Categorias
Opinião

Opinião: orçamento, planejamento e um elogio!

 

Por Vicente Criscio

Durante a semana foi apresentado aos Conselheiros da SE Palmeiras o orçamento econômico financeiro para o ano de 2016.

Parte do orçamento já havia sido divulgado em alguns sites esportivos na semana anterior.

Mas mais do que o anunciado lucro de R$ 33 milhões o que pareceu estranho foi a despesa do futebol.

Considerando-se que em 2015 o Palmeiras gastou somente com o futebol R$ 278,6 milhões e prevê gastar em 2016 R$ 235,0 MM (R$ 43 milhões de economia), imagina-se que vai ser mais eficiente no controle de gastos do futebol em 2016. Mesmo num ano com Libertadores (não tivemos isso ano passado) e a busca do Brasileiro, além de defender o título da Copa do Brasil.

O que parece – ouvindo o discurso dos diretores envolvidos na peça orçamentária bem como o Presidente Paulo Nobre – é que há um descolamento entre o planejamento financeiro com o planejamento esportivo. Aliás, o que parece é que existe uma acefalia no departamento de planejamento, com zero ou quase zero influência nos objetivos esportivos de curto, médio e de longo prazo. Basta ver que a apresentação do orçamento é puramente números sem nenhuma associação com objetivos do futebol palmeirense.

Mas, mas, mas … como as peças de orçamento e do realizado chegaram apenas horas antes da reunião não houve tempo hábil para uma discussão mais profunda. Então vamos dar o benefício da dúvida. Entretanto algumas perguntas poderiam ser respondidas:

– vamos gastar menos no futebol em 2016? aparentemente na folha salarial dos atletas. É isso mesmo? vamos nos livrar de jogadores contratados nos últimos anos com salários altos?

– mais importante do que isso: é um ano de Libertadores. Faz sentido planejar uma redução nas despesas de futebol? quais as metas que estamos colocando para o nosso departamento de futebol? Estamos planejamento chegar nas finais dos principais campeonatos, como Libertadores? Vamos disputar até a última rodada o título do Brasileiro? Se sim, como ligar o planejamento esportivo com o financeiro? está refletido o avanço nesses campeonatos no orçamento?

– e a receita? estamos prevendo apenas a receita garantida de bilheteria da primeira fase da Libertadores. É um orçamento conservador ou tímido? Ou isso é consequência do achatamento das receitas de bilheterias por conta do Avanti?

– e sobre os contratos de TV? a Globo já acena com renovação do contrato vigente. Vamos continuar com a diferença de receitas contra o Corinthians? e é justo isso? como se coloca o planejamento de longo prazo da SEP versus o crescimento de Flamengo e Corinthians com a tal “espanholização” do futebol? vamos assistir isso e apostar apenas no crescimento do Avanti?

Um orçamento bem feito, feito por profissionais de empresas, pode ser da Petrobras (eu sei, péssimo exemplo), até empresas menores, levam em consideração objetivos de negócios a serem atingidos. O nosso orçamento é uma peça vinda do excel, com poucas premissas de objetivos esportivos explícitos. Não deveríamos nessa altura já termos um orçamento compatível com o futebol mundial do século XXI?

São só perguntas. Espero que dentro da diretoria elas estejam sendo debatidas.

***

Para não dizerem que aqui nunca elogiamos o Presidente Paulo Nobre, vai um elogio. Ter tido a humildade necessária para esquecer as discussões abertas (e lamentáveis) com a parceira Crefisa e sua CEO, “Aquele” Paulo (como carinhosamente ficou conhecido o Presidente depois das discussões) acertou em calçar as sandálias da humildade e parar com a guerra aberta. Agora só falta avisar os xiitas das redes sociais que queriam a Crefisa longe do Palmeiras. Já mudaram de opinião? já apagaram os tuítes belicosos?

***

E para garantir que estamos elogiando prá valer, aí vai outra. O Presidente Paulo Nobre concordou com este humilde palmeirense quando afirmei que o resultado do Brasileiro de 2015 foi muito ruim, e incompatível com o orçamento de gastos do ano passado. Eu apontei (e ainda aponto) que gastamos muito e mal ano passado. E isso nos fez chegar a um nono lugar no principal campeonato de nossa terra, e que não ganhamos desde 1994. Se olharem o orçamento do Corinthians no futebol foi o mesmo do Palmeiras em 2015. E foi campeão com 28 pontos acima de nós. E dizer que isso é só por causa da arbitragem chega a ser ingênuo!

O Presidente concordou que o resultado era muito ruim e que também ficou decepcionado, principalmente pelos resultados contra os times “pequenos”. Muito bom! Parabéns pelo reconhecimento Presidente. E aí, o que vamos fazer para mudar isso?

Discutir qualidade do time do Palmeiras é conversa mais difícil que discutir religião na faixa de gaza. Mas eu da minha parte continuo na contra-mão de muitos palmeirenses. Alguns acham o time atual “espetacular”.

Eu não vejo assim. A Copa do Brasil não pode nos iludir e achar que temos uma grande base e que precisamos apenas de poucos jogadores para compor. Esqueçam Cleiton Xavier (nem na primeira fase do Paulista está registrado). Precisamos de jogadores que façam a diferença principalmente na meia. E de uma defesa sólida.

O principal rival voltou prá trás? É verdade. E todos achavam o mesmo deles ano passado. Não é bem assim. E Libertadores é obsessão! E o Brasileiro também deveria ser!

Concordam?

Se sim, que bom. Se não, que bom também. Deixe sua opinião discordando. Mas sempre naquele estilo, senão, não passa.

Saudações Alviverdes!

 

25 respostas em “Opinião: orçamento, planejamento e um elogio!”

Boa Tarde amigos,
Sempre leio com muita atenção a todos (ou quase todos os posts do site). Como sempre faço, escuto muito e falo pouco! Depois de muito ouvir (ler) venho agora pontuar algumas reflexões e comentários. Desculpe se me alongar em excesso. Tenho 32 anos, acompanho bem as “discussões” sobre o meu palmeiras e tenho plena convicção que a Gestão desta diretoria foi a melhor que eu pude vivenciar. Teve seus erros… com toda certeza, mas tirar o mérito desta gestão acho um pouco exagero ou quiçá parcialidade na avaliação dos fatos. Posso pontuar erros e acertos (como vários já aqui debatidos, sempre com argumentos sólidos) ou posso apenas traçar um paralelo com nossa vida cotidiana. Sei que queremos um time forte e competitivo, assim como gostaríamos que nossas empresas fossem as líderes de mercado em seu segmento. Para tanto, temos que observar o mercado e fazer um bom plano de ação com planejamento dentro do possível. Se falou que ficamos “x” tempo sem patrocínio e vemos hoje que o planejamento desta ação deu resultado (não queriam desvalorizar o espaço de publicidade na camisa e hj temos a camisa mais valiosa do futebol nacional). Se falou em demonstrações financeiras apresentadas (sabe-se que as despesas são mensais e pouco variam se passarmos de fase nos campeonatos, porém as receitas sim, estas terão um significativo aditamento caso venhamos avançar nos torneios disputados – direitos de transmissão, premiação e bilheteria – uma boa gestão preza por uma estimativa pessimista de receitas e de despesas, o que fará que tenhamos provavelmente uma DRE mais positiva que a esperada). Dizem também que não temos que olhar o financeiro, pois temos que ganhar títulos… Como podemos fazer um clube sólido e próspero no futuro sem pensar no presente (finanças)… Hj nosso barco veleja a favor do vento, devido a condição financeira que vivemos! Fazendo um paralelo… Muitos criticam o PT por darem bolsa família e não pensarem no futuro da economia… o país vive um caos financeiro. Então eu creio.. que dentro das premissas do controle financeiro e investimentos em futebol, a gestão tem sido eficiente no que tem proposto. Mas tenho que concordar que em alguns pontos ainda permanecem errando.. voto do sócio torcedor.. mudança do estatuto do clube.. enfim… a vida é assim! Erramos e acertamos… Cabem elogios e ressalvas, mas tenho certeza que estamos na direção correta. Se estamos na direção correta logo, posso concluir que vivenciamos um momento de mais acertos do que erros. Um abraço a todos!

Gostaria de saber a opinião de vocês sobre a W.TORRE .
Quem tem razão ?
Quem assinou outro contrato e nos prejudicou ?
E se a W.TORRE vencer a Arbitragem pela qual estamos passando ?

Siro
Boa tarde
Acho que o Sr Antonio Augusto Pompeu de Toledo é quem tem por obrigação responder este seu questionamento, bem como a quantas anda a reforma estatutária.

Paulo Nobre gosta de futebol e do Palmeiras, sendo bem intencionado, porém não entende de futebol, ou seja, tem que deixar o futebol nas mãos do Mattos (literalmente terceirizar a gestão do futebol) e cobrar os resultados. Toda vez que o Paulo Nobre cisma de “tocar” o futebol as contratações são no mínimo duvidosas, para não dizer equivocadas.

Gente, calma, nem tanto ao céu, nem tanto à Terra.

O Corinthians ‘pensou grande’, foi lá e trouxe o Pato e vimos a porcaria que deu.

Sem ser muito corneta eu também acho o time muito fraco, no meio da criação e na zaga. Entre erros e acertos o PN está empatado, as finanças ele acertou acredito que faltou um planejamento melhor com o orçamento do ano, mas ele está bem melhor que muitos presidentes que tivemos no passado.

Já vi muitas entrevistas do PN. Não tenho dúvida de que é um cara bem intencionado e palmeirense de verdade. No entanto, creio que não deu sorte em algumas escolhas (ex: Bruno), sofre críticas por seus ‘laços’ com alguns grupos políticos (ex: Mustafá), erra muitas vezes (a gaveta das promessas de campanha está lotada) e acerta outras (campeão!). Tem quem acha que o saldo é positivo e, mesmo não sendo pessimista – e aproveitando uma expressão já usada pelo Vicente -, eu vejo o copo meio vazio. Acho que o momento (adversários enfraquecidos e endividados, contra um clube financeiramente estável e com uma boa estrutura) é uma rara oportunidade do Palmeiras mostrar seu protagonismo e estabelecer marcos que possam render outros frutos além de taças: crescimento da torcida e elevação do clube à potência internacional. O Palmeiras é grande, como diz o Zé, mas pode ser gigante se souber tomar hoje as atitudes que vão influenciar o seu futuro. PN não me parece ter mais tempo para grandes mudanças, mas torço para que seu substituto tenha o pulso necessário para as mudanças e profissionalização que o clube merece, o que certamente desagradará alguns, mas que colocará o time no lugar que todos esperamos vê-lo.

Se me permite, Bruno, o Tirone também acertou algumas vezes (trouxe o Barcos e na sua gestão ganhamos a Copa do Brasil), nem por isso gostaria que ele voltasse a ser sequer porteiro no Palmeiras, mas o pior é que como ex-presidente será conselheiro vitalício, a não ser que alguém com culhões acabe com isso. Acho que há uma diferença entre querer acertar e conseguir um êxito casual. PN nada teve de mérito na conquista da CB 2015, apesar de querer desesperadamente sair na foto levantando a taça. O Carlos Facchina não ganhou um título sequer durante sua gestão, mas abriu caminho para que a Parmalat fizesse a maior revolução da história do futebol brasileiro, para desespero dos “anti” que chamam aquilo de “esquema” até hoje. PN jogou fora uma Libertadores, acabou com o nosso centenário, passou mais da metade da sua gestão sem patrocínio na camisa e na grande maioria das vezes contratou muito mal, além de ter até este momento ter deixado ao clube um legado zero de inovações. No mais, concordo totalmente com o final do seu texto: podemos ser gigantes e não termos apenas lampejos do grande que já fomos, basta ter mais vontade e menos vaidade.

O senhor tem de deixar de lado essa sua paixão pelo Pescarmona, pois não passa um dia sem escrever o nome dele.

Temos condições de sermos os melhores do Brasil disparado, mas um pensamento pequeno e um time que joga um futebol abaixo da linha da pobreza. Os papéis estão invertidos. A Crefisa que é instituição financeira, quer ver bom futebol, quer ver o Palmeiras ganhar tudo, e o Palmeiras que é um clube de futebol quer ver dinheiro no colchão, pouco se importando com seus objetivos esportivos. Não se preocupa em ter jogadores de qualidade, em ter um time forte que dispute o título em todos os campeonatos jogando bom futebol, convencendo, sem contar com a sorte. Dando pro gasto tá bom, aos trancos e barrancos. Se Corinthians tem um time nota 2, nós podemos ter um time 1,99 e ganhar deles nos penaltis, mas jamais ter um time 10. É muito caro, vamos quebrar. Ainda dá tempo de, pelo menos, arrumar esse meio de campo infértil e medíocre. Trazer jogador de talento e qualidade. Tirar o escorpião do colchão. Outra coisa, se assinar com a Globo outra vez, ganhando 1 centavo a menos que qualquer outro rival, preparem os ouvidos porque a corneta virá estridente. Não vai ter perdão.

Incrível mas exato, Gustavo. A dona Crefisa, aquela que para alguns experts pode falir a qualquer momento e deixar o Palmeiras à míngua, vive de $$$ mas clama por futebol de alto nível e títulos, títulos e mais títulos. Nosso piloto de autorama, aquele que para alguns visionários é o melhor presidente de clube de toda a história do futebol, deveria viver de futebol e títulos, títulos e mais títulos, mas se liga mesmo é nas planilhas de Excel e nas apresentações de Powerpoint que mostram o quanto o clube dá lucro e fatura horrores vendendo ingressos e quinquilharias. Não é por acaso que numa torcida imensa haja quem idolatre um presidente que nada entende de futebol, critique um patrocinador que quer ajudar o clube a ser gigante e que ao mesmo tempo tenha como “xodó” e referência um jogador como Cristaldo. Como qualquer ser vivo neste planeta, a incompetência também precisa de um ambiente com condições favoráveis para crescer e se multiplicar…

Apesar de não estarmos com 100% de acerto, não vejo no Brasil outro clube com melhor gestão, a agonia em ganhar títulos é correta, mas ter um time que pode melhorar sempre ,ano a ano, é melhor, então se tivermos folga de orçamento,temis como corrigir eros e melhorar sempre, se ansiedade fizer gastar o futuro por titulo agora e der errado, ficamos anos pagando,então vamos melhorar passo a passo e se não ganharmos a libertadores esse ano , mas dispurtamos novamente no próximo ano estamos no caminho certo,Mas vamos ganhar esse já, fora os Argentinos (Boca) não vejo elenco melhor.

Realmente, nenhum clube do futebol mundial tem um elenco melhor que o nosso, afinal nossos doze magníficos volantes vão assombrar o mundo esse ano… Zagueiros e meias criativos são absolutamente desnecessários. O Barcelona pode começar a se preocupar, a libertadores tá no papo.

Zek, a gestão será minimamente boa quando passar a ser mais transparente, com objetivos bem definidos e participação (principalmente dos torcedores, sejam sócios ou não) nos resultados. Se papel (e internet) aceita tudo, um bom marketing faz pessoas acreditarem em coisas que nem sempre correspondem aos fatos, então não se iluda com tudo o que é divulgado. Paulo Nobre se preparou muito para SER presidente do Palmeiras, não necessariamente para CONDUZIR o Palmeiras ao seu devido lugar.

O problema é o quanto se melhora a cada ano. Esse ano, até agora, vejo uma melhora de 0,027% em relação ao (futebol apresentado, não elenco) ano passado. Nessa toada, quem sabe lá pra 2137 melhoramos o suficiente para conquistar outra Libertadores. Até lá, nossos rivais já terão umas quinze, cada um.

Planejamento? Ambição? Nenhum time de futebol no planeta que se submeta à mínima possibilidade de ter como titulares mesmo que em campeonato de aspirantes de jogo de botão jogadores como Leandro Almeida e Alecsandro sabe o real significado de planejamento ou imagina o que seja ambição. E o parágrafo em que o Vicente fala sobre a previsão de receitas considerando apenas a primeira fase da Libertadores para mim é o que resume a gestão do “melhor presidente de clubes de futebol de todos os tempos”: vamos lucrar o máximo possível antes que esse time de valentes volantes com futebol abaixo da linha da pobreza seja eliminado das competições que disputa. Para essa gente, o objetivo da existência do centenário Palmeiras é ter dindin no cofre, não títulos no currículo.

Muitos pontos. Acho o time bom, mas nada espetacular. Questiono demais algumas escolhas: não contratar mais um bom zagueiro e começar o ano já deixando todos os palmeirenses de cabelo em pé com Leandro Almeida de titular é indesculpável. A estreia na Libertadores está logo ali e saber q a primeira opção de reserva é o péssimo, pífio Leandro Almeida é de doer. Na fase de grupos pode-se errar muito pouco e na fase de mata-mata então 1 das costumeiras dormidas e/ou entregadas dele pode ser fatal e temos um ano jogado no lixo.
Verdade q o Edu Dracena até surpreendeu positivamente no torneio de pré, mas não dá pra passar a temporada inteira rezando pra ele e V Hugo não se lesionarem.
Tb Roger Carvalho inexplicável (esportivamente, sabemos q tem caroço nesse angu). Espero q pelo menos teste Thiago Martins e Nathan (se ficar) no Paulista.
E o erro da meia de novo é de uma falta de visão q dá um gosto amargo… A ambição esportiva tem q ser sempre o q norteia e o q falta pra este grupo realmente entrar pra ganhar as 2 competições mais importantes seria um grande meia, um cara q chegasse pra subir o Palmeiras uma prateleira. Como pareceu q poderia acontecer qdo da oferta por Lucas Lima.
Quanto a diminuição de gastos, é possível sem comprometer o retorno esportivo, visto q temos uma infinidade de jogadores cabides q estão em outros clubes e tem salários pagos pelo Palmeiras (ou parte dele). Leandro Amaro, Patrik barriga de cavalo, Mazinho, Weldinho e por aí vai. Claro, não dá pra saber se é o caso.
Espero q 1 das apostas da meia realmente vingue, mas são isto: apostas. Régis é o único realmente da posição de criatividade e CX parece q encarnou o espírito do Valdisney, incrível. Não sou religioso nem de crendice, mas tem q dar um banho de sal grosso nele, pelo amor de Deus.
No mais, de novo vemos os principais adversários regionais e mesmo os nacionais enfraquecidos, patinando, endividados, e nós com receitas e modelos muito superiores mas NÃO traduzidos ainda em uma diferença esportiva significativa. Temos q aproveitar pois são janelas de oportunidade q podem não se repetir.

Cara vc tá louco, meia criativo pra que? Temos os doze melhores volantes do futebol mundial, pra que gastar dinheiro com um camisa 10?

E o mais importante: vai que a Crefisa traga uns dois caras top pra ganhar Libertadores e depois venha a falir, juntamente com a FAM, já imaginou como vamos ficar? Nada, deixa assim como está, o importante é o dinheiro de hoje, o futuro a Deus pertence, vai que a gente ganha outro título na khda, vão propor estátua pro nosso presidente visionário…

Ter os “12 melhores volantes do futebol mundial” (rsrsrs) e não ter um armador (camisa 10), é o mesmo que ter uma Ferrari sem pneus ou com pneus 165/75 15″

Os comentários estão desativados.