Categorias
Brasileiro 2016 Pós Jogo

Pós Jogo Palmeiras 1×1 Flamengo: empate amargo

 

Palmeiras e Flamengo empataram em 1×1 no Allianz Parque nesta noite de 4a feira.

Jogo tenso, torcida nervosa. Flamengo abriu o placar com Alan Patrick. Jesus empatou.

O empate não era um resultado ruim. Nas circunstâncias acabou sendo péssimo. O Palmeiras tinha tudo para sair com uma vitória, principalmente após a expulsão de Marcio Araújo no final do 1o tempo.

Com 1 a mais, e jogando em cima, no 2o o Palmeiras parecia que ia fazer o gol a qualquer momento.

Aí Cuca mexeu no time. Colocou Barrios no lugar de Gabriel e Cleiton Xavier no lugar de Roger Guedes.

O Flamengo fez 0x1 numa bobeada de marcação enorme. Poderia ter tomado outro, em nova bobeada onde Damião errou o último passe. Aí o time se acalmou. Cuca colocou ainda Rafael Marques. Gabriel Jesus fez o gol numa jogada individual. Poderia ter virado com Moisés. Abusou do chuveirinho. E terminou a partida com 1×1.

O Flamengo comemorou. O Palmeiras saiu lamentando. E Gabriel Jesus tomou um amarelo inacreditável, e não joga contra o Corinthians.

Agora é torcer por uma vitória sábado no Itaquerão. Sem Jesus e Vitor Hugo.

Saudações Alviverdes!

 

142 respostas em “Pós Jogo Palmeiras 1×1 Flamengo: empate amargo”

Espero que esse retiro em Atibaia faça bem aos jogadores. Que eles consigam se acertar e depois entrar com tudo no clássico. Temos muitas chances de vencer mesmo sendo no Italixao….eles não tem um time tão fraco desde 2007 qdo caíram pra segundona. So q tem q ta ligado o tempo todo. É inadmissível tomar gol igual tomou contra o Flamengo, falta de atenção total nessa fase do campeonato não dá pra tolerar, tem que estar focado 100% o jogo todo.

Para mim, a era Cuca no Palmeiras se rezume em tres estágios. O 1° estágio foi o de adaptação e continuidade do futebol medíocre de dos anos anteriores, onde o Palmeiras só levou piaba, que começou em 17/03, contra o Nacional em Montevidéu e terminou em 24/04 contra o Santos na Vila. O 2° estágio, vai de 14/05, estreia contra o Atlético-PR no Brasileirão, onde o Palmeiras começou a querer esboçar uma cara de time, com o time tendo saída e posse de bola, tentando jogar futebol. Essa melhor fase do Palmeiras, respobsável por ainda estarmos na liderança, e que durou até o 1° tempo do jogo do dia 17/07, contra o Inter, no Beira-Rio. A partir daí, vem o 3° e atual estágio, o do feijão-com-arroz, do bumba-meu-boi, do 2014/3. Ausência quase que completa de um rasoável futebol, falta total de criatividade, ineficiência dos atacantes (com exceção de Jesus), retorno dos bicões e ligação direta com o ataque. Já passou dá hora de saimos desse estágio.

Perfeito seu resumo, Gustavo. E dá bem o tom do quanto o treinador, independentemente de quem seja, sempre esbarrará no quesito “qualidade” do fator “elenco”. Resta agora saber se quando sairmos desse estágio atual passaremos para outro pior, equivalente ao da reta final do ano passado quando acho que entre as 10 ou 15 últimas partidas da temporada só praticamos o esporte chamado de “futebol” em uma delas (e pra nossa sorte foi justamente naquela em que mais interessava, numa hora em que era tudo ou nada) ou se vamos jogar um pouquinho de bola pra pelo menos lutar pelo título até o final.

Para mim, a era Cuca no Palmeiras se rezume em tres estágios. O 1° estágio foi o de adaptação e continuidade do futebol medíocre de dos anos anteriores, onde o Palmeiras só levou piaba, que começou em 17/03, contra o Nacional em Montevidéu e terminou em 24/04 contra o Santos na Vila. O 2° estágio, vai de 14/05, estreia contra o Atlético-PR no Brasileirão, onde o Palmeiras começou a querer esboçar uma cara de time, com o time tendo saída e posse de bola, tentando jogar futebol. Essa melhor fase do Palmeiras, respobsável por ainda estarmos na liderança, e que durou até o 1° tempo do jogo do dia 17/07, contra o Inter, no Beira-Rio. A partir daí, vem o 3° e atual estágio, o do feijão-com-arroz, do bumba-meu-boi, do 2014/3. Ausência quase que completa de um rasoável futebol, falta total de criatividade, ineficiência dos atacantes (com exceção de Jesus), retorno dos bicões e ligação direta com o ataque.

Cara… cobrança interna tem que haver mesmo… Dudu e Guedes se estranham desde que o Guedes chegou e já “sentou na janelinha”.. titular de cara… Dudu não tocava bola pra ele no início nem a pau.. depois o próprio Dudu foi pro banco com Guedes de titular… Dudu agora é capitão, é um dos poucos que tem mostrado algo positivo continuamente e está com moral pra cobrar mesmo… Guedes deu uma oscilada pra baixo, normal pra um moleque de 19 anos, o problema é que não está conseguindo virar a página, visivelmente está faltando confiança… e jogador de futebol, seja craque, médio ou cabeça de bagre depende demais de confiança… o importante de destacar também é que mesmo não jogando o melhor futebol, estamos há 8 jogos sem perder, ou seja, time parece mais cascudo que no primeiro turno quando tomou alguns gols no início e não conseguiu voltar pro jogo… tenho certeza que vamos jogar mais bola já nesse próximo jogo contra o sccp… e quanto ao Cuca, errou feio na saída do Tche Tche, mas ele não peca por omissão, que pra mim seria bem pior (em situações como essa era possível que o OO provavelmente esperasse até os 30 do segundo tempo pra fazer a primeira mexida).. está tentando utilizar as armas que tem… Allione tinha ido mal contra os bambis, precisava colocar um meia e entendeu por bem colocar o CX… esse bicho tem que tomar uma geral pra ver se acorda pra vida, qualidade ele tem… torcer pra reagir já nesse sábado.

Concordo com tudo Diogo, principalmente na parte do CX q sempre contou com a paciência da torcida . Já faz 1 ano e meio q ele voltou, teve uma lesão atrás da outra, o presidente o trata como filho e agora q está em condições de demonstrar algo o cara simplesmente dorme em campo, não demonstra nada de raça, de iniciativa. Decepcionante essa postura dele. Eu sempre achei q ele não correspondia por nunca estar apto fisicamente, mas hj está claro q se trata de um desinteressado mesmo. Qto ao Cuca, fico irritado qdo ele erra na escalação ou nas substituições, mas qdo lembro q nos últimos tempos tivemos Gilson Kleina, O.O e M.O entre outros, torço pra que ele renove por uns 5 anos com o Verdão. Se perdermos o Cuca , vamos fazer o que? Esperar o Cristóvão cair nos gambás pra contrata-lo? Ou esperar o Celso Roth derrubar o Inter pra série B e trazê – lo de volta? Pra mim dessa geração atual q é fraquíssima, o Cuca é um dos melhores, até o Roger Machado q tem um discurso bonito não me engana mais. Melhor deixar o Cuca quietinho no lugar dele mesmo né.

Olhem só como serão acirrados os jogos daqui pra frente, ontem maior parte dos resultados de 1×0, mesmo quando times da parte de cima da tabela enfrentavam outros da parte de baixo (Ex.: Galo x Sport), esse negócio de “nossa sequência mais difícil é agora” é balela, é hora de colocar a faca nos dentes, com inteligência, pois todas as rodadas serão verdadeiras batalhas, espero que o elenco, comissão técnica e diretoria estejam bem cientes disso…

Exatamente, Marcelo. Exceção feita à época da Parmalat, quando os caras se batiam no vestiário mas quem apanhava eram os adversários em campo, gostaria que alguém me lembrasse quando um time mediano e com jogadores apenas esforçados (tirando um ou outro acima da média) foi campeão com brigas no elenco.

Ainda estamos dentro da situação que só depende da gente. Precisamos fazer única e exclusivamente a nossa parte. Espero que o treinador e os jogadores sejam conscientes disso. São treze jogos , trinta e nove pontos em disputa , que algum iluminado abraça o desejo de ser campeão com unhas e dentes e irradie a todos os jogadores esse sentimento. Agora é a vez da alma e do coração e da vontade e do desejo de ser campeão.

A verdade que essa fila de 22 anos atrás da taça do campeonato brasileiro está pesando. O Palmeiras não está sabendo ser líder , não está sabendo administrar a liderança. E assim , nós torcedores ficamos mais ainda ansiosos do que já somos.

Pesam também a falta de competência do sr. presidente em lidar com a administração do futebol (é o tipo de chefe que só cobra resultado sem dar as melhores condições para seus subordinados conseguirem atingir as metas) e o perfil emocionalmente instável do treinador (ousadia nem sempre é a solução). Quando dentro de campo se tem qualidade acima da média, esses problemas muitas vezes se diluem, mas aqui não é o caso.

E deixamos mais um chegar, o Galo está a apenas três pontos de distância. Sorte que domingo enfrentará o Cruzeiro – não que este seja uma maravilha, mas o Marcelo Oliveira não consegue ganhar o clássico mineiro nem por decreto.

Jogadores se estranhando e discutindo em vestiário, que eu me lembre, só nos levaram para a segunda divisão. Exceto, logicamente, na época em que tínhamos Evair, Edmundo, Antonio Carlos, Zinho, Mazinho, Roberto Carlos… Quando a qualidade faz a diferença dentro de campo, pouca gente se importa com o que acontece fora dele.

Ainda não perdemos nada. Dá ´ pra consertar sim, Basta errar menos como na absurda decisão de deixar o time sem volante nenhum todo o segundo tempo, Cuca foi tão afobado quanto
o time. Agora, dizer que o Flamengo tem mais elenco que nós é pra rir. Não bastasse isso, o time
dos caras também estava nervoso, tanto que perdeu um jogador expulso no primeiro tempo.

Empate com cheirinho de derrota !! Por isso mesmo, Dudu saiu com raiva de ver a raça que tem o Morto Xavier , o Lucas Barro Mole e a insistência de um técnico que continua persistindo no erro !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Os comentários estão desativados.