Categorias
Drops

Drops matinal: hangover, Crefisa e o basquete

 

Redação

Depois da ressaca da comemoração da goleada sobre o SPFC, o Palmeiras volta a trabalhar.

4a feira é jogo contra a Chapecoense. Para os planos do Verdão, uma vitória é mais que obrigação.

***

Nas redes sociais nesta 2a feira apareciam informações que José Roberto Lamachia, dono da Crefisa, estaria bancando a compra de Lucas Barrios e Leandro Almeida. E ajudando em obras na Academia.

Perguntamos ao torcedor palmeirense: o que vocês acham disso?

***

Já está se tornando rotina. A cada jogo do Palmeiras contra o SPFC no Allianz, os grupos de WhatsApp enchem de imagens.

Clique aqui e veja.

***

Papo sério. Confirmado o fim do basquete palmeirense. Já pediram afastamento da NBB.

Desde 2013, logo após assumir, essa gestão vem ameaçando fechar o tradicional esporte alviverde.

Com orçamento de R$ 2 milhões por ano, a justificativa é que o o esporte não se pagava.

***

Em 2013 e 2014 a Meltex patrocinou. E o Palmeiras, com um dos menores orçamentos da Liga, até que disputou bem.

***

O Palmeiras, junto com  Corinthians, Flamengo e Vasco são fundadores da Confederação Brasileira de Basquete. Real Madrid e Barcelona têm times de basquete, e não deixam de ser forças mundiais no futebol.

Mas para manter um esporte que obviamente precisa de recursos, é necessário trabalhar, construir e ter criatividade.

Não é apenas dinheiro: há alternativas como franquear a marca a um clube do interior, usar o sub-19, usar a lei de incentivo ao esporte, ou de fato ir atrás de dinheiro.

***

O problema: o marketing palmeirense – sem estrutura, sem comando, sem criatividade – não se esforça para ir atrás de um patrocinador.

Marketing que será tema de outro post. Em breve.

***

Uma pena.

Saudações Alviverdes!

37 respostas em “Drops matinal: hangover, Crefisa e o basquete”

E o Palmeiras que não me invente de jogar de branco, com a camisa do aprox. 3,14. Tem que mostrar quem é quem manda já antes de iniciar a partida. Camisa verde e muito futebol.

Pessoalmente gosto de basquete então posso ter uma visão equivocada mas acho uma estupidez acabar com o basquete, especialmente nesse momento.

O esporte melhorou no país e tende a seguir melhorando; não vai ser uma maravilha mas tende a melhorar nos próximos anos e ser uma vitrine razoável de marketing; adicionalmente tem as Olimpíadas ano que vem. Adicionalmente ter uma vaga no NBB não é mais tão fácil assim e o Palmeiras penou para chegar lá e agora abre mão sem mais nem menos.

Claro que não é para dar prejuízo (ou prejuízo sempre) mas o fato é que essa diretoria (como outras) não se esforçou minimamente por esse projeto; e sem o suporte (pelo menos no discurso) da diretoria quem patrocinaria o basquete? O valor para manter o time é baixo se comparado com o orçamento do clube todo e, eventualmente, poderia ser ainda diminuído e ter um prejuízo (se for o caso) bastante baixo com perspectivas de acertar as contas logo que aparecesse um patrocinador.

Não é fácil mas com a marca do Palmeiras, com a Arena (se consolidando), e um pouco de capacidade gerencial, além da vaga no NBB o basquete poderia ser atrativo como produto de Marketing.

Mas ao fechar o time ainda mais dessa forma a mensagem é clara para qualquer potencial patrocinador de outro esporte que não seja o futebol; isso não interessa à diretoria que não fará nenhum esforço (nao só pelo basquete, como por qualquer outro esporte, incluindo Futsal). E com uma mensagem dessas quem vai querer patrocinar?

Robinho (o do funk) e Paulinho (ex-Gambás) vão jogar no mesmo time, lá na China, que é treinado pelo Felipão. Será que o bigode não vai indicar a contratção do Márcio Gente Bo’Araujo, já que quando era técnico Palmeiras era ele o “Massa” e mais 10?

Aliás, era Massa, Luanel Messi e mais 9. Será que o Felipão não quer levar o Luan pra China também?

Obrigado Beluzzo, por nossa Arena. Se dependesse do sapo-boi e seus “amigos” estaríamos nas mesmas condições da Lusa.
Valeu professor.

Somos dois LITO, temos que agradecer o Belluzzo, Dezembro e o Criscio por ter esse projeto da nossa arena ter saído do papel e hoje é realidade, se dependesse do sapo-boi e seus “amigos” hoje, o Palmeiras estava do mesmo nível da Lusa ou pior.

O Palmeiras está se apequenando. Wesley e Kardec vão para os bambis. Chupa Aidar seu babaca.
Barrios vem ai. Eu acho que o Palmeiras deveria tentar manter o Tóbio no elenco, é o melhor zagueiro nosso.

Eu já acho todos os nossos zagueiros no mesmo nível. A melhor dupla que achei foi o Jackson e o Vitor Hugo. Também acho que o Tóbio deveria ficar, pois é novo e tem bom potencial, mas não aceita ficar no banco e pela vontade dele está saindo.

WalterF, concordo com você. Gostei do Tobio ano passado, mas, esse ano não conseguiu jogar, por causa das lesões, e quando jogou não foi superior aos demais. Nossos zagueiros são todos de nível semelhante. E digo mais, se forem bem protegidos, como foram contra os bambis, pode colocar qualquer um lá que vão se sair bem.

Tóbio foi pego na Lei Seca embriagado e a diretoria teve que “se virar” pra livrar a cara dele. Também já chegou de ressaca pra treinar. Esse é o zagueiro que você fica insistindo tanto pra que fique.

Tobio está indo embora porque quer e a diretoria não está fazendo questão de segurar, pois ao que parece a vida noturna do cidadão em SP tem sido agitada, sem contar que desde o ano passado vem tendo seguidas lesões musculares. Não lucraremos milhões com ele, mas ao menos o Palmeiras conseguirá pagar uma parte do que deve ao seu presidente.

Eu só não entendo como esses clubes que nunca ouvimos os nomes na vida. De Basquete, Futsal, vôlei etc.. conseguem patrocínio, são inclusive campeões e o Palmeiras que é uma potência nacional. Com visibilidade mundial, não consegue manter nem que seja um time de meio de tabela em outro esporte. Duvido muito que o patrocinador de um desses clubes não ache mais interessante patrocinar o Palmeiras. Só pra ter uma base, quem foi o campeão de basquete da última temporada? Eu não sei. Poucos sabem. E esse campeão. Qual era o patrocinador? A Meltex deve ter tido mais visibilidade que qualquer outro clube até campeão de NBB. A realidade é que falta fazer um projeto pra manter isso. Porque patrocínio com certeza tem!!

Mateus, acho que influencia bastante o dinheiro e apoio injetados por prefeituras, sendo que muitas vezes a participação em alto nível numa competição de esportes como basquete, volei, futsal, acaba mobilizando toda uma cidade, acaba viabilizando a reeleição de governantes (velha política do pão e circo) e etc… sendo que a população em geral torce para times diversos e se unem quando o time leva o nome da cidade… no Palmeiras o carro chefe é e sempre será o futebol, o basquete acaba que não gera tanto esse apelo, é uma pena… e é complicado demais falar pra outro esporte, que não o futebol, se pagar, creio que na grande maioria, pra não dizer todos, dos times de ponta no volei, basquete e futsal a gestão é deficitária, mas sempre haverá algo por trás, no caso a política, e repetindo no Palmeiras, não há esse apelo. Essa é minha opinião.

Quanto o basquete deixa de lucro na mão dos empresários “amiguinhos” de muitos conselheiros ? Quantos votos tem o basquete? Tá explicado porque não existe interesse em manter o basquete! O que é uma grande pena , porque a imagem Institucional tem um valor intangível, mas que com certeza tem valor agregado no todo, mas é preciso ter visão de futuro, um pouco mais longe que a próxima eleição pelo menos !

Prezado DIOGO- Discordamos sempre com as melhores das intenções cujo objetivo final é o bem do nosso PALMEIRAS. E como ja “disseram”…..” nas concordancias comemoramos e nas discordancias nos respeitamos”. E assim vamos tentando auxiliar o clube do nosso coraçao.

Perfeito Mauro: fechemos as piscinas, a bocha, o salão de festas, pois não dão um pingo de retorno. Mas que triste hem? Já pensou a Turiassú ( epa), Rua Palmeiras, sem o clube?

João, clubes que recebem esses patrocínios esporádicos tendem a falir, o clube tem que sobreviver sozinho primeiro. Mas pelo que vi, os jogadores comprados pelo Paulo Nobre vão render dinheiro ao Palmeiras também, então depende dos moldes que é feito, mas é tudo feito escondido do torcedor. Difícil ter uma opinião, se o Palmeiras tiver um grupo de amigos que se tornaram investidores do time, eu acho isso perigoso tanto para o time quanto para o clube. Mas acho que o principal é o presidente abrir o jogo e mostrar para a torcida, para a torcida ter poder de voto e participação nesse tipo de coisa por exemplo.

Joao releia o post, releia seu comentário e veja se vc nao está misturando as coisas? Parece que existem torcedores do Palmeiras (é o seu caso) que torcem pro dirigente mais que pro time. Estao sempre em campanha falando de candidatos e política. Menos, meu caro, menor.

Sinceramente, eu só torço para o futebol e futsal do Palmeiras (mas respeito quem torce pelas outras modalidades).

eu também só ligava para o futebol. Mas ano passado estava passando lá por perto e decidi ver um jogo de basquete que estava acontecendo, entrada de graça… Foi muito legal, a torcida, o time era bom ( pelo menos na minha opinião que pouco sei de basquete), chegaram nos playoffs e meio que comecei a gostar do time. Uma pena que o senhor Paulo Nobre não mexa um dedo para arrumar o time de novo.

Legalmente o presidente tem que prestar contas ao COF. Perfeito. Moralmente ele tem que prestar contas a torcida SIM. Transparencia é o minimo que uma diretoria precisa mostrar para ter credibilidade. O maior patrimonio do clube e a razao de sua existencia é a TORCIDA. O minimo de respeito com a torcida faz muito bem a todos. E como ja foi dito isso vale para quem estiver la na cadeira. O que interessa é a instituiçao chamada PALMEIRAS.

Paulo, discordamos em algumas opiniões, mas esse seu comentário foi preciso, quem está no poder tem o dever moral com a torcida de tornar transparente o tipo de relação mencionada no post, ou então vir a público desmenti-la, é simples. Sei que é utópico, mas bastaria vir dizer: Contratamos fulano de tal por “x” milhões em “x” parcelas, sendo totalmente arcado pelo Palmeiras, ou então, sendo “x”% do Palmeiras e “x”% de cicrano e por aí vai.

Entendo que há um ponto correto no fim do basquete. Se o esporte não se paga, não deve mais existir. Isso é parte do que pedimos, para evitar que se gaste o dinheiro arrecadado com o futebol em outros esportes. Mas, concordo que deveriam ser feitos maiores esforços para manutenção do basquete (se foram feitos, não apareceram). A única coisa que foi feita (que eu vi) foi avisar na mídia, a cada renovação do patrocínio, que se não tivesse patrocínio, o basquete fecharia. Não gosto de basquete mas torço pelo do Palmeiras pelo simples fato de ser Palmeiras. Mas, a partir do momento que este tirar recursos do futebol, sou contrário a sua manutenção.

Nada a ver com post. O Palmeiras ainda tem um alento que pode contratar (e existem esses) bons jogadores, para o nível do futebol brasileiro. Pior é a Selenike que pode convocar quem quiser, mas não existem esse bons jogadores para o nível do futebol mundial. Daqui a pouco, o time da CBF vai ter que naturalizar jogadores, assim como fez Alemanha, Itália, Espanha e muitos outros.

João, acho que a questão levantada no post não foi para “sabotar o time”, na realidade o que se cobra é uma maior transparência e que se demonstre a tal administração profissional, afinal o que se conclui ao imaginar que o clube está no azul, faturando bem e com planejamento é que não precisamos que um terceiro banque contratações desse tipo, que não foram investimentos astronômicos, porém caso se confirme que é verdade que se diga claramente qual é o acordo feito, se os jogadores serão efetivamente do Palmeiras e etc.. o site às vezes já demonstra uma acidez excessiva nos posts, mas nesse caso acho o questionamento válido.

Enquanto tivermos na SEP esse tipo de política, “meu candidato é melhor que o seu”, ” o meu não tem que prestar contas”, etc., continuaremos nesses fiascos anuais. Não se trata de ter de prestar contas, mas, se ele vende na mídia a imagem de que estamos no azul, poupamos, e agora temos pra gastar, porque precisamos de mais um mecenas? Será mais um empresário com jogador dentro do Palmeiras, exigindo sua escalação, sua venda para ter retorno, etc., Quadro que vem se repetindo ha muitos anos. Princialmente na base. João pare de elogiar o Nobre e pense na SEP. Fora social e vivam os esportes (futebol, basket, etc) que carregam esse clube e o fazem ser famoso e querido no mundo todo. Sem ofensas. Pensemos em 1º lugar no Palmeiras..

Uma pena o “fim” do basquete palmeirense, coloco entre aspas, pois há de surgir uma outra oportunidade de voltar a funcionar de forma consistente. Há até razões pra criticar o marketing do clube, mas acho que a questão vai mais além, é complexa a questão de patrocínio em outros esportes que não o futebol, na realidade acaba sendo uma mera doação de dinheiro, pois a grande oportunidade de retorno que seria o nome da marca falado na transmissão ou nas chamadas de notícias é simplesmente omitido pela detentora dos direitos, que é capaz de criar qualquer aberração de nome pra não falar os patrocinadores e depois ainda se diz uma grande apoiadora do esporte. É uma hipocrisia no jenta.

Neste momento, considero pleonoasmo falar em vitória sobre a Chapecoense… E como é bom ter o respeito de volta, respeito é bom e acompanhado de um título expressivo é melhor ainda! E quanto ao basquete acho lamentável, nem tanto pelo esporte em si e sim por escancarar o amadorismo que ainda impera nos bastidores desta Sociedade Esportiva Centenária.

4 meses de salário economizados com o Chinelo (ops chileno) são suficientes pra bancar o ano do Basquete. Mas eu entendo, deve ser muito difícil pensar dessa forma, ainda mais para mentes que preferem gastar milhões em salários de 50 jogadores meia boca, do que investir milhares em 2-3 jogadores decisivos. Essa é a diretoria da SEP…

No futebol é normal empresário comprar ou ajudar em compra de jogador de futebol. Existem vários grupos no mundo que negociam jogador. Unimed, Traffic, Dis (do grupo Sonda, é isso) são alguns exemplos. Furlan ajudou na compra do Valdivia.
Já que ele está colocando dinheiro no clube, poderia bancar o basquete.
Sobre o basquete, no Brasil nem o futebol se paga, quanto mais os outros esportes. Ninguém tem política a longo prazo. No interior geralmente as prefeituras investem dinheiro e quando acaba o time acaba junto.
Londrina foi assim e várias outras cidades foram assim tb.

Os comentários estão desativados.