Categorias
Resenha dos Jogos

Pós Jogo Inter 2×1 Palmeiras: que sufoco!

O Palmeiras perdeu para o Internacional por 2×1 no Beira Rio. Mas no resultado combinado conseguiu passar para as 4as de final da Copa do Brasil.

Mas foi no sufoco!

O Palmeiras veio escalado com Prass, Fabiano, Mina, Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê e Jean; Roger Guedes, Willian e Dudu. Mas o time jogou mal. Muito mal. Os primeiros 10 minutos lembraram a partida contra a Ponte Preta. Os colorados jogavam na pressão no campo palmeirense. E o time estava apático, errando passes fáceis, com alguns jogadores – como Dracena e Jean – cometendo erros infantis. O Inter teve três chances e na terceira fez 1×0.

Aí os gaúchos recuaram. E o Palmeiras equilibrou. Mas ainda jogava mal. Não criava. Willian, Guedes, Dudu, não conseguiam levar perigo. Jean muito mal em campo. Tchê Tchê não aparecia. Aí Dudu se contundiu. Cuca colocou Keno. Ineficaz.

Veio o 2o tempo. O time melhorou um pouco. Saiu Dracena com um amarelo e jogou muito mal. Foi Felipe Melo para a zaga e veio Thiago Santos. Mas logo o Inter fez 2×0. Guedes perdeu uma bola no ataque e o inter veio pelo lado esquerdo da defesa palmeirense (Zé hoje também deixava muitos espaços nas costas) e tomamos o segundo gol.

Borja entrou no lugar de Guedes. O time foi pra cima no bumba meu boi. Willian botou uma bola na trave. E na base do chuveirinho, um gol salvador. Jean cruzou e Borja cabeceou e bateu em Thiago Santos. Gol! E a classificação.

Ah! Dois penais não marcados pelo árbitro Ricardo Marques Ribeiro (avisamos no pré jogo; veja aí abaixo). E um impedimento duvidoso de Roger Guedes que seria o gol de empate palmeirense.

O Palmeiras cansou de perder partidas e classificações jogando bem. Hoje jogou mal e se classificou. Futebol é isso. Cuca fez sua 6a partida. Que a partir da sétima o Palmeiras comece a jogar a bola que o torcedor espera.

Saudações Alviverdes!

***

PRÉ JOGO

O Palmeiras pega o Internacional nesta 4a feira, às 21h45, no Beira Rio. É a segunda partida das oitavas de final da Copa do Brasil.
Na partida de ida o Verdão ganhou por 1×0 no Allianz. Empate ou derrota por 1 gol (desde que o Palmeiras marque ao menos 1) classificam o Palmeiras em Porto Alegre.

O ADVERSÁRIO

O Inter passou por uma pequena crise nos últimos dias. Zago perdeu o emprego. Guto Ferreira foi contratado mas não sentará no banco hoje. O time colorado será comandado pelo auxiliar Odair Hellmann e tem três desfalques: Marcelo Lomba (em recuperação de lesão na coxa), Keiller (sofreu luxação no cotovelo) e William Pottker (não pode atuar na Copa do Brasil).

Do resto, vem com o time completo e é franco atirador. Jogo de risco!

O VERDÃO

Depois da derrota (argh) no último sábado, Cuca terá quase time completo. Guerra é o desfalque das últimas partidas. Nem viajou. Dracena e Zé Roberto voltam.

Assim o treinador deve vir com Jean. A dúvida é se ele vai com Jean na meia ou na lateral e se entra com Raphael Veiga no lugar de Guerra.

A redação do 3VV jogou búzios hoje pela manhã e chegou ao seguinte time que deve entrar em campo:
Prass, Fabiano, Mina, Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Jean, Tchê Tchê; Roger Guedes, Borja e Dudu.

Mas olho que Raphael Veiga pode entrar nesse time.

ARBITRAGEM

Ricardo Marques Ribeiro (FIFA), auxiliado por Marcio Eustaquio Santiago e Pablo Almeida da Costa.

Pior que esse só se fosse o Simon. Pelo menos no retrospecto. Apitou 14 partidas do Verdão, com apenas 4 vitórias e 7 derrotas. Somente contra o Inter apitou duas vezes, as duas em 2014, onde perdemos as duas. Ok ok que naquele ano o time era horrível. A favor do árbitro pesa o fato que apitou a final da Copa do Brasil de 2012 contra o Coritiba lá no Couto Pereira quando fomos campeões.

De qualquer forma… olho nele também.

RETROSPECTO

Não perdemos desse time desde 2015. Nas três últimas, com Cuca, ganhamos as três.
Não vale a pena olhar o retrospecto geral.

***

Vamos pra cima. Jogo pra ter ao lado Rivotril, desfibrilador e um bom vinho.
Saudações…

252 respostas em “Pós Jogo Inter 2×1 Palmeiras: que sufoco!”

Enquanto nosso técnico milionário não sabe quem escalar amanhã e o pessoal pede tempo, os marginais que no começo do ano eram a quarta força já estão sete pontos na nossa frente. Não, não acho que eles serão campeões, mas neste momento tudo dá a entender que também nem chegaremos perto disso.

Daqui a alguns dias, acho que na sétima rodada, vamos jogar na Vila, e a continuar nesse ritmo reabilitaremos as sardinhas em lata. Daí vai ter gente dizendo – e o que é pior, acreditando – que o Santos atuou como se tivesse Pelé e Coutinho em campo novamente, quando nós é que estamos revivendo os tempos de Darinta e Jaime Boni.

Assistindo Inter X Juventude pela série B. Meus Deus, como é que quase fomos eliminados por essa porcaria de time eu não sei.

Quase fomos eliminados porque quando um time porcaria encontra outro que escala idosos, gente desinteressada, ex-jogadores em atividades e meros atletas esforçados improvisados fora de suas posições há um “equilíbrio de forças”…

O Internacional, depois de parecer o Real Madrid contra o Verdão, empatou em casa com o Juventude – que merecia vencer – jogando muito mal. Depois quando digo que a melhor partida do ano de todos os times é sempre contra o Palmeiras, há quem conteste.

Acho que é o Palmeiras que anda fazendo suas piores partidas sempre.

Contesto mesmo e vou contestar sempre. E o Gustavo deu a resposta. Não foi o Inter que jogou como Real Madrid, o Palmeiras é que atuou como o XV de Campo Bom. Quem não enxerga isso tem problemas.

O Palmeiras jogou mal, sem dúvida, mas até os comentaristas das TVs diziam que o jogo do Internacional contra o Palmeiras estava sendo o melhor do ano do time gaúcho.

Quer dizer então que a final do Mundial será entre Palmeiras e Real Madrid? Nessa hipotética final, hoje, parece impossível uma vitória e impossível parar o Cristiano Ronaldo, mas como falamos de futebol, em 6 meses tudo pode estar diferente. Lembrando que levamos vavantagem no confronto histórico como clube espanhol.

Mais devagar, não é bem assim. O Real certamente sentirá o trauma do retrospecto negativo numa final contra nós, mas antes de chegar lá poderá pegar uma pedreira como Pachuca ou Al Jazira, duas grandes potências mundiais, e ficar pelo caminho. Mas se passarem, fatalmente a velocidade do Felipe Melo, a habilidade do Zé Roberto e a experiência do Edu Dracena vão parar o time merengue, que nem vai ver a cor da bola, e o Borja vai vingar 2016 e meter três gols no Navas…

Numa hipotética final de mundial entre Palmeiras X Real Madrid, só o imponderável faria com que saíssemos vencedores. Não dá. Hoje, com essa defesa que temos, e que não irá mudar até lá (e se conseguirmos mesmo vencer a Libertadores), tomaríamos de 12-0 do Real Madrid. Sem ironia. Tomaríamos de 10 pra cima. Tem que ter muito milagre. Temos que desde já rezar uma novena pra ganhar a Libertadores e se conseguirmos ganhar, fazer uma vigília toda noite, em jejum, pra chegar na final e ganhar do Real.

Acho que nem fazendo novena com promessa de ir de joelhos até a Ilha de Páscoa com a imagem de San Gennaro nas costas nos daria o título da Libertadores, quanto mais o do Mundial, mas como o que o palmeirense mais fez neste século foi acreditar no impossível, quem sabe…

Muito engraçadas todas essas ironias, só quero lhes lembrar que no ano passado o Real Madrid, com Cristiano Ronaldo e tudo, precisou da prorrogação para passar pelo Kashima.

Também não sei a quem você se refere sobre ironias, eu falei sério… Agora, com todas as limitações do futebol japonês, o Kashima Antlers hoje não é pior que Jorge Wilstermann, Atlético Tucumán ou do que o atual Peñarol, e em determinadas ocasiões também precisamos de “prorrogação” pra bater nesses bêbados, então antes de olhar a calça rasgada do vizinho é melhor olharmos como nos vestimos.

O que eu quero dizer e você, Eduardo, parece não conseguir entender é que hoje, reconheço, parece impossível bater o Real Madrid, mas daqui a 6 meses tudo pode mudar. Essa é a história do futebol e você tem problemas com a História, já percebi.

Não teremos mais a reedição da final do mundial de 1951.
Juventus 1 x 3 Real Madrid.
22 minutos do 2o tempo.

Mais fácil a Juve virar que o Palmeiras vencer a libertadores jogando esse futebolzinho…

Caro Antonio torci pela Juventus hoje pensando numa hipotética final lá em Dubai.
A realidade bem verdadeira é que não temos futebol para vencer nem Atlético Mineiro e nem Coritiba na sequência do campeonato brasileiro.

Bem que a dona Leila poderia estar assistindo esse jogo entre Real Madrid x Juventus e aproveitar essa nova janela de transferências e contratar uns 2 jogadores de cada time….

Pra quê, pra chegarem aqui e virarem reservas do Felipe Melo e do Zé Rovéio porque o técnico não tem coragem de barrá-los? Deixe-os felizes por lá mesmo.

Ih! Acho que não teremos em Dubai a repetição do Mundial de 1951.
Tem um tal de Cristiano Ronaldo ai que não sabe brincar….

Caríssimos Eduardo e Gustavo, também fico p… com o modo como estamos jogando, mas o Cuca chegou há “apenas” ( digo entre aspas porque ele já conhece boa parte do elenco há tempos) 15 dias e o time perdeu duas peças ( Moisés e Jesus) que faziam a diferença toda! Tivemos pelo menos 3 meses de paciência com o Fraldão Sortudão, então eu acredito que dar mais uns 15/20 dias ao Cuca serão suficientes para ele: detectar quem não está sendo bom de grupo e afastar, montar o melhor esquema com as peças que tem, treinar os jogadores nesse novo esquema, por isso digo que agora é aguardar, mas fiquem certos , também estou agoniado de ver esses pontos perdidos agora e sei que farão falta lá na frente…

Entendi sua colocação, Marcelo. Entretanto, se amanhã contra o Galo ele insistir em jogar com Zé, Dracena e William de centroavante, vai parecer muito mais que quer impor suas convicções pela teimosia do que realmente encontrar o melhor time dentro do elenco que tem, e se isso acontecer já teremos desperdiçado três rodadas à toa. Acho que já houve tempo suficiente para ele perceber com quem não pode mais contar, seja física, moral ou tecnicamente. E com todo o respeito, já sabíamos que perderíamos o Jesus há praticamente um ano, se não há como substituir um jogador como esse (que não atuou num monte de jogos no BR-2016 nos quais praticamos um futebol muito mais decente que isso aí) deveria ser obrigação já ter desenvolvido um esquema sem ele, então essa para mim é a muleta mais perfeita para justificar a incompetência generalizada que impera no clube em 2017.

Sabe, eu penso que a única ajuda que um técnico pode dar dentro de campo é não atrapalhar. A grande virtude de um técnico, para mim, e aquele que sabe “fechar o grupo”. É pessoal mesmo, relacionamento. Fora isso são todos iguais. Não estou gostando muito desse novo Cuca. Muito se achão, querendo inventar, criticando (mesmo que indiretamente) os jogadores, com discurso derrotista. Mas, vamos aguardar.

E vamos lembrar que o Cuca nunca foi um mestre (trocadilho infame, eu sei…) no bom relacionamento de vestiário, em nenhum time no qual trabalhou, e não será agora no meio de tanta cobra venenosa que isso vai mudar.

Como o clima anda meio baixo-astral, recomendo ao pessoal que queira dar boas risadas acessar o portal do Uol. Uma das manchetes da seção de esportes destaca que um ex-jogador dos marginais fez o gol que eliminou o Tolima da Sul-Americana, o que seria uma “quase vingança”. Seria algo como dizer que ao ganharmos a medalha de ouro sobre a Alemanha (time olímpico reserva) “vingamos” os 7×1. Só rindo mesmo…

No Uol também o “grande colunista” Perrone citando a sua fonte Gilto Avalone (aquele mesmo conselheiro que entrou com uma denuncia na prefeitura sobre a derrubada de arvores na construção do Allianz). Além da raiva com este futebolzinho ridiculo jogado por nosso time , ainda temos que engolir certas materiais da imprensa sensacionalista. v.t.n.c.

Esse negócio da imprensa de que o time que mais investiu, time milionário tá enchendo o saco, tirando o foco dos jogadores. Agora, Zé Roberto (super choque) e Edu Dracena não dá mais. Mas o Cuca é fera, sabe o que faz, vamos dar tempo ao tempo.

Ano passado o Cuca teve 4 derrotas nos primeiros jogos, estudou os jogadores nesse período, afastou alguns que não faziam bem ao grupo ( troca com o cruzeiro), acertou o esquema ideal para aquilo que ele queria, cravou que seríamos campeões e fomos! Agora creio que devemos dar esse tempo a ele e aguardar como ele vai montar esse novo time, a hora é de aguardar…

Verdade. Só que esse ano ele tá com uma cara de que chupou limão, uma fisionomia de derrota, de quem não queria voltar. Tanto é que está choramingando que é muita pressão pra ganhar tudo, que o time está pior que o ano passado, e blá blá blá. Tá estranho.

A hora é de aguardar até mais ou menos o término do primeiro turno (quando supostamente haverá semanas livres para treinos, apesar de que sempre que isso aconteceu o time voltou pior) com o Palmeiras no meio da tabela repleto de resultados pífios, é isso? Aí, como num passe de mágica, vamos ganhar os 19 jogos do returno, porque até lá naturalmente o Cuca terá encontrado o time ideal no meio de tantos craques, e partir para o deca, correto? Só queria entender o “caminho das pedras”…

Você está insinuando que devemos trocar de técnico? Me diga então qual é a solução para o Palmeiras?

Quem está falando em troca de treinador? Tá maluco? O profissional (muitíssimo) bem remunerado foi contratado pra encontrar em meio a tantos recursos a melhor formação para que o Palmeiras tenha um time que minimamente mostre futebol e dispute de verdade as competições das quais participa. Competência para isso ele tem, mas se ficarmos apenas “aguardando” como foi sugerido, o campeonato chegará à metade com a gente na metade da tabela, aí em 2018 teremos todo o primeiro semestre pra nos dedicarmos apenas a Paulista e Copa do Brasil, é isso que você quer? A hora é de trabalhar, deixar de lado teimosias, rever conceitos, colocar pra ontem os melhores (técnica e fisicamente) em campo, cobrar dos jogadores empenho em todos os jogos, mandar embora (seja via janela de transferências ou via janela na parede mesmo) quem não estiver comprometido e não fazer cara feia quando for cobrado pela imprensa nem pela torcida. A solução para o Palmeiras é essa.

Exatamente oque eu pensei, lembrou o jogo da Ponte e olha que não era o mesmo treinador. Baitá má vontade.

Os comentários estão desativados.