Categorias
Opinião

Opinião: coadjuvantes

 

Por Vicente Criscio

O Campeonato Brasileiro chega nas últimas quatro rodadas já com um virtual campeão. O SCCP deve selar matematicamente seu título nacional na próxima rodada, entre 18 e 19 de novembro, contra o Vasco da Gama. Com 76 pontos ganhos e 11 acima do Atlético, o campeonato matematicamente acabará na R35 ou na pior das hipóteses na R36.

O Palmeiras? 28 pontos atrás do Corinthians. 9o colocado. Um mero coadjuvante em todo o torneio. E até a R38 a classificação pode piorar…

Vamos ser sinceros…. isso dói, não dói?

Não prá todos.

Curiosamente parte da torcida palmeirense está resignada e comprou o discurso de que esse ano é o ano da construção. Ano que vem seremos imbatíveis. Se antes a culpa era do Brunoro, do Valdívia, do Belluzzo… agora a culpa é do azar, do Oswaldo, do juiz… e logo logo o culpado será o Marcelo.

Mas o ano até agora tem sido bom ou ruim?

Muitos preferem ver o copo meio cheio e afirmam:

– Duas finais esse ano;

– Disputamos o G4 até a rodada 34; melhor que ano passado, onde quase caímos;

– Podemos ainda ser campeões da CdB;

– Avanti, Allianz lotado, receitas, patrocínios, dívida, número de downloads de aplicativos (????);

De fato, alguns desses feitos devem ser comemorados e têm mérito. Às vezes de outros, como no caso do Allianz. Alguns sao embelezados. Mas no limite, tudo é efêmero. Apenas uma coisa é importante no futebol de hoje: títulos. Títulos, de maneira recorrente. Títulos importantes. E isso nos deixa longe quando falamos que no Campeonato Brasileiro tivemos nos últimos anos apenas 2008 e 2009 disputando o título. O resto foram grotescas participações, como a de agora, ou catastróficas, como a de 2012 e 2014 (2010: 50 pontos; 2011: 50 pontos; 2012: 34 pontos e série B; 2013…; 2014: 40 pontos e 16o colocado; 2015 com 48 pontos até a R34 e em 9o lugar na tabela).

A CdB será a salvação? Não se ela for tão efêmera quanto foi a de 2012. E o que mostra o resultado do Campeonato Brasileiro é que dentro das quatro linhas estamos longe, mas muito longe de uma equipe competitiva. Só prá comparar, o Santos – nosso rival finalista – tem 67% de aproveitamento apenas no 2o turno do Brasileiro 2015. Com Dorival Junior no comando e montando uma equipe nova esse ano e um clube em tese quebrado (aliás o mesmo treinador que com nosso elenco de 2014 quase caiu). Podemos vencê-los em duas partidas? Claro. Somos melhores que eles? No Brasileirão os números mostram que não! Nossa gestão é melhor que a do Santos? Pelos resultados dentro de campo….

Já falei aqui: tínhamos tudo nos últimos 3 anos para fazermos as mudanças estruturais tão necessárias para fora das quatro linhas. Mas não fizemos. E pelo andar da carruagem verde e branca,  não vamos fazer tão cedo…

E dentro das quatro linhas continuamos coadjuvantes. Mero coadjuvantes. Vendo os rivais comemorarem. Então que o tão esperado título da Copa do Brasil proporcione ao Palmeirense a alegria de qualquer título. Mas que venha com o devido discernimento por parte da diretoria e da torcida de maneira geral que ainda estamos longe, muito longe. Pelo menos 28 pontos em 34 rodadas.

Saudações Alviverde!

48 respostas em “Opinião: coadjuvantes”

Vicente , apenas parabéns, sua argumentação alem de correta apenas espelha a realidade crua e fria dos 39 anos de feudalismo, que a SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS , é vitima , sem que possamos alterar algo , a não ser que algo seja feito, de forma profunda, as mudanças foram falsas , os argumentos foram vazios, as atitudes infantis, e a postura, nem se comenta mais, ser protagonista na serie A e coadjuvante na serie B , é o mais visível, enredo desta falacia, que tem rotulo de “profissionalismo´´, profano ate a ultima virgula!

É difícil mudar essa situação , é necessário investir pesado no time , como ocorria
na época da Parmalat, jogadores medianos e perdedores quando o campeonato afunila acabam amarelando e o peso do tempo sem grandes conquistas também atrapalha. Pra ganhar título brasileiro seria necessário a contratação de pelo menos 8 jogadores de qualidade, além da dispensa
de vários que estão aí. Da maneira como o Palmeiras se preocupa demais com as finanças isso pode ser considerado utopia.

Doe demais ver o rival ganhar 5 brasileiros em 21 anos ao qual não conquistamos nenhum isso é lamentável, coadjuvantes parece que é nossa condição nestes 21 anos de Brasileirão.

Quer ser campeão, então vai. Contrata Mateus Ferraz ( Sport ) , Biro Biro e Roberto ,Bob ( Ponte ),
Lucas Lima e Diego Sousa, Luan e Geromel do Grêmio e Pikaxu pra reserva do Lucas,
, manda embora via sedex uns 15 lixos mais o Zé Rovéio e pronto, seremos campeões de qualquer torneio. Treinador, poder ser até o Mustafá, com esse elenco ganha de qualquer jeito.

Início promissor, reta final decepcionante. A realidade do Palmeiras no Campeonato Brasileiro de 2015 não é exatamente uma novidade para o torcedor alviverde. Desde 2004, o time só cresceu de produção no último quarto de competição em uma edição da Série A, perdendo força em todas as demais.

Disputando a Série B em 2003, no início dos pontos corridos, o Palmeiras estreou no formato em 2004, terminando na quarta colocação e com vaga para a Copa Libertadores do ano seguinte. Na ocasião, o time teve aproveitamento de 67% nas rodadas finais, contra 54% nos três primeiros quartos de disputa.

A proporção é inversa nos anos seguintes, sendo a queda mais acentuada justamente a vivida atualmente pela equipe comandada por Marcelo Oliveira. Até 28ª rodada, o Palmeiras tinha 54% de aproveitamento, na quarta colocação, com dois pontos de vantagem para o Santos, quinto lugar.

Daí em diante, o Brasileiro entrou em seu quarto decisivo. Já foram seis jogos do Palmeiras, com apenas uma vitória e cinco derrotas. Os três pontos em 18 possíveis representam um aproveitamento de 17%, que praticamente tiraram as chances de G-4 do time – já são seis pontos de desvantagem para o Santos.

Outro exemplo clássico de queda de rendimento do Palmeiras na reta decisiva do campeonato foi o Brasileiro de 2009, em que a equipe comandada pelo técnico Muricy Ramalho caminhava a passos largos para ser campeã e acabou ficando fora até mesmo do G-4, sem vaga na Libertadores de 2010.

Naquele ano, o Palmeiras chegou a 28ª rodada com 64,3% de aproveitamento, liderando com cinco pontos de vantagem para o então vice-líder São Paulo. Nas dez rodadas finais, porém, foram apenas oito pontos somados em 30 possíveis, 27%, derrubando o time alviverde para a quinta colocação.

Acho que o último brasileiro que terminamos realmente felizes e satisfeitos foi em 2005. Não tinhamos muita expectativa no início e acabamos conquistando a vaga no último jogo: confronto direto contra e Flu e vitória de virada do Palmeiras

Perfeito xará. Só uma resalva. O técnico que ganhou 9 em seguida foi o Jorginho, que foi injustamente demitido, e aí, este fato, mais Vagner Love e outras tramoias das alamedas, nos fizeram perder tudo.

VITTORIO Parabenizo o colega Renato Rocha pelos textos. São exemplares. A tentativa de desqualificá-los é a maneira mais torpe de divergir com quem não concordamos. Quanto ao fato de apresentar soluções isso não funciona: o chofer de rally não aceita nada, a não ser elogios. O Palmeiras precisa de TÍTULOS!! O resto é cantilena para embalar bovinos, ou panos quentes que a bem orquestrada turma dos Pachecões bota no ar, para enganar os menos avisados.

O que o colega Renato Rocha escreveu está correto. Lamento que o André tenha tentado contestar a opinião daquele que dele divergiu, apelando para a desqualificação, o que não consegui, frise-se. Achar que a gestão midiática do corredor de rally está no direito de cada um. O Renato foi de uma felicidade ímpar; a mensagem que captei nos alerta para o fato de que o sucesso do novo estádio tem tempo para se esgotar. Encher o Allianz Parque será possível quando tivermos um esquadrão em campo, nos dando TÍTULOS!! O resto é dar uma de avestruz e/ou bancar o Pachecão. L
embrar dele?

Enquanto se priorizar a quantidade, e se esquecer da qualidade, continuaremos sendo meros coadjuvantes. WE técnicos e mais técnicos cairão, pois sem qualidade, seus treinamentos serão em vão.

Os espertos que aplaudiram a saída do “chinelinho” – embora não fosse mais chinelo desde 2012 – merecem o que a dupla Nobre/Mattos está nos fazendo passar.
Pode até ser campeão da CdB, pode perfeitamente. Mas foi mais um ano de decepções e o famoso “estamos nos preparando para o ano que vem”.

A imagem do ator Peter Dinklage (gigante na interpretação mas anão na estatura) com a estatueta do Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante é emblemática. Parabéns, Vicente Críscio. E tenho plena convicção de que, mais do que meio vazio, nosso copo está rachado e prestes a quebrar.

Vicente , deixo só uma pergunta à você. “Quando seremos campeões brasileiro novamente ? Quando chegaremos numa libertadores com condições de vencer ?” Último título brasileiro foi em 1994 , é muito tempo ! Libertadores , “só” , digo só vencemos uma e foi naquele sufoco dos pênaltis. A copa do Brasil tornou-se sim mais do que obrigação. Pra mim , o copo não está meio cheio. Obrigado.

Eu realmente defendia a diretoria, mas ao ver esses resultados e as possíveis contratações para o ano que vem… chega. Corneta mode ON [X] OFF [ ].

Tinhamos que fazer algo, nao da simplesmente pra nos resumirmos aos protestos na arena! façamos algo simples e que da resultados comproadamente…façamos uma campanha (tipo dum abaixo assinado) afinal somos consumidores e deemos exigir o MELHOR! o sr presidente nao disse que a grana dos plano sócio torcedor ai unica e exclusiamente pro TIME!? pois então inundemos o twiter, face oficial, site oficial, e com cópia pra algum ou alguns programas esportios, com nossa insatisfação pelo morosidade dos jogadores atuais e exigindo ao menos 2 CRAQUES pra 2016! um 10! e um 4! no minimo! parece pouco, mas hj em dia midias sociais é o que da mais retorno….

O que NOBRE e diretoria esperam, é que a segunda final, tenha 40 mil pagantes e renda de 4 milhões. Mas depois de levar uma sonora goleada, nem a torcida OURO DE TOLO, vai querer abraçar esse time que não fica muito longe do de 2014 .( talvez 8 pontos )

O time já tinha aberto mão do Brasileiro, ficou claro no jogo. Nenhum jogador quer se lesionar e perder a final. Solução: Vai viajar com todos e antecipa a concentração pra final. Alimentação 100%, durmir horário certo, sem cervejinha, sem balada… treinamento TODOS os dias…. Só falta colocar titular nos jogos antes da final….

Nem tanto ao céu, nem tanto inferno… o discurso no início do ano era de retomada, reestruturação, dinheiro entrando e, enfim, o Palmeiras estaria voltando ao seu devido lugar. Inúmeras contratações foram feitas, mas quase nenhuma de grande impacto (exceto Dudu, Arouca e a decepção C. Xavier). Alguns medianos deram certo (Gabriel, V. Hugo, Lucas), outras apostas deram muito errado (Girotto, Amaral). Não deveríamos ter exagerado na expectativa, que aumentou ainda mais com a final do Paulistão, mas seria impossível exigir isso da carente torcida palestrina… Estranhamente, o Palmeiras foi grande contra os grandes e pequeno contra os pequenos. Desta forma incompreensível, sofremos na fase classificatória do estadual, sofremos contra ASA e estamos sofrendo no brasileiro… Mas, ao mesmo tempo, humilhamos o SPFC como nunca antes, eliminamos e vencemos o SCCP na casa deles, como em outros tempos, voltamos a vencer os times grandes do país, na Copa do Brasil eliminamos duas grandes pedras no sapato: Cruzeiro e Inter e voltamos a jogar 2 finais no mesmo ano (isso não acontecia desde 2000)… Agora, o desempenho no brasileiro é um grande fracasso, sobretudo pelo bom momento que tivemos com a troca de técnico e por nosso time não ser (tão) inferior a nenhum outro. Não estamos pronto para disputar um título num campeonato tão longo, que demanda regularidade (ser grande sempre e não somente contra os grandes) e entrosamento, que por suas vezes demandam trabalho a longo prazo e uma base pronta ano após ano. Ilusão a expectativa de título brasileiro e bobagem nos compararmos com SCCP, o time deles nem é tão melhor, mas joga junto desde 2013 e isso é diferencial em pontos corridos… Por outro lado, deixar escapar uma vaga na Libertadores, da maneira como estamos vendo, somado a conquista rival, deixa um gosto amargo de frustração… Contas no azul, nova arena, aplicativo, tudo isso pode e deve ser comemorado como um importante meio para um fim maior: montagem de um time competitivo… Para encerrar, o saldo de 2015 é bom, mas esperamos um “ano que vem bem melhor”.

O time do SCCP não é tão melhor? Só 28 pontos de diferença, 4 jogadores na seleção(nem isso conseguimos nos padrões atuais, nem um….), tomar goleadas de times pequenos…é tanta coisa, é engraçado que o “time que joga junto desde 2013” foi praticamente renovado, lançando jogadores e dinheiro pra montar um time melhor…. só não ve quem não quer que o caminho não é esse, já tivemos todos os técnicos ponta, dirigentes top, jogadores ….tá ok nem tanto, só marketing da diretoria pra torcedor iludido…. esperar o time do ano que vem cansa e é burrice, vamos refazer outro elenco de novo e contratar até roupeiros novos ano que vem.

Leia de novo meu comentário e vai entender porque o SCCP não tão melhor que o Palmeiras. Tanto não é que o eliminamos no Paulista e não perdemos pra eles no brasileiro…. Sim, estamos 24 pontos atrás deles, mas isso não se deve somente ao elenco, mas a outros fatores (time que joga junto há um bom tempo é um deles)… Obs.: Seleção não é parâmetro pra nada, absolutamente nada.

Prezado André, com todo respeito que você merece, parece estar deslumbrado com a nova arena, avanti, aplicativos e o escambau.
Quais TÍTULOS ganhamos? Final de paulista? O que é essa merda de campeonato? Dá vaga pra Liberta? Vaga pra CB? Serve pra que esse título? Pra zoar o bambino ou o gambá? Pouco muito pouco. Estamos na final da CB. Acha que temos time e futebol pra ganhar? Se acha, então bota o PN o MO e AM pra jogar. Tú ta apoiando eles. Esses mercenários que mais uma vez estão fraudando o Palmeiras. E pior iludindo uma torcida. Queria jogar no Pacaembú, estar devendo 400 milhões, luz cortada da academia, sem dinheiro para pagar salários de jogadores e funcionários, mas, nos últimos 10 anos, ter ganho 2 brasileiros, duas libertas, 5 CB, 3 sulamericanas. Isso é o que vale. É o que fica. É o que forma novos torcedorse. Imagina: “Pai – Filho vamos para a Arena ver o jogo. Temos um ótimo lugar de graça que o avanti nos deu.” Filho – Não dá veio. Sou corintiano, pois nos somos CAMPEÕES”. Será que nós palmeirense ainda sabemos o valor desta palavra: CAMPEÔES? Sabemos o sabor? O que significa?. Desculpe André, mais voê é um iludido.

Renato Rocha – DF, o nível do teu comentário é lamentável. A tua interpretação (dos textos e dos fatos) é preocupante.

Meu comentário é de torcedor do PALMEIRAS. Ja´você se contenta com essa mediocridade desde 2000. Campeonato paulista não vale nada. Aliás os estaduais já deviam ter acabado a muito tempo. Torno a dizr. TÍTULOS – CAMPEÃO. Existe essa palavra em nosso (palmeirenses) dicionário?

Concordo Renato… e olha que eu comemorei como nunca aquele paulistão em cima da ponte…outros tempos, aquele time dava gosto de ver jogar, apesar de não ter sido um elenco primoroso, o principal era consistente. 2012 não teve nem de longe o sabor de 2008, e sabe porque? A amargura de ver times medíocres em campo tira o sabor da vitoria e o prazer de torcer…. torcemos porque amamos, mas o caldo vem azedando…

Uauuuu.. Que beleza!!!

Já me preparo para comemorar na Paulista o record de público e de download do App.
É isso aí. com fé a gente consegue um dia voltar a ser campeão de futebol. Isso se Paulo Nobre deixar o rally de lado e se voltar para o futebol, de preferência com quem entende de futebol, senão, teremos muitos amaral com contrato “vitalício” de 5 anos, como este ganhou do Merdas, opss.. Matos…

Quem entende de futebol? Esse teu comentário é igual aos de sempre: criticam em tom agressivo a tudo a todos (quase sempre com palavrões), supervalorizam os defeitos, menosprezam o que é positivo, mas nunca apresentam soluções. Então repito a pergunta: Quem entende de futebol? Quais jogadores servem? Qual técnico é o ideal? e a principal: quem você quer na presidência? Sem respostas genéricas e evasivas (iguais às do presidente), ok?

Soluções? Você leu o comentário do EDY, um dos primeiros? Vamos lá. Separar o social do futebol, somos 18 milhões no futebol, e 6 mil gambás e bambinos como sócois do Palmeiras. Direito de voto ao sócio torcedor. Se continuarem os mutafistas no poder, seremos a nova Portuguesa.

precisamos separar o clube social do futebol logo não da pra sonhar com um Palmeiras vencedor por muito tempo com o risco de tirones da vida assumirem o clube e sem contar as brigas politicas

Eu vou falar uma coisa, o problema do Palmeiras é: 1) Diretoria (que a 30 anos apequenou o clube e que contrata só refugos e mais refugos – a caçamba está lotada cheio de entulhos); 2) O Departamento Médico que mais parece um triângulo das bermudas (jogador cai neste DM e não sai mais de lá – prova disso, é o Valdivia que precisou chamar o médico cubano, É mole!!!??); 3) Os jogadores que não estão nem aí para o clube só quer saber de $$$$$; 4) A vaidade, que toma conta do clube sempre foi assim. Se o Palmeiras não mudar dentre esses quatro quesitos que eu citei o Palmeiras JAMAIS vai conseguir montar um esquadrão para ganhar todos os títulos que disputar.

MODERATION MODE: ON!! Desse jeito não vamos a lugar nenhum. Os nossos inimigos estão ganhando títulos e nós??? Me responde. E nós??

Põe esses caras para cortar cana. Recebem em dia, mas o que estão jogando é pouca vergonha. M O se não tem mais pulso pede para ….. e desocupa a moita.
Cuca já!!!!

o time pode até ser campeão da cdB mas não há perspectiva de que esses jogadores vão jogar bem em 2016 pra ganhar títulos, principalmente se vierem jogadores iguais a estes sem vontade de vencer

O problema é a diretoria, e isto há 30 anos. Não estão nem ai para o futebol, só querem saber do $$$$ que o futebol leva para o clube. E não adianta cobrar o Mattos, tem que ser alguém que não seja empregado. Jogador faz o que quer no clube, joga quando quer. Ninguém dá uma porrada na mesa e acaba sobrando para o treinador.

MO não presta, OO não presta, Dorival não presta, Gilson K não presta (não presta mesmo), Gareca não presta, Felipão não presta, Muricy não presta, Luxa não presta…..ninguém presta, os únicos que entendem de futebol são os maravilhosos diregentes do clube. E isto há 30 anos. Quando a parmalat colocou gente competente e COM PODER para mandar prender e mandar soltar, não tinha mimimi….ou corria ou RUA. O mustafa ficava contanto o $$$$$ que entrava e não dava pitaco. Quando fica não mão dos conselheiros, que viram diretores, é o caos. Vira a casa da mãe Joana bêbada….uma zona que já nos levou a série b duas vezes, inúmeras goleadas, campanhas e eliminações ridículas, perda de título ganho (2009) e todo o repertório de vergonhas que o palmeirense já está acostumado.

Falam do tite nos maloqueiros (para mim é um tremendo 171) que reconheço ter seus méritos no campo. Mas o maior mérito é da diretoria que “dá” costas quentes para o técnico. Jogador começa a se achar e vai para a RUA…..vide o guerreiro e sheik. Ninguém cresce para cima do clube. Se o tite colocar qualquer um no banco não tem mimimi porque sabem que o cara não vai cair, tem as costas quentes com a diretoria. tem um monte de “mais ou menos” no time mas os caras correm e obedecem o técnico.

Vejam o flamengo! Troca de técnico a cada 3 meses….quem vai se impor? Jogador kh na cabeça do técnico, qualquer técnico. E não adianta o Rodrigo Caetano querer cantar de galo que os vagabundos puxam o tapete dele, que também é um empregado do clube.

Ou o Palmeiras passa a ter gente de pulso que dê respaldo aos profissionais sérios que querem trabalhar pelo clube e eliminem os vagabundos, ou será sempre este caos. Uma hora é o emocional, outra é o elenco que é fraco, o técnico, os juizes, o gramado…..

Edy, seu texto é 98% irretocável. A única ressalva: não são 30, mas 38 (desde 1977) anos de diretorias incompetentes. Na verdade, resume-se ao nome de sempre, que entrou na política do Palmeiras nesse ano maldito e está lá mandando até hoje. O pior é que mesmo depois que ele morrer (todos teremos que partir um dia, certo?) já terá deixado seguidores suficientes para atazanar as alamedas do clube por mais um século.

Ontem foi um exemplo clássico do q venho dizendo, o Palmeiras está pagando por um erro grosseiro na formação do elenco: o excesso de jogadores (de bom nível – longe de serem craques) para a mesma posição, ao invés de fazer contratações em menor número e maior qualidade. Allione deu entrevista semana passada crente q jogaria ou no mínimo entraria no jogo. Aí entra o Kelvin, pois é preciso dar chances a todos. Que fria hein Kelvin? 45 min para fazer um milagre, como não fez, dificilmente será aproveitado tão cedo. O que isso provoca? Descontentamento no grupo. Eu sinceramente, fora o salário em dia (que ê super importante) não vejo o porquê de jogadores optarem por disputarem posição com mais 40 caras. A meu ver, esse é o erro mais grave do Palmeiras, lamentavelmente não vejo ninguém apontando a origem dos problemas mas só comentando os maus resultados!

Gostei quando você diz que todos comentam os maus resultados, mas ninguém aponta a origem do erro e dá alguma solução. E concordo plenamente contigo quando diz que o Palmeiras contratou muita gente pra mesma posição e deixou a desejar em outras (a zaga é sofrível e não temos meia armador), mas discordo um pouco quando diz que não há motivação (além do salário em dia) para um jogador brigar por posição com 40 outros, acho que a motivação deva ser jogar no Palmeiras, clube gigante e que briga por títulos (OK, esse ano fomos coadjuvantes no brasileiro, mas sim, chegamos a duas finais), que está no caminho para voltar ser o que nunca deveria ter deixado ser, CAMPEÃO. É totalmente plausível ter Cleiton Xavier, Dudu, Rafael Marques na reserva quando os titulares são melhores (ou estão melhores), é assim que se monta um elenco campeão.

Os comentários estão desativados.