ??

Desenhe tambem para os torcedores imediatistas que analisam futebol as quartas e domingos.. ganhou tudo lindo, perdeu é um lixo..
chamar um time de mediocre em 1 mes de futebol????
enfim cada um tem sua opiniao..e o respeito por ela e o mais importante…

E OS RIVAIS PIRAM COM O VERDÃO! Ha ha

Avanti, programa de sócio-torcedor, rende
mais que patrocinador master Palmeiras lucra
R$ 25 milhões com o programa, enquanto,
com o master, lucra R$ 23 milhões Quem diria
que, um dia, a torcida conseguiria ser mais
importante no mercado financeiro do futebol
do que grandes empresas? Mas, hoje, essa é
uma realidade, pelo menos no Palmeiras. Com
a marca superada de 100 mil sócios-
torcedores, o Verdão vai ter um lucrou anual
de R$ 25 milhões apenas com o programa,
valor superior aos R$ 23 milhões que são
pagos anuais pela Crefisa, patrocinadora
master. “É a credibilidade do projeto como um
todo. Rapidamente o torcedor percebeu que o
Palmeiras tinha um norte, pensando
novamente grande. Isso ajudou muito. O
torcedor está confiando, está mais feliz”, disse
Alexandre Mattos, diretor de futebol do
Palmeiras e um dos responsáveis por alavancar
o programa. A meta para o ano de 2015 é
chegar até o Internacional, que tem 130 miL,a
diretoria já faz planos para ver o torcidômetro
bater a casa dos 150 mil.

O comentário do Fábio Pereira só faz reforçar tudo o que eu escrevi. Mas ele nem precisaria escrever tudo isso: o primeiro parágrafo do meu texto já resolve o assunto.

o que deixa indignado é o cara escrever palavrão é não ir pra moderação.

Bateu forte… (se não for mais uma notícia plantada, né?) <<<<<<<<<>>>>>>>>>

Finalizo, pois, com uma citação do Paulo Silva Jr.: “Não vou contar que já não me surpreendo com militante de naming rights; nem com torcedor de likes no canal do clube na internet; muito menos com quem celebra o aumento do número de parceiros da lanchonente do estádio: neste noite, aplaudiram a renda do jogo. E isso sim vai ser difícil de esquecer.

### Nos surpreendamos com times medíocres e falta de perspectivas. Com pobreza e críticas. O que mais me surpreende como palmeirense é quantos palmeirenses adoram jogar contra. Isso desanima, em se tratando de um clube com a nossa história. Nunca conseguimos aglutinar. Imagino que potência seríamos.

Matéria de péssimo gosto, e na hora errada!!
Tudo bem que o Palmeiras perdeu 2 clássicos, porém a situação é completamente diferente, puta que pariu!!! Será que é tão difícil de ver isso?? A midia pouca dá importância ao verdão, sempre nos colocando pra baixo e dando pouco crédito às nossas marcas, como por exemplo termos sido eleitos o melhor estádio de 2014, agora os próprios Palmeirenses achincalhando o time é absurdo!!!
-Termos a torcida mais apaixonada e crescendo no sócio torcedor é de extrema grandeza e importãncia e não pode ser desprezada nunca
– Temos o melhor estádio do Brasil
– Temos um NOVO elenco, com 19 jogadores – quase 2 times
– Grandes patrocinadores

Enfim, que conclusão chegamos?
Que finalmente estamos no trilho certo, estamos finalmente voltando a ser GRANDE!!
E esse texto é totalmente irresponsável e diria que é de um corinthiano, se não soubesse se tratar de um PALMEIRENSE…

Por favor, tenhamos mais paciência e discernimento.

PALMEIRAS É GIGANTE!!!

1. Isso não é uma matéria – e o fato de você não saber diferenciar isso já diz muita coisa; 2. Os números aí expostos deixam claro que que “não perdemos apenas 2 clássicos”; 3. Paciência? Faz 10 anos que ouvimos a ladainha de que o time está sendo montado! Nobre passou dois anos assumindo um compromisso com o erro e nego agora vem pedir paciência?; 4. O texto é bastante claro ao direcionar a crítica para a postura mercantilista e deslumbrada de parte da torcida.

Ser grande e corrente virtuosa não se faz do dia pra noite. Em 92 o Palmeiras da fila quase chegou , mas só começou a ganhar em 93. Há um pouco de má vontade o 3VV. Ando decepcionado com vocês. Que tal fazer parte do otimismo centrado antes de criticar?

Verdi, conte os 23 clássicos disputados antes da Era Parmalat começar, veja a proporção de resultados (mesmo sem títulos) e tente entender a comparação que foi feita sem má vontade. Se você quiser posso pesquisar para você, mas tenho certeza de que não ganhamos apenas um duelo. E de virtuosa a gestão atual não tem nada.

Enfim, existe o lado bom dessa história, que é mostrar que estamos vivos, mais vivos do que nunca e que SOMOS FORTES, PALMEIRENSES!

O time sendo montado agora, perdeu 2 clássicos…… sendo que na quarta fez um gol legítimo anulado quando estava 1×1……. com 2 bons jogadores ainda por estrear……..e começa o desespero…… voltam a comparar as derrotas nos últimos 5 anos com os times horríveis que tínhmos…….. começam até a criticar estádio cheio e grana entrando……. quando aparecerá os herdeiros da mãe Diná prevendo o revbaixamento?????………… e vivem sonhando com o tempo da parmalat, no país dos governantes……. menti….ro…sos e torcedores do small club. Nem Freud explica isso.

É só meter umas 4 ou 5 x 0 no domingo que a torcida esquece tudo isso, quer apostar quanto? Com o tempo o time vai se ajeitando e acho que é FORTE candidato pra conseguir ao menos uma vaga na LIBERTA em 2015!

Levi, já apareceram vários profetas do apocalipse dizendo isso…bem previsível mesmo.

O time reina contra pequenos…. contra os grandes a defesa treme inteira, os laterais na acertam marcação, cruzamento e passes. Por isso tem corneta mode ON aqui…. Eu título o time como sendo a cara do técnico, SEM SAL e SEM AÇUCAR!

Como é o ciclo mesmo?………com boas receitas n dá para dar desculpa que n tem grana para contratar jogadores bons e experientes…..com receitas n vai dar para enganar a torcida mais um ano……com as receitas que o Palmeiras está tendo, small club e bambis estariam rindo à TOA………..mas nossa torcida prefere ficar com briguinhas por causa de preço de ingresso, sendo que para sócios avanti eles saem bem baratinhos………. isso depois de 9 jogos.

Pra quem vai sempre aos jogos, o melhor plano do Avanti é o OURO, que custa 69,90 e tem desconto de 100% no Gol norte e 75% no Gol sul fora que dá um desconto de 25% nas cadeiras centrais, mas terá um aumento, dizem que irá para 100 reais no Brasileiro, e também acho um preço justo pelos descontos, mas ai já viu.. os cornetas vão falar que está MUITO CARO, aquela mesma ladainha de sempre, eu não sou rico, muito longe disso, sou de classe média e VALE APENA PAGAR ESSE VALOR pra ver meu querido PALESTRA, fora o fato de estar contribuindo para que ele se mantenha cada vez mais forte, mas alguns palmeirenses infelizmente não pensa assim, tem muitos INTERE$$ES por trás, mas até entendo.

Resumo depois de 9 jogos………………………MANDA TODO MUNDO EMBORA…………… manda o técnico embora…………………………contrata mais uns medalhões experientes (acredito que para o brasileiro o mattos o fará, como fez no cruzeiro)…………..e começa tudo de novo daqui outros novos jogos e manda todo mundo embora……………..MAS O GOL LEGÍTIMO ANULADO, quando estava 1×1, todo mundo finge que não viu. Bom mesmo é ficar reclamando de tudo. E tem gente quase ofende e fica brigando com as imagens………………… Gabriel Jesus tem que jogar já como titular. Eainda tem Valdívia e Xavier para estrear…….. logo aparece um vidente dizendo que iremos ser rebaixados….

Assim como os ATOS RACISTAS CONTRA O AROUCA todo também mundo fingiu que não viu.

Gosto do OO, mas me parece que tecnico bonzinho e simpatico nao tem perfil do palmeiras, ele ta escalando errado, tomara que ele consiga acertar esse time, colocando jesus, e amaral pelo menos, talves depois do paulistao se nao vingar eu arriscaria um marcelo oliveira, mas…um argel fucks nao seria ma ideia,o cara parece ser meio pit bull, derrepente quem sabe o time nao comeca a correr mais.Por enquanto eu deixaria o OO ate o fim do paulista se ele acertar esse time colocando j. pedro, natham, jota33, e amaral. tenho certeza que podemos chegar as finais

Concordo com tudo. A receita é importante, mas a torcida não pode ficar comemorando isso como se fosse um fim, o Palmeiras não é uma empresa é um time de futebol, o nosso lucro são as vitórias dentro de campo. Eu fiquei muito puto com a derrota pro Santos, o time jogou muito mal depois que fez o gol, e nós poderíamos ter saído com um resultado melhor, se O. O. não fosse tão cabeça dura e insistisse nos mesmo jogadores, deixando de lado os meninos da base que jogaram o ano passado. Pra mim, renda, sócio-torcedor etc. nunca serão mais importantes que os resultados em campo.

É claro que os fatores monetários e de marketing são importantes, mas, sem desempenho esportivo não significam nada. Parece normal perdermos para tantos ex-fregueses e times que outrora eram nanicos no futebol brasileiro. Tenho quarenta anos de idade, não há mais paciência para suportar tantas humilhações.

Também pode ser chamada de Geração Ostentação, Geração Selfie, Geração Fútil…

Precisam mostrar que tem, que podem, mas nesse processo acabem se esquecendo do essencial: do para que serve a coisa toda.

pois é jota, comecei a escrever um comentário sobre isso, tentando explicar o conteúdo do texto, já tinha digitado umas 20 linhas, aí apaguei tudo e desisti… pra que perder meu tempo, se não entenderam o texto não entenderão meu comentário…

Entendi, você quer de volta a arquibancada de cimento ? Quer um time competitivo, com grandes estrelas, pagando preços populares ? Quer competir com Corinthians e Flamengo com receitas de Botafogo e Vasco da Gama ? Ah legal …. Escreve tão bem, mas cada besteir.a

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Em 3 linhas você disse tudo. Parabéns.

É isso ai Felipe, perdi mais tempo e mais linhas para tentar falar o que você disse. É isto que você escreveu sobre a arquibanca de cimento, é fato. Ele preferia que fosse assim mesmo, até o nome no estádio ele ainda está preso no passado.

Tenho um amigo que “ama” o Pacaembu pois a paixão dele é assistir o jogo no alambrado. Respeito, mas hoje a sociedade mudou. O Selfie, o torcedor em geral também. Por outro lado, se o autor diz que o modo de torcer e o medo dele que este mesmo torcedor esqueça a GRANDEZA do Palmeiras, isso sim é culpa do próprio PALMEIRAS e de sua Política retrógrada doentíl que apequenou o Palmeiras por anos ou décadas, o que vocês vêem hoje na Arena é consequência.

Renda e Público Presente são divulgados no mesmo instante, no telão e no som do estádio, em qualquer jogo. Renda você disse que não pode aplaudir. E o fato de estádio estar lotado, isso pode aplaudir? Não pode se exaltar a casa cheia? Como você sabe quem aplaudiu o que?

Basicamente porque nunca antes na história do futebol a torcida aplaudiu a divulgação do público pagante. E se você escreve isso é porque ou nunca foi a um estádio ou porque é desonesto mesmo.

Grande comentário. Faz tempo que o Palmeiras envergonha seu torcedor; é motivo de chacota.
Acho uma idiotice achar que escalar um jogador com 16, 17 anos seja uma loucura. O Gabriel Jesus tem que entrar já no time; ou devemos esperar fazer 18, 19 ou 20 anos, isso é ridículo. O cara vai pro exército e se tiver que ir prá guerra com 18 anos, tem que ir.
Esse ano. no campeonato italiano, ou copa Itália, não sei bem, o Milan tinha no banco um goleiro com 15 anos.
Começo a acreditar que o O.O. tá meio perdido. O Maikon Leite não serve nem prá banco. O Girotto e o Ryder não ticam nem no banco.

Rodrigo vamos lá: Eu respeito a sua opiniao mas penso assim. Esse ano o Palmeiras voltou a demonstrar força. E surpreende até os mais otimistas. Penso que é objeto de case entender o que está acontecendo com a torcida do Palmeiras. O Gremio, o Inter, o SCCP inauguraram novos estadios e nenhum deles atingiu os.numeros que tem o Palmeiras. Isso é passivel de estudo mostra para quem duvidava qual a força de uma torcida que foi maltratada por pessimas gestoes (essa inclusive) só que a hora que montaram um time descente ( ainda em construção) olha a resposta que a torcida deu. E sem politizar o tema ( Eu torço para o Palmeiras e não para.Beluzzos, Nobres e Mustafas da vida) acho que é de direito do torcedor Palmeirense festejar esses numeros de Receita pois sabemos que para ganhar campeonatos tem que ter solidez financeira. Gostem ou não o 2o. Mandato do PN está bem nesse sentido. Eu estou honestamente mais preocupado agora em saber se o O.O. vai acertar nosso meio de campo do que quanto faturamos. E vamos em frente.

Grande Barneschi,

Compactuo da tua dor, mas acho ruim esse nós x outros tão em voga no Brasil presente.
Acho que o Palmeirense de uma maneira geral não aguenta mais e procura alguns “anestésicos” para superar esse momento que parece não ter fim. Olhar o que tá bom não é esquecer do que tá ruim. Acredito (opinião minha) que é uma vontade de superar a dor e de se enxergar grande, ainda que no estádio ou seja lá o que for. Outro dia me perguntaram: vc está feliz com o Palmeiras? Respondi: Enquanto não ganharmos um clássico, não. Sobre o jogo especificamente, uma questão: Como, ganhando de 1 a 0, jogo fora de casa, tomamos o empate em uma jogada de contra ataque??? Osvaldo que se cuide e entenda logo que deve encarar cada clássico como uma final daqui para frente.

Não consigo confiar no OO, sempre achei ele sem SAL e sem AÇUCAR. O Profexô com esse time nas mãos, estaríamos voando e tenho ctz que não perderíamos nenhum clássico.

A verdade é única, tenho visto em em diversos sites que o Corínthians , o São Paulo e o Santos estão
quebrados. Isso é fácil de entender, os 3 investem peswado no futebol pra não passar a vergonha que enfrentamos por 15 anos e se vocês querem saber essa quebradeira é balela, daqui 10 anos a conversa será a mesma e eles continuarão conquistando títulos. Enquanto isso nosso Presidente e o turco só
se preocupam em encher os cofres do clube, contratam refugos em grande quantidade só porque são
baratinhos, ou vocês acham que dá pra continuar com essa zaga que tem 2 jogadores ridículos, Vitor Hugo e Tóbio.

Discussões á parte, outro dia assisti um programa de debate na ESPN, onde o Mauro Cezar Pereira falava de um assunto que eu concordo plenamente, sobre essa coisa da torcida achar que o time de futebol que torcemos tem que ganhar sempre, se não ganhar a torcida não vai ao estádio, protesta, xinga e etc.. Time de futebol é assim mesmo, é inconstante, não vai ganhar sempre, como também não vai perder sempre.
Uma coisa que me deixa profundamente REVOLTADO é quando leio comentários de pessoas que se dizem “Palmeirenses” que se o time não ganhar, não vão ao estádio, vão cancelar o avanti, fazer o diabo á quatro e por ai vai, pra mim isso é coisa de CRIANÇA MIMADA, e isso eu vejo muito por aí, principalmente aqui no site, já tem gente jurando de pés juntos que se o time não engrenar a média no Allianz Parque será de 4.000 no resto do ano. Olha que ABSURDO, então só são Palmeirenses nas vitórias? O time da Marginal passou 23 anos sem ganhar NADICA DE NADA, mesmo assim a torcida deles cresceu muito naquela época, sabe porque? a paixão pelo time é MAIOR, independente de resultados, é isso que me revolta muito quando leio alguns comentários por aqui, o que interessa é as vitórias, se perder… É LIXO, NÃO PRESTA, ESTÁDIO VAZIO NO PRÓXIMO JOGO, é esse o pensamento de CRIANÇAS MIMADAS, moleques criados pela avó, se não for do jeito que eles querem fazem biquinho, birra e cara feia. Uma frase dita pelo Evair que resume bem sobre isso é “Para jogar no Palmeiras precisa ser mais homem do que os outros”.. isso também serve pra torcida… “PARA SER TORCEDOR DO PALMEIRAS PRECISA SER MAIS HOMENS QUE OS OUTROS”.

Tudo acima exposto é verdade, é óbvio que o que importa é o time, e time forte e campeão, mas o enorme crescimento de receitas inevitavelmenete resultará em conquistas. Nunca houve na história do futebol um clube que seja o mais rico e poderoso que não passe dessa condição às conquistas dentro de campo. É questão de tempo. Nesse sentido o aplauso à bilheteria é compreensível.

Pesquise sobre o Arsenal, e você verá que existe na história do futebol um time rico e poderoso que não ganha nada há anos (o Arsenal é um dos mais ricos da Inglaterra, se não o mais). Não adianta ter dinheiro se não vai investir no time para torná-lo campeão.

O Arsenal é o quarto mais rico da Inglaterra, bem atrás de Manchester United, Manchester City e Chelsea. Futebol se faz com MUITO DINHEIRO, estamos no caminho certo.

O Arsenal, é apenas o quarto ou quinto clube mais importante da Inglaterra, como disse o Fábio. Está abaixo também do Liverpool (embora este esteja em má fase). O Palmeiras tem a chance de ser o número 1 do Brasil. O mais poderoso financeiramente de todos (incluindo Flamengo e SCCP). Isso faz sim grande diferença dentro de campo. O Nobre ou algum presidente futuro sequer terá desculpas para não montar um time forte e disputar os títulos. Por isso bilheteria e sócios-torcedores crescentes merecem aplausos.

Fiz a musica pro palmeiras, o nome sangue verde!!! agora achar um interprete, o estilo da letra meia trash, irreverente, pra torcida mesmo, cantar no estádio, o difícil arrumar um vocal palmeirense que se adeque a musica, se alguém conhecer mandem no meu email .manuky@bol.com.br, ops o verdadeiro email, essa musica ficou bem razoável, queria que o kid vinil a gravasse, mas e difícil ele dar retorno. Eu ate poderia ecoa-la, mas preciso de alguém que toque

Críticas a diretoria pelos times montados, pelo preço de ingresso eu concordo plenamente. Treinador e a imensa maioria do elenco não jogou nem no ano passado pra ser criticado pelos resultados anteriores. Devem sim ser muito criticados pelas 3 derrotas deste ano. Não só nos clássicos. Perder pra Ponte Preta também é vergonhoso. Isso posto querer dizer o que deve pensar a maioria das pessoas que hoje é sócio avanti é muita pretensão. Creio que todos eles pensam em uma coisa: ajudar o Palmeiras. Apenas isso. Dizer que a maioria deles não devem ligar pros resultados é apenas para os lucros financeiros não demonstra só má vontade de raciocínio e sim uma grande mágoa infantilóide. Pra encerrar concordo plenamente que é vergonhoso torcida aplaudir renda de jogo. Mas relembro que é tão vergonhoso quanto parte de torcedores organizados aplaudir ou vaiar jogadores, treinadores ou quem quer que seja dependendo do financiamento que recebiam de diretorias.

A idade do torcedor pouco importa. O de 25 é PALMEIRENSE tanto quanto é o de 30, 40, 50,60,70,80, etc etc. E todos merecem respeito pelo fato de serem PALMEIRENSES. Eu, ja sexagenario, acompanho de perto o que se passa com o NOSSO PALMEIRAS desde os meus 7 anos de idade. O gol do Romeiro que nos deu o supercampeonato contra o SANTOS DE PELE &CIA eu comemorei, com febre, pendurado no pescoço do meu pai, Conheci as entranhas do PALMEIRAS quando participei do MUDA PALMEIRAS e senti a dificuldade de se implementar mudanças no clube. Senti a força que tem um Sr que atende pelo nome de Mustafa Contursi montando um esquema semelhante ao do PT em Brasilia dentro do PALMEIRAS. Sofri vendo o BELLUZZO querendo mudanças e sendo solapado pelos aceclas do Sr citado acima e tb pelo fogo amigo. Nada disso me fez menos PALMEIRENSE ou arrefeceu meu animo de lutar pelo PALMEIRAS. Mesmo a distancia ( resido em Jaboticabal) ainda luto pelo clube do meu coração. Sou socio Avanti, meu filho tb e alguns amigos por insistencia minha. Nas eleiçoes para o conselho em fevereiro pp fiz o que foi possivel para que um candidato fosse eleito. E foi. O que pretendo passar aos seguidores do 3VV com toda essa ladainha? Algo muito simples. SOMOS TODOS PALMEIRENSES. E como tal TODOS deveriam dar a sua parcela de contribuiçao, da forma possivel, para ajudar o PALMEIRAS. Para finalizar…. o PALMEIRAS TEM JEITO??? Afirmo que TEM…. vamos juntos lutar para que em 2016 seja eleito um PRESIDENTE que TENHA PROJETOS PARA O PALMEIRAS. Que queira um PALMEIRAS grande DENTRO E FORA dos gramados. Essa é a saida. E eu ja tenho o meu candidato que podera fazer a grande virada pro PALMEIRAS. Para isso nos PALMEIRENSES precisamos de uniao. Os PALMEIRENSES de 20,30,40,50,60,70,80, etc etc precisam estar JUNTOS PARA MUDAR O PALMEIRAS…… Simples assim!!!!!!

Paulo, sensacional seu comentário. Essa história de “Nobrete”, “Predador”, etc., é uma idiotice. Ao invés de se utilizar argumentos para convencer os outros, a maioria só se utiliza de formas de desconstruir o que o outro falou. E quase sempre por esse caminho de rotular e simplesmente desqualificar tudo que foi dito. Se todos se tratassem como Palmeirenses, nada mais, as coisas poderiam melhorar. Partir do pressuposto que todos querem o bem do Palmeiras. Abs.,

Parabéns pelas colocações! Acrescento que a pessoa a quem o Sr. se referiu, antevendo a aprovação das Diretas no clube, fez seu pupilo elevar sobremaneira o valor do título do clube, impossibilitando o ingresso da torcida aos quadros sociais, que poderia mudar, por meio do voto, o destino que esse Sr. traçou para nós. Mas, se Deus quiser, ele será derrotado!

Buscam sempre traçar um paralelo com o moderno futebol inglês, não por acaso estamos parecendo o Arsenal, contas aprovadas no final da temporada, mas saco de pancada dos rivais.

O Santos quebrado, devendo para jogadores, consegue montar um time competitivo. Mesmo com técnico interino e “velhos” jogadores, consegue ganhar do Palmeiras.
A CBF deveria impor uma Regra que impedisse o time adversário fazer gols no Palmeiras por conta de termos a melhor Arena do Brasil, a melhor renda e público, não atrasa salários e o presidente de clube mais rico e de cútis brilhante….
Gol do adversário seria anulado e Fernando prass cobraria tiro de meta para repor a bola em jogo.
Enquanto isso, mais um título dos gambás e o torcedor de renda aplaude….kkkkkkkkkkk

Tá parecendo um antigo conhecido que tem casas de aluguel, um excelente salário fixo, aluguel de máquinas pesadas, calculo uma renda LÍQUIDA mensal de uns 50 mil, porém, ele é visto usando roupas velhas e reformadas, come mal (comparado ao seu rendimento $$, é claro), sapatos velhos, economiza até no transporte, indo a pé em muitos estabelecimentos.
De que adianta se vangloriar de tudo isso se não pode ter o prazer de ter boas companhias, viajar, ser elogiado por GANHAR qualidade de vida.
Para o Palmeiras, seria bom se pudéssemos ter qualidade de vida, ganhando jogos e campeonatos.

Quanto ao assunto do post, só acho que os caras que estão hoje aí vestindo a nossa camisa não são os mesmos que estavas nesses últimos 23 clássicos, nesse ano muito coisa mudou e tudo indica que pra melhor… não ajuda em nada colocar na conta desses caras que estão aí hoje, os erros e times pífios desse século, da última década… tenho plena convicção que pelos menos 99,9999% da nação palmeirense se importa muito mais com os resultados de campo, mas todo o contexto influencia e faz essa imensa e apaixonada torcida crer que está sim havendo um processo de ressurgimento no nosso alviverde imponente e a participação em diversas mídias muitas vezes é a única forma que esse torcedor tem de demonstrar seu amor, paixão e confiança, exemplo eu, moro em Rondônia, assim como vários outros milhões espalhados pelo Brasil … a fila não teria durado até 93, se bons times montados antes dele não tivessem carregado o fardo tão pesado da anos anteriores sem títulos… um time campeão, salvo raríssimas exceções, não se faz do dia pra noite, é preciso de tempo e trabalho…. confio e apoiarei os jogadores que lá estão, confio e apoiareis a comissão técnica e confio em quem está comandando o futebol, confio nas avaliações e ajustes que estão e serão feitos para o Palmeiras voltar ao seu devido lugar… acredito, confio e estarei sempre junto do Palmeiras da forma que for possível… e ainda mais, acredito que, apesar das vibrações em relação às novidades externas ao futebol em si, não há nada mais importante para a nossa torcida que o Palmeiras honrar o seu hino e mostrar que realmente sabe sempre levar de vencido e mostrar que, de fato, é campeão! Meu filho caçula tem 4 anos, canta o hino todo, essa parte com especial vigor, essa é a alma do verdadeiro palmeirense, sempre foi e nunca vai deixar de ser, nascemos pra sermos campeões.

Nosso passado recente é trágico mesmo. Perdemos nossas raízes, aquelas que foram firmadas nos campos das vitórias, das conquistas avassaladoras, no talento de nossos jogadores… Deixamos para traz uma história gloriosa para nos acostumarmos às derrotas por goleadas por times inexpressivos – pra mim, até mais grave do que perdermos clássicos, porque é sintoma de que ninguém mais teme o Palmeiras. Agora, acredito que tenhamos condições físicas e financeiras de mudar esse quadro. Os erros gravíssimos cometidos nos dois últimos anos, que se não resultaram em nova Série B, corroeram muito do nosso orgulho e nos fizeram diminuir diante de nossos rivais. Talvez por isso os palmeirenses estejam celebrando tanto as rendas, nº de sócio-torcedores, curtidas em sites… É onde estamos ganhando deles. Não significam nada, mas é o que temos neste momento. Agora acredito que tenhamos um material humano que pode crescer muito. Não há grandes jogadores na maioria dos clubes brasileiros. Muitos são apenas nomes construídos por um departamento de marketing eficiente e outros tantos possuem apenas elencos medianos, porém bem treinados. Mas não sei se o nosso técnico é o ideal para o que precisamos.

Concordo muito com sua última frase, Regina. Como disse anteriormente, fazer em 2015 mais do que fizemos desde 2010 (exceção feita a uma conquista de Copa do Brasil na qual enfrentamos apenas duas equipes de Série A) mais do que evolução é questão de sobrevivência. Naturalmente que um dia até o Usain Bolt teve que aprender a andar para depois correr e então “voar”, isto é, todos os finais felizes precisam de um começo que nem sempre é glorioso (lembre-se de que foi o lateral Paulo Sérgio quem marcou o primeiro gol da “Era Parmalat” numa vitória contra o Cruzeiro em 1992, quem sabe onde ele está hoje?), mas não sei se nosso técnico e nossos melhores jogadores (que são poucos, diga-se de passagem) têm estrutura e capacidade para fazer a transição da qual tanto precisamos. No mais, para quem passa fome qualquer sobre é banquete, mas não se pode sobreviver eternamente assim.

Olha, concordo que nosso desempenho nos ultimos anos foi rídiculo e que deveríamos estar muito mais incomodados com isso do que felizes com as boas notícias relacionadas a gestão. Porém, entendo – e compactuo – com o sentimento de quem minimiza as derrotas nos clássicos deste ano por enxergarem que finalmente temos alguma perspectiva boa de verdade. Não se trata de esquecer o problema, e sim de tentar enxergar o copo meio cheio. Acho que a chance de voltarmos a ganhar novamente de todos estes times citados é muito grande. Muito maior que nos ultimos 6 anos, pelo menos. O time está sim em formação. E ainda tem jogadores importantes para estrear. Portanto, acho que devemos ter um pouco de paciência. Abs.

Luís, na mesma direção de procurar ver o copo meio cheio, concordo com muito do que você escreveu, mas faço duas ressalvas: conseguir ser melhor do que os últimos seis anos é um caminho inevitável para a sobrevivência, pois mais duas temporadas (minimamente o período que durará a gestão do Nobre) no mesmo nível e o Palmeiras desaparecerá de vez; e acho um pouco ilusória essa história de que ainda temos jogadores importantes a estrear – quais seriam eles, Clayton Xavier que jamais foi decisivo, ficou anos na Ucrânia e que ninguém sabe realmente como está física e tecnicamente? Ou Valdívia, cujo caráter e comprometimento profissional todo mundo conhece? No meu entendimento, na quarta-feira jogamos com o que teoricamente temos de melhor no momento, e para quem viu o jogo e sabe disso a decepção e as dúvidas quanto ao futuro fazem todo o sentido. Não acredito em rebaixamento por conta do que já expus aqui (pelo menos metade dos participantes da Série A de 2015 tem mais cara de Série B), mas até quando vamos nos contentar em entrar nas competições apenas para não cair enquanto batemos recordes que inflam o orgulho mas não enchem barriga?

Acompanho o 3VV há alguns anos e poucas vezes li um texto tão coerente e ao mesmo triste por ser a mais absoluta verdade (queiram ou não os torcedores de presidentes e de rendas), e como na imensa maioria das vezes ouvir ou ler a verdade dói. Jamais vou conseguir me conformar em saber que o Palmeiras se tornou campeão de arrecadações ou bateu recordes de sócios-torcedores mas que não consegue ganhar do SPFC na casa deles há 13 anos (jogando lá todo ano), que ganhou um dos últimos 23 clássicos disputados e que perdeu oito das oito últimas partidas disputadas contra o Galo. Simplesmente pelo fato de que com time vencedor, respeitado e temido é possível bater recordes de renda e de associados e lotar estádios frequentemente, ao passo que com times fracos, perdedores e desmoralizados as conquistas de ocasião se perdem com o tempo, pois infelizmente não há paixão neste mundo que sobreviva eternamente de barriga vazia, com a devida licença poética que essa afirmação precisa ser entendida.

Nem tanto ao mar, nem tanto a terra. Só acho que as Sereias sabem investir melhor rendas de R$ 360 mil/jogo, que o Palmeiras com rendas de R$ 2 milhões/jogo. Pode-se ganhar rendas milionárias, desde que saiba investir e montar um time só com (ou com a maioria de) bons jogadores, para ser campeão de verdade. Não vejo mal nenhum nisso.

Sempre os mesmos…. e depois dizem que o autor é desrespeitoso? Desisto de fazer parte disso. Vocês merecem isso daí.

Jota meu amigo, se.ninguém pode discordar do texto, qual a função do forum? São pontos de vista diferentes. No dia a dia torcedor tira sarro dos rivais de tudo, da localização do estadio, de salario atrasado, etc etc. Isso é assim e sempre foi assim. Agora dizer que a torcida só pensa em dinheiro é um exagero não acha? Eu até entendo que quando o time nao ganha nada (infelizmente é o nosso caso) as pessoas se apegam a qualquer coisa para contar vantagem. Essa é a nossa cultura. Isso fica em 2o. Plano quando se ganha título e espero comemora-los em breve. Acho que com esse time estamos mais perto do que os ultimos anos.

Caro Mauro… mas onde eu disse que não se pode discordar? É que os mesmos que reclamaram que o autor do texto falta com respeito nos seus comentários, faltaram com respeito nos seus. Discordar é sempre sadio e tenho a absoluta certeza que a linha editorial desse site segue essa premissa. Agora, vamos ser coerentes. Se você quer respeito, respeite. Quanto ao tema do post, concordo com ele, pois o que vejo na nossa torcida ultimamente é lamentável. Se eu não me indignar com uma derrota do meu time, não faz mais sentido torcer por ele, não? Meu raciocínio é muito simples: se no primeiro mandato dessa gestão tivemos um time medíocre pois não tínhamos dinheiro nem para pagar a luz, agora temos que ter uma seleção, não? Pois estão arrotando grana aos quatro cantos. E, sinceramente, na minha opinião, estamos longe de ter um time ao menos competitivo pra brigar por títulos. É melhor que o ano passado? Lógico e evidente… mas se fosse pior, meu Deus!!! O que eu quero, apenas, é ter um time decente pra torcer, comemorar vitórias e conquistas. Renda, público, patrocínio, salário, etc… não me diz respeito. Abraço!

Jota obrigado pela resposta, polemicas a parte é sempre bom discutir, concordo que falta respeito muitas vezes dos dois lados, mas,,, isso nem eu nem vocë vamos consertar, enfim…! Também acho que com esse cenário daria para ser mais ousado, mas apesar de não gostar da linha politica do Nobre (essa historinha de que eramos pobres, estamos quebrados blablabla… eu detestava, anti marketing), reconheço que o time hoje está melhor, talvez tenha aprendido, se for assim que bom!. Um dia vamos discutir governança (pois nesse ponto estamos engatinhando) mas como time de futebol acho que o sucesso esse ano vai depender do O.O., apesar de que na minha opiniao o tecnico ideal para o Palmeiras está no parque errado. Enfim abs e vamos ver no que vai dar.

muito bom o texto! ilustrou o que já venho pensando há tempos… basicamente parece que tão torcendo pra microsoft, pra empresas, o que eu nunca vi, torcedor se vangloriando por dinheiro, isso não é saudável nem pessoalmente, quando vemos alguém se vangloriando de ter mais dinheiro já é uma situação vergonhosa, ainda mais se vangloriando porque seu clube do coração tem dinheiro… mas também esse oba-oba quer dizer mais: que não morremos, que estamos vivos e muito vivos mesmo com essa sequência de derrotas e vexames, porque a situação tá crítica, portanto acho que faltou um pouco desse lado no texto, mas isso já basta também, não é motivo de festa, motivo de festa é título e vitórias… faz muito tempo que eu não vejo o verdão ganhar do atlético mg, que me deixa muito triste pois esse sempre foi um freguês de carteirinha, era sempre vitória ou vitória, o fato é que além de estragarem o presente do palmeiras, estão estragando o passado também. já falei aqui e repito: grande parte disso é culpa da diretoria, sempre com postura arrogante, querendo ganhar os holofotes da mídia, toma decisões estúpidas e sempre deixa de lado o mais importante que é o futebol, mas isso não vem ao caso agora…

Eu acho essa sua revolta de torcedor de arquibancada misturada com política!!! Aqui neste mesmo 3vv que o Senhor Rodrigo escreve sempre falou da tal roda, do ciclo virtuoso! Pois, bem se aqui sempre se falou nisso, pq essa revolta toda? Será que é difícil olhar e ver que a o ciclo virtuoso começou, não como queremos, que são títulos e grandes vitórias, mas começou e bem. Aqui sempre se falou que ter $$$ leva a ter time mais forte, que atrai torcida, ibope, patrocinadores que geram mais $$$$ e assim continua. Gostaria de entender essa sua revolta, pois me parece mais uma raiva cega de quem foi de alguma ou de várias formas prejudicado pelo atos do Sr. PN e que agora acha que temos que fazer o mundo vir abaixo por causa de 2 derrotas em clássicos, num anos em que finalmente parece, veja bem, parece que a maré começará a mudar.

Acho que alguns pontos do texto realmente tem razão, mas achei exagerado e muito emocional. Tudo bem torcedor é emoção, concordo, mas usar a razão principalmente num momento de crescimento é de bom senso!!

Vc fala besteira aqui por causa da internet WWW, feita por um jovem de 20 e poucos anos. Sem falar do Zuckemberg (Facebook), os donos do Google, etc… Todos com INTELIGÊNCIA extrema em seus 20 e poucos anos de vida.
Não despreze a inteligência de alguém que escreve aos 25 anos, conquistou um espaço e te obriga a vir aqui ler o que ele escreve.
Enquanto isso, o velho torcedor de sofá, certamente comprador de camisa de clube falsa, nada fez e faz pelo clube a não ser, bater palmas para a renda do jogo, apenas quando a RGT transmite, mesmo assim, depois de assistir o BBB15 e o RR Soares na Band. Mas vamos dar um desconto também, afinal, é difícil para ele entender um texto. Ok, então, tá …

Comparar o blogueiro com o criador do facebook é leviano, rs ! O garoto só tem audiência aqui com essas bobeiras que escreve, além de mimado e arrogante. não aceita opiniões diferentes da sua, quase sempre, respondendo com ofensas …

De onde você tirou que eu tenho 25 anos? E o que isso tem a ver com o debate? No mais, sugiro, uma vez mais, que você retorne aos bancos escolares e aprenda a escrever.

O Barneschi escreve com a alma de palmeirense, de só tem quem acompanha o Palmeiras das arquibancadas (algo que eu invejo muito nele). Aliás, muitos perderam essa alma quando viraram torcedores de dirigentes. Fãs da maldita política que diminui o Palmeiras ano a ano.

Nossa, não consegui terminar de ler, juro! Até o retrospecto dos últimos 10 anos (talvez os piores de nossa história) caiu na conta do Nobre! O saudosista torcedor das arquibancadas de concreto anda com um iphone 6 no bolso reclamando ….

Danilo, eu também não consegui ler até o fim. O Barneschi parece que tem algumas rusgas pessoais com Paulo Nobre. Peço com todo o respeito que o 3VV repense abrir espaço para que ele escreva aqui. Já falei por aqui, no passado eu lia o blog dele, mas devido a algumas colocações desrespeitosas para com o internauta, parei de lê-lo. Vide a forma chula que ele fala do torcedor no começo deste artigo. Não podemos ter alguém que alimenta a desagregação da torcida, ele não pode ter mais espaço por aqui. Chegou ao limite. Ele tem o pensamento dele de torcedor de arquibancada que não vai mudar, e colocar aqui estes pensamentos, da forma como se expressa, vai gerar desunião, como ocorreu com outros artigos que ele tem escrito por aqui.

Cara, o 3vv é o site mais crítico entre todos da mídia, até por isso é meu espaço preferido de ler e comentar, por aqui passam também os torcedores mais pessimistas do Palmeiras, basta ler o pós jogo contra o Santos para se ter um exemplo, ouvi gente dizendo até em rebaixamento após a derrota. Penso que tudo isso é válido desde que se tire proveito de algo, criticar em vão não ajuda nada, não agrega, críticas construtivas sim são válidas, mas tem uns 3 ou 4 comentaristas aqui que postam todo dia a mesma coisa, o santo mesmo texto e o pior, sem sugerir nada para melhorar! As coisas melhoraram muito nesse ano, só não vê quem não quer, o caminho é longo, o tal circulo vicioso entre receita/torcida e futebol parece que se iniciou e mesmo assim, tudo está errado …

Danilo e Donizete, tudo bem?
Eu não acho que o Rodrigo tenha colocado esses 23 clássicos na conta no Nobre, mas apenas os que o Nobre tem, de fato, desde o começo de seu mandato. Eu entendo o que mta gnt diz, que não podemos responsabilizar um time que não jogou esses 23 jogos (nem o presidente que não estava em todos eles) por todas essas derrotas, e isso é óbvio, mas tenho duas ponderações:
1 – Nesse tal futebol moderno os clubes não montam mais times que duram 10 anos, aliás, não duram nem cinco… qdo muito duram 2, 3 anos. Sendo assim, não poderemos nunca cobrar (veja bem, eu não disse responsabilizar) ninguém, uma vez que o time nunca vai ser o msm que perdeu os últimos 10, 12 clássicos, não é verdade? Eu sou desses torcedores que acredita que se o cara vestiu a camisa do Palmeiras, ele vestiu a história do Palmeiras e tem, sim, que se cobrar e se incomodar com o retrospecto (e ser cobrado por isso). O Romarinho, já fora dos gambás, “vestiu” a história recente deles e se sentiu no direito de fazer uma graça com o Palmeiras… quer saber? Eu acho que ele “tah certo”, que tem msm “o direito”. E por pensar assim, acho que os jogadores do Palmeiras e sua diretoria deveriam sim se indignar e ser cobrados pelos últimos 10, 15 anos (é óbvio que não é a msm cobrança a se fazer caso eles estivessem aqui esse tempo todo).
2) Qto ao Nobre, entendo que ele não é o culpado por esse retrospecto, mas pelos números pífios da própria gestão ele é. Não foi ele quem vendeu Barcos? Ele perdeu Kardec, Henrique, Marquinhos Gabriel, William Matheus e msm o lateral que depois foi pro Criciúma (esqueci o nome agora) em tempos que isso não podia ter acontecido. Lembremos que perdemos esses clássicos com gol do Kardec, falhas do Lúcio, falta de um meia pra tentar fazer algo diferente, tendo que aguentar o Pampers na lateral… e terminamos o ano com Mazinho, Menezes, Diogo… sendo sortudos por ter J.Pedro, Nathan e msm o Renato pra salvar a rapadura. A administração do futebol foi sofrível, por isso o time tbm o foi.

Não conheço o Nobre. Nem quero conhecer. Em sendo assim, nada pode haver de pessoal. Todos os meus textos são focados no Palmeiras e na defesa de um clube grandioso e capaz de estar sempre à frente de seus rivais.

Eu até entendo a colocação, mas, inevitavelmente não tem como se manter no futebol atual sem $$$. Sou critico tbm aos preços dos ingressos (mas, há o entrave das cadeiras no meio), onde poderemos perder dezenas de milhões de reais caso baixem os valores das arquibancadas a preços populares como desejam a maioria, inclusive eu. Todos querem craques (se e’ que existem por aqui), mas, eles custam muuuuita $$$. Sei que o cidadao que escreveu e’ um dos nostálgicos da Era Trambolho do Natel dividido ao meio, clássicos memoráveis, etc. Mas, isso ficou no passado (infelizmente), juntamente com o futebol romântico. Sobre a Allianz Parque e as divisoes de torcidas nos tais clássicos, há o serio problema da própria arquitetura da mesma… caso seja feita uma hipotética divisão de torcida nos referidos clássicos. Detalhe: nem na Europa (com menos violência e’ assim), pois, em clássicos são destinados apenas alguns raros milhares de ingressos a torcida visitante. Sem falar que… dos atuais 43,600 lugares , a PM e MP autoziriam pouco mais de 35 mil (e estou sendo muito otimista). No mais, o País vive uma violência cotidiana, e nem usar mais a camisa do time o cidadao pode usar tranquilamente. Portanto, os tempos são outros. Sobre perder clássicos, eu fico P… da vida tbm. Mas, segundo os números acima, os últimos 3 anos foram os piores da história palmeirense. Nunca na história …incluindo a década de 80 …com: Bizu’, Déda, Darinta, Tonigatto, Jaime Boni, Senna (o piloto jogava mais), eram tao ruins como os times do Tirone e do próprio Nobre em 2013/2014. Logo…
Penso que agora estamos no caminho certo, e a arena nos dará mais $$$, e consequentemente mais jogadores de nível (ainda estamos com um time mediano/bom), e assim como na Era Parmalat (JORRAVA $$$), teremos muitos anos de glórias …mas, pra isso TEM QUE TER $$$. E uma boa parte vira’ das ARRECADAÇÕES NA ARENA + SOCIOS-TORCEDORES E PATROCINIOS. Não há milagres no futebol atual…quem tem mais $$$ se mantém no topo. Essa e’ a realidade atual.

Quando é que o Oxxxvaldo vai para o Japão???
Caramba, tira o Lucas e põe o João Pedro, tira o Tóbio e põe o Natan, tira o Cristaldo e esse Rafael Marques (tomara que vá junto com o Oxxxvaldo para o Japão) e põe o Gabriel Jesus (apesar de muitos me criticarem pelo fato de eu pedir que o menino seja titular do verdão, não sou amigo, nem procurador dele, o menino é bom de bola).
Para o meio de campo temos a solução que é o Clayton Xavier.
Precisamos do Luxa (o Vaidar tá louco para trazer para o SP), ou quem sabe Abel Braga que está no mercado.
O Oxxxvaldo é gente boa, para técnico não dá, tem que ser comentarista.

Podia muito bem dizer que esse texto é muito bom… é, e realmente exprime o meu sentimento. Mas vendo essa realidade, me bate um tristeza e um desânimo sem precedentes. Nossa torcida perdeu a capacidade de se indignar. Pedem paciência há pelo menos uns 10 anos, pois estamos no caminho certo, o ano que vem vai, etc… Cansa. É lamentável ver no que o Palmeiras e sua torcida se transformaram. Sinceramente, não sei se isso tem salvação. Infelizmente!!!

Oi Rodrigo, tudo bem?
O seu texto, honestamente, me deixou pensativo. Pensativo em relação ao meu “papel”, à minha “função” ou “colocação” na torcida palmeirense. Fiquei me perguntando se eu faço parte do grupo descrito por vc, esse que celebra rendas. Eu tenho 25 anos, mas comecei a acompanhar futebol pra valer só aos 13 pra 14, ou seja, qdo o Palmeiras foi pra B pela primeira vez. Foi a primeira vez que fui ao estádio, que conheci o nosso Parque Antártica e sua arquibancada cimentão. O primeiro gol que eu vi no estádio foi do Love, numa noite sem graça, num jogo sem graça, contra um time fraco e contra quem ainda terminamos por sair apenas com um empate em 1×1. Se não me engano, não éramos mais que 7 ou 8 mil naquela noite. Antes disso eu via um jogo ou outro na tv mas sem ser fã de verdade. Depois desse dia, não sei bem como nem pq, “virei” torcedor. E, de lá pra cá, lembro muito bem dos times sofríveis que o Palmeiras teve, com jogadores que, por tão fracos e pouco identificados com o clube, só os torcedores mais próximos realmente lembram: com genéricos (Rivaldo, por ex.), animais (Pardalzinho, Preá), celebridades (Michael Jackson), “atletas” (Osmar “Cambalhota”)… caras merecedores de apelidos como Pampers, Gente Boa… caras que “jogam de calça jeans”… os péssimos Gioino, Betinho, Gladstone, Fabinho Capixaba, Jumar e por aí vai. Mas jogador de futebol, pra valer, foram poucos. Tão carente ficou a torcida que Vágner Love quase vira “ídolo”, que Pierre era idolatrado, que Diego Souza era acima da média, que Valdívia dá o que falar até hj. Um time mediano (pra fraco?) como o que tinha Henrique, Gustavo, Leandro Buchecha, Élder Granja, Martinez, Léo Lima, Alex “Cabeção” Mineiro e, claro, Diego Souza, Valdívia e Cleiton Xavier (com Keirrison logo na sequência) foi nosso ponto alto (!!!). Com um cenário desse, ver o clube (que, pelas próprias forças, praticamente chegou a cair o ano passado) contratar, e muito, e jogadores desejados por outros clubes grandes do cenário nacional (Cruzeiro, Inter, Corinthians, São Paulo, Santos, Flamengo, Grêmio), por exemplo o Alan Patrick, o Lucas, o Gabriel, o Leandro Pereira, o Dudu, o Zé Roberto, o Arouca, o Cleiton Xavier, o Victor Hugo… é natural que isso anime uma torcida que vem sofrendo tanto, como a nossa, não? Ao msm tempo, o clube que eu sempre ouvi que vem se apequenando (e com torcida diminuindo), alcança marcas inéditas nesses números que vc cita no texto. Isso tb não é algo que, naturalmente, anime? É errado o discurso, que parece óbvio, que diz que essa renda se reverte em poder pro clube? O fato de termos arrecadado em dois ou três jogos tudo o que arrecadamos no campeonato do ano passado não se reverterá (em especial caso esses números se mantenham e, obviamente, com uma administração minimamente correta) em força no futebol? É claro que eu me sinto cansado de perder jogos grandes, mas esse ano não começa, de fato, diferente?
Como eu disse no começo, seu texto me deixou um pouco confuso. Eu concordo com tudo o que vc diz, mas ao msm tempo me senti o torcedor da rede social, e isso se agrava, em especial, pq faço parte do grupo excluído do estádio (eu que fui torcer no frio e na chuva nas duas séries B, fui sofrer com os arremedos de times que tivemos de 2003 pra cá, esse ano ainda não consegui ir e nem sei se vou).
Tvz as minha dúvidas sejam (sem indignação nenhuma, apenas curiosidade, interesse): o que vc espera dessa torcida? Que ela fique indignada por perder mais um clássico? Ela não está? (Eu estou!) Que ela ache ridículos esses números que realmente importam, os de vitórias-empates-derrotas? Ela não acha? (Eu acho!) Mas… msm assim, perder ontem não era um resultado, dentro das circunstâncias, plausível? O nosso time não está, de fato, em formação? Vc não acredita que o nosso time tenha qualidade? (Eu acredito.) Mais uma vez, o que vc espera dessa torcida? Vc fala do Nobre, alguém acha que os dois primeiros anos da gestão dele foram bons (em futebol)? (Eu não, claro!) Mas esse ano e o próximo não têm tudo pra serem mais felizes?
Desculpe o tamanho (e a confusão) do comentário.
Belo texto o seu!
Abraço.

Belo texto seu também, Lucas. As reflexões são boas. Quanto ao assunto do post, só acho que os caras que estão hoje aí vestindo a nossa camisa não são os mesmos que estavas nesses últimos 23 clássicos, nesse ano muito coisa mudou e tudo indica que pra melhor… não ajuda em nada colocar na conta desses caras que estão aí hoje, os erros e times pífios desse século, da última década… tenho plena convicção que pelos menos 99,9999% da nação palmeirense se importa muito mais com os resultados de campo, mas todo o contexto influencia e faz essa imensa e apaixonada torcida crer que está sim havendo um processo de ressurgimento no nosso alviverde imponente e a participação em diversas mídias muitas vezes é a única forma que esse torcedor tem de demonstrar seu amor, paixão e confiança, exemplo eu, moro em Rondônia, assim como vários outros milhões espalhados pelo Brasil … a fila não teria durado até 93, se bons times montados antes dele não tivessem carregado o fardo tão pesado da anos anteriores sem títulos… um time campeão, salvo raríssimas exceções, não se faz do dia pra noite, é preciso de tempo e trabalho…. confio e apoiarei os jogadores que lá estão, confio e apoiareis a comissão técnica e confio em quem está comandando o futebol, confio nas avaliações e ajustes que estão e serão feitos para o Palmeiras voltar ao seu devido lugar… acredito, confio e estarei sempre junto do Palmeiras da forma que for possível… e ainda mais, acredito que, apesar das vibrações em relação às novidades externas ao futebol em si, não há nada mais importante para a nossa torcida que o Palmeiras honrar o seu hino e mostrar que realmente sabe sempre levar de vencido e mostrar que, de fato, é campeão! Meu filho caçula tem 4 anos, canta o hino todo, essa parte com especial vigor, essa é a alma do verdadeiro palmeirense, sempre foi e nunca vai deixar de ser, nascemos pra sermos campeões.

Mto obrigado, Diogo. Concordo com muito do que vc diz, só sugiro um contraponto com uma ideia (e comentei isso lá em cima tb): jogadores não ficam mais em seus clube hj em dia por tempo o suficiente pra podermos nos dar ao luxo de só cobrar quem participou de certos jogos e campanhas. Acho que qdo algum profissional veste a camisa do Palmeiras ele está vestindo a história da Sociedade e deve sim receber os bônus e o ônus de tal honra. É claro que não é justo cobrá-los como se tivessem jogado os tais 23 clássicos, mas devemos cobrá-los por estarem aí pra mudar essa história, e isso começa pra ontem! Concordo com o Rodrigo que é absolutamente inadmissível que tenhamos um retrospecto tão ruim qto o apresentado por ele. E o Nobre tem sim que ser cobrado, já que parte desse “tabu” foi estabelecido graças às políticas de venda e renovação que nos tiraram Luís Felipe, Henrique, William Matheus, Marquinhos Gabriel, Barcos, Kardec… todos jogadores que não podíamos nos dar ao luxo de perder, tanto que em seus lugares ficaram, Wendel/J.Pedro, Lúcio/Wellington/Nathan, Juninho, Mazinho/Menezes, Diogo/Henrique. É clara a necessidade dos que saíram. No entanto, é claro que essa cobrança tem que vir com apoio e temos que confiar sempre no nosso taco, e nisso acho que vc está certíssimo. Tb confio muito no Palmeiras e não percebo hj nenhum time de São Paulo, quiçá do Brasil, com jogadores melhores que os nossos, se avaliarmos posição por posição. A escalada de patamar que fez o Palmeiras esse ano foi uma agradável surpresa. É assim que vejo nossa situação.

É, mas já já a torcida vai cair na real e perceber que esse time é nota 4 ou 5 e essas enormes arrecadações quando o encanto pelo estádio passar vão minguar naturalmente. É bom ter ousadia
e contratar jogadores vencedores, de qualidade e que não amarelem senão os 4 mil de sempre serão
o público dessa arena.

São números dolorosos, sem dúvida, mas o pior é ver o tal jornalista Santista Odir Cunha vir aqui no Blog e dizer que somos um “Parceiro natural” do Santos.. MEU DEUS!!! Esse dia fiquei mau demais, á que ponto o GIGANTE PALMEIRAS chegou, ser parceiro de um NANICO DE VILA, que sequer fez cocêgas no Palmeiras mesmo nos tempos do Pelé.
É triste, quero ver meu time ser PARCEIRO do Real Madrid, Milan, Bayer de Munique, é por ai que começamos á pensar PEQUENO.

Os comentários estão desativados.