Categorias
Paulistão 2017 Resenha dos Jogos

Pós Jogo Palmeiras 1×0 Botafogo: vitória sem brilho

 

O Palmeiras jogou contra o Botafogo RP no Allianz Parque e venceu: 1×0, gol de Tchê Tchê no primeiro minuto da etapa final.

Eduardo Baptista veio com o 4-1-4-1 com Prass, Jean, Dracena, V. Hugo e Zé; Felipe Melo; Dudu, R. Veiga, Tchê Tchê, R. Guedes; William.

O 1o tempo foi sonolento. O Palmeiras tinha posse de bola, mas não conseguia sair da marcação do Botafogo. Dudu e R. Guedes trocavam de lado, tentavam as jogadas individuais, mas sem sucesso. E no contra-ataque o time de Ribeirão Preto levava perigo. Prass fez três defesas somente na primeira etapa.

No intervalo Eduardo Baptista trocou R. Veiga por Michel Bastos e William por Alecsandro. E o gol saiu no primeiro minuto, em passe de Dudu, Tchê Tchê puxou na perna esquerda e bateu rasteiro no canto esquerdo do goleiro Neneca. 1×0.

Mas as alterações de EB não surtiram efeito. O jogo na segunda etapa ficou mais feio. O Botafogo precisando sair pro jogo começou a levar algum perigo. Thiago Santos entrou no lugar de Tchê Tchê por contusão. No final duas boas chances do Palmeiras no contra-ataque – uma com Michel Bastos e outra com R. Guedes.

Mas ficou por isso mesmo.

Início de temporada, primeira partida oficial do ano, e ainda faltam Moisés, Mina e Guerra. Baptista ainda está tentando encontrar o atacante ideal. O Paulistão é uma grande pré temporada e ainda é cedo para avaliações. Vamos aguardar as próximas partidas.

Saudações Alviverdes!

 

36 respostas em “Pós Jogo Palmeiras 1×0 Botafogo: vitória sem brilho”

Uma pergunta a todos os comentaristas. Confirmando o Borja, existem mais alguma coisa que voces fariam diferente do que esta sendo feito? Em teoria, teriamos algo do que “reclamar”?. (Eu nao traria o Borja. Nao lembro de uma revelaçao de libertadores que tenha vingado, mas ok…)

Com a vinda do Borja sanamos o principal problema que é a ausência de atacantes. Pra ficar 100% mesmo, só falta um lateral pro lugar da Av. Jean.

Eu concordo com o Eduardo. Estamos reclamando que o time do EB não é ofensivo, dinamico e bla bla bla, mas o time do final do ano passado era raça e resultado. Funcionou… mas não é um abismo do time desse ano não. E olha… no papel, nós qualificamos e MUITO o elenco…

Sim, o elenco foi qualificado… mas falta comando, falta vibração, falta um estilo de jogo agressivo… Foram 3 jogos nos quais deu para ver que a diferença em relação ao ano passado está no banco.
Se o Palmeiras quiser ter chances na Libertadores, precisa se livrar deste técnico (??) até o final de Fevereiro.

E se bobear, se o Cuca se viesse de centroavante faria mais gols que os “artilheiros” que temos no elenco.

Hoje pela manhã teve jogo treino contra o Santo André: ganha uma camisa do Verdão quem adivinhar quem não participou por estar fazendo condicionamento físico?
CX já foi, falta um ainda. É inacreditável. Que péssima contratação.
Quanto ao Fernando Diniz, é sem dúvida um bom treinador, para time pequeno: é desequilibrado, grita, xinga jogadores; com esse temperamento em time grande não se cria. Talvez no Santa Paula!

Dracena mais um otimo jg….. tirou todas …….Em relação ao futebol apresentado, gostei do primeiro tempo até uns 30 min pela intensidade do jogo e movimentação, depois o time não ficou mais com a tanta posse de bola e isso fez o adversário crescer….. No 2 tempo , não entendi as trocas, time ficou totalmente desorganizado. No final ainda piorou quando entrou o thiago santos e passamos a correr atras do botafogo. O time morreu depois dos 30 min…… Ainda falta um meia de organização e criatividade que faça o time jogar. Espero que o Guerra seja este cara. Caso contrario não veremos um futebol mais bonito. Ganharemos os jogos pelo forte sistema defensivo que temos.

Mauricio deveria ter contratado o Fernando Diniz, melhor técnico no Brasil, atualmente. Deu um nó no Mico.

Ontem ficou demonstrado que precisamos do Borja. Vamos diretoria, tragam o cara.
E o PepeCeni??? Começou bem hein!!!!

Já que o Barrios fez gol no jogo anterior (apesar de ter perdido outros 2), o Eduardo Batista deveria lhe dar uma sequência de jogos para ver se ele consegue se firmar como nosso centroavante. Ficar fazendo rodízio entre ele, o William e o Alecsandro não vai dar resultado.

Embora seja sedo para cornetar, acho que ficou claro que Willian não tem condições de ser o nosso atacante, já o Alecsandro ou ele está com algum problema (ou pessoal ou físico), ou então ele não está de má vontade pois a displicência dele ficou evidente. Querendo ou não, hoje o Barrios é o melhor que temos no elenco, então tá na hora de parar de invenções e treinar o time com ele no ataque.

Infelizmente, o problema do Alecsandro é ele mesmo, ou seja, é um jogador com recursos limitados que se destaca somente por ser voluntarioso. Quando nem isso consegue apresentar, o time dele (que para nosso azar atualmente é o Palmeiras) joga com dez.

Tudo bem que foi o primeiro jogo oficial do ano e tal, mas o Alecsandro parece um ex-jogador em atividade, lento e sem tempo de bola.

E também não sei se pela falta de entrosamento e treino ou por outra coisa, o esquema de hoje deixou a defesa bem desprotegida. Os jogadores do foguinho chegavam na nossa área com tremenda facilidade.

Outra coisa que irritou bastante foi a pancadaria. O time deles bateu até não poder mais e o árbitro custava a mostrar cartões.

No mais, Moisés faz muita falta, e espero que o Guerra jogue mais partidas que o Barrios. Aliás, o Barrios ou treina muito mal ou tem algum problema crônico que não querem revelar, porque ser preterido pelo Alecsandro é o fim.

O novo esquema precisará de algum tempo e de muito treino para funcionar efetivamente. Sorte que temos um grupo acessível na Libertadores e que o Brasileirão só começará em maio. Só que isso não garante que até lá o time estará devidamente engrenado.

É só o começou. O Botafogo parou todas as tentativas de jogadas do Palmeiras na botinada. O que interessa são os 3 pontos. O time Campeão Brasileiro de 2016 também não foi brilhante, mas soube fazer os resultados e levou o título com os pés nas costas, fazendo 9 pontos a mais que o vice-campeão. A grande droga no Palmeiras está para acontecer. Vai ser essa morfética eleição. Esse vício de m..rda de fazer eleições que o Palmeiras faz de 2 em 2 anos. Uma verdadeira latrina. Melhor não fazer polêmica. Através da política i
nterna o Palmeiras cuidará da sua própria destruição. Os adversários sabem disso e os `Palmeirenses também sabem.

As substituições para o segundo tempo (entradas de Alecsandro e Michel Bastos) pioraram o time. O Campeonato Paulista dará a medida exata da capacidade do Eduardo Batista. Vamos aguardar.

Michel Bastos foi contratação para fazer birra ao SPFC. Acho pouco provável que em dezembro lembremos de alguma atuação digna de nota dele durante a temporada. Se não tumultuar o ambiente do vestiário, já estaremos no lucro.

Simplesmente não temos ataque. Um Dudu sozinho não faz verão. Laterais não marcam. Libertadores, hoje, está anos luz de distância. Mas foi apenas a estreia.

Infelizmente, não dá mesmo. Em 17 de setembro do ano passado vencemos o SCCP por 2×0 no nosso salão de festas favorito. Depois daquela partida, entre Brasileirão, Copa do Brasil e início desta temporada (incluindo amistosos) fizemos 17 jogos marcando 23 gols, mas ganhamos apenas um por diferença maior que um gol (2×0 no América Mineiro, pior time do campeonato) e somente uma vez marcamos três gols num adversário (3×2 no Santa Cruz, segundo pior time do campeonato). Claro que não estou esquecendo que no meio disso tudo um título brasileiro que não vinha há 22 anos foi conquistado, e que para 2017 muitos conceitos táticos foram modificados e ainda não assimilados, porém salta aos olhos até dos mais desatentos o quanto a produção ofensiva da equipe está abaixo da expectativa há muito tempo, isso mesmo enquanto ainda tínhamos Gabriel Jesus. Acho que pra qualquer conquista que se almeje neste ano, esse ataque não vai resolver.

Ta certo q é só começo de temporada, ninguém tá nem aí pro paulistinha mas eu não gostei. Dracena estabanado, Dudu cheio de gracinha e pouca objetividade, Roger Guedes corre mais q a bola e não acerta nada, o Neneca com 40 anos e 200 kg e ninguém chuta de fora da área, só o chute do gol do Tchê tchê. Nota 9 pra ele e 5 pro resto do time. Fiquei com 2 sentimentos ruins: 1 é q o Felipe Mello tem problemas psicológicos e isso pode nos prejudicar o 2 é que duvido muito que o Eduardo Baptista vai conseguir segurar o Ego dá rapaziada que parece q está um pouco elevado por causa do título brasileiro e dos elogios de todos ao elenco Palmeirense.

Quem contrata o Felipe Melo esperando que ele não manifestará, em algum momento da temporada (isso quer dizer QUALQUER momento, inclusive um decisivo…), seu desequilíbrio psicológico, definitivamente fez mau negócio. Com todo respeito aos jogadores e ao técnico do Botinha de Ribeirão, quando o Palmeiras enfrentar um time de verdade que saiba explorar profundamente essa falha, estaremos em maus lençóis. No mais, concordo com tudo, principalmente quanto ao Roger Guedes, que apesar do bom começo nunca me enganou, pois não passa de jogador mediano com “brilharecos” – e não estou me referindo à sua cabeleira…

O time do Palmeiras estava arrumado em 2016. Precisávamos de um homem gol , Pratto ou o Borja e nada mais.
Esse Eduardo Batista não vai aguentar ser técnico do Palmeiras. Será engolido pelo ego dos jogadores e com isso , adeus 2017.

Não resta dúvida de que necessitamos de um substituto para o Gabriel Jesus, Renato, porém precisávamos também de um bom meia, e nesse sentido a vinda do Guerra parece ter sido acertada. E acho até que as contratações de Raphael Veiga, Keno e Hyoran foram boas apostas para serem “enxertadas” na equipe à medida que surjam desfalques. As outras “aquisições” sinceramente me causam mais preocupações que certezas, mas como venho insistindo só vou cobrar alguma coisa em março.

Por enquanto o Palmeiras de 2017 não é muito diferente do de 2016, pois 1×0 continua sendo goleada, portanto ficou dentro da expectativa. Também tenho poucas dúvidas de que conseguir o resultado mesmo sem apresentar bom futebol continuará sendo prática constante no rendimento da equipe, pelo menos enquanto os resultados vierem. Se alguém me perguntar se prefiro começar o ano dando show contra times de terceira linha e terminá-lo sem taça pra levantar ou o inverso, é claro que responderei a “alternativa b”, mas sempre vou achar que dá pra conseguir resultado jogando bem.

Sorte que esse Botafogo é pior que mãe do sarampo. Lateral direita do Palmeiras paracendo a Marquês de Sapucaí, todo mundo sambando por lá. Ataque alvi-verde inexistente.

O Palmeiras deve ter trocado uns 300 passes certos nesse primeiro tempo, o problema é que pelo menos 285 foram no campo de defesa.

Os comentários estão desativados.