Categorias
Paulistão 2017 Resenha dos Jogos

Pós Jogo Palmeiras 3×0 SPFC: um chocolate

O Palmeiras jogou bem contra o SPFC e venceu tranquilo por 3×0 no Allianz Parque nessa tarde de sábado.
Gols de Dudu (golaço de cobertura), outro golaço de Tchê Tchê, e outro de Guerra.

Eduardo Baptista entrou com Prass, Fabiano (Jean), Mina, Victor Hugo e Egidio; Thiago Santos; Tchê Tchê e Guerra, Michel Bastos e Dudu (Keno); Willian (Borja).

O time foi muito competente. O time do SPFC bem que tentou, mas o SPFC basicamente teve duas chances: uma num cruzamento na área e outra num vacilo de Mina que permitiu que Pratto finalizasse dentro da área para a defesa de Prass.

Já o Palmeiras marcava dentro do campo do SPFC. O primeiro tempo teve menos chances de gol mas com mais volume por parte do Palmeiras. O time de Rogério Ceni dessa vez não veio aberto. Jogava fechado e saía jogando. Baptista percebeu a dificuldade do time adversário na saída de bola e pressionava.

Foi assim que saiu o primeiro gol. O time pressionou a saída de bola, Egidio roubou rolou para Dudu que por cobertura fez 1×0.

No segundo tempo, foi um baile. Só deu Palmeiras. Tchê Tchê em grande jogada fez 2×0. Depois Michel Bastos – também em grande tarde – deixou Borja (que entrou no lugar de Willian) na frente do gol. Esse tirou de Dênis e Guerra empurrou para as redes. 3×0.

Poderia ter saído mais. Egidio, Borja, outras chances de gol aconteceram. E outras o juiz – ruim de novo – impedia a jogada marcando falta palmeirense.

Todo o time foi bem. Difícil definir o melhor em campo – clique aqui e vote. Mas o resultado foi importantíssimo para dar tranquilidade para Eduardo Baptista. Pelo menos até a próxima derrota.

Hoje vamos celebrar.

49 respostas em “Pós Jogo Palmeiras 3×0 SPFC: um chocolate”

Estou feliz pelo resultado. Colocamos as bambinas em seu devido lugar. Todos estão de parabéns!! Agora o foco é voltado para a libertadores, precisamos dos três pontos.

E o nosso zagueiro Vitor Hugo, acostumado em usar a cabeça para fazer gols, mais que nossos atacantes todos juntos, ultimamente tem usado a cabeça para quebrar os adversários. Contra o Tucumán, sua potente cabeçada levou o jogador argentino a nocaute. Hoje, seu cocada biônica conseguiu quebrar o nariz do Pratto que é uma napa.

Curti muito o gol “à la Robben” do Tche tche. Corta pra esquerda e chuta. E também as desculpas do técnico deles falando que o jogador deles que perdeu a bola no 1o gol ficou sem opção de passe porque o Pratto estava fora de campo. Impressionante como tem desculpas pra tudo esse cara. Felizmente a imprensa e a cbf não gostam do Palmeiras e por isso Tche Tche e Dudu não vão pra seleção. Ou alguem acha que eles não mereciam?

Não sei se impressão minha mas o time hoje jogou no “esquema Cuca”. Sem a bola marcando pressão e com a bola indo pra cima, sem ficar valorizando tanto a posse de bola. Parece que o EB finalmente percebeu que o esquema novo dele não estava funcionando.

Novamente tivemos a arbitragem marcando tudo contra nós e só as faltas mais fortes a nosso favor. Se não me engano terminou 31 faltas nossas e 17 deles. Pra quem viu o jogo a impressão foi totalmente inversa.

E só pra não perder a oportunidade, melhor comentário do dia do Ale Oliveira da espn. “O Palmeiras joga com o falso 9, o spfc com o falso 1”

Parabéns ao time e principalmente ao EB que parece que percebeu que Dudu e Guerra podem sim jogar juntos. Que este espírito de luta esteja presenta na próxima quarta feira na libertadores. Vejo você nas quarta lá na arena.

Como comentei no post anterior, se perde o fraldão cai. Se ganha, o Bap pode virar gênio. É na margem de erro. Se ganhar do Wilstermann, pode ser até rolar um busto do treinador.

Busto na quarta-feira em caso de vitória eu não digo, mas se vencermos na nossa “casa de praia, onde sempre damos show” no domingo que vem à noite, pode ter certeza de que no dia seguinte pintarão alguns esboços para a estátua do nosso “herói”…

O pessimismo de alguns comentários não podem contagiar a força do Verdão. Dá-lhe Porcooo!!!

Não sei se você sabe, acho q não pois não deve ser palmeirense… mas busto na SEP é só para ex-jogador… E dá-lhe Porco, aqui é Palmeiras!!!

Meu amigo continuo o mesmo , deve ser torcedor bambi ou curinthiano, nao pode tgentar secar tanto!!!!!!!!!!!!!!POR LA MADONNA

empata com o Tucuma, 141 comentarios

mete um coco no bambi, 15 comentarios

esse é o Palmeirense bipolar

Tucumán = estreia na Libertadores, torneio mais importante das Américas, caminho para o Mundial de Clubes. São Paulo = jogo da fase de grupos do Campeonato Paulista, caminho para o nada e que, como o próprio Alecsono disse, serve de treino pra Libertadores. Normal a diferença de interesse.

Perfeito, Gustavo. Vou até um pouco mais além: ganha do SPFC (jogando muito bem, por sinal, e isso mesmo os chatos não vão mudar) e a turma do “Entreguem as taças” e do “Aqui é Palmeiras, p.o.r.r.a!” sai da toca e enche o fórum, mas como não passam de meia-dúzia temos poucos comentários. Quando empata com o poderoso Tucumán no “grande objetivo do ano”, aquele que para a maioria é “obrigação”, jogando de forma excessivamente cautelosa (para não dizer “covarde”), as pessoas que questionam a qualidade do futebol apresentado, o desempenho de alguns atletas e o trabalho irregular do treinador, e que não são meros “comentaristas de placares” (as mesmas que estão SEMPRE por aqui), produzem mais de cem postagens. Simples.

As análises do Eduardo e do Gustavo são muito pertinentes….mas a do Wagner tb tem sua razão: ma derrota pro Corinthians, no Paulista que ninguem liga, foram 100 comentários…a realidade é que a galera prefere muito maos criticar do que aplaudir ….e isso não é algo só do palmeirense……todos os torcedores são assim…na verdade, a natureza humana é essa

Guilherme, a realidade é que para alguns poucos (ainda bem) qdo ganha tem que minimizar a qualidade do adversário, mas qdo perde fica o “eu te disse, eu te disse”… são os profetas do apocalipse.

Na mesma proporção dos fantasmas dos três pontos, do aqui é palmeiras. Ou não, porque os profetas aparecem quando ganha e quando perde. Já os ghosts só aparecem nas vitórias, mas desaparecem nos resultados adversos. Só querem filé, não gostam de roer o osso. Nem sinal desses nos 141 comentários do jogo contra o Tucumám.

Torcedor de verdade apóia o time na vitória e na derrota, em qualquer circunstância. Não fica criticando qdo perde, qdo ganha, qdo empata, qdo entra com terceiro uniforme, qdo tá chovendo…

Não criticar, nem buscar culpados, qdo se vê que o time está no caminho certo já é um grande apoio!

bom eu falo por mim Gustavo. Não gostei da contratação do EB, mas é o que temos pra hj.
Quarta feira o EB acertou ao colocar o Antonio carlos, todos ficamos ‘putos’ pq o tucuman é um timeco de merda
O que eu estou vendo é muita gnt torcendo contra o EB, só pra usar o famoso “Eu avisei” e isto não ajuda em nada o Palmeiras

acho o EB fraco, mas hoje nao podemos reclamar dele, nao só pela bela vitoria, mas principalmente por ter matado a saida de bola dos bambis… fechou muito bem o meio de campo e protegeu o tempo todo a avenida egidio… hoje foi bem o EB

OK…Eduardo Batista, com certeza não é o técnico dos sonhos de nenhum Palmeirense!…mas eu acho que está merecendo ser analisado com outros olhos….Nenhum time é invencível, e vamos perder (espero que não sejam nos momentos decisivos) …..O cara está pegando a mão do time, e vamos ter alegrias.

Em tempo…quando anunciaram que EB era o contrato em substituição ao Cuca, também pensei…esse cara não vai dar certo!

A convicção no trabalho dele é tão pequena que o contrato foi fixado em apenas um ano, e não dois como queria o treinador. A primeira opção era renovar com o Cuca, a segunda buscar o Roger Machado e a terceira tirar o Mano do Cruzeiro. Como tudo isso fracassou, veio a “opção D”. E mesmo que jamais admita publicamente, ele sabe disso. É óbvio que derrotas acontecerão, mas elas serão aceitáveis (mesmo nos momentos mais importantes do ano) dependendo da dedicação da equipe. Imperdoável é apresentar postura covarde e não aproveitar o que se tem de melhor por teimosia.

Você fala agora do Cuca como primeira opção, mas no ano passado cansou de criticá-lo e aos jogadores aqui no 3VV… é o criticar por criticar, parece q após a reforma do antigo Palestra os amendoins vieram para as mídias sociais… se for pra atrapalhar, melhor não torcer…

O Palmeiras precisa contratar aquele cara que faz a apuração das escolas de samba para anunciar a escalação do time nos jogos em casa, só para ouvirmos depois do nome do Tchê Tchê um “Dez! Nota… Dez!”. Isso porque o cara ficou mais de um mês fora, teve gente que já teve chance em todos os jogos e parece que ainda não estreou…

Com Tche Tche o time é outro. Moisés faz falta mas é substituível, já esse monstro que é o motorzinho do time não.

Boa vitória, mas São Paulo não é parâmetro. Quero ver quarta, ou ganha ou ganha, senão, rua pra esse técnico.

Guilherme, você acha que se não ganharmos do Jorge Wilstermann na quarta alguém vai pedir autógrafo ou tirar foto com o Dudu pelo gol que ele marcou hoje? O parâmetro deve ser proporcional à ambição, e se o atual campeão brasileiro, com um elenco caríssimo e badalado, não faz questão de vencer o Atlético Tucumán fora de casa, esse parâmetro pode ser questionado.

Mas então não comparamos os times como parâmetros, e sim as competições. E aí eu concordo!!! Acho que o que temos que valorizar é a Liberta! Mas eu considero errado quando ao se perder do Corínthians vir um monte de gente questionar trabalho e pedir a cabeça do EB, e ao se ganhar do SP a vitória não ser valorizada por muitos. Para mim vitórias e derrotas no Paulista são mero laboratório. Devemos usar mesmo peso e medida para o mesmo campeonato.

Nesse aspecto concordo com você. Jogos contra pequenos no Paulista não são parâmetro para clássicos. Ponto. Campeonato Paulista não é parâmetro pra Libertadores. Outro ponto. Não dá pra aceitar postura covarde num Dérbi (mesmo que não valha nada), tampouco na Libertadores contra uma equipe fraquíssima (já que é principal objetivo do ano). E já que o discurso do Eduardo Baptista é chegar às finais de todos os campeonatos disputados no ano, então pelo menos para ele o peso e a medida precisam ser as mesmas: buscar sempre as vitórias, em qualquer competição, sem medo.

Concordo, porém o jogo contra os gambás também não era parâmetro e perdemos. O que faltou lá (e em boa parte da temporada até agora) e sobrou aqui foi vontade de vencer. Não adianta ter só vontade com um time tecnicamente fraco (isso no máximo ajuda na luta pra não cair), tampouco ter um timaço que não põe a alma em campo (cansamos de ver na história do futebol times galáticos perderem taças). A ótima vitória de hoje aconteceu num jogo que só valia pela rivalidade e, como disseram, para cortar as asinhas da bambizada. Vamos lembrar que os times do Oswaldinho e do MO também meteram goleada neles no Allianz, e isso só ajudou a disfarçar trabalhos fracos e a adiar as respectivas demissões. Que essa pegada e essa vontade de massacrar o adversário passem a ser constantes, dentro e fora do nosso estádio, senão terá sido apenas uma vitória maravilhosa que levou a lugar nenhum.

Putz, nosso último técnico foi o Cuca (campeão, por sinal) e o cara vem falar do O.O. e M.O. Para com isso, deixa de ser tão Hiena Hardy (Oh vida, oh azar…)!!!

Sério que o pessoal está preocupado com o Jorge Wilsterman? A vitória do clube boliviano por 6 a 2 sobre o Peñarol foi totalmente fora da realidade. Acredito em nova vitòria do Palmeiras por 3 a 0.

Pois é, Reynaldo, só que quando Rosario Central, Nacional e River Plate (URU) foram definidos como nossos adversários em 2016, cansei de ler aqui coisas como: “não devemos nos preocupar com esse grupo” (basta pesquisar que você também vai achar), assim como também leio frequentemente antes de jogos fora de casa contra o Santos que “a Vila é nossa casa de praia”, embora nos últimos seis anos em dez jogos lá perdemos oito e empatamos dois. É claro que nenhuma das equipes da nossa chave deste ano tem time, elenco ou investimento melhores que os nossos, mas infelizmente a classificação final da Libertadores não será por esses quesitos, e sim por melhor desempenho dentro de campo (algo que ainda estamos devendo). Portanto, se não houver foco, coragem ou vontade de vencer, qualquer Jorge Wilstermann ou Atlético Tucumán da vida podem nos complicar.

Jogar contra o São Paulo é o sonho de qualquer treinador ameaçado. Inclusive dos mais c.ag.ões. Vamos ter que seguir com esse mentecapto no comando e torcer para que o roteiro do Mo, ano passado, não se repita. Que vençamos o Wilstermann!

Belíssima vitória que comprova o que tantos vivem dizendo: temos elenco. Essa vitória é ótima também para cortar as asinhas daquele clube que já estava se pavoneando todo, se achando, e que tomou um choque de realidade.

Tchê Tchê faz uma diferença Monstro no nosso meio campo. Impressionante! Que achado esse muleke!

O Tchê Tchê já é uma realidade há quase um ano. Não deve (se houver justiça, e para nosso azar) ficar muito tempo no Brasil, tem muito mais bola que todos os volantes que são convocados para a seleção juntos ($em maiore$ intere$$e$ ni$$o, é claro…), tem talento para ser titular nos principais times europeus. Sem ritmo de jogo, o cara consegue ser melhor do que alguns que entraram em todas as partidas da temporada.

Hehehe… verdade… G.A. e E.A.C. acima foram alguns q pediram isso e ainda disseram o mesmo do Moisés, Dudu, Dracena… não se deve dar valor a estes comentários…

Do Tchê Tchê e do Moisés eu disse mesmo. Mas do Dudu não. Quando massacraram ele aqui, depois da expulsão dele na final contra as Sereias pelo Paulista, fui um dos poucos que o defendi da histeria coletiva. E o Dracena, também aprovei sua vinda, pode pesquisar nos posts da época.

Verdade. Para cada 50 baciáveis, saiu um Tchê Tchê. Mais 50, saiu um Moisés. Ainda bem que mudaram essa mentalidade. Mas ainda existem uns baciáveis remanescentes, né Alecsandro? Né, Rafael Marques? Sem falar nos emprestados pelo mundo afora.

Esse Thiago Santos, intimidade zero com a gorduchinha.

Os comentários estão desativados.