Categorias
Governança Opinião

Opinião: aprendendo com os alemães

 

Por V. Criscio

O Bayern de Munique acaba de conquistou seu 27o título de Campeão da Bundesliga na temporada 2015/2016, o campeonato alemão. É o maior vencedor da Bundesliga, disputada desde 1964. Antes disso tinha outra denominação.

O Bayern de Munique – futebol – pertence ao FC Bayern München eV e seus sócios – que acumulam cerca de 70% das ações. Os outros cerca de 30% pertencem a Adidas que pagou 75 milhões de euros (R$ 250 milhões, aproximadamente) por 10% em 2001; a marca de automóveis Audi que desembolsou em 2009 o valor de 90 milhões de euros (cerca de R$ 300 milhões) por 9,09%; e mais recentemente à Allianz que adquiriu uma participação de 8,33% no time alemão por 110 milhões de euros (mais de R$ 360 milhões).

Ou seja, nos últimos 15 anos foram 275 milhões de euros (mais de R$ 1 bilhão) de capitalização por 25% do futebol.

Esse gigante do futebol europeu e mundial tem uma diretoria executiva e um conselho de administração com representantes de mercado. Os dirigentes são indicados pelos representantes do clube, eleitos por 180 mil sócios. Sim, o Bayern tem uma diretoria executiva, que recebe salário para estar lá todos os dias. Gente do ramo, que transcende os aspectos políticos. Têm mandato, poder de decisão. Os políticos tem papel menor nessa estrutura.

E mesmo com toda essa estrutura, o Bayern não escapou de um escândalo em 2013 por conta de fraudes fiscais de seu ex-Presidente que foi preso. A gestão executiva nem sentiu. A estrutura e governança eram maiores que o problema.

O Allianz Arena, seu estádio, foi construído em 2005. Tem capacidade para 71 mil lugares. Todo ano logo que sai o calendário, 39 mil ingressos são vendidos em poucas horas. São os “season tickets”. Não há sócio torcedor. Isso não é necessário. Os sócios compram esses 39 mil ingressos para toda a temporada. O ingresso mais barato custa 7,50 euros – dados de 2013 – para permitir que inclusive desempregados possam assistir aos jogos do seu time. Ou seja, o chamado “ingresso popular” coisa que a gente não vê faz tempo no outro Allianz, o Parque.

Ah, o Bayern tem mais de 90% em média de ocupação do seu estádio. Time bom, gestão eficiente, ocupação garantida. Inclusive isso gera receita na loja do clube, dentro do estádio. Estima-se que se vende 250 mil euros por dia de jogo na loja dentro do estádio.

Qual o ponto?

Vários:

– Ingresso popular lá na rica Alemanha para o igualmente rico Bayern. Prá dar acesso ao estádio a torcedores desempregados ou com baixo poder aquisitivo;

– Separação da gestão do futebol em relação ao clube;

– Gestão profissional, de gente que é do ramo, e não curiosos que pensam que sabem;

– Principais parceiros de negócio capitalizam o clube e passam a ser sócios; participam da mesa de decisões com um conselho pequeno; todos eles têm o mesmo interesse: o Bayern forte;

– Governança, transparência, eficiência.

E o principal: sócios que participam da vida política votando e que são sócios do futebol.

O Bayern tem 180 mil sócios. Não são sócios-torcedores. São sócios do FC Bayern. O estádio abre a temporada com 39 mil lugares já vendidos para todas as partidas do ano (cerca de 40). Os outros 32 mil lugares são comercializados de outras formas.

Há muito que se aprender com os alemães.

Saudações Alviverdes!

***

Links sobre o assunto:

Bayern de Munique: a junção do sucesso econômico e esportivo

Allianz adquire ações do Bayern

Bayern Munich’s dominance in Germany

 

25 respostas em “Opinião: aprendendo com os alemães”

Esse modelo de gestão do Bayern é muito interessante. Tem um time na América do Sul que também tem a Adidas e a Allianz como parceiros, poderia ser a maior potência por aqui.

Faltou citar um detalhe importante na maneira de administrar futebol do Bayern de Munique. Quando vai ao mercado para contratar, os seus dirigentes não trazem dois jogadores do Levante (rebaixado no Espanhol), mais três do Aston Villa (lanterna do Inglês), outro do Eintracht Frankfurt (que se salvou da degola nos playoffs) e mais o craque do campeão esloveno (que neste ano por acaso foi um time chamado Olimpija). Não, eles contratam um ou dois jogadores, quase sempre os maiores destaques de alguns dos times que mais lhe deram trabalho na temporada anterior. Para o próximo ano, contarão com o ótimo zagueiro Hummels, vindo do grande rival nacional Borussia Dortmund, assim como haviam já tirado o goleiro Neuer do Schalke 04 e os atacantes Lewandowski e Mario Götze do mesmo Borussia. Isso se chama “reforçar o time com qualidade”, não encher a folha de pagamento com supérfluos.

Precisamos ver a reação da nossa torcida quando, mesmo com toda a profissionalização do Bayern, ficarmos 2 anos sem ganhar a Libertadores, assim como eles estão sem ganhar a Champions. Lembrando que antes de 2013, eles haviam conquistado pela última vez em 2001.

Só que lá eles participam da Champions todo ano, competem com Barcelona, Real Madrid, Atlético de Madrid, Juventus, Manchester, Chelsea e chegam quase sempre às semifinais, enquanto que nós enfrentamos Rosario Central, Nacional do Uruguai, Tijuana, Santo André, Tacuary e outras potências do mesmo nível, lembrando que nosso último (e único) título foi em 1999. Isso falando em termos continentais, porque no contexto nacional o Bayern venceu 13 dos últimos 22 campeonatos alemães e chegou em segundo outras cinco vezes, período no qual o Palmeiras conseguiu um vice-campeonato em 1997 e só.

Sacanagem Vicente. Comparação covarde. Tinha que comparar com um Bournemouth da terra da rainha e já tava bom. O dia que um clube do Brasil for igual a este que citei, já dominaremos a Taça Libertadores. Muchen é dose cavalar, para o nosso falido futebol. Mas, obrigado pelo excelente esclarecimento. Baba torcida brasileira.

Qto ao jogo de quarta se eu sou o treinador trocaria tchê tchê, Matheus Sales, Egídio e Alecsandro por Arouca, Moisés, Fabrício e Dudu. Meu time ficaria assim: Prass, Jean, Thiago Martins, Victor Hugo e Fabrício, Arouca, Moisés e CX, Dudu, Roger Guedes e Gabriel Jesus. Sem a bola os dois pontas tem q voltar sempre pra ajudar na marcação e não sobrecarregar o meio campo. Com Arouca, Moisés e CX a meiuca fica teoricamente mais técnico e mais experiente e com Fabrício na lateral temos mais força e mais velocidade na recomposição do q com Egídio além do q o Egídio não tem praticamente nenhum senso de marcação, é ridículo nesse quesito. Acredito q o time fica mais forte, mas só dentro de campo pra saber, no papel tudo é lindo. Palpite: SEP 3 x 1 frufru. E Avanti Palestra!!

Eu, com os jogadores que temos, montaria o time com 2 atacantes: Prass; Fabiano, V. Hugo, T. Martins e Fabrício; T. Santos, C. Xavier, T. Tchê e Z. Roberto; Dudu e G. Jesus.

É uma boa alternativa tbm. Ficaria bem mais forte defensivamente com Fabiano na direita, Fabrício na esquerda e Thiago Santos na cabeça de área. Acho q sofreriamos menos com o ataque adversário mas dependeriamos mais ainda da inspiração de Dudu cx e Jesus, na minha opinião só esses 3 conseguiriam fazer algo de bom ofensivamente, mas é uma boa formação mesmo.

No dia em q algum time grande do Brasil conseguir fazer algo parecido com o q o Bayern faz, esse time vai dominar o futebol brasileiro por vaaaaarios anos, mas isso ta muuuuuito longe de acontecer. Vide o Flamengo com a maior torcida, a maior cota de TV, o maior patrocínio e vive na draga.

Maior torcida? Ajuda no que?Só se for no data folha, aquela pesquisa fajuta planejada pela rgt, tem que transformar quantidade em qualidade $$$$$$$$$$$$!

O pior é que o Palmeiras poderia perfeitamente ser hoje o Bayern brasileiro se tivesse aproveitado o período da Parmalat para se reestruturar como clube. Eles mostraram como fazer, só que tínhamos Mustafá e agora temos seus seguidores, daí sermos atualmente o Liverpool do Brasil, time que vez ou outra chega em final de copa, ganha nos pênaltis, tem muito prestígio e fama porque já ganhou tudo mas vive mesmo é do passado.

O brasileirão começou agora, já passou a segunda rodada, falta 36 rodadas para chegar o título??? Com esse time??? A pergunta que fica é: Será que o Palmeiras vai dá uma de Hobby Wood que é tirar pontos dos grandes para dá para os pequenos??? E será que a historia vai se repetir como no ano passado??? Eis a questão???

Não precisamos transplantar totalmente o modelo Bayern, mas algumas experiências deles e de alguns outros grandes clubes europeus poderiam sim ser implementadas no Palmeiras. Precisa de eficiência e coragem. Há coragem na direção do Palmeiras?

Dando, ainda, uma apimentadinha na derrota de sábado, no 1° gol não dava pro Prass chegar naquela bola? No 2° gol não dava para interceptar a bola cruzada no meio da área?

Exemplos para serem seguidos é o que não falta, o que falta é gente dentro do palmeiras que queira mudar o “modus operandi” do clube. Na boa, por mais midiático que o Paulo Nobre seja, a sua visão de gestão é arcaica, basta ver quem o apoia para saber que desse mato não vai sair nenhum coelho.

Estou mais tranqüilo. Pelo que vi em alguns comentários, ainda no post anterior, ganhar do Florminense vai ser barbada. O que aconteceu contra a AAPP deve ter sido só um acidente de percurso, nada que cause grandes preocupações ao virtual campeão brasileiro.

Enquanto isso, lá no Bayern de Munique a estrutura futebolística funciona pra valer. A diretoria executiva do time alemão sabe lidar e respeitar os principais parceiros do clube. Isso que é o verdadeiro clube de futebol que não precisa de politiqueiros que só quer se aproveitar… Enquanto no Palmeiras, ahhh no Palmeiras continua na mesma, não existe mudanças reais, até a tal da Reforma Estatutária com toda a certeza, o sócio torcedor não poderão votar e a torcida prefere um mecenas, um agiota na presidência que só se importa que o clube feche as contas no azul no final do ano que quando terminar o mandato do atual presidente piloto, o Palmeiras terá que pagar a dívida com o Nobre. Acorda Torcida, acorda sócios do clube, estão pensando pequeno igualmente os atuais dirigentes.

E nos palmeirenses preferimos um mecenas para aos poucos ir comprando o Palmeiras sem responsabilidade financeira e principalmente sem responsabilidade de resultados dentro e fora de campo.
ACORDA TORCIDA DO PALMEIRAS, ACORDA SOCIOS DO CLUBE !!!!!

Os comentários estão desativados.