Novorizontino 1×3 Palmeiras: virada e um pé na semi-final

O Palmeiras ganhou do Novorizontino por 3×1, de virada. Os gols do Palmeiras foram de Dudu, Borja e Roger Guedes. Eduardo, o ponta velocista do Novorizontino, fez 1×0 aos 11 minutos do 1o tempo.

O Palmeiras tomou um susto no início. O Novorizontino se impunha em campo na base da correria e das jogadas em cima de Egidio. No segundo lance do atacante Eduardo o gol deles.

A falta de Guerra na meia prejudicava a armação. Muitas jogadas lançadas ou cruzamentos sem perigo na área adversária. Mas o domínio do jogo já era palmeirense. No abafa saiu o gol de empate, de Dudu, aos 40 da primeira etapa.

Com o gol o time se acalmou. No 2o tempo o Novorizontino saiu mais pro jogo. O lance capital foi um chute de fora da área de Doriva que Prass fez grande defesa. Na sequência Borja recebeu de Mina em posição legal, matou no peito e fez 2×1.

Eduardo Baptista colocou Keno no lugar de Willian (regular), Michel Bastos no lugar de Dudu (apesar do gol, apareceu pouco) e no fim Erik no lugar de um Borja que estava pendurado com amarelo. O time melhorou. Criou mais chances. Até Erik chutar cruzado e Roger Guedes empurrar pro gol. 3×1. Com o gol, Guedes comemorou no alambrado e tomou o 2o amarelo. Vermelho e está fora do jogo de volta.

Fim de papo. Se o futebol apresentado não foi aquele espetáculo que o torcedor sempre espera, o Palmeiras dominou e mereceu vencer. Mina, Borja e Felipe Melo os melhores em campo. E Prass com destaque especial pela defesa salvadora do 2o tempo.

Se as coisas seguirem como se espera, o Santos será o adversário da semi-final.

Saudações Alviverdes!

38 Comments Added

Join Discussion
  1. Luiz Penchiari 05/04/2017 | Responder

    Será possÍvel que o Mattos e os recursos da Crefisa não entenderam ainda que precisa pelo menos um lateral esquerdo de bom nivel URGENTE ????? o gol do Novorizontino fala por si só.
    Zé Roberto muito obrigado mas não dá mais, Egídio uma piada não marca ninguém ele pensa que é ponta esquerda.

  2. Philipe Frois 04/04/2017 | Responder

    Tenho visto na maioria dos comentários algo q acho q é unânime na nossa torcida, a preocupação com nossas laterais. Eu sinceramente não vejo nomes no cenário nacional e com custo acessível pra chegar , vestir a camisa e nos deixar tranquilos. Acho que as laterais hj são problemas graves pra pelo menos 90% dos times brasileiros. Ano passado já sofriamos com isso mas bem menos por causa do sistema de jogo. Hj vejo o time muito mais exposto, tomando muito mais contrataque e com muito menos pegada quem em 2016 e pra mim isso se deve ao técnico. As laterais estão fracas sim, mas o treinero tem que dar um jeito de reforçar a cobertura, pegar no pé dos pontas o tempo todo voltar e ajudar na marcação, compactar mais o time, aproximar as linhas , sei lá, só sei que não dá pra tomar um gol como tomamos domingo onde o Dracena erra o bote praticamente no meio campo e aí o atacante dos caras tem uma avenida pra avançar sozinho pra sair na cara do Prass. E contra o Audax entao!? Aquele gol de contrataque no fim do jogo , vencendo o jogo foi algo de sub15. Ridículo!

    • A questão principal é que por mais que careçamos de um treinador top, que possa suprir determinadas deficiências, nem Cuca, Guardiola, Tite ou Zé Mourinho podem retardar a idade do Zé, a falta de intimidade com a bola do Fabiano e as limitações do Egídio. Também não consigo ver nomes inquestionáveis de laterais nos times brasileiros, mas usou-se esse argumento nas duas últimas temporadas em que praticamente passamos sem meias na equipe muitas vezes para justificar as ligações diretas. Não dá para aceitar simplesmente um “não tem outro, vão esses mesmos” num setor crucial do time, isso pode custar campeonato(s).

      • Marcilio Jr 04/04/2017 | Responder

        Concordo com as duas colocações…..time totalmente exposto. Ano passado o Cuca falava pros pontas ajudarem e ainda tinhamos o Moisés que também roubada varias bolas. Não era um futebol bonito porém pragmático e devido a fila o que importava era o titulo. No Domingo jogamos só com 3 marcadores….Mina, Dracena e Felipe Melo, o resto atacantes e laterais que não marcam. Contra a Ponte e JW mesma coisa, só que contra a Ponte eles tinham mais qualidade no ataque. JW se tivesse um pouco de qualidade poderíamos ter perdido, devido a quantidade de contra ataques que demos. Contra o Santos a mesma coisa, sufoco até os 30 do segundo. Ganhou blz…o tecnico é estrategista. Mas com o futebol jogado não me iludo. Também vejo uma deficiência no elenco no meio/volantes. Arouca desde o ano passado vive machucado. O Mattos tem que arrumar um segundo volante para o Brasileiro, Liberta e CB.

    • marcilio jr 04/04/2017 | Responder

      Tem que melhorar muito. Espero estar errado mas com o futebol jogado não é garantia de titulo, nem no paulista.

    • Matheus 04/04/2017 | Responder

      Sem contar que nossa carência está nas laterais, não no meio/ataque.

  3. Renato 03/04/2017 | Responder

    Mudando de assunto , parece que finalmente o sonho dos marginais será realizado. Valdivia no curintia.
    Sonho antigo deles , mas não é o chileno chinelo.

  4. Leu 03/04/2017 | Responder

    Jogo complicado; bom resultado.
    Continuo insistindo: é urgente a contratação de um lateral esquerdo: o amiguinho do Mattos é uma piada: no primeiro tempo 03 tentativas de cruzamento as 03 acertaram o marcador e ainda deixaram o indivíduo bater uma falta que foi pessimamente cobrada. Agora volta o Zé e a “avenida” continua.

  5. lito 03/04/2017 | Responder

    Podem discordar, mas somente o Cuca pode dar jeito. O time com o E B, não mostra a mesma garra que mostrava com o Cuca.
    É preciso tomar cuidado, pois caso o verdão não consiga ganhar o Paulista, ou principalmente a Libertadores, o sapo-boi já está pondo as garras de fora, e aí vem aquele revolução, trazendo (com todo respeito) o Picerni, Parraga etc. Nosso presidente também precisa mostrar porque veio, não deixar o Mustaphá querer mandar em tudo.

    • Philipe Frois 04/04/2017 | Responder

      Concordo com vc Lito. Pra ganhar o paulistinha com esse futebolzinho aí até dá. Mas o Brasileiro é um campeonato onde é preciso encarar cada rodada com o máximo de seriedade e concentração. O Cuca provou isso ano passado e inclusive arrumou briga com muita gente lá dentro por nao deixar a vaca deitar em momento algum. Com o EB é praticamente impossível ser campeão brasileiro.

      • Esse time com um técnico meia-boca pode ganhar o Paulista e até mesmo um torneio mata-mata, dependendo de uma noite inspirada de quem decide dentro de campo (vamos lembrar que Carpegiani, Valdir Espinoza e até Celso Roth já foram campeões da América). Mas só com um técnico acima da média venceremos um campeonato que exige “38 finais” em sete meses. E apesar de já ter dispensado as fraldas em algumas situações, o Baptistinha definitivamente ainda não é esse técnico.

Leave Your Reply