Categorias
Notícias

Sob nova direção

 

Mauricio Galiotte está há pouco mais de um mês no cargo de Presidente do Palmeiras. Nesse período já teve que administrar situações inesperadas. A principal delas foi o rompimento com o ex-Presidente Paulo Nobre. O motivo foi a candidatura de Leila Pereira, Presidente da Crefisa, para o cargo de conselheira. Mas não é só isso.

Leia mais sobre Nobre x Leila clicando aqui.

Leia mais na Folha Online sobre o rompimento de Nobre com Mauricio clicando aqui.

Algumas das primeiras decisões de Mauricio Galiotte como Presidente da SEP demonstram que o Palmeiras está sob nova direção, pro bem e pro mal. Algumas delas:

1. Substituição da assessoria de imprensa, acusada pelos críticos de trabalhar mais para a imagem do ex-Presidente do que para a instituição da SEP;

2. Aproximação com a torcida Organizada, foco de conflito com o ex-Presidente;

3. Reabertura de venda de ingressos de visitante em São Paulo, beneficiando torcedores que viajam para acompanhar o time, principalmente os torcedores ligados às Organizadas;

4. Reformulação do departamento médico e fisioterapia;

5. Uso da Crefisa como parceiro estratégico para contratações e aliança com Leila Pereira.

***

Mitos e verdades

Aqueles que ainda torcem para o ex-Presidente estão publicando nas redes sociais que Mauricio está “desmontando o legado de Paulo Nobre”. Nada mais absurdo! Abaixo três exemplos:

1. Perda da profissionalização: nos últimos quatro anos não se avançou um centímetro na verdadeira profissionalização. O Palmeiras continua tão profissional quanto na era de Tirone. E quem era próximo da gestão anterior afirma que nos últimos quatro anos os profissionais executavam as decisões do ex-Presidente. E nada mais. Ou seja, o Palmeiras continua com a mesma estrutura de profissionais, apenas menos centralizador na figura do Presidente.

2. Avanços no estatuto: a última gestão tinha como promessa – lá em 2013, quando assumiu o Palmeiras – entregar um novo Estatuto no biênio 2013-2014. Não entregou. A comissão da reforma estatutária tinha quase a totalidade de conselheiros aliados à gestão do período 2011-2014. E nem assim chegou a um projeto moderno que transformaria o Palmeiras num time de futebol alinhado ao século XXI. Em 2016 aconteceram algumas reuniões setoriais com conselheiros para debater a proposta de reforma do estatuto, mas não conseguiram cumprir os prazos e a proposta cheia de emendas não foi levada ao Conselho para debate.

3. Aliança com Mustafá Contursi. Galiotte está sendo acusado de se aproximar de Mustafá, para muitos o grande culpado de todas as mazelas da SEP. O ex-Presidente foi eleito em 2013 e reeleito no final de 2014 com o apoio de Mustafá Contursi. Teve Mustafá como aliado no COF, que era considerado como um “player” no xadrez político da SEP. Hoje os que chamavam Mustafá de player, o chamam de inimigo e condenam o novo Presidente. Coisas da política.

O atual Presidente está há 36 dias no cargo. Tomou decisões que podem ser questionadas – como o caso da demissão do Dr.  Rubens Sampaio, bastante controversa – e nos próximos dois anos irá acertar e errar. Mas é inegável que entrou pegando alguns pepinos muito mais políticos do que técnicos. Da mesma forma é inegável que a gestão anterior teve muitos acertos e também erros. E é absolutamente justo que queiram ser oposição. Mas as críticas devem ser plausíveis e a oposição, sempre importante em qualquer processo político, tem que ser responsável e não predatória ou oportunista. Nem pode ter amnésia do passado recente.

Que essa interminável política da SEP não atrapalhe os planos e o desempenho do time dentro de campo, onde teremos condições de ganhar todas as competições que vamos participar.

Saudações Alviverdes.

15 respostas em “Sob nova direção”

Bom, esse ano as coisas mudaram. Palmeiras fez contratações praticamente apenas de titulares ou jogadores para brigar por titularidade (exceção feia a Hyoran). Muito boas. Faltaria (ou não?) um 9, mas não acho extremamente necessário. Não temos nada do que falar desse time, e brigamos como favoritos em tudo. Seja como for no final do ano, com títulos ou não, parece ser mais um ano positivo pro Palmeiras.

Também não sabemos…. talvez o IP caia numa “malha fina” do wordpress. Mas não é por nossa causa.

Por questões pessoais fiquei muito tempo sem postar, e nem pretendia voltar a postar nada, apenas continuar lendo as matérias e comentários. Mas um boato que chegou a meus ouvidos me obrigou a vir aqui hoje e escrever: o departamento médico foi todo demitido não por incompetência, e sim por corrupção. Explico. Os médicos do clube recebiam “propina” de alguns jogadores (C.Xavier entre eles), em troca de falsos exames e diagnósticos de lesão para que ficassem sem jogar. Não posso afirmar que seja verdade, ouvi isso de um amigo que ouviu de outro amigo que é próximo de um membro da comissão técnica. Se alguém puder apurar se isso é verdade mesmo, explicaria muita coisa nesse triângulo das bermudas que sempre foi nosso DM nos últimos anos.

Que bom ter a oportunidade de escrever novamente no 3VV, isto aqui andava pior que velório ultimamente. Sobre as decisões do novo presidente, questiono apenas os itens 2 (considerando que deva existir uma aproximação “com moderação” com as organizadas, nada além disso) e 4 (apesar de ter sido durante muito tempo um “Triângulo das Bermudas”, será que todo o Departamento Médico do clube era assim tão incompetente?), concordando totalmente com o item 1 (tínhamos uma Assessoria de Imprensa do Paulo Nobre, que eventualmente tratava de Palmeiras). Sobre os “Mitos e Verdades”, muita gente parece se esquecer que o piloto de rally só foi eleito e reeleito graças à bênção do seu “papai” Jabba, então não existe essa de “aliança” com quem na verdade jamais deixou de mandar no clube. E posso estar redondamente enganado, mas a cada dia que passa fica maior a convicção de que tudo o que o ex-mandatário levantador de taças quer é semear a discórdia para poder se candidatar novamente daqui a dois (e não quatro, como seria de se esperar) anos e voltar “nos braços da galera” como o grande salvador do Palmeiras. Não existem samaritanos nessa história: todo mundo só quer saber do seu, o clube que fique em segundo plano.

1 – como assim não se avançou um centímetro na profissionalização???
Ps: Estou longe de ser Nobrete.

Até a página 1 está tudo perfeito, mas alguns fatos são muito temerosos: fazer maracutaia em relação ao ‘titulo’ de Leila Pereira por dinheiro! Não punir tirone e ainda pensar em lança- lo presidente do conselho deliberativo ( ou qualquer cargo de mínima importância). Agora trocar o departamento médico e parar com a luta contra a própria torcida organizada parecem bons acertos, resta nos ver como será escrita a página 2…

Muito bem colocado. O tempo nos dirá. E que traga boas informações e resultados.

Deixar de brigar com as torcidas organizadas tudo bem, o que não pode é o clube voltar a se envolver com as elas demasiadamente, o que poderá trazer sérios problemas. As organizadas são brilhantes – e fundamentais – quando fazem apenas o seu papel primordial (incentivar o time em campo, o que acaba “contaminando” o restante da torcida), mas, infelizmente, não são confiáveis fora da Arena. O Galiotte tem que ter cuidado com essa suposta reaproximação.

Concordo, eles que se entendem dentro da SEP, e seja lá o que decidirem, que fique entre eles. A nós sócios, torcedores e sócios torcedores interessa um Palmeiras em condições de levantar mais troféus.

Os comentários estão desativados.