Paulistão 2017: Palmeiras x Ponte Preta abrem as semi-finais

Começam as semi-finais. Palmeiras x Ponte Preta, em dois jogos, disputam o direito de ir à final do Campeonato Paulista 2017.

Os regionais já há muito tempo são considerados uma grande pré temporada. São 12 partidas em turno único onde o esquema é montado para os 4 grandes chegarem nas semi-finais. Afinal eles ficam em grupos separados, não concorrem entre si, e a partida mais importante é nas quartas de final quando joga contra o segundo da sua chave. Aí a lógica é passar todos os grandes para se encontrarem nas semi-fianais. Às vezes um dos grandes perde a passada e fica pra trás. Dessa vez foi o Santos, que deu a vaga para a Ponte Preta.

E é exatamente aqui que a coisa começa a pegar. A Ponte Preta, em tese, com um orçamento que deve ser menos de 10% do Palmeiras, não pode ser considerado adversário difícil.

Será?

As últimas partidas – seja com Eduardo Baptista no comando da última, seja com o festejado Cuca – sempre foram complicadas. Desde 2015, nas últimas 7 partidas, foram 2 empates, 4 derrotas e apenas uma vitória. Na Arena Pantanal, que era mando da Ponte. O Palmeiras venceu por 2×0. No Allianz Parque ainda não vencemos. E as duas últimas no Moisés Lucarelli, perdemos. A última, 18 dias atrás, perdemos por 1×0.

E aí?

Eduardo Baptista portanto terá a chance de ganhar mais pontos com a torcida classificando o Palmeiras em duas partidas contra a Ponte. A torcida espera não somente a classificação com vitórias, mas também jogando bem. Para Eduardo – sempre tendo seu trabalho questionado pela maioria dos palmeirenses – pegar a Ponte Preta (último time que dirigiu) deveria ser uma vantagem. O Palmeiras terá torcida no Moisés Lucarelli, Eduardo conhece bem os jogadores adversários e o estádio, e convenhamos é sempre melhor pegar um “time pequeno” do que um clássico nessa fase.

Por outro lado, se o pior acontece, o tombo é maior. Ao mesmo tempo o adversário é um franco atirador. Pra ele, já chegou longe demais. Qualquer coisa daqui pra frente é lucro pro time de Gilson Kleina (ele mesmo).

Então o que esperar?

O Palmeiras deve vir a campo com a melhor formação que tem disponível.
Fernando Prass; Jean, Yerry Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo; Willian, Tchê Tchê, Guerra e Dudu; Miguel Borja.

Os “outros” titulares – Michel Bastos, Keno, Roger Guedes – devem ficar no banco e entrar durante o jogo. Espera-se um time pegador contra um time que vem pra cima, principalmente jogando em casa. O jogo é de 180 minutos. Hoje são os primeiros 90. Que Eduardo Baptista tenha sorte e juízo.

Ah, e olho. Felipe Melo, Jean, Keno e Antonio Carlos estão pendurados.
O jogo é às 16 transmissão da Globo. E o árbitro é Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, com Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Daniel Paulo Ziolli.

Saudações Alviverdes!