Opinião: na casa de quem mesmo?

 

 

Vamos tentar ser curto e grosso. Essa matéria onde o Presidente do Santos FC no Globoesporte.com afirma que pode jogar no “estádio da WTorre” é uma bobagem. Se quiser ler clique nesse link.

Primeiro porque é óbvio que quando chama “estádio da WTorre” o faz de forma pejorativa. Típico de dirigente do século passado. Se acha engraçadinho. Deveria se preocupar em pagar salário pro Lucas Lima (não leu? clique aqui e leia).

O Estádio hoje denominado Allianz Parque é da SE Palmeiras. É desde 1920. O estádio pós reforma e rebatizado de Allianz Parque continua a pertencer à Sociedade Esportiva Palmeiras. E continuará eternamente porque o Estatuto proíbe a venda do Estádio. A WTorre tem um contrato (em sociedade com o Palmeiras) que explora as receitas da superfície por um período de 30 anos. Só isso e tudo isso.

Segundo: não tem que jogar nada no Allianz. Só mesmo um descabeçado que não conhece a região sugeriria isso. Por quê? Primeiro porque não faz sentido colocar torcedores adversários para se encontrarem com palmeirenses. Nas cercanias do clube e mesmo dentro do Shopping Bourbon é comum as camisas palmeirenses serem desfiladas, seja em dia de jogos, seja em uma terça-feira às 10 da manhã. Mais: no entorno da outrora Rua Turiassu, temos sedes da TUP, Porks, Mancha, Savoia. Imagine um jogo no Allianz com a torcida do Santos chegando e encontrando desavisados palmeirenses no Bourbon ou passando em frente a essas sedes ou saindo do clube.

“Ah mas as organizadas….”. Ah nada! É obrigação de todos preservar pela segurança. O melhor método anticoncepcional é “não transar”. Da mesma forma, o melhor método para evitar conflito entre torcidas é evitar que se encontrem. E se forem jogar lá, a possibilidade de confronto é enorme e pode sobrar prá organizados e não organizados.

A gente até entende a situação do Presidente do Santos. Com enormes dificuldades financeiras, salários atrasados, o público médio nesse campeonato Brasileiro naquele “estádio” ultrapassado é de 9.037 pagantes em 7 partidas. A soma da renda em sete jogos neste Brasileiro na Vila Belmiro atinge a incrível marca de R$ 1.938.440 (renda média de R$ 277 mil por partida ). Pro leitor ter uma ideia, em UMA PARTIDA contra a Ponte Preta, num dos menores públicos nesse Brasileiro, o Palmeiras fez R$ 1.867 mil de renda. É quase o mesmo valor da soma das 7 partidas do time da baixada santista.

Ou seja, esperamos que a a ideia seja arquivada tão rapidamente quanto foi veiculada. E que a WT – que tem um contrato de exploração de receitas, que isso fique bem claro na cabeça de todos – tenha o bom senso de não cair nessa, principalmente depois da piadinha sem graça do Presidente do clube que não paga salários ao Lucas Lima.  Se o Santos não tem estádio e precisa de um, o Pacaembu tá lá disponível. Boa sorte!

ole-santos-torcida-palmeiras-allianzMas o melhor mesmo foi a chamada do site de humor esportivo Ole do Brasil (a imagem está ao lado).

Segue o jogo! Saudações Alviverdes!

V. Criscio