Categorias
Jogos Libertadores 2017

Pós Jogo Palmeiras 1×0 Jorge Wilstermann: na garra

O Palmeiras venceu o Jorge Wilstermann por 1×0 no Allianz Parque na noite dessa quarta-feira. O gol foi de Yerry Mina, aos 50 minutos do 2o tempo.

A bola pune. Essa seria a melhor frase para definir o resultado para o adversário. Sem querer jogar futebol, o time boliviano se defendia com duas linhas de 5 e 4 jogadores na metade do seu campo. Ficava apenas um atacante lá no meio esperando aquela bola para tentar algo.

O Palmeiras veio com a sua melhor formação possível. Felipe Melo, Michel, Tchê Tchê, Guerra e Dudu com Borja no ataque.

E martelou, martelou…. Guerra muito bem no 1o tempo, armava o time em todos os lados do campo. Mesmo assim a retranca boliviana era forte e foram poucas chances, mas algumas agudas. Uma delas com Borja, que de cabeça desperdiçou a maior oportunidade dos primeiros 45 minutos.

Na etapa final o Jorge W. continuava com sua balada. Jogadores caiam no chão, demora para repor a bola, tudo isso embaixo do olhar complacente de um árbitro molenga. A melhor chance apareceu nos pés de Guerra que apareceu livre na cara do goleiro e se atrapalhou com a bola. Eduardo Baptista trocou. Tirou Michel Bastos para a velocidade de Keno. O atacante foi pro lado esquerdo do campo e Dudu veio pro lado direito.

Depois tirou Guerra para a entrada de Roger Guedes. Dudu saiu da direita e foi pro meio armar. Guedes tinha velocidade e ajudava a empurrar os bolivianos para seu gol. Dos seus pés saíram algumas boas jogadas.

Aí veio Willian no lugar de um apagado Tchê Tchê. O Palmeiras jogou com dois atacantes, numa espécie de 4-1-3-2.

E martela, martela, até que a bola puniu JW e premiou o esforço e a garra palmeirense. Aos 50 minutos do 2o tempo depois de uma falta do lado esquerdo Dudu cruzou, houve um bate rebate na área e Roger Guedes se livrou do zagueiro e cruzou rasteiro. Mina empurrou para o gol para delírio de 38 mil palestrinos que não arredaram o pé do Allianz.

Vitória suada, na garra, contra um adversário que não veio jogar bola e contra um juiz tolerante com cera e anti-jogo. Isso é Libertadores.

Saudações Alviverdes!

53 respostas em “Pós Jogo Palmeiras 1×0 Jorge Wilstermann: na garra”

Concordo que temos uma certa dificuldade em jogar contra times retranqueiros, e o de ontem era o legítimo ferrolho suíço, expert em cera… e, individualmente o time não foi bem, mas nessa fase eu quero mesmo os 3 pontos…

Não tem nada com o tema…mas alguém ai sabe aonde eu compro boné da new era do palmeiras branco…direto aparece alguns desse nas imagens da torcida no Allianz…se alguém souber !!

Achei o time ontem muito previsível sem velocidade. Adversários no Allianz sempre virão retrancados e temos que ter movimentação, velocidade na troca de passes. Não temos jogadores que desequilibram jogos, com dribles para furar retrancas. Outra deficiência são nossos laterais muito lentos e previsíveis para atacar. Acho o Palmeiras um time forte, mas também temos nossas deficiências no elenco. Demos alguns contra ataques e se tivessem jogadores com um pouco mais de qualidade no ataque teríamos perdido o jogo. Acho que o resultado de 3 gols , jogando bem contra o SPFW psicologicamente influenciou o time, achando que iria fazer gol a hora que quisesse contra quem mesmo? time da bolivia? Bom , o importante foi a vitoria e os jogadores entenderem que liberta é isso ai, tem que suar sangue se quiser ganhar. Aproveitar os próximos jogos da primeira fase e ir se acostumando com retranca, catimba, juiz deixando correr, cera, gramados ruins, pois quando chegar no mata mata serão adversários mais qualificados.

Muito bem observado. Aliás, analisando friamente o clássico de sábado, até a marcação do primeiro gol já no “apagar das luzes” do primeiro tempo, o Palmeiras praticamente não havia incomodado o SPFC, da mesma forma que o goleiro do Jorge Wilstermann fez poucas defesas (nenhuma difícil como o Prass, que salvou um golaço contra do Mina, por exemplo) na primeira etapa. A diferença foi o gol humilhante do Dudu que desestruturou as meninas do Morumbi. E concordo totalmente: na falta de alguém que desequilibre (algo raríssimo no futebol mundial de hoje), o coletivo é que precisa funcionar, e nesse sentido estamos extremamente previsíveis. Esperar “Linenses” da vida, ou seja, times que estenderão tapete vermelho para nosso ataque trocar passes, na Libertadores é utopia daquelas bem delirantes.

O nosso futebol não apareceu tanto no jogo de ontem, porque o Tchê-tchê não jogou bem. Quanto ao Borja, ele está muito ansioso para fazer o primeiro gol na Libertadores, assim que fizer, com certeza vai deslanchar.

Acho que a história do ano passado não se repetirá, basicamente por dois motivos. Primeiro, apesar de não estar pronto, o time já mostra muito mais organização do que jamais mostrou com o M.O., que fez apenas uma boa partida na final da Copa do Brasil. Segundo, porque o jogo contra o rosario, ano passado, foi horroroso, o time merecia a derrota, tomou um sufoco vergonhoso e ganhou de forma inexplicável, o que tornou a vitória injusta e enganosa. Já ontem a vitória foi extremamente merecida, o time foi razoavelmente organizado e paciente, faltou um pouco de velocidade e variação no último passe e algumas finalizações foram ruins. Mas o que faltou ontem foi MUITO menos do que faltou ano passado. Por isso acredito que da pra esperar uma vitória contra o penarol, difícil eles armarem uma retranca tão eficiente quanto a de ontem. Vamos aguardar…

perfeito Paulao…e acredito que o problema não seja tanto a retranca, mas sim a cera absurda que este times fazem qdo jogam fora…ontem estive no estadio e foi um absurdo a conivencia da arbitragem…surreal

Resultado importantíssimo. Dá tranquilidade pra trabalhar e o próximo jogo é só daqui um mês.
Ainda não percebemos que a Libertadores esse ano mudou, não é mais aquele campeonato compacto, de quatro meses. Atravessará o ano todo, janelas de transferências. Enfim, o time de hoje provavelmente será bem diferente do que eventualmente disputará o título lá na frente.
Mina ontem foi disparado o melhor em campo, e acabou premiado com o gol salvador.
Agora dá pra focar na montagem e entrosamento do time nos jogos finais dá primeira fase do paulista.
E aparentemente o EB terá tempo pra mostrar serviço.

A janela de transferências no meio do ano pode, sim, atrapalhar a vida de qualquer clube que queira ser campeão da América, mas esse não é o maior problema. A Libertadores irá até novembro para dois times, dentre 47 que entraram. Para quem parar na fase de grupos, ela terminará em maio (o equivalente às oitavas de final até o ano passado), e muita gente ainda não entendeu que o time (qualquer um que se candidate ao título) que não encarar cada jogo com a importância que ele tem vai sofrer bastante, e a possibilidade de quebrar a cara será grande. Os resultados dos últimos anos, com Guaraní, Bolívar, Nacional do Paraguai, Independiente del Valle e outras equipes de mesmo nível indo bem mais longe que decantados “favoritos” é um sinal bem claro dessa realidade.

É um sinal de que a competição é dura, é que hoje em dia a camisa pesa menos do que em outras épocas.
E se a fase de grupos termina em maio, nas competições anteriores geralmente nessa época estávamos no segundo jogo das quartas ou já na semifinal.
O terceiro jogo ser apenas daqui a um mês mostra que haverá mais tempo para acertos, e o time tem tudo pra continuar evoluindo.

Ano passado o Nacional eliminou o time de Itaquera no início de maio, pelas oitavas. Não fosse pela Copa América Centenário, a Libertadores de 2016 provavelmente teria terminado em junho ou no máximo início de julho (nos últimos quatro anos ela sempre foi interrompida, por Copa das Confederações, Copa do Mundo e duas Copas América seguidas). De qualquer forma, não resta dúvida de que o aumento no número de clubes e o prolongamento da competição até novembro “esticaram” o período de duração da fase de grupos. Isso pode ser bom pra quem ainda não encontrou seu melhor momento na temporada, ou ruim pra quem pegou um embalo e só volta a jogar depois de muitos dias.

Vitória suada e na raça ! E o Batistinha ficou sabendo do apelido de Fraldão que o Aroni deu pra ele, ficou magoado e disse que vai rasgar o fraldão, mas só nos jogos em casa, kkkkkkkk, quando vai mal jogamos pedra, mas hoje tem que elogiar, Batistinha mandou bem!

Em tempo, o melhor time do Brasil perdeu, o time do craque Diego, aquele que deve levar tudo esse ano, se a Liberta terminasse hoje estaria fora, é isso mesmo produção ?

O Flajuto não me engana. Nunca me enganou…Time da imprensa, do oba oba….Vai perder pro Atlético PR e vai acabar se complicando.

Noite ruim de tchê², Jean, Borja e Dudu na respectiva ordem de inhaca, mas valeu muito pela entrega e organização!

Nem mesmo aos 50 minutos, quando tudo parecia perdido houve chutão da zaga ligando o ataque (tá lendo Marcelo Oliveira ?).

A saída dos torcedores ontem do Allianz foi épica, obrigado bom Deus!

Quase ninguém vai vir no nosso estádio e jogar aberto. Jogar contra retrancas não é tão difícil, basta ter um pouco mais de velocidade que se abre qualquer ferrolho. O Tche tche provavelmente exagerou no esforço contra os bambis e faltou energia hoje. Foi o pior do time. Guerra no 1o tempo foi o melhor do time, mas ele e todo o time pioraram no 2o tempo.
Não gostei novamente das substituições. Eu teria colocado o Keno no lugar do Tche Tche aos 10~15 do 2o tempo. Além dele estar jogando mais a frente, ele estava recebendo várias bolas boas e matando as jogadas. Mina não só pelo gol, é disparado o melhor zagueiro dos últimos anos. Quase não perde disputas. Salvou algumas bolas que seriam contra ataques bem perigosos.

Agora eu só espero que essa vitória faça o técnico e time perceberem que precisam de mais futebol pra ter chances de vencer a competição e não seja como a vitória no ano passado contra o rosário, que só serviu pra mascarar o péssimo trabalho do MO.

Exato, Vinícius. O cardápio de retrancas vai continuar, o que não pode prosseguir é o futebol “para o gasto” e vitórias obtidas “a fórceps”, como já vinha sendo desde o segundo turno do BR-2016. Mais futebol e menos desculpas. Num mata-mata qualquer, jogar pra empatar fora e decidir desse jeito no Allianz será uma roleta-russa.

Grande vitória no último lance. Ainda que seja contra um time tecnicamente mais fraco não dá pra desmerecer a raça e a vontade de vencer que os jogadores demonstraram. Fica aquela preocupação de saber que vai ser teste pra cardíaco essa libertadores. Sinceramente ainda não tenho uma opinião formada sobre o quão longe podemos chegar mas o coração alviverde diz que sofreremos até o fim mas terminaremos erguendo a taça se Deus quiser. Mais uma vitória sobre o penarol na próxima rodada e uma vitória na última contra o tucumã praticamente nos garante na próxima fase. Creio que temos time pra enfrentar qualquer um nesse torneio, falta só aquela malandragem de libertadores, aquele faz de morto, esfria o jogo, roda a bola de um lado pro outro com paciência pra tentar abrir a defesa adversária, sem afobação como vimos ontem, mas isso vamos ganhando no decorrer da competição. Avanti Palestra!

Libertadores nunca é fácil, mas se o juiz não fosse tão ruim teríamos ganhado sem tanto sufoco pois tivemos um gol mau anulado e 2 pênaltis não marcados. Enfim, libertadores é isso mesmo.

Libertadores é assim mesmo. O problema hoje é que os laterais pouco avançaram e os atacantes que
saíram jogando foram muito mal. Acho que a sapatada de sábado fez mal pro time mas culpar o treinador hoje pra mim seria um absurdo.

Um time de um país que jamais colocou finalista na Libertadores, com um orçamento que deve ser 10% do nosso e cujos jogadores ficaram maravilhados com o estádio moderno, que deve contrastar bastante com a realidade do campeonato que disputam por lá, não vai chegar aqui e querer jogar de igual para igual com o milionário campeão brasileiro. Todo mundo se lembra do que aconteceu quando o Santos do Muricy achou que poderia encarar o Barcelona indo pra cima do time de Guardiola na final do mundial de 2011. Jamais vou apreciar retranca, cera e anti-jogo, mas isso faz parte de uma estratégia e o Jorge Wilstermann a cumpriu muito bem nesta quarta-feira. Cabe ao Palmeiras, caso os dirigentes do clube queiram comprar passagens para Dubai em dezembro (e na média do ano até aqui, o futebol apresentado ainda não permite mais que uma viagem rodoviária), desenvolver as suas próprias estratégias e recursos para combater esse expediente que, como comentou o Reynaldo, será cada vez mais comum em jogos no Allianz. De minha parte, não esperava 5×0, mas no mínimo um preparo melhor para enfrentar esse tipo de adversário. Se está assim agora, imaginem como vai ser nos mata-matas…

Eduardo….se passarmos para os mata-matas, com certeza boa parte da torcida vai precisar levar junto o desfibrilador ….rssss ontem quase tive um troço….

Se o verdão obedecesse a torcida e ficasse ligado no jogo 90 minutos seria péssimo, afinal com esse gol aos 96, kkkk. Sem brincadeira, foi uma vitória excelente, porque jogamos bem, erramos alguns lances, perdemos dois o três gols feitos, enfim poderia ter sido mais fácil, mas os caras montaram uma retranca violenta, até acertaram uns dois bons contra-ataques… acho que foi uma vitória de um time que tá querendo mostrar uma certa maturidade, desde o técnico, que escalou e mexeu bem, até o time, que aos 50 conseguiu fazer uma jogada quase trabalhada e quase sem bumba meu boi. Agora é estudar o penarol e ganhar mais três pontos na próxima rodada!

Concordo. A zaga tem que ser essa. Mais segura. Se o Vitor Hugo tivesse jogado, hoje, alguma presepada ele iria fazer, cabecear a cara de alguém, sei lá.

Dizem que na Libertadores as arbitragens são caseiras. Só vejo isso em outras plagas, porque no Palestra Itália / Allianz Parque isso é uma raridade astronômica.

Eduardo Batista hoje foi o melhor em campo. Escalou o time certo e tirou Tche Tche e Guerra que faziam um jogo ruim. Borja e Jean não entraram em campo. A zaga titular tem que ser essa, acho
que com o Vitor Hugo hoje, tomaríamos pelo menos um gol.

Praticamente todos os times, de qualquer competição, jogará totalmente na defesa contra o Palmeiras no Allianz Parque. O Palmeiras terá de achar meios de furar melhor essas retrancas.

Já estou sentindo as pedras sobre minha cabeça, mas esse filme com empate fora na estreia contra time semi-profissional e vitória em casa obtida a fórceps na segunda rodada eu já vi no ano passado e achei o final uma m.e.r.d.a. Fica (pra quem ainda não entendeu) a lição sobre a dificuldade de se disputar uma Libertadores, que nada tem a ver com os inúteis estaduais nem com campeonatos de 38 rodadas nos quais pesa a regularidade. E tenho sérias dúvidas se devemos ou não insistir com o Baptistinha.

Maldito time esse time boliviano. Vieram fazer cera , bateram pra caramba , cometeram dois pênaltis e graças a Deus , foi feito justiça. Vitória magra mas merecida.

Além desses times que vem aqui fazer retranca , outro adversário difícil será a arbitragem. Erraram muito contra o Palmeiras hoje.

Só digo: chupa, bando de boliviano otário, vai fazer cera no vestiário agora.
Felipe Melo jogou muito. Mina é monstro. Guerra foi bem.

Vai tomar no cú time boliviano do caralho……Vão se foder filhos da puta !!!!

Esse vocês poderiam liberar. Não dá pra aguentar. Foi após o apito final. Estava engasgado. Moderação , libera ai….

O Borja Tinha que ser substituído no intervalo por um jogador mais rápido.

Sofrimento , essa será a palavra nessa libertadores. Os pontos perdidos semana passada irão pesar , assim como esse empate hoje. Torcer para acontecer um empate amanhã entre Peñarol e Tucuman.

O time está bem postado, mas está pecando muito tecnicamente, sempre errando o último passe ou a finalização. Dudu e Tchê Tchê bem apagados, Guerra perdeu um gol feito, Borja idem…..

O Zé não tá aguentando na esquerda. Tomara que não saia contra-ataque por lá.

Tem que por o Keno pra abrir a defesa dos caras. Falta triangulação, tá faltando alguém pra fazer o pivô
também.

Tecnicamente, foi um dos melhores primeiros tempos dos últimos anos. Porém, a inofensividade foi quase que total. Tá faltando alguém pra meter fogo nesse ataque. Quem sabe um Keno não caia bem.

Estou começando a duvidar a respeito do Borja. Está perdendo muitos gols. Semana passada na Argentina e hoje.

No lance da defesa do Prass, foi falta no Dracena. Cuidado com esse juiz!

Você previu o lance uma hora antes pra comentar neh. Pq eu comentei antes do jogo e até agora não liberou…

Os comentários estão desativados.