Pós Jogo Ponte Preta 1×0 Palmeiras: jogo morno

O Palmeiras perdeu nesta noite de quarta-feira para a Ponte Preta por 0x1. Jogo morno, fraco, onde o Palmeiras jogou apenas os 10 primeiros minutos trocando bem passes e levando perigo.

O time foi com Prass, Fabiano, Dracena, Victor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo, Roger Guedes, R. Veiga (depois Egidio que entrou com a expulsão de Zé Roberto), Dudu (substituído por Hyoran), e Erik (entrou Keno e botou fogo no jogo); Willian.

Destaques negativos: jogo ruim, o Palmeiras sem a pegada das partidas anteriores, e os laterais foram mal nesta noite. Zé Roberto fez o penal que definiu o placar e ainda por cima foi expulso.

Se existe um destaque positivo podemos falar no jogo que Keno fez – depois que entrou deu mais agressividade ao time – e a estreia boa de Hyoran, que quase faz um belo gol no final da partida, em defesa espetacular de Aranha.

Não dá pra avaliar muita coisa. As duas últimas partidas foram protocolares. Terminou a primeira fase e agora sim começa o campeonato. O Palmeiras terminou em primeiro nessa fase, com 25 pontos ganhos, 8 vitórias e pega o Novorizontino nas quartas. Nessa primeira partida, sem Zé Roberto (expulso hoje) e V. Hugo (que levou o terceiro amarelo).

Finalmente começa o futebol da temporada 2017.

Saudações Alviverdes!

***

Pré Jogo

O Palmeiras pega a Ponte Preta na última rodada dessa grande pré temporada chamada de primeira fase do Paulistão 2017.

A vitória poderá ampliar a liderança sobre o Corinthians (segundo colocado com 4 pontos atrás do Palmeiras) bem como acabar com um jejum de 4 anos no Moisés Lucarelli (a última vitória ocorreu em abril de 2013 por 2×1, gols de Tiago Real e Leandro; outros tempos hein?).

Dudu volta da seleção.

O time que deve vir a campo? Façam suas apostas. Nosso palpite:
Fernando Prass; Fabiano, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Felipe Melo, Róger Guedes, Raphael Veiga, Michel Bastos e Dudu; Willian.

Os desfalques: Alejandro Guerra, Miguel Borja, Yerry Mina (convocados); Jean (machucado); Tchê Tchê e Thiago Santos (suspensos).

Pendurados: Antônio Carlos, Jean, Keno e Vitor Hugo.

A arbitragem será de Leandro Bizzio Marinho, auxiliado por Mauro André de Freitas e Alberto Poletto Masseira.

O jogo é às 21:45 com transmissão pela TV Globo para SP, MS e CE e Premiere para os demais estados.

Ah…. e já sabe. Deixe aqui seu comentário. Este será o post do pós jogo.

Saudações Alviverdes!

46 Comments Added

Join Discussion
  1. Engano seu, esse time pode produzir muito mais. Essas últimas partidas o time jogou desfalcado, porém,
    completo , não vejo ninguém com mais elenco aqui no Brasil.

    • Exato, a proporção precisa ser avaliada nesse nível: o que pode jogar com o elenco que tem versus o que está jogando com o time que entra em campo. É claro que em jogos importantes como os clássicos (exceção feita ao Dérbi, quando parece que o pessoal estava totalmente desligado) e na Libertadores o interesse e o empenho são muito maiores, e ninguém espera shows e goleadas toda partida, mas entre o que se promete e o que tem se cumprido a distância até aqui é bem grande.

  2. Marcilio Jr 31/03/2017 | Responder

    Realmente o palmeiras jogou a média do que tem jogado até aqui. Não acredito em falta de vontade por já estar classificado. O futebol jogado é esse mesmo. Quando consegue um gol cedo (coisa rara este ano) o time joga um pouco mais solto e consegue criar mais, mas no geral é isso. Entendo que todos querem o time jogando sempre bem, criando varias oportunidades e não deixando o adversário criar. Porém vamos ficar querendo kkk

  3. lito 31/03/2017 | Responder

    Sei não, como diria um político aqui do interior: uma nuvem negra paira sobre o Palmeiras. Esse Galiotte está arriando muito para o Mustaphá. Esse ser vai ferrar novamente o verdão. Até quando????

  4. Reynaldo Zanon 30/03/2017 | Responder

    Sobre o jogo de Campinas se pode dizer a clássica máxima “perdemos quando podíamos”. Bastou estarmos classificados, para termos duas atuações fracas (Audax e Ponte Preta). O desleixo nosso aliado “ao jogo da vida” de todos os adversários (o “poderoso” Audax diante do Verdão perdeu ontem em casa do Santo André e foi rebaixado) que enfrentam o Palmeiras, resultou nos maus resultados. Concluo com outra máxima: agora é a hora da verdade. Principalmente para o Eduardo Baptista.

  5. Gustavo Aroni 30/03/2017 | Responder

    Jogo de volta do Paulistão. Palmeiras-Novorizontino, sexta-feira, 7 de abril, 21h. Gambás, dominhgo às 16h.

  6. Rogerio Rocha 30/03/2017 | Responder

    Maluco, como nossa torcida é chata. Affs.
    O time não perdia a 9 jogos e ontem infelizmente o Zé Roberto foi mal e perdemos não é por isso que o mundo vai acabar. Perdemos de boa o Palmeiras já tinha a melhor campanha e agora que vai começar o pega pra capar. Acho que é muita pegação no pé e desnecessário por sinal. O time esta bom. Aconteceu uma derrota ontem e vai acontecer outras é normal o time não jogar bem um jogo ou outro.
    Agora o Paulistinha começa de verdade e acredito que vamos levantar esta taça.

    Avante Palestra!

    • Desses nove jogos que não perdemos, quantos jogamos bem? Quem não consegue entender a diferença entre “ganhar pontos” e “jogar futebol” talvez não sofra de chatice, mas de indiferença letárgica crônica.

      • Danilo Peressim 30/03/2017 | Responder

        Com todo respeito, acho que cabe uma comparação, o tri das meninas (06-07-08) com um futebol manjado e feio mais efetivo é muito mais valioso que qualquer peleja bem apresentada! No final do ano o que vale mesmo são aqueles itens na sala de trofeus, esse papo de futebol bonito não cola mais …

        • Pois é, com esse tri-campeonato conquistado de maneira absolutamente burocrática os bambis acharam que todo ano seria a mesma coisa, estabeleceram-se de vez na mediocridade e nunca mais ganharam nada (Sul-Americana trancando o adversário nos vestiários não conta). Quem quiser seguir por esse caminho, boa sorte, eu não embarco nessa. Frases de efeito como “esse papo de futebol bonito não cola”, “vocês querem show todo jogo”, “o que importa é a vitória” ou “esse é o futebol que se joga hoje” são de uma pobreza argumentativa que nem merece discussão. Repito: quem não entende que “três pontos” não é necessariamente o mesmo que “futebol” é um indiferente crônico, para o qual qualidade é algo apenas opcional e descartável. Para essas pessoas, tanto faz se vamos jogar em Abu Dhabi ou em Garanhuns, se vamos disputar o Mundial ou a Série B, se vamos entrar em campo com Mina, Borja, Misso ou Adriano Chuva, se ganhamos um Dérbi por 1×0 jogando bem ou se goleamos o Botafogo da Penha por osmose, se o treinador é o Zé Mourinho ou o Zé Teodoro. Elas só conseguem ver e analisar placar, e eu só posso lamentar essa mentalidade.

      • Gustavo Aroni 30/03/2017 | Responder

        E o que me preocupa é isso. A grande maioria dos jogos, não jogamos bem, e espero que o bom futebol do nosso elenco apareça pelo menos na Libertadores, que é o que realmente interessa. Os quatro pontos que conquistamos nessa competição vieram de forma bem sofrida (quase não vieram). Precisamos jogar mais se quisermos mundial no fim do ano.

  7. Danilo Peressim 30/03/2017 | Responder

    Péssima partida no geral, de destaque positivo gostei da movimentação do Veiga, do cada dia mais aprimorado Felipe Melo e da boa entrada do Hyoran (que ao contrário do Erick cada vez mais declina no conceito da torcida). Fim de semana começa o “pra valer” do Paulista , vamos ver se essa chavinha vira! Acho boa parte das criticas válidas mas lembro que Eduardo esta apenas no seu terceiro mês frente ao Palmeiras, além disso alternou boas partidas com outras ruins, tempo ao tempo, é com ele que vamos 2017 à diante … Muita gente aqui deu porrada no Cuca durante o Brasileiro mesmo com uma das melhoras campanhas da história, imagina que vão deixar Eduardo passar, jamais …

  8. Thom 30/03/2017 | Responder

    Tudo bem, até concordo que “até agora nao valia nada” e “agora é que vamos ver”. Mas sério, precisa jogar assim? Ou chegamos ao limite? Ainda acho que temos um excelente time e o time B golearia o time A de 2014. O que falta é ânimo. E isso é responsabilidade do treinador.

    • Concordo quanto à falta de ânimo, isso fica nítido até na cara de alguns jogadores e, principalmente, na do nosso “moderno” treinador. Com relação ao “time” de 2014, acho que até o catado aqui do bairro ganharia dele, talvez não por goleada…

      • Thom 31/03/2017 | Responder

        O cara parece que não “pilha” os jogadores na medida certa. Eu gosto dele taticamente e tal, mas ele parece ter pouco carisma. Se jogar assim e ganhar um titulo por ano, que fique. Mas pelo amor… que coisa triste de assistir.

  9. Philipe Frois 30/03/2017 | Responder

    Ta mais do que nítido que levaram o paulista com a barriga . Todo jogo contra time do interior os caras entram sem vontade, querendo se poupar ou com preguiça mesmo, sei lá. O fato é que isso tbm é jogar de “salto alto” e cabe ao treinador botar na cabeça deles que todo jogo é importante. Se não é pelo resultado, no mínimo pra que se ganhe cada vez mais confiança, mais entrosamento e imponha respeito aos adversários. Mas não temos treinador, temos um coleguinha dos jogadores na beira do gramado que se borra de medo de dar um grito e ser mais incisivo pois sabe que é um estagiário e que jogador de futebol derruba fácil novatos como ele. Não bastasse isso, temos alguns problemas consideráveis com as laterais e não é de hj. Vovô Zé merece o respeito de todos mas não dá pra jogar mais e o pior é que seu reserva é o Egídio. Na direita Jean que nem lateral é e não passa de um volante razoável faz uma falta danada pq é duro depender do Fabiano. Ainda assim creio q passaremos com tranquilidade pelo Novorizontino e temos boas chances de levantar a taça já que nossos rivais não demonstram estar melhores do que nós. Na libertadores tbm passa pra próxima fase mas nos mata – matas não tenho a menor idéia do q vai acontecer. É bom o Alexandre Matos dar uma ligada no pessoal aí pq parece que eles estão achando que são capazes de vencer qualquer time em qualquer lugar e no momento que quiser também.

    • Sua última frase é o resumo do momento que o Palmeiras atravessa. Dá uma impressão de “ar blasé” cada vez que o time entra em campo pra enfrentar esses adversários meia-boca do Paulista (se bem que a Ponte será adversária da Série A, da qual aliás nunca ganhamos no Allianz), e que basta apertar um botão que qualquer um vai resolver a parada. De resto, é bem isso: como já comentei, do Novorizontino dá pra ganhar até na Rua Javari à noite (basta ter concentração e jogar sério), não faz diferença atuar no Pacaembu, mas para os demais mata-matas (inclusive Libertadores) esse misto de falta de vontade com soberba, se continuar, só vai atrapalhar.

  10. lito 30/03/2017 | Responder

    Ei Mustaphá, vai ……
    Volta Cuca, chega desse técnico morto a beira do gramado. Parece que tá vendo o jogo, mas pensando em ourta coisa.

  11. Antonio 30/03/2017 | Responder

    E cá entre nós: que kgada do vovô ontem hein…

Leave Your Reply