Pós Jogo Palmeiras 1(2)x2(4) Santos: não deu

 

Não deu.

O Santos é o Campeão Paulista de 2015.

O jogo? Confuso, cheio de alternativas.

Primeiro, Oswaldo Oliveira veio com um time mais ofensivo que a primeira partida no Allianz. Robinho como volante ao lado de Gabriel (Arouca machucado nem no banco estava) e Valdívia no meio.

Não funcionou. Robinho deixava uma avenida no meio campo e Robinho do lado de lá e Lucas Lima aproveitavam esse espaço.

Mas os gols do Santos não saíram por aí. Saíram em dois vacilos. O primeiro, em uma bola que saiu da nossa área e voltou. Robinho entrou e tocou de lado. David Braz fez 0x1 com três jogadores santistas na cara do Prass.

Antes de acabar o 1o tempo um tiro de meta batido lá da área santista deixou Ricardo Oliveira livre na cara do gol. 0x2. No final do 1o tempo por uma estupidez de Dudu, dois jogadores expulsos: o próprio Dudu e Jeuvanio. Na verdade parecia ter sido melhor para o Palmeiras. Jeuvanio era mais eficiente que Dudu.

A expulsão também parece ser consequência do excesso de amarelos de Ceretta. Em 13 minutos amarelou Dudu e Valdívia. Depois ainda amarelou Valencia do Santos e Gabriel. Quando expulsou Dudu talvez fosse para amarelo.

Segue o jogo. Oswaldo mudou o time no início do 2o tempo. Colocou Cleiton Xavier no lugar de Robinho ee trouxe Zé Roberto para ocupar o posto de 2o volante. Sem Jeuvanio do outro lado, a ala esquerda do Palmeiras era menos atacada e Leandro ou Rafael seguravam as pontas por lá.

Funcionou. O time melhorou. Cleiton deu mais dinâmica. E um apagado Valdívia no 1o tempo fez a única jogada boa dele no jogo: lançou Lucas que entrou por detrás da zaga (e de Ricardo Oliveira) e fez 1×2.

Era resultado para penais.

Ainda teve uma emoção forte de cada lado. Victor Ramos foi expulso e o Palmeiras ficou com 9. Falta pro Santos e Xavier bateu. Amaral (que entrou no lugar de Valdívia) colocou no gol. Eram mais de 40 minutos. Mas o bandeira apontou impedimento. Foi correto.

Depois Ricardo Oliveira chegou na cara de Prass. O goleiro fez nova defesa nos pés do atacante.

No final o Palmeiras esperava os penais. O Santos também já não tinha mais forças.

Nos penais, não tivemos a sorte que queríamos. 2×4. Rafael Marques e Jackson perderam. O Santos converteu as 4 que bateu. Santos campeão. E um gosto amargo que perdemos o título quando podíamos ter matado o jogo no Allianz Parque. É a vida…

E agora?

O resultado não é o que esperávamos. Mas se não é prá comemorar, também não é prá queimar tudo e todos. O time está de parabéns por ter sido montado esse ano e já disputar um título. Perdeu para o Santos, que era dono da melhor campanha do Paulista (Santos que também foi montado esse ano, mas Robinho e Ricardo Oliveira fizeram a diferença).

O elenco foi montado esse ano. É um elenco competitivo – como se viu – para disputar o Paulista. Para o Brasileiro precisará de reforços. Mas há uma base aí. Prass, Lucas, Zé Roberto, Gabriel – incansável nesse domingo, foi substituído porque já tinha amarelo – Robinho, Arouca, e Cleiton Xavier são a base que precisa agora receber reforços.

Os jovens zagueiros precisam de alguém com experiência. Inexplicável a ausência de Tobio. O ataque – Marques e Leandro – fizeram um bom campeonato mas seguramente precisamos de reforço de peso nesse setor.

As dúvidas:

i. Valdívia… podemos contar com ele ou não?

ii. Dudu: vai aguentar a pressão pelas duas partidas finais?

iii. O que será dos argentinos do elenco?

iv. E a comissão técnica? Oswaldo tem cacife prá levar esse time – com reforços, claro – a disputar o título brasileiro?

A base está aí. A Diretoria precisa buscar reforços de peso. Hoje tem dinheiro em caixa e a torcida já mostrou que paga a conta.

Se reforçar essa base teremos um bom time para disputar o Brasileiro. O problema é que o Brasileirão começa domingo que vem. Ou seja, no popular, “Mattos, agiliza!”.

Vamos em frente. Não tá bom (não fomos campeões) mas não tá ruim (tem um caminho).

Saudações Alviverdes!

Posts antigos, Por Onde Anda, e Links Patrocinados