Categorias
Corneta do Cunio

Chuta no gol, c…!

 

Por Alberto Cunio

Pois é, o Palmeiras parece que está tendo que aprender do zero. Esse negócio de não chutar a gol é coisa de fundamento, de base, cultural.

O brasileiro não é acostumado a chutar em gol para fazê-lo. Principalmente de fora da área. Ele prefere entrar na área, bola dominada e rolar pra dentro. É um estilo, uma cultura. Raros são aqueles que desenvolvem este talento com a bola rolando. E o resultado disso é um sem número de oportunidades perdidas.

O europeu, desprovido dessa categoria e habilidade, desenvolveu dar “patadas” de tudo que é lugar. E de tanto tentar, treinar, praticar com insistência, com o tempo, o faz com a maestria que conhecemos. E mais: manteve esta habilidade e aprimorou a que lhes faltava. O drible, o passe preciso, a assistência. Resultado disso? 7×1. E todo mundo estará sábado às 15:45 babando à frente de suas telas planas para assistir ao “jogo mais esperado do ano”.

Tive um treinador quando jogava intercolegial infantil, aos 14 anos, que dizia: “Vocês têm que aprender a chutar com as duas pernas!  (Uma de cada vez, claro!). E nos obrigava a bater pênaltis com a perna oposta a nossa mais hábil. Pelo visto este treinamento ficou no imaginário do meu saudoso comandante. A prova disso é vermos ontem o jovem Kelvin, que até experiência na Europa já teve, receber um “presente” da defesa colorada e, ao invés de correr até a bola batendo um canhão de perna direita para nos dar a vitória… Parou-a, dominou-a, trocou-a para a sua perna esquerda (a única que o transformou em jogador) e… Bom. O resto já sabemos.

O futebol profissional não tem mais espaço para isso. Ainda mais no Brasil. Treinar “fundamentos”, como o próprio nome já diz, é algo para o aprendizado,  inócuo para quem não tem isso como hábito na prática adulta. Razão pela qual só vemos alguns poucos atletas em seus Centros de Treinamento chutando dezenas de vezes… bolas paradas! Afinal, esta não é uma alternativa durante a partida. É uma necessidade obrigatória. A falta está lá e precisa ser batida. Com a pelota rolando, para que chutar? Vamos entrar no gol junto com ela!

41 respostas em “Chuta no gol, c…!”

Queria dizer pro Mateus, que o torneio de bocha, no Palmeiras é mes que vem. Hoquei no outro. Tenis de mesa às 2ª feiras. Obrigado pela sua sinceridade: você não gosta de futebol. Então faz o seguinte: para de puxar o saco do Nobre e sua administração, peidndo tempo para o time melhorar.
Sei que faz pouco tempo desde 1978, para os mais otimistas depois da Parmalat. É da pra gente esperar mais um pouco né. Afinal são só 37 anos de espera. Quero ressalvar que 1993, 94, 96, 98 e 99 foram anos atípicos e esses times eram bons, jogaram e ganharam títulos importantes.

Off: entra ano, sai ano, e os queridinhos são sempre favorecidos, mais um absurdo penal pro spfw para lhes dar a vitória, assim como contra o santos…

Eta penaltu mandrake que deram para os bambis ontem. Até os gambás ganharam do Joinveille, e nós com essa caricatura de técnico empatamos.
MARCELO OLIVEIRA JÁ!!!!!!

E mais uma vez as bambis vão disputar um título, mesmo sem grana e com bagunça. Pq estão fazendo o que se espera de um time que quer ser campeão: ganhar todos os jogos em casa e não ficar com desculpas para o próximo jogo. E olha que nem começaram a nos rou…bar nas arbitragens ainda. E nem o stjd entrou em ação contra o Palmeiras.

Infelizmente, Levi, com esse rascunho de técnico e um time que não chuta a gol não precisamos de arbitragem para sabotar nossa campanha. O maior inimigo continua la dentro, e chama-se “incompetência administrativa”.

Verdade! Até a décima rodada eles (stjd e arbitragem), nao mexem com a gente, depois, dependendo qual dos queridinhos quiserem ajudar, eles agirão… Vacilamos muito, nenhuma vitória em casa vai custar caro no final. Restam 40, vamos torcer!

Já perdemos pontos demais, está mais do que na hora de começarmos a fazer uma sequência de resultados positivos!! Se por ventura não ganharmos do Figueirense hoje, ÉH RUA O.O.!!!

Joinville perde de 0x1 para os gambás.
E nós perdemos 2 pontos cruciais…
Com o estádio vazio não conseguimos vencer esse time horroroso do Joinville.

O líder do campeonato, o fortíssimo Atlético Paranaense, já está nove pontos à nossa frente, enquanto que a zona da degola está ali, dois pontinhos só atrás da gente. Mas Felype Gabriel e Alecgol vêm aí…

O que é inadmissível é que foi feito todo planejamento para esse ano. O dinheiro da nossa arena que todo jogo é casa cheia, dinheiro dos patrocinadores, dinheiro do sócio-torcedor e o clube continua decepcionando o torcedor??? Cadê aquela badalação toda no início do ano??? Já está mais do que na hora a diretoria começar a se mexer pra agora!!! Vamos começar a cobrar a diretoria pra trazer reforços de alto nível que cheguem esses jogadores para serem titulares e não pra compor elenco, de compor elenco já estamos de saco cheio!!! Temos que dá um basta nessa situação pensando que o Palmeiras se baseia só no bairro da Água Branca, o Palmeiras é nível nacional e internacional!!! Queremos e exigimos a volta do nosso Palmeiras gigante!!!

Harley, enquanto tivermos um bom número de torcedores frequentando nossa maravilhosa arena pagando preços abusivos e insistindo para que o valor do ingresso aumente mais ainda para afastar a “ralé”, o resultado dentro de campo será secundário ou irrisório para quem comanda o clube. Repito o que já escrevi aqui, mesmo sob risco de apedrejamento: não sou contra nenhum dos privilégios que a modernidade nos traz, mas preferiria mil vezes que o Palmeiras mandasse seus jogos no Canindé usando camiseta Hering pintada à mão mas que levantasse pelo menos uma taça por ano. Mas é apenas o ponto de vista de alguém que quando era criança viu esse mesmo time ganhar, em menos de um ano, de Barcelona, Juventus e Real Madrid.

Meu segundo time foi campeão outra vez jogando um grande futebol, aguardo ansiosamente para que o primeiro me dê alegrias novamente…

Engraçado… Eu sou só Palmeirense. Só eu que não vejo graça nenhuma em ver jogos alheios? Só eu que não to nem tomando conhecimento de quem é Barcelona, Boca Júnior, Corinthians ou Asa de Arapiraca? Não to te criticando, mas eu devo ser muito estranho. Sei lá… Talves eu nem goste de futebol, talvez eu assista o futebol apenas por ter Palmeiras. Talvez se o Palmeiras mudasse de esporte, eu também fosse junto. Enfim… Eu não me animo nem um pingo em ver futebol Europeu, ou qualquer outra coisa,,, Sei lá, acredito que da parte deles isso é recíproco. Entendem? Eles mal sabem de nossa existencia e nós aqui, falando da final deles… Prefiro mil vezes ver meu Palmeiras jogar uma Copa do Brasil contra o Asa do que perder meu tempo vendo JUV x BAR….

Melhores quartetos ofensivos do futebol que eu vi jogar:

Djalminha, Rivaldo, Muller e Luizão- Palmeiras 1996.

Iniesta, Neymar, Suarez e Messi- Barcelona 2015.

Olha pessoal. Uma coisa é ver que não estamos tendo os melhores resultados ultimamente. Mas o time que temos hoje não é ruim. Nosso presidente conseguiu mudar nosso clube sim. Tenho medo do que virá depois dele. Mas tudo bem. Vamos torcer. O Palmeiras vai voltar. Isso é questão de tempo. E tenho certeza que nosso presidente ano que vem vai montar um time de ponta. Lembra de como estávamos à 3 anos? Poh.. Hoje nós somos respeitados. Estamos em franca evolução. Se mantiver essa pegada, seremos um dos maiores com certeza. Vamos acreditar. E ano que vem, que tragam o Bielsa. Não adianta tirar o OO pra trazer 7 Cuca da vida. Ano que vem teremos mais poder. Teremos mais dinheiro. Teremos melhores jogadores. E que o Nobre arrume logo um sucessor a sua altura. O Palmeiras só tem a crescer.

Quem é Bielsa? É um bom centroavante? É um bom zagueiro? Bom jogador, pelo menos? Não? Então nada mudará, mesmo com todo poder e dinheiro do mundo.

Mateus, analisando rapidamente a “gestão” moderna do nosso atual mandatário, vamos lembrar que no primeiro ano o objetivo era “subir”, e jogamos fora uma Libertadores que sabe-se lá quando vamos disputar novamente. No segundo ano, o objetivo era “se manter” e jogou no lixo o Centenário, levando chapéus de rivais, contratando mal e a esmo inclusive treinadores e mantendo a arrogância do primeiro ano. Neste terceiro ano, o objetivo era “crescer”, mas até agora ele só foi alcançado nas arrecadações e nos números do Avanti. O pouco que o Nobre mudou no Palmeiras até agora foi elitizar o frequentador do estádio e focar no consumismo desenfreado. Time de futebol? Acho que ele ainda pensa que temos Evair e Alex.

Tem uma matéria da Globo que lista 17 contratações do Palmeiras para o ATAQUE e contratados só pelo Paulo Podre. Ele era nossa esperança e foi eleito prometendo profissionalização no futebol, não foi? Isso é profissionalização? Antes desse cara ser eleito, eu acreditava nele, hoje em dia, não entendo como ele foi reeleito, é só ver essas 17 contratações. Pra mim, e isso é pessoal, vejo o elenco do Verdão de longe o melhor hoje (mas acredito que poderia ser muito melhor, com todas essas contratações, não daria pra contratar um futuro craque, por exemplo há dois anos?). Acho que o estilo da diretoria reflete no desempenho do time e na mentalidade da torcida, e é uma pena que esteja acontecendo isso com o Palmeiras, um time que já foi respeitado no mundo inteiro. Tão respeitado quanto os gigantes do futebol. Uma reformulação total no Palmeiras seria o ideal, uma limpeza de todos os dirigentes que ficam rastejando e babando pelo clube, que de 2000 pra cá vem afundando.

Entendi todo o texto, mas o que penso é que não adianta cobrar 9, zagueiro, 10, valdivia jogando, salario menor, chute no gol, jogador responsavel, tecnico inteligente, o problema é quem dirige o Palmeiras.

Já que os jogadores de hoje têm esta deficiência, cabe ao treinador corrigir isso nos treinos táticos, coisa que o OO não faz, basta ver o tipo de treino que ele dá.

Mario, infelizmente isso não da pra corrigir depois de “véio’, véio é uma droga…hahahahahaha

E esse problema compromete todo a trabalho do Mattos e do O.Oliveira, pois quem do elenco sabe chutar e se enquadra na tal proposta tática?
Nossos pontas são um fiasco no quesito finalização. São os chamados “pé de anjo” (Dudu, Kelvin).
Encantam com seus dribles, mas comprometem o ataque.
A esperança fica por conta do retorno do Alione.
A propósito, sera que os argentinos estão num disputa justa com os brasileiros????

Concordo que a maioria dos técnicos não treina fundamento com a molecada e digo mais, meu filho aos 6 fez peneira para os federados do palmeiras e ficou por lá uns 3 meses, depois foi preterido. Voltou a fazer mais duas vezes, na primeira pelo que soube, eles queriam um novo Neymar…rs, aliás fomos embora antes de terminar, pq já eram quase 22:00 hrs e ele pediu, então tchau. A segunda foi no clube com quase 60 moleques, fizeram por fazer, passou um moleque e ele foi dispensado posteriormente. Falei tudo isso porque? o meu filho chuta com as duas pernas, canhoto de origem, hoje é ambi destro, obviamente ele prefere chutar de esquerda, mas se cair na direita ele chuta, não entorta como 97% dos moleques sejam, federados ou da coordenadoria. Chuta e chuta bem, sabe que ESSA É A HORA de aprender. quando assistimos a um jogo de futebol, pego algum jogador de exemplo, (hoje teremos vários) e mostro para ele. Dei o mesmo exemplo que o Cunio deu, o do kelvin, e ele mesmo as vezes fala pra mim, se o cara soubesse chutar de esquerda…. Podem esquecer, peneira no Brasil, é uma m….., os caras querem que o moleque pegue a bolo drible todo mundo e faça o gol, pouco são os treinadores que tem a sensibilidade de pegar um moleque(como o meu, pq não) que chuta com as duas(aos 10 anos) e que vai lapida-lo para o jogo em si. Isso talvez acontece no Barcelona, Bayer e em clubes que invistam na base, mas para que a base fortaleça o principal e não os cofres do clube. A MAIS UMA COISA, ele cabeceia de olhos abertos, pois de olhos fechados voc|ê não cabeceia, toma bolada na cabeça e dói bem menos.

Sbrighi, meu pai até hoje treina molecada. E fica
indignado com o que os técnicos fazem hoje.
Não se ensina mais fundamentos. Começaram
um trabalho há menos de um ano numa escola
da periferia aqui e a molecada tem ganhado de
quase todo mundo.
Porque os outros não ensinam a molecada a jogar
futebol. Querem ganhar a todo custo, privilegiam
os mais fortes em detrimento dos mais habilidosos.
E assim nosso futebol vai se empobrecendo.

Cunio sensacional essa parte do texto:

E mais: manteve esta habilidade e aprimorou a que lhes faltava. O drible, o passe preciso, a assistência. Resultado disso? 7×1. E todo mundo estará sábado às 15:45 babando à frente de suas telas planas para assistir ao “jogo mais esperado do ano”.

Bons tempos qdo tínhamos Eder, Arce , Roberto Carlos e Rivaldo

Concordo com tudo. Mesma percepção que tive no jogo. Base brasileira é mto fraca. É mto valorizado o mlq que tem habilidade e se treina mto pouco fundamentos básicos. Qdo chega no profissional dá nisso.

Tchau, Alan Patrick! Seja feliz no Flamídia, apesar de mal ter chegado aqui! Se bem que nem era pra você ter vindo, mas a falta de planejamento do Palmeiras, e que prioriza a quantidade à qualidade, e que contrata vários jogadores para uma posição e nenhum para a outras mais carentes, fez você parar aqui. Mas parece que os dirigentes estão começando a enxergar que encheram a caçamba demais, e estão começando a se desfazer dos detritos.

Por isso eu pergunto, pra que técnico? Todos estes treinadores que estão empregados ou no mercado, ganhando salários milionários, dão os mesmos tipos de treinamento, que são iguais os das categorias de base, que são iguais da várzea, iguais aos times de bairro. Pararam no tempo e no espaço, além de não saberem lidar com o jogador brasileiro, cada vez mais indisciplinado, e que na base, em sua grande maioria, são apadrinhados por empresários e diretores dos clubes, tirando o lugar de outros que poderiam ser futuros craques, com a conivência desses “técnicos. O Palmeiras não chuta de fora da área, não chuta no gol, mas será que os jogadores treinam isso? Já treinaram isso alguma vez na vida, hein, técnicos de meia-tigela? Hein, técnicos meia-boca? 7X1 foi pouco!

Apenas uma correção, esses tempos de chutes de fora da área também existiram aqui no Brasil. Tivemos grandes chutadores, como Éder, Rivellino, Nelinho e mais recentemente, Roberto Carlos… mas concordo com a essência da matéria sobre FUNDAMENTO; Os jogadores brasileiros no meu ver “se acham” muito, vivemos uma época em que não temos craques e vemos uma leva de perebas que antam de salto alto, mesmo não sabendo chutar e nem dar uma assistência decente.
Lembrei também agora do meu velho pai, que outrora até treinou no Palmeiras com grandes nome como Jair Rosa Pinto, Fabio Crippa, Liminha, Rodrigues… e ele sempre me disse que chutava e bem com as duas; me recordo nos meus saudosos 10, 11 anos de idade nos bate-bola na praia; eu com a minha falta de habilidade mandava algumas “abóboras” para o meu pai e do jeito que chegava, meu velho dominava, tanto com a esquerda como com a direita, consertava e devolvia a redonda no pé. Nos chutes a gol, você não distinguia se ele era destro ou canhoto, a qualidade e precisão do chute era praticamente a mesma.
Faltam sim treinadores que trabalhem isso na categoria de base dos clubes, insistindo com os garotos e não focar somente na correria e no vigor físico. Tem que ter o drible, o passe, o chute, a velocidade… tudo, de maneira harmoniosa. Áí sim retornaremos na formação decente de uma nova leva de craques !

Acho que a diferença é essa, Rudney. Depois de tantas conquistas, o jogador – e os técnicos – tupiniquins deitaram-se sobre suas habilidades, adormeceram e pararam no tempo. Sem tantos recursos, os europeus trabalharam bastante naquilo que sabiam fazer e muito mais naquilo que não sabiam, sempre contando com o que é a maior deficiência dos nossos atletas – a DISCIPLINA. E o resultado mesmo demorando chegou. É mais ou menos guardadas as devidas proporções o que acontece com norte-americanos e japoneses, até outro dia analfabetos no futebol, mas que hoje não ficam mais fora de Copas do Mundo e tenho certeza de que um dia, daqui a muito tempo ainda (mas esse dia vai chegar) eles vão se aprimorar de tal forma diminuindo suas deficiências que chegarão a ameaçar o domínio de europeus e sul-americanos. O Brasil ainda é capaz de produzir talentos futebolísticos como poucos lugares no mundo, mas sem o devido preparo a esmagadora maioria desses talentos se perde.

Produtividade seria por assistência? Produtividade deveria ser por vitória toda equipe ganha, clássico ganha o dobro, goleada dobro, empatou não ganha, perdeu não ganha, os caras entram em campo e ganham a mais, sem ter produzido nada.

Incluindo o técnico que deveria ter o fixo menor, que o do pior jogador do elenco.

Os comentários estão desativados.