Bem Vinda Associação Porto Verde

Que o Brasil é grande todo brasileiro sabe. Que a torcida do Palmeiras permeia esse país com dimensões continentais, o palmeirense sabe.

E pra alimentar essa paixão foi criada lá em Porto Velho, na distante (pra nós) Rondônia, a Associação Cultural e Esportiva Porto Verde de Rondônia.

A história é mais ou menos assim, e quem conta é o apaixonado palestrino José Wilson Serbino Jr, morador de Porto Velho. Em novembro de 2014 – ano do centenário – foi criado um grupo de WhatsApp pelo palestrino Miguel Monico, morador de Porto Velho. Nesse grupo o Miguel incluiu alguns palmeirenses da cidade. Tinha a intenção de aglutinar amigos em torno do Palmeiras, e sonhava com uma sede.

O grupo foi crescendo, e juntando pessoas que nem se conheciam. Mais de 250 membros, dentro e fora de Rondônia já estavam no grupo.

Então em 2016 os participantes mais ativos do grupo – Miguel, Serbino e outros – resolveram se reunir e trazer o Ademir da Guia na cidade. E tiveram que se organizar para alugar local, arrumar toda logística … e com essa movimentação, mais palmeirenses se juntaram ao grupo.

No dia do evento – que conta o Serbino, foi um espetáculo – havia um clima familiar, sem superlotação, onde os participantes do grupo do WhatsApp acabaram por se conhecer pessoalmente. E assim o Miguel resolveu ir pro próximo passo: aglutinar um grupo já falando da ideia da fundação de uma associação.

Antes disso alguns participantes do grupo lá de Rondônia já tinham vindo a SP pra assistir o jogo contra a Chape – aquele do título. Visitaram juntos o clube, e a sede do Dissidenti (Dissidenti, Caraivas, 44). A partir daí, virou nosso benchmarking. A turma do Dissidenti contou como criaram o espaço e essa foi a inspiração do Porto Verde.

No inicio deste ano o grupo começou a se reunir para colocar a ideia em prática. A coisa andou mais rápido depois que um grupo de amigos (que veio pro Grupo de Whats na época do Ademir) tomou a frente, arregaçou as mangas e materializou o sonho.

Hoje são 35 sócios fundadores. Levantaram fundos e com isso decoraram o local e equiparam minimamente. Ambiente familiar, com espaço Kids separado. A abertura “informal” do espaço teve a presença de Mirandinha, atacante palmeirense na década de 80, que hoje é treinador na região. Em dias de jogos fazem um churrasco, crianças jogam bola na frente, e a “parmerada” torce junto, se emociona junto, se alegra junto, e por que não, sofre junto também.

Neste sábado, no aniversário de 103 anos do Palmeiras, houve o jantar de inauguração formal, para mais de 100 pessoas. Massas, carnes, bebida…. molho branco, pesto (verde) e vermelho. Claro!

O propósito maior do Porto Verde é ser a casa da família palmeirense em Porto Velho e região, inclusive com local pra ver jogo também. Esperamos chegara no máximo a 50 sócios. Parece incrível, mas há também outros grupos de palmeirenses em Porto Velho, tão apaixonados quanto o Porto Verde. Então a concorrência lá é saudável.

A turma do Porto Verde está de parabéns. Abaixo um vídeo que está no Youtube com a mensagem de alguns palmeirenses ao novo local da família palmeirense em Porto Velho. E algumas fotos.

E ontem, neste domingo, já assistiram à vitória sobre o SPFC por 4×2. Começaram com o pé direito!

Parabéns Porto Verde!
Saudações Alviverdes!

Facebook: Associação Porto Verde

PS: e você, tem algum espaço parecido com o Porto Verde pelo interior do Brasil ou pelo mundo? Conte pra nós. blog3vv@gmail.com

***