Opinião: Campeão Mundial 1951

V. Criscio

Uma das coisas que mais me incomoda é o desprezo ao passado.
A qualquer passado.

Alguns entendem como o poeta que o passado é aquilo que não conseguimos ser.

Eu não!

Pra mim não existe futuro sem passado. Seja porque evoluímos a partir dele. Seja porque queremos reafirmar aquilo que foi bom. Seja porque não queremos repetir os erros anteriores.

Por isso faço toda a referência a 1951. 22 de julho. O Palmeiras foi campeão da Copa Rio, na época conhecido e reconhecido como Mundial Interclubes.

A história do Mundial de 1951 a maioria dos palmeirenses conhece, e quem ainda não, siga os links ao final do texto. De forma até surpreendente alguns palmeirenses ilustres, jornalistas reconhecidos, brigam contra a história e não reconhecem como Mundial. Talvez para fazer uma média com a torcida adversária, talvez porque querem acreditar nisso mesmo. Esse deixamos pra lá.

Outros palmeirenses, mais críticos, afirmam que temos que nos preocupar com o presente e ganhar um Mundial hoje. Não estão errados. Os tempos são outros e para a nova geração de palmeirenses pensar em 66 anos atrás é algo muito abstrato. Querem o título hoje. Tá correto!

Mas uma coisa não invalida a outra. Que o Palmeiras monte times competitivos para ganhar o título mundial hoje organizado pela FIFA. Que seja campeão da Libertadores em 2017, 2018, 2019, … até em algum momento ganhar o título. Não porque seja uma obsessão – isso eu acho bobagem, afinal o Campeonato Brasileiro é o maior título nacional do país pentacampeão mundial de futebol e deveria se bastar por si mesmo. Mas disputar sempre o título intercontinental e vencer algumas vezes é obrigação – mais que obsessão – para um time como o Palmeiras. E se disputar com frequência o Mundial, em algum momento vai ganhar. Simples assim.

A única nota crítica que faço nesse contexto todo é a pouca ênfase que nossa diretoria de marketing deu à data. Tirando alguns vídeos da TV/Palmeiras e um post de destaque no site, nenhuma ação contundente pra celebrar essa importante data. Mas reconheçamos que essa diretoria tomou a iniciativa em colocar a estrela vermelha na camisa, depois de tantos anos e gestões que passaram e pareciam ter vergonha desse título.

Que o palmeirense e o Palmeiras celebrem o passado vitorioso. Que celebrem o Mundial de 51, também conhecido como Copa Rio. E que o presente e futuro reafirmem as glórias do passado e sejam uma evolução do que passou.

Saudações Alviverdes!

***

No Maracanã Palmeiras bate Juventus e é campeão mundial (Site Palmeiras);

Fifa exalta o título do Palmeiras de 1951: o primeiro campeão global (ESPN);

Ministro recebe da FIFA a confirmação Palmeiras campeão Mundial de 1951;

Especial 1951 (Youtube, Tv Palmeiras);

51 é Pinga e Palmeiras é Mundial (Youtube, TV Palmeiras);

Entenda como o Mundial do Palmeiras deu origem à Liga dos Campeões (UOL);

13 Comments Added

Join Discussion
  1. lito 24/07/2017 | Responder

    É isso ai Vicente. Tudo que vem do verdão, incomoda a impressa marron.

  2. Parabéns pelo texto!! Campeões mundiais sim, ganhando o maior torneio interclubes já realizado na história do futebol até hoje.

  3. Meu pensamento sobre o assunto é exatamente o do post.

    Mas que é irritante ler opinião de piá de 18 anos, geração huehue br, e gamba, sobre assunto, é. Mentes bestializadas são imunes a cultura, raciocínio lógico, evidências, etc.

  4. Levi 23/07/2017 | Responder

    Os gambás estão sabendo valorizar os 3 pontos nesse campeonato, jogando mal ou bem, estão somando 3 pontos e em um campeonato de pontos corridos é o que conta. É quem ganha o título entra para a história.
    Assim como os bambis foram tri-brasileiro jogando por 1 bola.
    Só nesse blog existe essa abóbri.nha criada por um e outro. O que os torcedores querem é título.

  5. Essa postura de desprezo ao passado é adotada principalmente por aqueles que acham que o mundo só começou depois que eles nasceram. Existem palmeirenses que também pensam assim, aliás não por coincidência muitos são os mesmos que valorizam “os três pontos” acima de tudo. É um problema de nossa cultura cada vez mais imediatista. O Genoa venceu o primeiro campeonato italiano em 1898, que foi disputado entre quatro equipes (sendo três da cidade de Turim), ganhando dois jogos no mesmo dia e no mesmo estádio. Esse título para os italianos vale tanto quanto os últimos conquistados pela Juventus em longas temporadas de 38 jogos, simplesmente porque aquela primeira taça erguida pelos genoveses “era o que tinha de melhor” na época. E só pra completar, tanto a primeira Champions League (1955-56) quanto o “primeiro mundial da FIFA” (2000) tiveram como base e espelho o modelo da Copa Rio 1951. Qualquer pessoa pode detestar fatos históricos, mas ninguém pode apagá-los.

  6. Gustavo Aroni 23/07/2017 | Responder

    Olha, que sem passado não existe futuro, eu concordo. O que não concordo é ficarmos abraçados a passado esse passado para justificar o que não está sendo feito no presente para chegarmos ao sonhado futuro. Penso o seguinte sobre 51: pra época foi Mundial, hoje esse título está obsoleto (e pra mim esta estrela vermelha no uniforme já prescreveu, já passou o tempo de colocá-la), e temos que ganhar um Mundial como manda o figurino, com Libertadores, e Mundial de Clubes com os representantes de todas as Confederações, até pra acabar de vez com qualquer obsessão. E o dia que o Palmeiras ganhar esse bendito (ou maldito?) Mundial de Clubes, não vou me preocupar mais (até que volte a ser obsoleto de novo) com resultado algum, mas apenas com o bom futebol apresentado pelo time.

    • Pois eu vou continuar me preocupando sempre com o bom futebol apresentado pelo Palmeiras, que este ano por sinal só deu as caras em alguns momentos. Se vier mundial ou não, isso não vai fazer o clube maior ou menor. Há os que dizem que fulano não é grande jogador porque não venceu Copa do Mundo, então baseado nisso eu devo acreditar que Ânderson Polga, Paulo Sérgio e Viola são melhores que Zico, Sócrates e Falcão (pra ficar apenas no contexto tupiniquim), certo? Errado!

    • ugo 24/07/2017 | Responder

      como sempre o amigo so fala merda

      • Gustavo Aroni 24/07/2017 | Responder

        Não sei se foi referente ao meu comentário. Mesmo que não tem sido, apareça mais, comente mais, e não só de vez em nunca, antes de criticar o que alguém posta.

  7. Levi 23/07/2017 | Responder

    Em 1951 o Brasil tinha 55 milhões de habitantes…. e mais de 1 milhão foram às ruas comemorar esse feito. Mas a tupiniquim press clubista desdenha desse feito. Qual time consegue levar esse montante de gente hoje em dia às ruas? Qual time já representou inteiro a seleção brasileira? Palmeiras na abertura do mineirão. Qual clube já ganhou todos os títulos nacionais e é o maior campeão brasileiro?….. Só a inveja e a falta de ca.ráter de nossa tupiniquim press é capaz de ignorar isso é ainda debochar da História e o pseudo palmeirense pvc…. que nem nascido na época era.

  8. mario luiz 23/07/2017 | Responder

    Criscio o seu respeito ao passado é típico de um conservador (no melhor sentido da palavra), você assim como eu sabe que um povo sem passado, sem tradições é um povo sem futuro pois quem não aprende com seus error está fadado a repeti-los eternamente. Quanto ao Mundial de 1951, o nome já diz tudo, foi, é e sempre será um MUNDIAL, na verdade foi o primeiro que se disputou e quem não entende isso ou é inculto pois não conhece a história ou é mau intencionado, falta de conhecimento, embora ruim, não desabona ninguém, mas má fé já é outra coisa.

Leave Your Reply