Libertadores 2017 Palmeiras 3×2 Peñarol: na marra

O Palmeiras ganhou do Peñarol por 3×2 no Allianz Parque nessa noite de 4a feira.
Foi emocionante.

Como todos os dramas há vilões e heróis. É difícil definir quem foi vilão e quem foi herói nesse jogo.

O time parecia nervoso no início. Pouca criação. Muito chutão. Excesso de individualismo. Borja voltava pro meio campo para armar. Dudu prendia demais a bola no lado esquerdo do ataque. Willian não criava.

Aí tomamos um gol. Um escanteio cedido por Felipe Melo que poderia ter sido evitado. E na cobrança, Fabiano não marca e eles fazem 0x1.

Veio o segundo tempo. Eduardo Baptista manteve o mesmo time que perdeu na primeira etapa e não havia chutado uma vez no gol.

Mas… mas…. o futebol é aquilo que conhecemos.

O time colocou a bola no chão e em 5 minutos teve três chances e fez dois gols. Guerra e Borja perderam um gol logo de cara. Depois em cruzamento na área Borja ia finalizar mas a bola sobrou para Willian que empatou. E aos 5 minutos Borja tocou para Guerra que serviu com carinho pra Dudu virar.

Era outro time.

Aos 10 pênalti pro Palmeiras. Borja bateu e… errou.
Logo depois perdeu mais um gol. Fácil pra fazer.

Aí o time caiu.

Eduardo Baptista mexeu mal. Muito mal. Tirou Borja – que apesar dos gols perdidos era referência no ataque e levava sempre perigo. Colocou Michel Bastos. Tirou Felipe Melo – que estava bem – por conta de um carão amarelo e colocou Thiago Santos.

O Penãrol foi pra cima e empatou. Bola alçada na área e Mina e Dracena não cortaram e livre o número 5 empatou.

O jogo abriu. O Palmeiras foi pra cima. Os uruguaios ficavam no ataque.

Guerra deixou o agora atacante Willian na cara do gol. Livrou do goleiro e com a meta vazia…. chutou no travessão.

Logo depois Michel Bastos arrancou pela direita e perdeu o gol.

Aí Eduardo errou de novo. Tirou Guerra, o melhor em campo, para a velocidade de Keno.

Desmontou o time. O Palmeiras parou de criar. Foi pro abafa. Podia fazer como podia tomar.
O juiz deu 5 minutos de acréscimo. O Palmeiras caía na catimba uruguaia. Dudu levou dois amarelos por reclamação – e por falta de equilíbrio emocional – e foi expulso.

Tomamos um contra-ataque e quase perdemos a partida. Aos 53 escanteio.
E Fabiano – tão criticado – foi o herói final. De cabeça no canto direito do goleiro fez 3×2.

A bola pune. Puniu os uruguaios pela cera, catimba. Felizmente.

Que fique a lição que Dracena comentou nas entrevistas pós jogo: em Libertadores tem que matar o jogo quando tem as chances.

Os destaques positivos do Palmeiras: Guerra (muito bem até ser substituído), Dudu (com o espírito da Libertadores até cair na catimba uruguaia e ser expulso) e Willian (que perdeu um gol feito mas sempre esteve lá).

E Eduardo Baptista? Não é culpado pelos gols perdidos de Borja, Willian, Bastos e Tchê Tchê. Mas mexeu mal e desmontou o time.
E alguém precisa trazer mais calma e ponderação nesse time.
Mas isso é Libertadores!

Saudações Alviverdes!

174 Comments Added

Join Discussion
  1. Philipe Frois 14/04/2017 | Responder

    Pra mim existe dois tipos de torcedores que comentam aqui qdo o time não vai bem: o primeiro grupo é aquele que prefere olhar pros seus próprios erros e sabe que se concerta-los será quase imbatível. O segundo grupo prefere por a culpa em todo mundo como juiz, federação, globo, lula, conmebol etc …e é incapaz de enxergar o óbvio. Eu faço parte do primeiro grupo. O bom é que em comum todos nós temos a paixão pelo Palestra e queremos o seu bem sempre! Não faço questão de estar certo nos meus comentários e se no próximo jogo os caras entrarem e mostrarem que eu to errado goleando o adversário vai ser um grande prazer pra mim. Avanti Verdão. Rumo ao bi da Libertadores!

    • Então, Philipe, gostar mais deste ou daquele jogador ou técnico é normal, eu mesmo já critiquei quem deu certo e defendi quem não vingou. Faz parte do gosto e da visão de futebol que cada um tem. Também não me preocupo em estar certo ou errado, como já escrevi algumas vezes minha única e permanente exigência em relação ao Palmeiras é que o time entre em campo para jogar bom futebol. Algumas pessoas sem maior argumentação (muitas delas do grupo dos “fantasmas dos três pontos”) acham que isso é querer que o time “dê show” e goleada toda partida, e mediante um resultado positivo conseguido graças a outros fatores que não exatamente bom futebol varrem os problemas pra debaixo do tapete ou simplesmente fingem que eles não existem, já que temos “DNA” vencedor. Eu não entro nessa.

  2. A franga no verdão seria engraçado. Todo grande treinador começou de baixo mas esse arrogante
    não aceitou e partiu de cara para um time grande. Vai quebrar a cara e já já tá na rua.

  3. Pratto revivendo os “melhores momentos” do Oséas no Morumbi. Deve estar arrependido até a medula por ter deixado um time que vai brigar por títulos em troca de um catado taticamente desorganizado mas superestimado pela imprensa. Não sou (nunca fui, aliás) fã do Mano Menezes, e sei que campeonato mineiro (assim como todos os estaduais atualmente) de nada serve como parâmetro, mas gostaria de ver como ele trabalharia com um elenco como o do Palmeiras.

  4. Vi o jogo entre Atlético Mineiro e Sport Boys, e o placar foi ilusório. Talvez lá pelos fóruns de torcedores do Galo estejam comentando que o Roger é melhor que o Cuca ou que o time tem “DNA” de vencedor, mas o fato é que até a metade do segundo tempo foi um sufoco, com o mesmo roteiro de ontem (um time querendo jogar e o outro, com vantagem no placar, só a fim de causar). Os clubes brasileiros montam times caros e supostamente fortes sem qualquer preparo psicológico para a disputa de uma competição na qual jogar o melhor futebol é apenas um dos componentes que fazem um campeão. Ninguém espera “show” (o melhor argumento de quem não tem argumento…) em Libertadores, apenas preparo condizente com os investimentos.

    • Alex 14/04/2017 | Responder

      Causar, tumultuar jogo, bater, destruir, essas coisas são muito mais fáceis do que o contrário.
      E ainda temos, na maioria das vezes, arbitragens cúmplices do anti jogo.
      Em alguns casos a tática não dá certo, e aí os placares são elásticos.
      Quarta, se o Borja faz 3 a 1, muito provavelmente teríamos um placar próximo daquele que o wilstermann fez, sem os 2500m acima do mar de Cochabamba.

  5. Tivessem feito a mesma cera na cobrança de falta do segundo gol do Penarol a bola não teria entrado.
    Precisa aprender a jogar esse tipo de competição.

    • Poderiam (aliás, deveriam, mas não sabem) fazer cera antes da cobrança, o que não poderia acontecer é meia dúzia cobrir um lado da área e ninguém ficar na sobra do outro. Se eu saísse de uber aqui de casa no momento em que o Peñarol bateu a falta, ainda chegaria a tempo de fazer o gol no rebote do Prass, que aliás fez o que pôde. Falha de posicionamento que não se vê nem na várzea, não sei se foi falta de treino ou excesso de nervosismo, o que de qualquer maneira é injustificável.

  6. Marcilio Jr 13/04/2017 | Responder

    Também tenho restrições ao nosso técnico como muitos, mas o jogo de ontem não da para reclamar. Muitas chances perdidas. Gols tomados de bola parada e o jg do tche tche que errou quase tudo e pior que não tem ninguém pra substituí-lo qdo ta mal. Liberta é isso , é aquilo, mas como jogador brasileiro é c.a.b.a.ç.o. também. Os caras entram numa pilha que é só isso que os uruguaios queriam, não ter jogo e o tempo passar. Do Juiz, pra quem acompanha futebol sulamericano, não temos que dizer nada , somente agradecer. Mas com esse futebolzinho que estamos jogando não da pra falar que seremos campeões, mas por incrível que parece também não pra garantir que não seremos. Nessa várzea mesmo que é a liberta, não precisa jogar bem, tem que ser eficiente, e ontem foram três pontos.

    • Alex 14/04/2017 | Responder

      Eu acho que o Guerra substituiria fácil o tchê tchê quarta feira, até mesmo porque em nenhum momento o penarol pensou em se expor, talvez fizesse isso com um gol de desvantagem depois dos 35 do segundo.

  7. Galera que está reclamando do EB e pedindo a volta do Cuca acha que o time dava show e ganhava fácil de todo mundo ano passado? Vamos refrescar a memória:
    Sofremos contra times que cairam ou brigaram para não cair como Santa Cruz, Internacional, Figueirense, Coritiba e Sport e por muito pouco não perdemos do Cruzeiro em casa. Sem contar que 90% das nossas vitórias foi por um gol de diferença.
    Claro que Eduardo Baptista tem suas falhas, mas Cuca não é melhor do que ele. Diria até que o futebol atual é um pouco mais vistoso e eficiente que o do ano passado, com time titular apenas ligeiramente mais qualificado.

  8. Danilo Peressim 13/04/2017 | Responder

    Em tempo, comentários negativos sobem na hora, já os meus … anos na moderação … Não sei porque insisto em continuar por aqui, vocês são tendenciosos demais ….

    • 3vvAdmin 13/04/2017 | Responder

      Danilo. Ninguém aqui é tendencioso. Não entra nessa. O 3VV mudou de hospedeiro. Antes era a Locaweb. Há cerca de 2 ou 3 meses (quando mudou o layout) mudamos para outro provedor. Ainda estamos nos adaptando a esse provedor. Por exemplo entram em média 100 a 120 SPAMs por dia . Eu tenho que ficar limpando. Alguns comentaristas por um motivo que não compreendemos ainda também estão caindo na moderação junto com os spammers. Não é só você. Ontem expliquei a outro comentarista, também frequente. É isso. Estamos procurando onde estão os filtros (IP, hotmail, não sabemos) que fazem com que alguns comentários sejam identificados como spammers. Ok?

    • Não faça cerimônia, se pra você o Palmeiras vai ganhar a Libertadores por causa de “DNA” e não por mostrar equilíbrio emocional e futebol nos momentos decisivos, fará um grande favor em nos privar dos seus comentários.

  9. Philipe Frois 13/04/2017 | Responder

    Volta Cuca! Com todo respeito ao EB, mas por mais que libertadores seja diferente, por mais que não tenha jogo fácil e bla bla bla, não dá pra ter tanta dificuldade assim jogando em casa contra JW e o pior Penarol dá história deles. Eu imaginava dificuldade sim mas drama e sufoco é demais pra mim. Não temos uma super seleção mas perto deles somos o Real Madrid. Com todo o respeito mas pra mim é inadmissível entrar tão pilhado num jogo de fase de grupos. Os jogadores do Palmeiras em especial Dudu , parecem juvenis. Há 1 milhão de anos que todo mundo sabe que os caras vem pra cá pra não ter jogo e quem tem mais qualidade tem que pôr a bola no chão e jogar, ponto. Foi assim nos únicos 15 min no segundo tempo e mostrou exatamente quem é quem. Imagina como será o mata-mata então? Reconheço que entre erros e acertos o EB é um bom técnico, conhece de esquema tático e tal mas por enquanto o apelido Fraldão é perfeito pra ele. Precisamos de um técnico capaz de botar na cabeça desses caras que é permitido jogar bola na libertadores e parar com esse negócio de guerra. É isso que eu acho. Qto ao resultado, parece que Deus ta dando uma força pra gente ir mais longe. Não querendo tirar a competência de nossos atletas mas nos últimos 2 jogos dá libertadores era bem provável que fizéssemos apenas 2 pontos o que nos deixaria hj na terceira colocação no grupo, não fosse os gols aos 50 e tantos do segundo tempo. Se continuar assim pelo menos metade de nossa torcida não chega até o fim do torneio pra ver o time levantar a taça pois terá morrido de infarto.

    • Dentro da lógica do seu texto, Philipe, com o qual aliás eu concordo, quem não vai chegar até o fim do torneio é o Palmeiras. Essa lorota mística de “clima de Libertadores” só serve para embrulhar em papel de luxo um produto de terceira categoria, como são muitas das peladas disputadas em solo sul-americano. O Borja ter chutado o pênalti no West Plaza, apesar da raiva que deu na hora, eu perdoo (o Rafael Marques bateu três pênaltis em três decisões, errou todos e ainda é o queridinho do grupo), assim como algumas falhas individuais, sei que o técnico não tem liderança mas só vai sair mediante um vexame, porém imperdoável é o clube não ter se preparado psicologicamente para os fatores extra-futebol que envolvem essa competição.

    • Reynaldo Zanon 13/04/2017 | Responder

      A culpa não é do técnico se os nossos jogadores perdem gols como o que o William perdeu e o pênalti desperdiçado pelo Borja, entre outros lances absurdos. A vitória viria de goleada caso os jogadores marcassem gols feitos.

      • Marco 13/04/2017 | Responder

        Concordo com você, Reynaldo. Sem forçar a barra daria para ter feito uns 5 ou 6 gols

      • Não, o Bap de fato não entra em campo pra perder gols inacreditáveis ou pra chutar pênalti no West Plaza. Mas também não ajuda nada tirando o cara que perdeu esse pênalti quase que imediatamente de campo, fazendo quase sempre as mesmas (e óbvias) substituições e não acalmando seu capitão e seu time na hora que precisa. Sem querer fazer comparações com os clubes, principalmente em termos de cobrança, em 2002 o São Caetano já estava começando a escalar o time pra decisão do mundial (ou intercontinental) contra o Real Madrid quando o descontrole emocional e o completo despreparo do Jair Picerni para uma conquista desse tamanho deu ao Olimpia a virada no placar e a vitória nos pênaltis. Técnico algumas vezes ganha jogo, outras vezes não faz diferença mas na maioria delas ajuda a perder.

        • Reynaldo Zanon 13/04/2017 | Responder

          Em relação ao Eduardo Baptista, ontem só não gostei (e não entendi) quando ele tirou o Guerra – que estava jogando muito bem e deixando nossos atacantes de frente para o gol – para pôr o Keno. O Keno até poderia entrar, mas não no lugar do Guerra.

  10. Alex 13/04/2017 | Responder

    Vi o VT agora há pouco. Guerra deixou cinco vezes os atacantes do Palmeiras na cara do goleiro. Cinco. Borja duas vezes, Bastos, William e o gol do Dudu.
    E o EB ainda tira o cara sob a desculpa do preparo físico.

    • Pois é, Alex, mas segundo alguns “jênios” comentaristas de resultados ele é melhor que o Cuca, afinal sofremos pra ganhar dos rebaixados (100% de aproveitamento é “sofrimento”).

      • Essa foi boa, Eduardo. Você consegue se contradizer em um comentário de 4 linhas e os outros que são “jenios”. Primeiro critica os “comentaristas de resultados” e depois usa os 100% de aproveitamento contra rebaixados como prova de que não havia sofrimento nos jogos do ano passado. Vc tem que se decidir. Se for analisar por aproveitamento, EB é de fato melhor que Cuca.

  11. Nataniel 13/04/2017 | Responder

    Na boa, esse esquema com três atacantes e o meio de campo vazio, deixando o Felipe Melo sozinho (o Tchê Tchê até hj não sei que posição joga, o cara tá sempre perdido em campo), não tem como dar certo. Pro Barça é legal, com o trio MSN, mas pra nossa realidade não tem como…
    O Dudu de capitão é uma piada, o cara é o mais desequilibrado de todos.
    Enfim, quase me mataram do coração com esse gol aos 55, fui dormir 2 da manhã por causa da adrenalina. Que baita vitória! Mas não dá pra ser assim sempre, tem q jogar, e pra isso só falta o treinador organizar.

  12. Leu 13/04/2017 | Responder

    Libertadores é isso mesmo. Sofremos por pura incompetência: falhas individuais na defesa (acreditei que havíamos achado a dupla “perfeita” para a zaga, mas o Dracena errou o “tempo de bola” nos dois gols; quanto ao Zé, infelizmente não dá mais; e o reserva não merece comentários. É possível inscrever novos jogadores na próxima fase? É urgente a contratação de DOIS laterais esquerdos. Não podemos perder tantos gols; até pênalti; aí fica difícil.

    • Sim, é possível fazer novas inscrições (na verdade, trocas) para as próximas fases, salvo engano até o início das semifinais, assim como o Atlético Nacional fez com o Borja em 2016.

  13. Danilo Peressim 13/04/2017 | Responder

    Esse time tem DNA vencedor e ponto! Querem show ? Sugiro uma Champions League… aqui é na camisa, na torcida, na pressão! A saída do estádio ontem foi épica, deveria ser um sentimento obrigatório pra todos que vivem dessa paixão! Estamos juntos, Palmeiras.

  14. Na boa,vi e revi o lance do William com o gol vazio e não teve nenhum “morrinho becão” que tivesse feito a bola quicar na hora do chute, o problema foi mesmo aquela dose de “Habilidol” que o bigode não tomou antes da partida…

    • Marcilio Jr 13/04/2017 | Responder

      Também tenho restrições ao nosso técnico como muitos, mas o jogo de ontem não da para reclamar. Muitas chances perdidas. Gols tomados de bola parada e o jg do tche tche que errou quase tudo e pior que não tem ninguém pra substituí-lo qdo ta mal. Liberta é isso , é aquilo, mas como jogador brasileiro é c.a.b.a.ç.o. também. Os caras entram numa pilha que é só isso que os uruguaios queriam, não ter jogo e o tempo passar. Do Juiz, pra quem acompanha futebol sulamericano, não temos que dizer nada , somente agradecer. Mas com esse futebolzinho que estamos jogando não da pra falar que seremos campeões, mas por incrível que parece também não pra garantir que não seremos. Nessa várzea mesmo que é a liberta, não precisa jogar bem, tem que ser eficiente, e ontem foram três pontos.

Leave Your Reply