Balanço Brasileiro 2017 R19: de protagonista a coadjuvante

Nem o mais pessimista dos palmeirenses esperava: após 19 rodadas do Brasileirão 2017 o Palmeiras passou de favorito a um mero espectador do atropelo do principal rival do futebol brasileiro.

Agora estamos aqui: temos ainda a Libertadores (partida decisiva na 4a feira) e sem dúvida se o time for campeão da Libertadores tudo o mais será esquecido. Mas nesse momento o Brasileiro 2017 passou a ser apenas uma disputa pelo G4.

OS NÚMEROS DO PALMEIRAS

Se comparado o Palmeiras do 1o turno de 2016 x o 1o turno de 2017, é pior, mas não tanto.
Senão vejamos:

Campanha SEP 1o turno de 2016:
19 jogos
11 vitórias
3 empates
5 derrotas
35 gols pró
20 gols contra
36 pontos
1o lugar

Campanha SEP 1o turno de 2017:
19 jogos
10 vitórias
2 empates
7 derrotas
28 gols pró
20 gols contra
32 pontos
4o lugar

Menos gols pró (efeito Jesus? Borja?), uma vitória a menos e duas derrotas a mais. Desempenho da defesa igual.
Mas o desempenho que deixou a desejar foi dentro de casa.

Jogos como mandante em 2016:
10 jogos
8 vitórias
1 empate
1 derrota
22 gols pró
6 gols contra
83% aproveitamento dos pontos disputados

Jogos como mandante em 2017:
9 jogos
6 vitórias
1 empate
2 derrotas
15 gols pró
6 gols contra
70% de desempenho

A torcida por seu lado compareceu. E bem! Melhorou o público médio no Brasileiro. Mas baixou a renda média por conta de um ticket médio mais baixo. Isso em valores absolutos, sem considerar a inflação. Em outras palavras o público cresceu (apesar da Libertadores e Brasileiro, que consumiram parte do caixa disponível pelo torcedor) e o preço baixou.

2016 (19 jogos, nos dois turnos):
Público médio: 32.682 pagantes
Renda média: R$ 2.227 mil
Ticket médio: R$ 68,14

2017 (9 jogos):
Público médio: 33.065 pagantes (+1,17%)
Renda média: R$ 2.024 mil
Ticket médio: R$ 61,21 (-10%)

OS ADVERSÁRIOS

O campeonato está mais disputado ou mais fácil?
Difícil dizer. O rival da Marginal s/ número sem dúvida surpreendeu mais que os outros. Seu time tem um estilo de jogo (mérito para o treinador) que reconhece as limitações e joga no erro do adversário. A defesa é firme (melhor do campeonato, sofreu apenas 9 gols. A segunda melhor defesa sofreu 13 gols (Santos). O líder do campeonato tem o segundo melhor ataque (32 gols) ficando abaixo apenas do Grêmio (35 gols).

Outra constatação: os dois primeiros do Brasileiro 2017 têm desempenho que os colocaria como líderes do Brasileiro 2016 (Corinthians com 47 pontos e Grêmio com 39).

Outra constatação desta vez negativa para o Palmeiras: os 32 pontos no primeiro turno de 2017 colocaria o Palmeiras brigando com o Grêmio em 2016 pela 6a colocação (ano passado os gaúchos estavam com os mesmos 32 pontos em 6o lugar mas com 9 vitórias).

Outros indicadores

Os mandantes venceram 44% (83 partidas) e os visitantes 31% (59). 1×0 é o placar mais comum (25 de 189 jogos, ou 30%).

Daronco foi o árbitro que mais apitou: 10 partidas. Wagner Reway apitou 9 e depois Raphael Claus, Rafael Traci, Wagner do Nascimento Magalhaes e Marcelo de Lima Henrique apitaram 8 partidas cada um.

Em 189 jogos (lembrem-se que falta a partida Fluminense versus Ponte), foram distribuídos 826 cartões (4,4 por partida). O árbitro que mais aplica cartões é Wagner Reway que distribuiu 48 cartões amarelos e 6 vermelhos.

E vento que bate cá, bate lá: Atlético MG e Flamengo eram também favoritos. E os dois já trocaram seus técnicos e já deram adeus ao título.

A BOLA NÃO ENTRA – NEM SAI – POR ACASO… MAS NO FUTEBOL TUDO É POSSÍVEL

Mas da mesma forma que a bola não entra por acaso, ela também não vai fora por mero capricho da natureza. A campanha “ruim” no 1o turno – o adjetivo aqui está relativizado, óbvio, em função dos grandes investimentos feitos e de muito cocorocó na mídia – apresentou 10 vitórias e 7 derrotas. Com apenas dois empates.

Os motivos? Escolha aí:

– Um início de temporada com o treinador errado;
– o retorno do treinador vencedor ano passado mas que não estava alinhado ao elenco montado;
– um conjunto de contratações equivocadas e feitas durante o primeiro semestre comprometendo qualquer planejamento;
– uma priorização da Libertadores, levada à enésima potência, como se fosse o único título importante do ano; perda de pontos para times mal colocados por conta dessa priorização (Chapecoense, São Paulo, Coritiba, e o próprio Atlético PR)

Quem imaginaria? Até que Cuca conseguiu dar uma sequência boa de partidas antes da R19. Era animadora. Mas bastou colocar muitos reservas contra o Atlético Paranaense para o Palmeirense cair na realidade. Agora, 15 pontos atrás do líder significa que eles têm 5 rodadas de vantagem sobre nós em 19 ainda restantes.

Isso nos leva à triste conclusão que o Brasileiro passa a ser agora apenas para buscar o G4 e garantir a Libertadores ano que vem (caso dê errado a priorização prévia). Saímos da condição de protagonistas para coadjuvantes.

Mas… mas… no futebol nada é impossível.

21 Comments Added

Join Discussion
  1. Alex 09/08/2017 | Responder

    Pra mim a priorização da Libertadores reflete diretamente no fato de sermos coadjuvantes do brasileiro.
    Foram 12 pontos jogados no lixo (o que, mesmo perdendo 4, nos colocaria diretamente na briga pelo título) contra quatro adversários da parte de baixo da tabela, o que não aconteceu ano passado quando estávamos disputando apenas o campeonato brasileiro.
    Se todo ano que disputar a libertadores abandonar o brasileiro vai demorar pra sermos novamente campeões nacionais.

  2. Gustavo Aroni 08/08/2017 | Responder

    21⁴⁴, vou assistir o River Plate, pels LA. Se jogar mais que o Palmeiras vem jogando eu aviso.

  3. Fábio 08/08/2017 | Responder

    Se o Nobre não tivesse por esporte arrumar confusão com todo mundo, creio que o Cuca não teria saído. EB não teria vindo, e muitos jogadores que estão aí também não. Certamente estaríamos numa situação bem melhor, mesmo com os erros que o Cuca comete. A causa dos problemas está no ex-presidente, então? Eu acho que sim. Mas esta é apenas a primeira causa da sequência. A esta se somaram outras, algumas imprevisíveis, algumas que foram erros da atual gestão (que só são percebidos como erros depois que a bomba explode). Mas divagar sobre o que aconteceu fica para quando não sobrar mais nada para fazer no ano. Por enquanto, é força total na quarta! Ir com tudo pra ganhar mesmo sem o tal do bom futebol é o que temos no cardápio.

    • mario luiz 09/08/2017 | Responder

      Concordo 100%, realmente ninguém acreditava que os gambás iriam fazer o que estão fazendo e que algumas contratações como Borja se mostrariam tão equivocadas. Agora não adianta chorar o leite derramado, temos uma libertadores hoje e um brasileiro no final de semana, ou seja, bola pra frente.

  4. Faltou melhor visão pra contratar. Todos sabiam quem era o FM mesmo assim contrataram. Essas pseudo revelações de Curitiba, Goiás, não devem ser contratadas, esse tipo de jogador se forma na base.
    Oque acontece é que nossa categoria de base é improdutiva. revela um jogador a cada 20 anos e quando
    revela vende rapidinho pro primeiro que aparece.

  5. É amanha, quarta-feira!! Obrigação de se classificar e de conquistar a libertadores, caso contrário, pode se prepararem que a pressão será insulportável, anote aí.

    • Gustavo Aroni 08/08/2017 | Responder

      Imagina, Harley. Tá bom como está. Não dá pra ser campeão todo ano. Paulista não vale nada, Copa do Brasil já ganhamos em 2015, Brasileirão já ganhamos em 2016, Libertadores em 1999 e Mundial em 1951. Sem stress, deixe essa obsessão de lado.

  6. Gustavo Aroni 08/08/2017 | Responder

    Esse negócio de treinador errado no começo do campeonato, retorno do treinador vencedor não alinhado ao elenco (não?!! 🤔) e priorização da Libertadores é tudo papo furado. Lorota pura. O que falta é bom futebol, força máxima sempre e cumprimento de metas. O nível do futebol com o Bap e C.uca é o mesmo, até porque ambos são iguais, totalmente dispensáveis e ulpados. C.ulpado porque poupa. Prioriza a Libertadores por que quer. Perde pontos pra Chapecoense por que quer. Dá muito bem pra jogar todos os jogos com o melhor. Jogadores mimados ganhando fortunas para entrar em campo só de vez em quando. E o pior, se toma um gol do Barcelona de Mess…ops Guayaquil pode não ter valido nada essa frescura toda. Outra coisa,vse não disseram que não ia ganhar Libertadores (ou tudo), só veio negar depois que viram que 2017 não era 2016, que Libertadores o buraco é mais embaixo, que não dá pra se ganhar sempre sem jogar nada. Cadê o presidente? Qual é objetivo? E aí Crefisa, vai gastar mais quanto? A expectativa era de ser melhor que o ano passado sim! Tão querendo enganar o torcedor? Se cair quarta é vexame sim, acabou o ano. Cadê o futebol?

    • Eu também pensava assim. Mas lembrei que os jogadores não trabalham SÓ nos dias de jogos. Tem recuperação, condicionamento, treinos, etc, e tudo isso ocorre nos dias entre uma partida e outra. Dificilmente os caras tem mais que 1 dia de folga por semana, e para um esporte que exige alto rendimento, é fatal para faltar perna e começarem as lesões, ter de poupar, etc. Os gambas não poupam pq, alem de não ter elenco, estão jogando 1 vez por semana várias vezes. Nosso calendário tem sido muito mais extenuante. O nosso problema é outro. É que falta futebol mesmo. Assiste os gambas, e assiste a gente. A tática deles pode até ser simploria (retranca e contra ataque), mas presta mais atenção nos detalhes. Os jogadores driblam com total precisão, os passes são simplesmente perfeitos: vão na direção certa e para o companheiro melhor posicionado. E os chutes a gol são cirúrgicos, eles não chutam muito embaixo da bola para não subir, e sempre com força e efeito, na direção do gol.

      Sinto muito em dizer isso, mas pagamos caro em um monte de mais ou menos, e eles contratam jogadores do Bragantino, Onte Preta, e sobem da base, jogadores com potencial técnico muito melhor. Gastamos muito por causa de holofote de jogador, eles compram caras bons de verdade mesmo. Se tem um time que reproduz o filme “Moneyball”, são eles, não a gente. E pra finalizar, eles são treinados pelo Carille, o cara que aprendeu por anos com o Tite, não só os cobceitos mais modernos de futebol europeu, mas como gerenciar com justiça e igualdade os jogadores. Carille escala quem merece, ninguém entende direito as diretrizes do Cuca pra escalar (nem os jogadores mesmos entendem) .

      Me dá asco falar as qualidades de gambas, mas só vamos poder melhorar, quando pararmos de mentir para nós mesmos e encarar a realidade que está estampada em nossa cara.

      • Paulão 09/08/2017 | Responder

        Velho, concordo com (quase) tudo que vc falou, só preciso fazer uma observação, a meu ver muito importante, e infelizmente péssima para o Palmeiras: o argumento fajuto que nosso técnico cabeça e nosso diretor mito repetem diariamente (e você acabou acreditando, de tanto que eles repetem) é, além de fajuto, mentiroso. O timinho da marginal sem número jogou mais vezes em 2017 que o Palmeiras. Ou seja, essa historinha de que eles estão na liderança porque só tem o campeonato brasileiro pra disputar é uma lorota pra boi dormir. Ou como diriam os cultos, um colóquio para acalentar bovinos. Infelizmente nosso ano, pelo investimento feito, e pela expectativa criada, é bem abaixo do que deveria ser.

      • Wlademir Gaino 09/08/2017 | Responder

        Concordo com quase tudo que vc colocou, menos que as contratações dos gambás foram “melhores” (mais efetivas) que as nossas. Eles estavam (estão) falidos! Contrataram o que deu! Deram foi muita sorte de o time ter encaixado. O segredo deles, infelizmente, foi sorte acoplada à incompetência. Incompetência? Sim! Porque foram eliminados pelo Inter (!) na CdB e nem pegaram Liberta neste ano. Conclusão: têm mais tempo para treinar. Eles compraram caras bons na pura sorte, porque era o que tinha.

  7. Thom 08/08/2017 | Responder

    Não querendo fazer o advogado do Diabo. Mas MESMO se tivessemos feito a mesma pontuação do ano passado, o campeonato também estaria acabado pra nós.

    Então, ficar em 2 ou em 4 da na mesma.

    Resta saber se essa priorização da Libertadores dará resultado.

    • mario luiz 09/08/2017 | Responder

      Concordo, nosso desempenho não é anormal, o anormal na história é o time da marginal sem número, esse sim deve ter feito um pacto com o capeta porque eu nunca vi um time com uma pontuação como essa.

  8. Sobre o BR muito mais mérito dos marginais que desmérito nosso ou das demais equipes! Nossa campanha no primeiro turno é próxima da campanha que nos levou ao título em 2016 (36 pontos)!

    • Gustavo Aroni 08/08/2017 | Responder

      Então, mas uma prova de que não dá pra ganhar sempre jogando mais ou menos, sem bom futebol. Ano passado deu, esse ano, provavelmente, não dará. Mas a expectativa era de que teríamos um 17 melhor que 16. Eu esperava o mínimo de bom futebol. Não teve (até agora), com C uca ou com Coca. A Libertadores pode vir porque é o único campeonato que nos restou que dá pra ganhar sem jogar bom futebol o tempo inteiro. Basta empatar tudo 0-0 e ganhar nos penaltis. O Borja nem precisa fazer gol, só dar carrinho.

      • Breno Henrique 08/08/2017 | Responder

        Vou discordar um pouco de você cara. Os gambá não estão jogando bom futebol também, e faz tempo. Desde a época do Tite que eles não jogam bom futebol.
        O jogo dos caras ha muito tempo é retranca e se der faz um gol. Isso pra mim não é bom futebol, o que acontece é que os caras são MUITO bem treinados ha bastante tempo e o time deu liga, ai os movimentos que precisam ser coordenados acontecem de forma mais fácil, o que minimiza os erros individuais.

        • Gustavo Aroni 08/08/2017 | Responder

          Mas eu falei de gambás? Quem está falando de gambás é você, Majestade. Falei de Palmeiras que não joga bem desde o 1° tempo do jogo com o Inter, no Beira-Rio, no 1° turno do ano passado. Depois disso, só alguns lampejos, como contra o Novorizontino (que não sei nem em qual divisão do Brasil está), nesse Paulistão, e o técnico era o Bap . Os gambás deixo para sua análise.

          • O Novorizontino vai disputar série D no ano que vem, fruto da boa campanha no Paulista deste ano. No mais, não acrescento uma vírgula ao que você escreveu, a despeito do que pensam os adeptos do “bom futebol é abobrinha, o importante é o resultado”. Aliás espero que hoje à noite eles voltem com tudo, pois será um indício de que conseguimos a classificação.

  9. Carlos Braga 08/08/2017 | Responder

    BR17 já foi. Triste! Não apresentamos um bom futebol ainda esse ano. Alguns lampejos nas últimas rodadas, mas sem consistência ainda.
    Eu ainda acredito que a saída do FM veio em boa hora. E perdi as esperanças no Borja…. Infelizmente.
    E faltam laterais!!!

Leave Your Reply