Categorias
Opinião

Opinião: modelos vencedores

 

Por Vicente Criscio

Gostaria de não escrever colunas depois de rodadas do Brasileiro. Talvez até mude a data da minha coluna. Cada vez que o Palmeiras perde a tentação prá falar na derrota é grande. Mas evito. Prefiro analisar em perspectiva.

Por isso procuro outra inspiração para falar hoje. E encontro nos meus arquivos uma lista dos clubes com maior faturamento em 2014.

Captura de Tela 2015-10-25 às 5.48.06 PM

Fonte: Rodrigo Capelo – Dinheiro em Jogo

 

Pesquisando um pouco mais fui buscar o modelo de gestão de alguns:

  • Real Madri – Clube Social, com 85 mil sócios; principal ícone é Florentino Perez; possui uma estrutura de sócios que formam uma espécie de conselho, e uma diretoria executiva;
  • Manchester United – capital aberto, inicialmente pertencia a J. Murdoch (BSkyB) e depois teve o “takeover” de Malcolm Glazer; prá quem lê inglês sugiro a leitura nesse link; interessante analogia…
  • Bayern Munique – 75% do Bayern (seus sócios), 8,33 da Adidas, 8,33% da Allianz e 8,33% da Audi; estrutura de executivos com board members do mercado e 100% gerenciada por executivos (de longe meu modelo preferido);
  • Barcelona – Clube Social, semelhante ao modelo do Real Madrid; recentemente o Presidente foi afastado por escândalo na negociação com Neymar;
  • Paris Saint Germain – em 2011 a maioria das ações foi adquirida pelo qatar Nasser Al-Khelaïfi para injetar dinheiro e reduzir dívidas;
  • Arsenal – companhia de capital fechado; maior acionista Stan Kroenke com 66% de participação;
  • Chelsea – Dono: Roman Abramovich (cheio de iterrogações…);
  • Borussia Dortmund – uma S/A com estrutura e governança bem interessante; sugiro ler AQUI na wikipedia sobre sua governança e AQUI para sua estrutura de capital;

Poderia citar outros: Milan (Silvio Berlusconi), Inter de Milao (Massimo Moratti), Liverpool (John William Henry), Manchester City (Khaldoon Al Mubarak), Juventus (Família Agnelli / Fiat).

Em comum entre todos eles? uma clara, cristalina, e consistente separação da Política (quando é o caso de um clube social) em relação à gestão. Vejam: extrapola inclusive o que eu defendo aqui há tempos, sobre a separação do clube social em relação ao futebol. Separação que aliás eu acho que seria boa para as duas partes, com foco naquilo que cada um é: o futebol é um negócio que envolve paixão; e o clube social no limite é um prestador de serviços. Os dois podem coexistir, mas precisam ter estruturas de gestão distintas.

Mas voltando aos clubes acima. Ao longo do tempo alguns deles souberam separar a gestão. Não quer dizer que são todos muito bem administrados. Existem problemas, claro. Mas o que mais me atrai é o modelo de Bayern ou mesmo do Borussia. São abertos, pertencem aos seus torcedores, mas possuem governança e uma boa dose de profissionalismo principalmente pela presença no board de representantes de grandes corporações.

A do Arsenal é interessante. Muito profissional. Mas perdeu algo no caminho…. o futebol inglês aliás perdeu algo no caminho. A paixão passou a ser monetizada talvez demais. Não é a toa que o último título do Arsenal foi em 2003/2004. Não vi sua situação financeira, mas deve estar boa.

Por outro lado não me agrada os modelos de dono. Motivos óbvios. Chelsea (resolveu as finanças, mas a que custo?); PSG (muitas críticas entre os torcedores) e o que falar no Milan de Berlusconi. Idiossincrático. Berlusconi pode amanhã trocar as cores do Milan de vermelho e preto para azul e preto. Ninguém vai reclamar. Se serve do clube mais do que serve a ele. Fosse o campeonato italiano mais competitivo e já estaria no limbo. Não é a toa: nos últimos 10 anos, 4 títulos consecutivos da Juve, que renasceu, e 5 títulos consecutivos da Inter. No meio, um acidente: título do Milan. A exceção que confirma a regra.

Esse post não traz uma conclusão. Traz muito mais uma perspectiva. O que funciona hoje? Onde está o futebol campeão do mundo? Mais rico, com mais desempenho? O alemão!

Em comum para todos: gestão profissional com diretoria executiva que é do ramo.

Em comum para muitos: zero política clubista. E quando há sócios palpitando (Real e Barça), são mais de 80 mil.

Vamos pensar nisso pelo menos até 4a feira?

Saudações Alviverdes!

PS: se tiver alguma complementação ou correção das informações acima, mande para o email blog3vv@gmail.com, ou publique nos comentários abaixo, e eu corrijo aqui.

63 respostas em “Opinião: modelos vencedores”

Acabei de ler o post, e hoje é quarta! Quero ira para a finaaaaaaaaaalllllllll.

Pela estrutura , por recebem salários em dia , pela mordomia e por tudo o que significa o PALMEIRAS , esses caras que entrarão em campo hoje a noite tem a OBRIGAÇÃO de saírem do Allianz Parque classificados para a final da copa do Brasil.

Criscio, acredito que vc deveria escrever às sextas feiras. Porque no domingo a discussão fica afetada pelo jogo do final de semana, e temos sempre poucos comentários que se aproveitam.
Vale lembrar que até alguns poucos anos atrás o Dortmund estava praticamente falido. E adotou um modelo no futebol que grande parte tem ojeriza aqui: foram buscar jogadores em times pequenos da Europa, a preços módicos para os padrões dos grandes clubes europeus. Pesquisem por quanto Lewandowski foi contratado e de onde veio. O mesmo vale para Kagawa, Subotic, etc. Todo ano buscam os destaques dos times menores da Alemanha. E a torcida lota o estádio em todos os jogos, independente de jogar bem ou mal.
Por fim, interessante notar que o Bayern, embora muito bem administrado, perde bons jogadores para outros grandes centros.

No caso do Dortmund, Alex, há uma diferença primordial: eles buscaram jogadores pouco conhecidos em times pequenos pela QUALIDADE do que apresentaram em campo, não pelo PREÇO de banana (nenhum trocadilho com o ex-atacante da Chapecoense que já foi até embora) ou porque estavam disponíveis em times do nível da série B de lá. O próprio Palmeiras dos bons tempos fazia isso porque tinha bons olheiros e gente que entendia de futebol. Por isso trouxemos Leão do Comercial de Ribeirão Preto, Luís Pereira do São Bento, Dudu e Nei da Ferroviária, Ademir da Guia do Bangu e tantos outros, isso sem falar de Edu Bala e Leivinha, que vieram da Portuguesa quando ela ainda era grande. Vai ser difícil alguém me convencer de que poderemos trazer jogadores de alto nível (mesmo desconhecidos) vindos de América (MG), Coritiba ou Chapecoense. Quase tudo no Palmeiras de hoje prioriza a quantidade em detrimento da qualidade, e o resultado a gente está cansado de ver em campo.

O problema é que hoje, ao contrário de décadas atrás, os empresários não permitem mais que times pequenos formem bons jogadores, com 13-16 anos já são aliciados e levados para os maiores ou para fora. Qualquer um que atue nesse meio hoje em dia (certo Sr. Mattos e Sr. PN) deveria saber que não existe a menor possibilidade de se contratar “boas promessas” em times pequenos, isso não existe mais, no máximo encontram esses medíocres que temos aons montes no elenco. Se quer apostar em promessas, que se construe uma base melhor para os jovens e trabalhe com ela.

Desculpe, Eduardo, mas pode sim. É evidente que não
devem chegar para ser a solução do time, mas para evoluir
e crescer numa equipe bem armada e tranquila acima de tudo.
Entendo o que vc diz e concordo em parte. Mas muitos jogadores
não deram certo no Palmeiras por chegar em um ambiente
totalmente desfavorável.
O que não acontecia na época de Leão, Pereira, Dudu, Ademir,
Roberto Carlos, etc…, quando o jogador chegava num time
pronto.

Em relação ao Fred no jogo de hoje, do joelho para baixo vale tudo. Na primeira entrada do Vitor Hugo, uma paulistinha, e na segunda uma chegada no joelho e tchau Fred. Sou contra a violência, mas hoje em campo vale tudo. Depois da classificação pode pedir desculpas e traz ele o ano que vem para cá.

Emílio Maranga me permita discordar de VC tbm. Mas quando VC diz TURCo se VC se refere ao Mustafá, quem está completamente equivocado é VC. O sapo boi tem origem Síria por parte de Pai e ITALIANA por parte de mãe. Nasceu no Brás e foi criado na Mooca. Os conselheiros e eternos palestinos são formados por quem em sua maioria? Turcos??? E só pra deixar bem claro não tenho absolutamente nada contra os italianos e seus descendentes, apenas me referi a eles Pq é fato q a maioria lá dentro tem essa origem. Se fossem americanos diria malditos americanos, se fossem africanos diria malditos africanos. É isso, não disse besteira alguma e não retiro uma palavra do q disse Pq tenho certeza q se o Palmeiras parou no tempo os maiores responsáveis são eles.

Brilhante o comentário do Marcelo Arena, analise ponderada, deve conhecer bem a politica do clube. Toda opinião deve ser respeitada mesmo não concordando e quando não concordamos, nem termino de ler passo para seguinte.

Nada a ver, foi acomodação mesmo. Jogador é tudo vagabundo. No Curica a coisa dá certo porque se o time for mal a torcida invade o CT e aí os jogadores tem medo. No caso do Palmeiras a torcida é
pacífica e não tem se indisposto com os jogadores oque gera acomodação. Mas acho que amanhã vamos passar, não é possível que esses caras vão entrar dormindo. Aí é focar na Copa do
Brasil e esquecer o brasileiro.

Alguma coisa de muito errada aconteceu entre aquele belo jogo do Palmeiras contra o Inter e o fatídico jogo contra a Chapecoense. A queda do nível técnico desse time foi abrupta, a vitória contra o Inter parece que deixou o time apático e desfocado dos seus objetivos no final desse ano, ao invés de ter o efeito contrário.

Para mim, tem algo relacionado ao péssimo momento do Marcelo Oliveira no Palmeiras…

Parabéns a essa diretoria conseguiram o improvável, juntamos mais 20 atletas de m…, com os 20 atletas de m… dos outros anos que ainda tem contrato com a SEP. Fico emocionado quando leio que Felipe Menezes, Luan. Mazinho, Renato, Patrik fenômeno, Wendinho e outras pérolas do futebol mundial são nossos. Espero que em 2016 essa maravilhosa diretoria nos brinde com mais uns 20 m…, ops, quis dizer atletas de ponta, tipo Nene, Apodi, Picachu e outros selecionáveis, de preferencia jogadores de times que disputam a zona de rebaixamento e séries B e C. Estou tão feliz, não vejo a hora de chegar quinta feira no meu trabalho, pois é, adoro as segundas feiras também, é tanta alegria quando encontro meus amigos que torcem para outros time. MAIS UMA VEZ OBRIGADO PN E ALEXANDRE MITTOS.

Pois é, Felipe, mas existem deslumbrados de plantão por aí agradecendo nosso piloto de rally por ter nos devolvido o “orgulho de ser palmeirense”, outros dizendo que “estamos à frente dos nossos rivais”, e ainda tem o grupinho que acha que a Vila Belmiro é nossa “casa de praia”, apesar das seguidas sovas que levamos lá nos últimos anos. Isso tudo sem falar na maior facção da nossa torcida hoje em dia, a “No Ano Que Vem, Vai!”. Como eu vivo no mundo real e assisto aos jogos sem fumar baseado algum, sei que na realidade 2016 será uma réplica de 2015, que por sua vez foi um espelho de 2014, que foi pouco mais que uma duplicata de 2013. A única coisa certa para o ano que vem é que vamos levar uma goleada humilhante de algum time que só vai brigar para não cair na competição que estiver disputando. Time forte? Títulos? Sócio-torcedor votando para presidente e conselho? Separação entre clube social deficitário e futebol que é a razão de ser da instituição? Ver o time usando camisa verde, que é a sua marca registrada? Não, nada disso vai acontecer, então…

Sou a favor do modelo de gestão em que se contrate jogador de qualidade, não em quantidade. Que dispute títulos em todos os campeonatos em que estiver, todos os anos, e não no ano que vem.

E que tenha como primeiro, segundo e terceiro objetivos ganhar tudo o que tiver pela frente, não conquistar vagas e fechar o ano no “azul”, cor aliás que apesar de quererem enfiar nos nossos uniformes não tem nada a ver com o Palmeiras.

Nosso técnico vem superando todas as expectativas, em casa jogo sábado a noite, com a próxima partida em casa quatro dias depois ele decide poupar o time, GÊNIO!

…vejam o copo meio cheio (essa e excelente!), garantidos na série A mais um ano! E com sete rodadas de antecedência! Dá para o presidente ir planejando 2016, afinal temos uma base e um técnico de ponta, ANO QUE VEM É TUDO NOSSO!

Pois é, e nosso grande presidente dizendo que “como torcedor” não esperava que o time oscilasse tanto na reta final, mas ponderou que a equipe ainda “está em formação”. Ele deveria tentar a carreira de comediante, já que como empresário ninguém sabe exatamente o que faz, como piloto de rally foi um fracasso e como dirigente esportivo é um lixo.

Deem a si mesmos férias de Palmeiras. Melhor coisa que fiz, entrei em recesso desse negocio depois do jogo contra a ponte…

Discordo totalmente do torcedor Fhelipe Frois !!! Hoje e ja alguns anos, o Palmeiras é dominado por TURCO e agora Paulo de almeida Nobre que de italiano não NADA !! e toda famlia de são paulino………..Então pense na bobagem que vc disse !!!

Vou tentar ler um pouco sobre cada modelo quando tiver mais tempo. Dei só uma olhada rápida na página do Bayern, e o que me chamou a atenção de cara foi ver ex jogadores integrando o conselho executivo (Rummenigge e Matthias Sammer). Acho que o caminho é por aí, coisa que o Vicente vem pregando por aqui há tempos. Profissionalizar a gestão, mas sem deixar se perder a essência, que é o futebol. Chance de ver algo parecido no Palmeiras: zero. A não ser que seja eleito um presidente com coragem e disposição para mudar todo o modelo.

Palmeiras o ETERNO TIME DO ANO QUE VEM, e quando chega o ano que vem, DEIXARÁ TUDO PARA O ANO QUE VEM e assim vai. Que m…!!

O modelo de governança que mais me agrada é o do Bayern, pois, certamente, é o mais profissional, inibindo, desta forma, que atrocidades da politicalha interna do clube possam, de alguma forma, desestabilizar a temporada do futebol, principalmente.
Quanto ao Paulo Nobre, acredito que exista certo exagero na análise das decisões do dirigente. Não o vejo como o perceptor do futuro do Palmeiras, porém, ao mesmo tempo, devido ao péssimo estado das contas, que encontrou no começo de sua administração, o considero um bom Presidente, pois, naquele momento, era o que havia a ser feito. As administrações anteriores, por motivos diversos, desestabilizaram o equilíbrio financeiro do clube. Naquele momento, somente uma injeção forte de capital, alongando o perfil da dívida, daria tranquilidade para a implementação de projetos futuros. Esta é a situação que nos encontramos hoje. Neste momento, com as finanças razoavelmente equilibradas, com receitas de patrocínio e de TV garantidas para o próximo ano, com o advento do Allianz Parque, que, amarrado a uma boa campanha dentro de campo, garantirá perto de 50 milhões em 2016, cabe ao Paulo Nobre libertar-se das amarras do passado, procurando costurar uma base de apoio no conselho que lhe permitirá afastar-se do Mustafá. Para tanto, o outro lado também terá de ter disposição em ouvir, em negociar. As pontes para este fim, no meu entender, já existem! Há alguns membros da atual diretoria que, imagino, tenham trânsito na oposição, como Genaro Marino, presumo. O importante é que a inteligência supere os ódios e ranços dos passados, recentes e remotos, para a construção de uma base política que permita sedimentar um caminho sólido na busca de um bem, que deve ser comum, um futuro equilibrado e profícuo para o Palmeiras.
Também leio muitas críticas dirigidas à nossa diretoria, na questão da contenda com a WTorre, porém, no caso das cadeiras, se estas forem cedidas integralmente à construtora, o que restará ao Avanti? Além é claro da questão legal. Se, na interpretação do contrato, não houve acordo, a corte arbitral existe para isto mesmo, dirimir dúvidas. Devemos lembrar que, do outro lado, não existe nenhum santo. O Walter Torre é um empresário que está procurando o melhor para sua empresa. O Paulo Nobre tem a obrigação de procurar o melhor para o Palmeiras. Para restabelecer a justiça, lembro que quem levou à público esta contenda foi o Walter Torre.

Parabéns, comentário ponderado. A grande maioria dos comentaristas esperneia mas de prático não faz nada. Você deve ser sócio do clube pelo teor do comentário, temos uma linha de raciocínio semelhante. Quem conhece a politica do clube sabe que o pior inimigo do Palmeiras, esta lá dentro. O que foi feito de bom nagestão anterior é cancelado pela atual, pura e simplesmente pq foi feito pela anterior que era oposição. Volto a dizer se remarmos TODOS para o mesmo lado, não temos adversários.

Olá, Victor, tudo bem? Não sou associado do clube. Sou sócio torcedor desde 2011 e louco pelo Palmeiras desde 1960. Só a união das várias correntes do bem (e tenho certeza que o Nobre e o Beluzzo são pessoas do bem), poderá levar o Palmeiras a um ciclo virtuoso nos próximos anos, que nos deixará em condições de rivalizar com o SCCP, CRF e SPFC. Caso percamos o bonde da história, que está passando diante de nossos olhos neste momento crítico, ficaremos irremediavelmente para trás, relegados permanentemente a um segundo plano. As forças políticas que hoje disputam o poder de maneira encarniçada deveriam baixar o tom e unir-se em prol da entidade. Algo parecido com o que aconteceu na Espanha, quando do Pacto de Moncloa. Para isto, todos os entes deverão estar despidos de quaisquer vaidades e objetivos que não sejam ligados ao crescimento e fortalecimento da SEP. É difícil? Sem dúvidas. Isto só sairá do papel se encampado por VERDADEIROS PALMEIRENSES.

É isso Marcelo, o problema do Palmeiras sempre foi interno. Não precisamos de inimigos externos. E´só ver o “naipe” das pessoas, que fazem futrica, fofquinha, tudo para desestabilizar o time. Pode ter certeza que na final(pois vamos passar hoje) vários problemas internos serão alardeados, e serão pelas mesmas pessoas.. Mas isso um dia muda.

espero que sim Paulão, uma hora o “homem de vermelho” chama esses caras, não é possivel. ahahaha

Analiso o Paulo Nobre da mesma forma: apesar de alguns erros (na minha opiniao) ele também tem alguns méritos. Nessa disputa com a W.Torre , acho correta a atitude dele em defender os interesses do Palmeiras.

Modelos ótimos de gestão… enquanto nós… fica tudo pro ano que vem… e no ano que vem fica pro ano que vem… e assim vai.

Realmente o time mudou muito do 1º para o 2º turno, principalmente pelas contusões, mais alguma coisa está errada. Porque tantas contusões ? será que algumas não davam para prever? com a tecnologia hoje, não seria possível ? Tudo bem existem contusões imprevisíveis (Gabriel) porém não tínhamos um elenco grande e equilibrado ? Ou o equilíbrio foi mal planejado ? ou seja contratamos quantidade ou qualidade ? em determinado momento fiquei na duvida também, pois alguns nomes já eram manjados no mercado (R.Marques) e outros desconhecidos e sem muitos créditos (V.Ramos) ou seja, contratamos por algum interesse ou ficamos olhando o lado financeiro? Fomos buscar um dos melhores técnicos do País e campeão e ai o que acontece? ele faz algumas bobagens (poupar alguns jogadores), escala mal e as substituições são sempre as mesmas e o time quase no final do campeonato, ainda não tem um esquema de jogar, é só chutão para frente e tome chuveirinho na área na esperança de algum gol de cabeça (só esqueceram que na nossa defesa o desespero é maior) e mais um monte de explicações que ficaríamos um dia todo tentando entender. Infelizmente amigos Palmeirenses não tem jeito, vamos ter que esperar mais um ano, pois a vida nos ensina que nada é por acaso, precisamos plantar de maneira correta para colher bons resultados, só espero que o Nobre e o Mattos, que estão fazendo um trabalho consciente (arrumamos a casa em 1º lugar, que estava uma verdadeira zona) e à partir de 2016 vamos buscar os resultados (corrigir as coisas que ainda estão erradas e aprender com os erros de 2015) e ai sim cobrar resultados dos jogadores e comissão técnica para entenderem que jogar em um time grande, receber em dia e ter as mordomias que eles tem, não é para qualquer um, é para quem tem espirito de campeão (outra das coisas erradas neste ano).

Concordo Édson, só para complementar o DM é uma pedra no caminho do Palmeiras, desde 2010 é a mesma coisa, chega na hora em que mais precisamos do elenco as contusões vem de baciada. Outra coisa a preparação física deixa a desejar até porque time que se machuca muito é porque alguma coisa está errada.Só fazendo o contra-ponto, nem é somente o mal planejamento mas o meio campo que está jogando nos últimos jogos são os reservas dos reservas temos nada mais que 3 volantes no DM (Gabriel, Arouca, Robinho), e dos jogadores de armação tínhamos 3. O chileno foi embora , o CX no DM a messes e o Felipe Gabriel ainda não jogou. O Z.Roberto e o Allione não são aramadores, jogam como meias de penetração.

Parabéns EDSON pelo seu comentário lúcido, isso mostra como é a realidade do Palmeiras. O problema maior do Palmeiras é esse DM que todos os profissionais desses departamento é tudo AMADOR!!! Eu já vinha alertando a muito tempo aos ilustres palmeirenses aqui no site do 3VV que o nosso DM PARECE MAIS UM TRIANGULO DAS BERMUDAS e na verdade é uma caixa preta que nós palmeirenses não sabemos a verdade (estão escondendo algo).

Desculpa, mas esse negocio de jogar a colheita dos frutos para o ano que vem já encheu. Só nessa (indi)gestão, estamos ouvindo esse discurso desde que começou.

Me desculpem, mas arrumando a casa??????? CX10 , Felipe Gabriel, Rider, Victor Hugo até 2019, Jackson, Leandro Almeida, Vitor Ramos, João Paulo, Alecsandro, Joilson, Amaral, 03 argentinos de m…., Kelvin(?????), dpto médico e físico de m…Que eu percebi até agora que os melhores jogadores da SEP na era PN foram dados ou mandados embora: Henrique, Valdivia, Allan Kardec e Barcos. Temos umas 20 baciadas esse ano, somando com as baciadas que ainda não conseguimos mandar embora de outros anos , da um total de 40 atletas de m……

A realidade é uma só. Nosso maior rival vai terminar o ano como campeão brasileiro , estará na próxima libertadores com condições de ser campeão e nós não.

No Palmeiras não há nem política clubista, o que exites é uma politica pessoal e de vaidade onde o futebol e até mesmo o clube social fica relegado a segundo plano. E pior, tornou-se uma confraria hierarquizada do mal que é passado de pai pra filho ou de clã em clã. Hoje eles se consideram donos. Tomaram posse.
É por isso que o Palmeiras a 30 ou 40 anos ganha um ou dois títulos em média a cada 10 anos, enquanto vemos nosso rivais estaduais manterem a média que perdemos la atras.
É por isso também que acho muito difícil mudar uma forma de gestão pelo menos a médio prazo.
Sr. Criscio, todos estes clubes “europeus”, onde o continente mais adiantado politicamente e culturalmente que o nosso, são exemplos de boas administração cada um dentro do seu contexto. É difícil e relativo apontar qual o melhor modelo. Pensando em Palmeiras, e até mesmo no futebol brasileiro, acho que cada um tem que encontrar o que melhor se adapte.

A política no Palmeiras é tão podre que por terem sidos contratados por seus opositores, o maldito Mustafá obrigou Paulo Nobre a jogar no lixo jogadores até então, considerados ídolos, como Henrique, Barcos e Valdívia. Agora ele briga com a WTorre e, indiretamente com a Arena, pois sabem que ela é uma obra ligada ao Belluzzo, que foi quem a construiu. E isso dói nele, afinal, o cancerígeno Mustafá prefere Belluzzo morto a ver o Palmeiras tri-campeão mundial.

Criscio, excelente post como sempre. Concordo com você, e sobre esses clubes (dei uma lida nos links) a estutura do Dortmund parece ser muito interessante. Além de tudo, lotam o estádio (quase 80.000 lugares) todo jogo, inclusive temporada passada quando estavam na parte de baixo da tabela, o que NUNCA faríamos no Brasil. Sobre isso, gostaria muito de saber sua opinião sobre o preço dos ingressos no Allianz Parque. Na minha opinião, dentre todos os muitos erros do PN um dos maiores é sem dúvida os preços que no futuro vão afastar nosso torcedor de baixa renda, principalmente as crianças, já que muito dificilmente os pais tem dinheiro para ir e ainda levar os filhos. Como você vê essa questão dos preços? Acha justo continuar cobrando tudo isso? No estádio do Borussia, além de ter tickets para a toda temporada – mais um grande atraso no Brasil – os preços são populares. Na Inglaterra, os preços são absurdos, os estádios são lotados e já ouvi muitas pessoas dizendo que quando um clube de menor expressão na Inglaterra ( West Ham, Southampton, etc) começar a comprar jogadores do Bayern, do Real Madrid, todos esses clubes grandes fora da liga inglesa estes também irão começar a aumentar os preços dos ingressos. É inegável que ano após ano jogadores de clubes médios/ grandes (não gigantes) de outras ligas vão para clubes pequenos da Inglaterra que já tem mais dinheiro para investir, muito por causa do preço desses ingressos. Acha que nosso brilhante presidente também acha que com ingressos tão absurdos também vai conseguir contratar jogadores do Bayern e do Real daqui 10 anos? Abs.

Não há como vislumbrarmos qualquer modelo vitorioso, moderno e que não seja reacionário com um discípulo de Mustafá Contursi à frente do Palmeiras. Dizer que o Avanti, que sequer respeita seus próprios associados, é um ponto de avanço, só pode ser piada de mau gosto.
Paulo Nobre consegue matar a galinha dos ovos de ouro com o próprio Allianz Parque, ao abrir guerra com o INVESTIDOR (não só construtor). Não esqueçamos que os mentores intelectuais de nosso “presidente” sempre foram contra a construção da Nova Arena. Por que o filhote seria a favor?

Criscio, nao sou sócio do clube, portanto não sei mto o pamorama das alamedas, apesar de me interessar pelas informações do palmeiras como um todo. Só para entender, o 3vv é uma espécie de psol, ou seja, é oposição até da oposição. Correto? Pq não vejo o grande grupo da oposição com qualquer proposta construtiva, apenas proposta pelo poder. Se estiver tão errado, existe na oposição uma convergência com as ideias apresentadas por vcs?

Infelizmente o Palmeiras está hoje mais para o modelo do “dono” que injeta dinheiro para que o time de futebol sobreviva alimentando o parasitismo do clube social. Mas pelo menos nos casos do Chelsea e do PSG, os “donos” contratam jogadores vencedores para ganhar títulos. Quando José Mourinho precisa de um zagueiro ou de um atacante, o Abramovich não vai buscá-los no Sheffield Wednesday, tampouco o catariano dono do clube francês vai contratar um meia do Sochaux. A estrutura deixada pela Parmalat deveria permitir que o Palmeiras fosse hoje o Bayern de Munique do Brasil, isto é, um devorador de títulos, vencedor de oito a cada dez brasileirões ou coisa do gênero. Foi como se tivéssemos saído da Idade Média que foram os 17 anos de fila para mergulharmos na pré-história que se tornou este século XXI.

Os comentários estão desativados.