Categorias
Opinião

Opinião: a lição dos hermanos

 

Por Vicente Criscio

O destaque do futebol na semana foi o terceiro título da Libertadores do River Plate. O River tem uma boa equipe, bem armada, e bastante competitiva. Apesar de uma campanha ruim na fase 1, se destacou principalmente contra o Boca e Cruzeiro. E ganhou de um Tigre que parecia um gatinho no Monumental.

Aqui em Buenos Aires além de ter que escutar de longe a comemoração da hinchada dos “millionarios” tive que dar minha versão um par de vezes sobre o que acontece com o futebol brasileiro que nos dois últimos anos foi um mero coadjuvante neste torneio. Afinal de contas a Argentina hoje tem menos dinheiro injetado no futebol que o Brasil. Contratos de tv e patrocínio nem se comparam. Treinadores ganham menos, assim como os boleiros. E mesmo assim um time argentino ganhou pela segunda vez consecutiva a tão desejada Copa. Confesso que deu um pouco de inveja dos hermanos. Poderíamos ser nós!

Ainda mais se considerarmos que em 2011-2012 o River teve seu calvário e amargou uma série B para depois ser campeão do Argentino (2013-2014), Campeão da Sul Americana em 2014 e Vice Campeão Argentino 2014-2015. E Campeão da Libertadores em 2015, além de beliscar a Recopa em cima do San Lorenzo.

O treinador atual, Marcelo Gallardo, há um ano no River, é a sensação. Quando assumiu em 2014 o River (seu segundo trabalho relevante como treinador) dizia que ia ensinar o River a ser mais competitivo na Copa continental. E conseguiu.

E o que isso tem a ver conosco?

Minha opinião, quase nada. Nem mesmo o River serve de escola ou modelo a ser seguido. O time caiu, visitou o inferno, se organizou mas fazendo mais do mesmo, foi montando seu elenco. O único destaque que encontro nessa trajetória foi que em 2012, enquanto disputava a série B argentina, o time sub-20 do River foi campeão da Libertadores da mesma categoria. Tem também o aspecto que sócio do clube no River significa sócio do futebol. Simples assim. Mas mesmo isso nesse caso foi irrelevante.

Então não se trata de falar de modelo, gestão, profissionalismo, etc etc. É apenas um pouco de mística. Tento encontrar coincidências para me apegar. Caímos um ano depois do River. E hoje há um cheiro de otimismo palestrino no ar (não meu, sou cético, mas dos outros) por conta do até aqui bom desempenho de Marcelo Oliveira e equipe. E o baixo nível do Campeonato Brasileiro – hoje bem menos qualificado que um Campeonato Argentino, por exemplo – dá uma esperança ao torcedor mais entusiasmado que mesmo com uma equipe formada esse ano, ainda com carência em posições chave (ok ok, essa é a minha opinião e você não é obrigado a concordar), o Palmeiras possa disputar o título. E quem sabe em 2016 fazer o que o River fez esse ano.

Dá prá chegar? Sim, sem dúvida. Mas que oportunidade temos na mão hein? Se soubermos aproveitar…

***

Outro assunto que mereceria um post gigante não fosse o nanismo da discussão é sobre a taxa dos prédios vs WTorre vs arbitragem, de novo.

Minha opinião, já careca de ser compartilhada: falta senioridade e sobra junioridade na interlocução. As partes não assumem responsabilidades nem discutem de forma madura. Do lado de cá transformam qualquer coisa em ato político esquecendo-se que os mesmo que reclamam hoje ajudaram a construir o contrato, aprovar, etc etc.

Todo mundo grita e ninguém tem razão. E quem perde é o Palmeiras e sua imagem.

Não é prá profissionalizar e tirar os políticos de cena?

Assunto prá quando eu tiver inspirado e com paciência.

***

E por último, mas não menos importante: um FELIZ DIA DOS PAIS A TODOS!

Beijo grande.

E Saudações Alviverdes! Hoje a vitória é importante.

14 respostas em “Opinião: a lição dos hermanos”

As colocaçoes do CRISCIO sao sempre equilibradas e alicerçada em conhecimento do assunto. E de gestao de clube de futebol ele conhece como poucos. O PN não chega no dedinho( do pe) do CRISCIO. Mas vou discordar dele em um ponto. O time do River é bem limitado. Ganhou a LIB diriam. Sim, mas nao significa que tenha bom time. Assisti jogos dos hermanos e vi o seguinte. Time bate mais que o Taison nos bons tempos. Na final em 10 minutos poderia ter dois jogadores expulsos. Mas a tal de Conmenbol nao queriam os mexicanos campeoes. Juiz foi GENEROSO com o time da casa. Desceram o cacete e o juiz fez vista grossa. Amarelou ( ainda mais) o time do Tigres que entrou na pilha dos gringos e esqueceu de jogar bola. Para ganhar a LIB tem que ter bom time? Acho que sim. Mas tem que ter acima de tudo BASTIDOR. Quanto ao PALMEIRAS so vai arrumar quando o CRISCIO FOR PRESIDENTE. Punto e basta……

Criscio gostaria muito de conversar com você acho que o palmeiras tem que ter um time pra disputar o titulo todo ano e separar o futebol do social você poderia me passar seu e-mail pra gente bater um papo

valeu até mais

Criscio, sei que é complicado porque tem seus afazeres, mas acredito que o ideal seria que sua postagem fosse feita na sexta feira. No domingo, principalmente quando joga o Palmeiras, o assunto acaba sendo deixado em segundo plano, e perdemos a oportunidade de debater assuntos importantes para a nossa SEP.
Discordo de você em relação ao campeonato argentino. Se o nosso campeonato já tem um nível baixo, o argentino é ainda mais baixo. Mas os times mantém suas características de jogo. Todo time tem seu “enganche” e a correria e vontade é visível em praticamente todos os times.
No Brasil não temos mais o meia armador em grande parte dos times. Do G-4 ninguém tem o clássico meia armador. O Cruzeiro bicampeão também não tinha. No máximo vemos um meia de transição, que no Palmeiras de hoje deveria ser o Robinho mas ele não tem a desenvoltura para a função, o que nos faz depender muito de Dudu e Rafael Marques, que acabam sendo os nossos “armadores”.
Os times que tem os meias armadores estão mal das pernas (Meninas e Inter) e essa função hoje tem feito pouca diferença.
O que os argentinos tem que os brasileiros não tem é o respeito à torcida. A torcida joga junto o tempo todo (inclusive quando estão perdendo) e os jogadores respeitam isso e correm, dão porrada se necessário e lutam o máximo possível. E isso, somado à incompetência dos clubes brasileiros em gastar a diferença do dinheiro em relação aos argentinos, faz com que, mesmo em desvantagem financeira, sejam tão competitivos quanto os nossos clubes.
O Palmeiras precisa ter postura de campeão. Mesmo com um elenco não tão qualificado quanto deveria ser, ainda é melhor do que a maioria do que vemos por aqui. Mas ontem por exemplo estava feliz em empatar. E isso não tem a ver com elenco, tem a ver com a mentalidade dos jogadores e comissão técnica. Estávamos muito melhor em campo, mas acabamos dando a vitória ao adversário porque não mantivemos a postura após empatar o jogo.
No mais, pense a respeito de postar sua coluna às sextas feiras. Acredito que será muito mais saudável para a comunidade palestrina.

Caro Criscio, do jeito que o Palmeiras está jogando, pode esquecer título e vaga na libertadores, quer dizer, mais um ano perdido. Desse jeito não vamos ganhar nada, aí fica difícil!!!

Como moro em BH, hj fui ao jogo contra as marias e ter a oportunidade de ver nosso Verdão ao vivo. R$120,00 o ingresso pra visitante – uma vez li um post aqui no 3VV onde o autor dizia q cobrando preços extorsivos no Allianz, logicamente dps seríamos agraciados c/ essa msm postura qdo o Palmeiras fosse jogar fora. Dito e feito!

Qto ao jogo em si, minhas constatações são: a) Leandro Almeida (jogador formado no Atlético-MG) é horroroso. Xinguei desde antes da contratação, e hj ele mostrou q eu não tava errado. É PÉSSIMO msm; indigno de jogar no Palmeiras; b) Amaral – outro q é lamentável ver em campo; c) CX – tá devendo! E mto!

Segue o jogo! Acho q o mais factível é brigar só pela Libertadores msm. Fica pro ano q vem (de novo) sonhar c/ título do Brasileirão (na CB boto fé!).
Abc! Augusto.

Completando: sabe por que é pífia Yzquierdo? Porque h[a tempos não temos elenco. Não falo de 11 jogadores. Falo de 18-20 titulares. O Brasileiro é longo. Jogador se contunde (Gabriel), toma amarelo e vermelho. E não é só o Palmeiras. Acontece com todos. Por isso depois não adianta a direção dizer que deu azar porque perdeu tal jogador na reta final. É estatístico. Vai perder o jogador. Então tem que ter elenco grande e bom. Abs

Vicente não sei se você poderá ler a minha pergunta pois meu ip está na moderação e portanto bloqueada. Quando é que o palmeirense vai ver o Palmeiras campeão da Libertadores ? Você poderia me dizer em números , em que ano ? Obrigado.

Renato, cê tá de sacanagem né? Mas vou tentar responder mesmo assim. Minha bola de cristal não diz o ano. Mas ela diz que o Palmeiras precisa disputar a Libertadores todo ano prá ganhar (e não com papinho de time pequeno, como foi em 2013). Se disputar todo ano, prá ganhar, com elenco qualificado, um ano ganha. E prá disputar todo ano? Fácil! Disputa o título brasileiro prá ganhar todo ano. TODO! Vamos parar com esse papinho looser que esse ano o objetivo é chegar no G4. Isso é papo pro Sport, pro Fluminense, prá outros. Não prá nós. E pr[a disputar todo ano o Brasileiro prá ganhar, o que tem que fazer? Essa é mais fácil. Montar elenco equilibrado e bom. Com 18 a 20 titulares. Com 3 ou 4 que jogariam em qualquer time brasileiro como titulares. Com 3 ou 4 que jogariam na seleção brasileira ou de qualquer país do mundo. Com o baixo nível desse campeonato brasileiro, se fizesse isso, teria altas chances de ganhar um título. Só que prá fazer isso tem que ter coragem. Tem que investir. Tem que ir contra o COF. Tem que arriscar. Pode não ser campeão? Pode. Mas todo o resto vem por consequência. Abs

Muito obrigado pelo retorno. Conversando uma vez com o Paulo D´angelo do antigo programa Paixão Alviverde , eu falei exatamente isso , o Palmeiras deveria ser aquele time chato e estar presente nas edições da Libertadores. Mas na pratica , isso está sendo impossível. Contratou-se por baciada mais uma vez e sem qualidade. Leandro Almeida , Amaral , Girotto e outros perebas nem deveriam estar no Palmeiras , mas como futebol é hoje um grande balcão de negócios , alguém está ganhando com isso. Uma pena , porque nós torcedores sofremos com a abstinência de títulos grandes (Brasileiro, Libertadores, Mundial). Mais uma vez , obrigado pelo retorno.

criscio meu nome é Fernando gosto da sua ideia de separar o social do futebol é um grande problema do Palmeiras e sonho com um time que fique pelo menos entre os quatro primeiros todo ano gostaria de conversar com você poderia me passar seu e-mail para contato por favor

até

Boas Vicente, bom eu acredito que iremos para a libertadores, o único time a ser batido é o Atletico de Minas, se ele der mole, podemos vencer o campeonato. Pois eles tem time, elenco e entrosamento. O planejamento não é para ser campeão este ano…pelo menos do BR, se vier melhor. Já ai nos hermanos, senão me engano, o River tem uma escola ( no monumental) para os meninos que jogam pelo clube….A base deles é forte. Mas tem péssimos dirigentes como nós. Hoje ganhamos do crueiro 5×2.

Já fui lá Victor. Tem mesmo. Bem legal o projeto. Infelizmente não ganhamos. Abs

Torcer para o título (sonho). Mas, a realidade: do quarto ao décimo e mais factível. Principalmente, porque historicamente, nossa ultima parte do campeonato e sempre pífia.

Os comentários estão desativados.