Categorias
Brasileirão 2015

Brasileiro 2015: Atualização R36

 

 Classificação na R36 

classifica-r36

 

***

Classificação por turno

classifica-r36-1t-2t

 

***

Evolução de Palmeiras x Santos (adversário na final da CdB) no Campeonato Brasileiro 2015

grafico-evolucao-sepxsan-r36-1t-2t

***

Sumário

quadro-resumo-r36b

 

16 respostas em “Brasileiro 2015: Atualização R36”

O Pessoal está muito pessimista, crítico e irritado. No Campeonato Brasileiro o Palmeiras decepcionou, é verdade, mas agora temos uma final de Copa do Brasil e, se ganharmos, acabará sendo um ano bom. Então vamos “passar uma borracha” no Campeonato Brasileiro e apoiar o time de todas as maneiras nessa final. Não é hora para críticas.

Se ganhar a Copa do Brasil, pensando nos últimos 15 anos, terá sido um ano excelente, o melhor de todos. Afinal nestes quinze anos ganhamos duas vezes a série B, que não vale nada, uma vez o campeonato paulista, que vale muito pouco, e uma vez a copa do brasil, mas aquele ano foi péssimo porque terminamos rebaixados. Ou seja, se ganhar agora a Copa do Brasil, sem cair pra série B, vale como campeonato mundial, como disse o Prass. Mas é urgente urgentíssimo que o Palmeiras se planeje para ganhar o campeonato brasileiro, de qualquer forma, ano que vem. Não tem mais como adiar. O duro é acreditar que o playboy vai atrás disso com seriedade e competência.

o Palmeiras precisa ganhar títulos importantes em sequencia como seus rivais fizeram nesses últimos 15 anos, só assim voltaremos a ser respeitados de fato e de direito,pode acontecer mas não tenho muita confiança que isso ocorra na gestão PN, principalmente porque pra isso tem que estar numa gestão muito boa,maravilhosa etc…

Enquanto o torcedor comum adotar o “agora não é hora para críticas” os nossos dirigentes jamais sairão do modo “agora não é hora para títulos”. Uma coisa é apoiar o time, principalmente nessa decisão. Outra coisa é cobrar SEMPRE quem quer que esteja no poder (independentemente do discurso bonito e moderno) a obrigação de fazer o Palmeiras voltar a ser GRANDE, e não se contentar com o décimo lugar no principal campeonato do país. Se vier a taça, ótimo, mas ela tem que vir acompanhada de mudanças estruturais (departamento médico inclusive), de mentalidade vencedora e postura ousada, senão será apenas mais um troféu perdido em meio a incontáveis vexames – exatamente o que foram nossos dois títulos neste século XXI. Nesse sentido, passar a borracha na campanha ridícula nesse Brasileirão não vai ajudar em nada.

A situação atual é completamente diferente de quando ganhamos os títulos em 2008 e 2012. Naqueles anos realmente ganhamos mais pelo peso da camisa, contando com a sorte ou o acaso e não havia maiores perspectivas para o clube. O que parece que muitos estão custando a entender é que o futebol brasileiro entrou numa nova era – a era das arenas + sócio-torcedor, entre outras mudanças – que será um divisor de águas para todos os clubes e o Palmeiras é claramente entre os beneficiados pelo novo momento. O Palmeiras, no mínimo, sempre estará entre os 3 clubes mais poderosos economicamente falando do Brasil. Isso fará – e já está fazendo – diferença. É um caminho sem volta, como se fosse possível voltar ao mundo sem internet e celular. Só para constar como um último exemplo da nova era: todos os ingressos para a final foram vendidos para os sócios-avanti a preços salgadíssimos. O que quero dizer é que com um mínimo de competência, o Palmeiras sempre terá times competitivos, ano após ano, devido ao seu poder financeiro. Os você acha que o Barcelona e o Real Madrid são mega vencedores porque todos lá (na diretoria) são gênios? Os dois clubes são muito mais poderosos economicamente e, consequentemente, grandes vencedores. Não será diferente no Brasil.

Não precisa dessa engenharia toda, Rodrigo. Se o Palmeiras tivesse derrotado os já (ou quase) rebaixados Vasco, Goiás e Joinville no turno e no returno, obrigação mínima para qualquer time que almeje uma campanha decente no Brasileirão, estaríamos hoje disputando o vice-campeonato. Simples assim, mas alguns preferem “passar uma borracha” nisso, né?…

O quer dizer do M.O. (O Completo imbecil) colocar o Gabriel Jesus para jogar? Nosso melhor jogador correndo o risco de machucar; só um idiota faz isso!
Também: com toda a boa vontade que possamos ter, infelizmente o João Pedro pode procurar outra profissão, como jogador de futebol não dá; nem prá várzea serve, não tem noção nenhuma do que é jogar futebol; quanto ao “amiguinho” do M.O. Leandro Almeida, pode seguir o mesmo caminho.
E a nossa torcida! 20 mil pagam para assistir o time reserva; a ciência tentará explicar.

João Pedro é lateral da Seleção Brasileira… Quando puder jogar em um time tranquilo, terá a oportunidade de jogar o que sabe e o destaque merecido. É uma pena, mas ele é ‘mais um’ jovem triturado por esta Sociedade.

concordo com você, ele foi muito elogiado nas seleções de base além de já ter feito jogos bem melhores do que esse… claramente, o caso dele, do próprio gabriel jesus, nathan, matheus salles, é falta de preparo, falta de treino, o gabriel jesus às vezes se posiciona como volante, como meia armador, e para mim ele é claramente centro-avante ou segundo atacante… lembrando que a posição de lateral direito não tem reserva e o joão pedro foi colocado lá para improvisar, assim como os outros garotos da base que só foram usados quando não tinha mais o que fazer… apesar de não achar o joão pedro o novo cafu, acho que faltou preparo, princípios básicos do futebol como posicionamento, segurança e entrosamento

Se tivéssemos uma divisão de base competente e comprometida com o bem do Palmeiras, nada disso aconteceria. Os nossos maiores rivais cansaram de ganhar títulos com equipes recheadas de garotos revelados por suas bases, mas no Palmeiras imperam outros interesses, então tenho certeza de que nesta vida não verei isso mudar. Quanto ao técnico usar o Jesus num jogo “sem importância”, pior é o Prass: se ele se machucasse quem jogaria na decisão?

Um lote inteiro de contratações ridículas alem conseguiram errar duas vezes na escolha do treinador

E não se esqueça do lote de tranqueiras emprestadas (eu diria “imprestáveis, mas vá lá…) que está retornando, incluindo Weldinho “Contrato de 5 anos by CEO”. É, realmente estamos anos-luz à frente dos rivais…

Os comentários estão desativados.