Categorias
Brasileirão 2015 Campeonato Brasileiro 2015

Brasileiro 2015: atualização rodada 34

 

Classificação na R34

classifica-r34

 

 

 

 

 

 

 

***

Classificação por turno

classifica-r34-1t-2t

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

***

Evolução de Palmeiras x Santos (adversário na final da CdB) no Campeonato Brasileiro 2015

grafico-evolucao-sepxsan-r34-1t-2t

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

***

Números do campeonato

placar

 

quadro-resumo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

17 respostas em “Brasileiro 2015: atualização rodada 34”

1. Trazer jogadores com melhor qualidade do que aqueles que forem sair ou daqueles que já estão no clube; 2. Prorizar as contratações de jogadores para as posições mais carentes, e não trazer 500 atacanres e nenhum meia; 3. Dar mais importância em trazer 1 jogador de qualidade no lugar de 3 meias-boca, priorizar sempre o melhor, o craque, a excelência; 4. Verficar características e histórico de lesões do jogador interessado. 5. Elenco com 25 jogadores de qualidade (com 4, 5, acima da média), e usa-se a base para completar o elenco de 45, 50, 100, ou seja, a quantidade que quiser. 6. Tirar o escorpião do bolso, o dinheiro debaixo do colchão, pois time bom, é caro, e time bom precisa de jogador bom, precisa gastar e não só arrecadar. Se fizer 1 item desses, a coisa já melhora.

Já disse e vou repetir: se o Palmeiras quer entrar forte e disputar em pé de igualdade os titulos com os rivais, antes de contratar jogadores, deveria fazer uma limpa geral no D.M (médicos, fisios, preparadores fisicos e demais componentes) e contratar PROFISSIONAL COMPETENTE nessas áreas, por que é inacreditavel/inaceitavel e nao é possivel a boleirada se ”quebrar” tanto, PRINCIPALMENTE nas horas em que mais precisamos e demorarem uma eternidade pra voltar. Há quanto tempo vemos esse filme? Há tempos.

Só pra constatar: “R$ 45 MILHÕES com sócio torcedor, quase iguala o número do patrocinador máster na camisa nesta temporada”. A pergunta que fica é: Aonde vai ser destinado esse dinheiro todo??

Segundo o COF mustafa, a grana é para pagar dívidas, não para montar time. Ou seja, o nobre filhote, subserviente, não vai contratar ninguém para o ano que vem, a não ser que venha de graça. Mesma história desde que a Parmalat saiu.

Nobre disse que ja temos a espinha dorsal———Prass–V Hugo–Gabriel–Arouca–Robinho–Parou por aí—-faltam dois laterais—um zagueiro de área—dois meias, e mais um atacante.Somando ao todo, precisamos de 6 jogadores e não uma BACIADA de enganadores !!!!

O único ano que o Palmeiras não teve jogador lesionado foi em 2008 quando o preparador físico era Nilton Petroni “O Filé”. De lá para cá só teve preparador físico e médicos vagabundos.

Minha tese pelos números, está certa—o time atinge o apogeu físico no primeiro turno e começa cair a partir da sexta rodada do segundo—-Isto é o que da manter vagabundos fixos como preparadores físico………foi assim 2009 –2010–2011–2012–2013 –2014–2015 e como no Palmeiras não aprendem com os erros do passado, 2016 NADA vai ser diferente……… Mas a torcida OURO DE TOLO vai começar acordar espero !!

O único ano que o Palmeiras não teve jogador lesionado foi em 2008 quando o preparador físico era o Nilton Petroni “O Filé”. De lá pra cá, o Palmeiras só teve preparadores físicos e médicos vagabundos.

Início promissor, reta final decepcionante. A realidade do Palmeiras no Campeonato Brasileiro de 2015 não é exatamente uma novidade para o torcedor alviverde. Desde 2004, o time só cresceu de produção no último quarto de competição em uma edição da Série A, perdendo força em todas as demais.

Disputando a Série B em 2003, no início dos pontos corridos, o Palmeiras estreou no formato em 2004, terminando na quarta colocação e com vaga para a Copa Libertadores do ano seguinte. Na ocasião, o time teve aproveitamento de 67% nas rodadas finais, contra 54% nos três primeiros quartos de disputa.

A proporção é inversa nos anos seguintes, sendo a queda mais acentuada justamente a vivida atualmente pela equipe comandada por Marcelo Oliveira. Até 28ª rodada, o Palmeiras tinha 54% de aproveitamento, na quarta colocação, com dois pontos de vantagem para o Santos, quinto lugar.

Daí em diante, o Brasileiro entrou em seu quarto decisivo. Já foram seis jogos do Palmeiras, com apenas uma vitória e cinco derrotas. Os três pontos em 18 possíveis representam um aproveitamento de 17%, que praticamente tiraram as chances de G-4 do time – já são seis pontos de desvantagem para o Santos.

Outro exemplo clássico de queda de rendimento do Palmeiras na reta decisiva do campeonato foi o Brasileiro de 2009, em que a equipe comandada pelo técnico Muricy Ramalho caminhava a passos largos para ser campeã e acabou ficando fora até mesmo do G-4, sem vaga na Libertadores de 2010.

Naquele ano, o Palmeiras chegou a 28ª rodada com 64,3% de aproveitamento, liderando com cinco pontos de vantagem para o então vice-líder São Paulo. Nas dez rodadas finais, porém, foram apenas oito pontos somados em 30 possíveis, 27%, derrubando o time alviverde para a quinta colocação.

Os comentários estão desativados.