Categorias
Jogos Paulistão 2017

Pós Jogo Palmeiras 2×0 São Bernardo: evoluindo

O Palmeiras ganhou do São Bernardo por 2×0 nessa noite de quinta-feira no Allianz Parque.

23 mil palmeirenses foram para nossa Arena esperando encontrar um time mais organizado em campo. Eduardo Baptista colocou em campo Prass, Jean, Dracena, V Hugo e Zé; Felipe Melo, Moisés, Guerra; Roger Guedes, William Bigode e Dudu.

Mas o 1o tempo foi muito ruim. As melhores chances de gol foram do São Bernardo e Prass fez 2 grandes defesas. Guerra jogava adiantado e não criava. Moisés sem ritmo não conseguia criar. E William ficava enfiado no meio de dois zagueiros sem ameaçar o gol adversário.

No intervalo a torcida vaiou Eduardo Baptista e gritou o nome de Cuca. Foi mal….

O 2o tempo começou também ruim e quase a casa caiu numa bobeada de Prass, numa saída de bola que bateu no atacante do São Bernardo e voltou na trave.

Eduardo Baptista tirou Guerra – mal posicionado e errando passes – e colocou Raphael Veiga. Tirou Roger Guedes e colocou Michel Bastos. E o time mudou. Michel Bastos do lado direito começou chutando forte para a defesa do goleiro. Levava bem mais perigo que Roger Guedes. Raphael Veiga também melhorou a qualidade da bola que chegava ao ataque. Felipe Melo dava tranquilidade na defesa e Dudu tinha com quem jogar.

Logo saiu o gol. Moises tocou no meio, Jean cruzou rasteiro e a bola veio parar do lado esquerdo do ataque palmeirense onde Dudu fez um gol de atacante típico.

O Palmeiras passou a controlar o jogo e aos 30 minutos Dudu sofre pênalti. Jean bate e faz 2×0.

O São Bernardo foi pra cima mas não tinha tempo pra mais nada. Fim de jogo e 2×0 Verdão.

Agora é o Linense. Esperamos que seja melhor que hoje.

***

Destaques

Felipe Melo foi o xerife do meio campo. Dudu incansável. Mas Michel Bastos foi o melhor em campo por ter mudado a partida. Melo ainda foi buscar Dudu para comemorar o gol no banco. Vai se firmando como líder.

***

Notas

– Prass: 3 grandes defesas e uma bobeada que quase desanda a maionese. Nota 6,5.
– Jean: apoiou bem mas perdia o cruzamento final. Melhorou no 2o tempo e fez o passe do 1o gol e marcou o segundo de pênalti. Nota 7,5.
– Dracena: a segurança de sempre. Quase fez um gol. Nota 6,5.
– Vitor Hugo: não comprometeu. Nota 6.
– Zé Roberto: a vontade de sempre. Nota 7.
– Felipe Melo: um leão em campo. Protege a zaga e chamou Dudu pra comemorar. Ainda deu um chega pra lá num cara de amarelo. Nota 8,5.
– Moisés: sentiu a volta. Nota 7.
– Keno: velocidade mas ainda precisa melhorar a pontaria: Nota 5.
– Guerra: mal posicionado, começou a errar passes. Nota 5.
– Raphael Veiga: entrou no lugar de Guerra e foi bem. Nota 6.
– Roger Guedes: o cabelo tá bonito mas o futebol ainda não brilhou. Nota 5.
– Michel Bastos: entrou e mudou o jogo. Nota 9.
– Dudu: muito bem também. Buscou o jogo. Mas quase fez besteira quando não quis comemorar o gol. Nota 8.
– William Bigode: bom jogador pra entrar no decorrer do 2o tempo. Geralmente aos 43. Brincadeira à parte, deve render melhor na posição do Guedes. Hoje, nota 4.

***

Treinador

Eduardo Baptista ainda não acertou o time. Continua com problemas de organização tática. Se salvou hoje porque colocou bem o Veiga e Bastos. Mas podia ter colocado Barrios e testado o ataque com o paraguaio.

Pontos positivos pela vitória e pela melhora do time no segundo tempo.
Ponto negativo: ainda taticamente o time está desorganizado. E a insistência com William na posição errada.

Nota 6.

81 respostas em “Pós Jogo Palmeiras 2×0 São Bernardo: evoluindo”

Então quer dizer que as sereias da vila apanharam em casa de novo? E a sensação do momento , o time do frangueiro caiu na real depois de 2 jogos dos sonhos? Ja que esses dois não inspiram confiança e o Palmeiras não vai se acertar por vaaaaarios motivos, podemos concluir que o melhor time então é dos gambás que venceram e aplicaram um nó tático no Barcelona de Osasco do novo Guardiola Diniz kkkkkkk…..Aahhhh o futebol! Quero ver o q a imprensa vai dizer dessa rodada e os modinha q vão na onda dela kkkkkkk

Isso só comprova que, tendo um time ruim, bom ou mais ou menos, esse início de temporada não serve de referência sobre como será a temporada de cada um, a não ser para torcedores acéfalos pedirem a cabeça de técnicos com base nos desempenhos nos importantíssimos campeonatos estaduais (vide o que fizeram os santistas ontem com o Dorival) após 20 dias de disputa. Vi um comentário que ilustra bem isso, sem querer comparar países, profissionais, clubes ou elencos: Guardiola chegou ao Manchester City arrasando, ganhando de todo mundo e impondo goleadas, enquanto Antonio Conte penava para acertar seu Chelsea, bem menos estrelado que outras temporadas. Não sei se a “Mancha Azul” do time londrino pediu a cabeça do italiano sob a alegação de querer gritar “É Campeão!” (ou, no caso, “We Are The Champions!”), mas o fato é que hoje os “blues” estão oito pontos à frente dos “citizens” e com o Campeonato Inglês praticamente nas mãos. Sei o quanto é difícil esperar bom senso de torcedor, mas também imagino que não seja preciso exagerar na cretinice.

Não adianta ter um bom centroavante e o resto do time ser medíocre. . As bichas não vão em .lugar nenhum.

Impressionante , primeira participação do cara no time e gol dele. As meninas acertaram na contratação enquanto isso nós estamos recheados de perebas ( Alecsandro , Rafael Marques , Bigode e Lucas Barrios)

Menos, Renato. Como já comentei algumas vezes, acho o Pratto melhor jogador mas o Borja melhor finalizador, e partindo-se do princípio de que teremos um ótimo time quando tudo estiver arrumado, o colombiano poderá ser mais decisivo por aqui que o argentino por lá. E mais: você prefere que o Borja estreie com gol e empate (com sabor de derrota) em casa? Acho que nossa preocupação maior deveria ser com as perebas que temos como opções nas laterais, lembrando que Jean só “quebra um galho” na direita e que ninguém sabe até quando aguenta o Zé-42 na esquerda.

Beeeem menos mesmo. Pratto é um ótimo centroavante, mas não é esse craque todo não, na vdd ele é um ótimo definidor mas tecnicamente é até meio grossinho….Temos um ótimo elenco , estamos muito bem servidos pelo que tem hj no mercado. É torcer pro treinero acertar o time.

Vejo o Pratto como um jogador muito inteligente, com excelente visão de jogo, mas sua “grossura” está justamente no arremate final. Não o considero centroavante, ao contrário do Fred, por exemplo, que é bem mais grosso do que ele mas que faz muito mais gols pelo oportunismo e pela colocação.

Parabéns ao 3vv , cara nova , nova roupagem. Ficou bom. Parabéns a todos !

A posição correta do Williams bigode é atrás do banco de reservas dos veteranos. Jogador horroroso e fora de forma. Foi mais um erro absurdo, do aprendiz do asno Kleina, colocar o Keno no lugar do Roger Guedes. Deveria ter saído o inútil Williams e passado o Roger Guedes para centroavante. Desculpem, esperar algo de positivo do ridículo técnico ponte-pretano, só mesmo o burro aqui poderia esperar!!!!

Agora, o que me deixou feliz foi ver o palmeirense cobrando bom futebol (mesmo que o objetivo seja a queda do técnico mal quisto). Pensei que nunca fosse ver isso acontecer. Finalmente há uma preocupação maior com o futebol jogado, e não só com.os trez pontos em si e com a renda.

Sei que muita gente não vai entender meu ponto de vista, mas esse estilo “três pontos e vitória a qualquer custo” imposto a partir do segundo turno do BR-2016, ao mesmo tempo que trouxe um título que não vinha há 22 anos, “viciou” boa parte de torcida e Imprensa em torno de um “perfil de time vencedor”. O Palmeiras só perdeu um jogo na segunda metade do campeonato, mas nesse mesmo período mostrou o futebol exibido no início da competição apenas uma ou duas vezes. Quanto à manifestação da torcida em relação à qualidade do “espetáculo”, acho interessante e bem vinda, ainda que tardiamente, mas gostaria de saber se continuará caso o time ganhe os próximos vinte jogos por 1×0 com gol de pênalti jogando no limite da mediocridade.

Acho que todos que gostam de futebol – no Brasil e no mundo – apreciam o jogo bem jogado de um time que dê espetáculo (tanto é verdade que a seleção de 1970 é muito mais valorizada do que as seleções de 1994 e 2002). Porém há uma outra verdade no futebol: o que vale é o resultado. Se o Palmeiras ganhar a Libertadores da América aos trancos e barrancos e também o Brasileiro com a maioria dos jogos vencidos por 1 a 0, a torcida vai aplaudir o Eduardo Batista, ele se alçará ao patamar de grande técnico e haverá muita festa palmeirense. Conciliar conquistas com espetáculo (como em 1970) é raro e difícil. É por isso que os jogadores campeões da Copa do México estão para sempre na história como grandes campeões e seleção de 1970 já virou mito..

Se fizermos isso no Brasileirão deste ano (sequência de vitórias por 1×0) estaremos apenas repetindo o que aconteceu por quase todo o segundo turno do ano passado. Jogar por resultado é uma coisa, dar espetáculo é outra (que não são excludentes, diga-se de passagem) e o que o Palmeiras fez nesse período citado é ainda outra bem diferente. Um exemplo disso foi a partida contra o Internacional no segundo turno: chuva, campo pesado, adversário grotesco, gol originado de bola parada logo no início, briga com a bola o tempo todo e futebol que é bom, nada. Muita gente achou esse jogo emocionante e emblemático, mas eu achei (desculpem a sinceridade) uma merda, mas cada um vê o que quer. Não precisa ser Seleção de 1970 ou mesmo Palmeiras de 1993-1996, se apresentar o futebol do campeão paulista de 2008 já tá bom demais. E ganhar Libertadores não garante necessariamente patamar alto pra ninguém, fosse assim Celso Roth, Espinoza e Carpegiani não teriam carreiras medíocres como treinadores, o que o “Bap” precisa neste momento é impor sua filosofia de trabalho para o grupo e se impor quando estiver na beira do campo e nas entrevistas coletivas, pois cobrança vai haver de qualquer maneira.

Concordo que é muito cedo pra cobrar mas o cara comete erros primários. Insistir com o Guedes
é falta de inteligência. Além disso, ontem já tinha que ter mexido no intervalo e ele esperou
mais 15 minutos, sorte que o time da minha cidade é muito ruim.

O William de fato não é grande coisa, mas pelo menos tem o benefício da dúvida: chegou agora e ainda não foi aproveitado na função em que rende melhor. Já o Roger Guedes (que parece ter fã-clube) vem mostrando que é fominha jogando pelos lados e displicente jogando de centroavante, ou seja, melhor vender logo enquanto ainda dá pra ter algum lucro.

Concordo com quase tudo o que o pessoal tá dizendo, realmente o futebol do Palmeiras não é animador, o roger guedes tá numa draga danada, o william não é, nunca foi, e nunca será centroavante de área, etc… Mas a coisa que mais me incomoda é, no primeiro mês da temporada, nas primeiras rodadas do campeonato paulista, a torcida ficar gritando o nome do Cuca. Isso ajuda demais, mas não o Palmeiras, e sim o nosso adversário de cada jogo. Se esse clima continuar, o Eduardo cai logo, logo, o Cuca provavelmente não voltará, então certamente ficaremos numa situação muito pior e com sérios riscos de perder o ano. Temos a faca e o queijo na mão, se a torcida jogar junto, o time vai se acertar, mas se não tiver um pouco de paciência (e inteligência) nós mesmos poderemos por tudo a perder.

Pedir inteligência para a Mancha Verde é bastante difícil. Ao longo dos anos eles já “pisaram na bola” inúmeras vezes, prejudicando o Palmeiras. A impressão que eu tenho é que para pertencer à torcida o sujeito tem de ser bem burrinho e se o cara tiver um QI pouco acima de uma ostra, aí acaba como presidente da torcida.

Não dá pra generalizar, nem podemos dizer que a Mancha “representa” a torcida palmeirense. Mas para mim não existe apenas ignorância ou paixão nessa história. Várias vezes nos últimos tempos vimos essa organizada sendo usada como “massa de manobra” para interesses específicos de outras pessoas. Um grupo que patrocina o time e entra para o conselho deliberativo do clube ao mesmo tempo que “financia” as aventuras carnavalescas dessa trupe pode não estar interessado apenas no sucesso da equipe, mas também no poder. Se o Palmeiras continuar ganhando título todo ano, qual a chance dos atuais gestores (que apesar da ruptura pessoal ainda seguem mais ou menos o “padrão Nobre”) deixarem a presidência?

Concordo com os comentários e com as notas. Com relação ao EB ainda acrescentaria que o sistema de marcação que ele está implantando, por zona, não está funcionando e com isso estamos passando sufoco sem necessidade, ou sele corrige isso ou então volta a marcação homem-a-homem do Cuca, que funcionava bem.

Acho que é questão de tempo para o time se habituar ao sistema de marcação por zona. Aí vamos parar de correr riscos desnecessários.

A marcação homem a homem funcionou bem no Brasileirão do ano passado porque o Brasil está totalmente defasado taticamente (bom exemplo disso é que nem para o mundia sub-20 nossa seleção conseguiu se classificar). As melhores equipes no mundo do futebol atual usam a marcação por zona, que no entanto é mais difícil de ser assimilada e implantada.

Como cobrar o William se visivelmente o cara joga fora de posição, tendo que subir de cabeça com os zagueiros, a cada chutão do Prass e do Dracena?

Perfeito. Se os zagueiros não sobem para marcar um adversário no escanteio ou se o Roger Guedes recebe uma bola livre pela esquerda e quer fazer gol sem ângulo, a culpa não pode ser do “Bap”. Ele precisa (e deve) ser cobrado pelos atletas que estão sendo aproveitados totalmente fora das suas melhores características e pela equipe não saber sair jogando sem usar o recurso dos chutões. Isso o Marcelo Oliveira já sabia fazer como ninguém…

Com todo mundo à disposição, pra mim seria: Jaílson, Jean (por falta de opção), Mina, Dracena e Zé Roberto (por falta de opção); Felipe Melo, Tchê Tchê e Moisés; Dudu, Borja e Michel Bastos.

Esse time pode ser o ideal para entrar em campo no dia 8 de março, uma vez que o Borja não está inscrito no Paulista e, portanto, não poderia jogar agora. O problema é ter dois “idosos” como Dracena e Zé-42 pra correr atrás (provavelmente) dos colombianos do Junior Barranquilla. E acho difícil o Palmeiras contar com quem foi eleito o melhor jogador da Libertadores no elenco para deixá-lo no banco, seria a desculpa pronta para qualquer fracasso.

Meu time para o próximo jogo: Prass, Jean, Dracena, VHugo e Zé; Felipe Melo, Moisés , Guerra e Michel Bastos , Dudu e Barrios.
Não dá mais pro RG e nem pro William como centro avante. E como disse o amigo, Michel Bastos tem q jogar , precisamos de alguém q chute a gol.

Mais um jogo para deixar a torcida muito preocupada. Algumas constatações:
1) O EB não pode escalar o Willian de centroavante duas partidas seguidas, tá de brincadeira; ou recebeu orientação da diretoria para não escalar o Barrios (poderá ser vendido) ou é birra.
2) O Felipe Melo não pode ser o único marcador do meio campo, a zaga fica desprotegida; o ideal seria jogar o Jean (enquanto o Tché Tchê não volta); aí não temos lateral direito. A propósito: gastar 7 milhões com Fabiano e também 7 milhões com o tal de Yoran ( as poucas vezes que o vi jogando pareceu um jogador comum) é pura irresponsabilidade.
3) Novamente montamos um elenco “desequilibrado”: 5 jogadores para jogar no lado direito do ataque, um lateral direito improvisado e um reserva muito ruim; não temos reserva para a lateral esquerda (alguém acredita no futebol do Egidio?).
4) Alecssandro pode ser titular do Palmeiras mesmo que eventualmente? Erick? Rafa Marques?
Jogadores dispensáveis.
Ainda sobre o EB: ouço torcedores e grande parte da imprensa falando da inexperiência do treinador, concordo que talvez não dê certo; ainda dou crédito; mas esses mesmos falam que deveria ter sido contratado o “EXPERIENTE” Roger, que só treinou o Grêmio e foi mandado embora. Ignorância sem tamanho.

E só pra meter o bedelho sobre o pofexo RS….Pra mim o luxa manja muito mais de futebol do q todos esses treineiros q tem aí no Brasil hj….Só o Tite é do nível dele. Mas nunca mais vai dar certo em lugar nenhum por ser muito arrogante e viver dizendo q é melhor q todo mundo. É chegar num clube e a bolerada já fazer panela pra derruba-lo. Mas em termos táticos põe todo mundo no bolso facinho.

Discutir sobre Luxemburgo e Tite no auge de cada um é mais ou menos como falar de Messi e Cristiano Ronaldo. Luxemburgo foi genial, o melhor técnico que vi em atividade por estas bandas, alguém que tinha um dom, enquanto que Tite é um profissional trabalhador que se aprimorou bastante através de treinamentos e estudos, mas que jamais terá o mesmo talento do “pofexô”. Se Luxa não fosse tão ganancioso, se não tivesse se metido a querer ser “manager” da Seleção e tivesse vencido a Olimpíada de 2000, talvez tivesse chegado à Copa de 2002 (se seria campeão, não sei). Se o Andrés Sanchez não tivesse bancado Tite após o vexame da eliminação para o Tolima em 2011, talvez hoje ele estivesse treinando o Sport ou fosse contratado para tirar o Inter da Série B.

A nossa torcida sempre foi assim. É uma torcida apaixonada e muito intensa. Quem se lembra de qdo o Felipão chegou em 97 sabe do estou falando. Qdo perdeu a semi do paulista de 98 a pressão infernal que foi e só amenizou com a conquista da CB. Na própria libertadores 99 tinha muita cornetagem por perder pro Olímpia e empatar em casa com o Cerro Portenho. Quem chega no Palmeiras e quer vencer precisa saber que terá de se adaptar a isso. Nossa torcida não vai mudar. O Dudu é um dos ídolos dá nova geração mas não gostei da sua atitude de não comemorar o gol, muito mimimi…..Se mostrarem serviço e esse time jogar um futebol decente a torcida vai abraçar como sempre abraçou. É isso q eles tem que pensar. Pressão vai ter sempre no Palmeiras!

Sobre a Libertadores de 1999, na fase de grupos ganhamos do Cerro Porteño lá por 5×2 e aqui por 2×1, o empate em casa (1×1) foi contra o Olímpia, de quem levamos 4×2 no Paraguai. Aliás, nossa campanha naquele ano foi “no limite” (7 vitórias, 2 empates e 5 derrotas). Sobre o “pofexô”, o tempo passa para todos, e cada um tem seu auge e seu declínio, seja físico, técnico ou moral. O Zé Roberto joga em bom nível com quase 43 anos porque se cuida, gosta, sabe e ainda tem interesse. Se não fossem a cachaça, as farras e o pôquer, provavelmente Adriano, Ronaldinho Gaúcho e Luxemburgo ainda estariam vivendo do futebol, mas escolheram outros caminhos.

Realmente me equivoquei. O empate em casa foi mesmo contra o Olímpia. E a campanha não foi grande coisa na primeira fase , já q perdemos uma prós gambás tbm. Se não fosse o Cerro nesse grupo nem nos classificariamos , o q justifica o fato dá torcida ficar no pé do treinador na época. Qto aos nomes q vc citou dos que abandonam ou mudaram de foco na carreira, só lamento, o Ronaldinho beirando os 37 ainda jogaria com o pé nas costas se quisesse. Teria ganho uns 6 ou 7 prêmios de melhor do mundo.

Acompanho futebol há mais de 42 anos, e na minha vida vi poucos brasileiros com mais talento que Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho (sem os dois, os gols do Gorducho e a segurança do Marcos, a Copa de 2002 teria outro final). E também acredito que poderiam ter conquistado o prêmio de melhor do mundo umas quatro ou cinco vezes cada um, não fosse a falta de marketing do primeiro e a falta de interesse do segundo. Respeito a opinião de quem acha Neymar o melhor jogador brasileiro da história depois de Pelé (reflexo de uma geração que já saiu da maternidade ligado em redes sociais e mídia em geral), mas na minha o ex-santista não engraxa as chuteiras de nenhum desses dois citados. Quanto à nossa campanha na Libertadores de 1999, ela não foi grande coisa na fase de grupos nem nos mata-matas, pois só somamos pelo menos quatro pontos contra o Vasco (nos outros confrontos tivemos sempre uma vitória e uma derrota). E isso nem é uma crítica, já que da equipe atual poucos seriam titulares naquela época (talvez Júnior Baiano e Rogério fossem os pontos mais fracos), é só pra lembrar que mesmo um time bom e “copeiro” como aquele penou para ser campeão, nem sempre jogando bem.

Até os 15 minutos do 2o tempo foi exatamente o mesmo Palmeiras que vimos nos 2 primeiros jogos. Sem força ofensiva e burocrático. Após as mudanças, mais na vontade que na técnica ou tática, arrancamos 2 a 0. William não fez absolutamente nada nas 3 partidas que jogou pra justificar a titularidade. Não, não tem que mandar embora, ainda é cedo e ele está jogando fora de posição. Mas aí, cade o Barrios? 300 bolas cruzadas pra área, e nenhum atacante pra aproveitar. Até o inútil do Alecsandro consiguiria aproveitar pelo menos alguns dos cruzamentos. Ou a diretoria já falou pro treinador que vai vender o Barrios e ele não quer perder tempo entrosando um jogador que vai sair, ou ele continua contundido. Não tem nenhuma outra justificativa pra ele não ter pelo menos entrado em campo hoje.

Mesmo com a vitória, o nível do futebol apresentado pelo Palmeiras, hoje, foi rasteiríssimo. Estou ficando preocupado com a Libertadores.

Sejamos sinceros: tirando a determinação com que o time disputou cada partida do segundo turno do último Brasileirão (exceção feita ao jogo na Vila Belmiro), o futebol propriamente dito apresentado pelo time nos últimos tempos vem sendo absolutamente burocrático. Mas é pra se preocupar com a Libertadores mesmo, afinal grana, estádio lotado e bom elenco ajudam mas não garantem nada. Não quero comparar o Palmeiras com o Atlético Paranaense, mas o tal do Deportivo Capiatá (cuja folha salarial deve ser uns 10% da nossa) foi para a Arena da Baixada só pra catimbar e saiu de lá com três gols na bagagem. Se um time desses vem jogar aqui, o gol demora a sair e as provocações (ao Felipe Melo, principalmente) acontecerem, c’est fini…

Sim, tenho poucas dúvidas de que se tivéssemos que passar pelo mesmo trajeto de Botafogo e Atlético Paranaense, a “Libertadores que vai até novembro” já teria acabado em fevereiro pra nós.

As cornetas sossegarão pelo menos até domingo, mas se tivermos esse clima de hostilidade com o treinador a cada passe errado nos jogos de Libertadores (que não tem São Bernardos nem Ituanos…) vamos sabotar nossa campanha e sair da competição antes da hora.

A gente vive reclamando de perseguição e má vontade da imprensa toda…..mas nesse ano a grande força contra tem sido a nossa torcida. 2 jogos oficias, e com 10 minutos do terceiro cornetando o técnico. No intervalo vaiam e pedem o antecessor. Vaiam jogadores. Gente falando que nao gosta do Eduardo por conta do pai. Não consigo entender essa falta de apoi6s e toda esse pressão, já que todos sabem que agora é uma grande pré- temporada . Essa torcida merecia ter um Luxemburgo de volta pra ver como a coisa pode piorar….

Não fala isso não, Guilherme. Se você ler o post do jogo de domingo, vai perceber que muita gente sonha (pra mim, não passa de devaneio) com o Luxemburgo, como se ele ainda fosse aquele treinador interessado em futebol que chegou aqui há 24 anos. Imaginando que ele voltasse e pegasse esse elenco, entraríamos no Brasileirão como um dos mais fortes candidatos… ao rebaixamento!

Entre Luxa atual e o EB, mil vezes o Eduardo. Não sei nem como tem gente que ainda considera o Luxa um bom técnico. É igual o Ronaldinho gaúcho, um ex treinador em atividade.

Perfeito. Fui ao jogo e parece que estamos sem conquistar nada a anos. Estamos alimentando a imprensa que adora esse tipo de coisa.

Primeiro tempo foi uma piada de mal gosto. Depois das alterações, virou um time de futebol, e a vitória veio com naturalidade.
Veiga tem que ser titular. Moisés sobra nesse time, continua jogando fácil. Guerra precisa adaptar-se ainda, e quando isso acontecer, vai ajudar muito o time.
Guedes deslumbrou. Keno e Bastos aproveitaram bem a oportunidade.

Sim, mas deu pra perceber, tanto no Michel quanto no Keno, que eles entraram com vontade de decidir sozinhos, chutando de qualquer lugar (e até meu sobrinho de cinco anos chuta mais forte que o Keno…). Às vezes isso funciona, mas por outro lado demonstra que aquele espírito coletivo que foi essencial para a conquista do Brasileiro do ano passado ainda deve estar de férias, passeando.

Vamos torcer para que nenhum jogador titular para a libertadores se machuque nesse campeonato paulista e fique de fora de três a seis meses.
Vamos torcer para que o time da libertadores entre com sangue na glande todos os jogos , com vontade , com garra e determinação de ser campeão.
Não vou esquentar a cabeça com o campeonato paulista.

3ª rodada e já estão vaiando jogador e o técnico. Ainda bem que os dois próximos jogos são fora, não dá para entender a pressão que colocam nas costas do Eduardo Batista….

Venceu, mas não me convenceu, porém ainda estamos dando um tempo pro batistinha…

Pra mim, já tá nítido que quem deveria esquentar um banco, nesse momento, é o Roger Guedes e o Guerra.

Oq me parece é q o time está desentrosado e pior o técnico não sabe oq faz

Verdade. Parece que os jogadores nunca se viram antes, e o técnico, um treinador hóquei.

O que os jogadores querem para esse ano de 2017 ? E como alguém conseguiu destruir o time campeão brasileiro? O Palmeiras piorou de novembro para cá.

O time não está jogando nada, mas insisto: terminamos 2016 com a taça na mão e um futebol apenas competitivo, com muita garra mas sem brilho algum. Para mim o time não foi “destruído” (afinal, não é o técnico que não sobe na hora de um escanteio para o adversário), apenas perdeu a pegada.

A tática è chutão pra frente…não existe mais bola no chão….e atacante tem que aproveitar bola espirrada…

Se for pra cima:, Palmeiras 5-0. Se ficar com medinho, Bernô ganha.

Os comentários estão desativados.