Pré Jogo Palmeiras x SPFC: prova de fogo

A torcida do Palmeiras, aparentemente a maior parte dela, ainda está ressabiada, desconfiada, da capacidade de Eduardo Baptista levar esse elenco do Palmeiras a disputar de forma competitiva todos os campeonatos do ano.

De fato as primeiras partidas da temporada não foram muito animadoras. Menos pelos números: 10 jogos, 7 vitórias, 3 empates, duas derrotas (60% de aproveitamento dos pontos disputados), 18 gols pró, 8 gols contra. Convenhamos os números não são ruins.

Mas a torcida palmeirense não é de se contentar facilmente. Quer vencer e convencer, e não está dando nenhum refresco ao fato de estarmos no início da temporada. Também ninguém se importa que o melhor jogador de 2016 se contundiu – Moisés – e que Tchê Tchê, fundamental no esquema do time, também ficou fora do time.

Verdade que Baptista mudou o estilo de jogo do antecessor Cuca e ainda não encontrou a batida perfeita. A defesa continua batendo cabeça e é difícil ver armação nesse time palmeirense. Guerra joga pouco e quando joga parece fora de posição.

Além disso, pesa contra Eduardo o fato de seu pai ser Nelsinho (que não teve passagem feliz no Palmeiras em 1992, quando afastou o ídolo Evair) e passar, digamos, uma imagem pouco forte para a torcida. Convenhamos essas duas críticas são irrelevantes, mas sempre aparecem em qualquer conversa de botequim sobre o assunto. O fato é que Eduardo já foi julgado e considerado culpado por qualquer infortúnio da SEP daqui para frente.

Por isso a partida de hoje, às 16 horas, contra o SPFC no Allianz passa a ser fundamental para o treinador, para o Palmeiras e para o futuro da equipe. Uma vitória seguramente dará tranquilidade para jogar na 4a feira pela Libertadores – essa sim será a partida mais importante da semana. E logo depois outra pedreira contra o Santos na Vila.

Por tudo isso os céticos esperam uma surpresa de Eduardo Baptista hoje. Nenhum treinador nem equipe tem obrigação de vencer, principalmente um clássico. As três opções são vitória, empate ou derrota. E qualquer uma delas é do jogo. Mas a torcida espera pelo menos que o time entre em campo, jogue bem, com garra mas sem ficar exposto a cartões desnecessários – viu Victor Hugo! – e que tenha um futebol mais convincente que as últimas partidas. Que jogue bem. Se jogar bem, com o Allianz pulsando, a chance de vitória é bem maior.

E ela virá!

O TIME

O treinador Eduardo Baptista poupou apenas dois jogadores depois do desgastante jogo contra o Atlético Tucuman. Edu Dracena e Zé Roberto não foram relacionados.

Confira aqui os relacionados para o clássico.

O time que deve entrar em campo ainda é um mistério. Eduardo acredita que Guerra e Dudu disputam o mesmo lugar no campo e não parece disposto a entrar com os dois juntos. Dudu talvez seja poupado e fique no banco. Jean talvez seja também poupado. Borja deve vir para o ataque. Tchê Tchê pode aparecer. Felipe Melo está fora por conta de suspensão. Thiago Santos entraria no lugar do pitbull? Isso mudaria o esquema 4-1-4-1? Ou virá de 4-2-3-1 por conta da suposta força do ataque do SPFC? Mistérios.

A redação do 3VV aposta no seguinte time: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos e Tchê Tchê; Michel Bastos, Guerra e Keno; Borja.

O ADVERSÁRIO

O time do SPFC não contará com o goleiro Sidão e com Maicon. Cueva, que saiu com dores na coxa na última partida, foi relacionado. O volante Jucilei e o zagueiro Lucão também.

Time provável: Denis, Buffarini (Bruno), Breno (Douglas) Rodrigo Caio, e Junior Tavares; João Schmidt, Thiago Mendes e Cícero; Cueva, Luiz Araújo e Pratto.

***

Local: Allianz Parque.
Data e horário: sábado, 16h00m.
Arbitragem: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza.
Auxiliares: Bruno Salgado Rizo e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa.