Pós Jogo Palmeiras 1(4)x0(5) Barcelona: não deu

Não deu.
O Palmeiras ganhou por 1×0 e perdeu nos penais para o Barcelona (4×5).
Bruno Henrique e Egidio perderam as cobranças.

O palmeirense viu o jogo e não vamos nos alongar. Jogamos mal no 1o tempo e bem no 2o, com a entrada de Moisés e com Dudu na direita. Até ele ter que sair por contusão.
O gol de Moisés deu esperança que o Palmeiras venceria por dois gols no tempo normal. Keno mandou uma bola na trave e Deyverson marcou em impedimento ainda quando Dudu estava em campo.

Nos penais foi o que foi.

Agora é recolher os cacos.

Saudações Alviverdes!

212 Comments Added

Join Discussion
  1. Enquanto isso os caras com o bolso cheio e a torcida de cabeça baixa. A maioria desses jogadores p i c a r e t a s sabiam que não tinham bola nem culhão pra jogar no Palmeiras, porém , , cresceram o olho no salário e aí deu no que deu. Já deviam vender e dispensar metade dessa c o r j a começando por Borja e Guerra.

  2. sergio 11/08/2017 | Responder

    Se tivéssemos entrado com Moisés no 1º tempo e Guerra no 2º,cada um aguenta 45 minutos e Dudu na frente,não jogando de costas,será que estaríamos hoje aqui se lamuriando?Quantas vezes o Sr Cuca já testou Dudu jogando de costas e viu que não dá?O tanto que esse cara reclama,a diretoria deveria aceitar sua demissão e por Valentim até o fim de 2017.Se der certo,manter o técnico senão correr atrás de Jair Ventura.
    Fico indignado de ver o pessimismo desse técnico que só reclama!Reclamar de quê,levando quase 1 milhão por mês e um time que nunca se define quem é titular e quem é reserva!Sem padrão de jogo e só chuveirinho!Ah!Agora tem moisés para mandar lateral na área!
    Quem tem que ser pessimista somos nós,em se matar de trabalhar por menos.Muiiiito menos.

    • Philipe Frois 11/08/2017 | Responder

      Olha Sergio, assim que terminou o jogo eu comentei aqui que era a favor da manutenção do Cuca. Contudo, depois de 2 dias e vendo as entrevistas e principalmente vídeos onde jogadores se negaram a bater o pênalti e depois ele reclamando na coletiva mais uma vez e praticamente dizendo que o cargo está a disposição , acho que é melhor mesmo que não continue mais. Não sou tão radical qto o Gustavo por exemplo que diz que tanto faz o técnico porque técnico é tudo igual e não faz diferença. Acho que poucos técnicos fazem diferença e no caso do Cuca hj ele está fazendo mal pro Palmeiras. Demonstrou não ter comando sobre os jogadores , pois aquela imagem dele tentando fazer a lista de cobradores no momentos das cobranças é patética. Já era pra estar com a lista praticamente formada, ou seja, não treinaram , não se prepararam para os pênaltis. Alem disso, não soube passar confiança áqueles que iam bater e deixou eles decidirem na hora quem queria bater ou não. Total falta de comando sobre o grupo e despreparo também. E realmente já cansou essa história dele vir pra entrevista e reclamar de tudo e ficar se lamentando , deixando parecer que não está mais afim de ficar. Se não está mais afim, vaza! Acho que o Valentim seria uma ótima aposta, já que medalhões como Marcelo Oliveira, Osvaldo Oliveira e Cuca não dão conta, então que seja alguém produzido pelo próprio clube, que já conhece os jogadores, o ambiente terrível nas alamedas da academia de futebol. Pode dar certo e se não der, será só mais um que não deu.

  3. Philipe Frois 11/08/2017 | Responder

    Cambada de pipoqueiros. Os caras ganham uma fortuna e na hora do vamo vê tem medinho de bater pênalti. Esse Deyverson aí chegou fazendo discurso bonito de honrar a camisa mas na prática mostrou q não serve pra jogar em time grande. Não aguenta pressão, vaza! Além disso a bruxa ta solta e todo mundo agora resolveu se machucar. Só no Palmeiras mesmo ! Prass, Fabiano, Dracena , Luan e Zé; Thiago santos , tchê tchê e Veiga; Roger Guedes , Keno e Borja. Deve ser mais ou menos esse time q vai jogar domingo pra tentar chegar nos 45 pontos logo. Que Deus nos ajude!

  4. Alex 10/08/2017 | Responder

    É fato que o departamento de futebol mudou radicalmente desde a saída do Paulo Nobre da presidência.
    Até o final do ano passado os jogadores e comissão técnica eram blindados e cobrados diretamente pelo presidente.
    Este ano não tem sido assim. Elenco e comissão técnica não são cobrados e isso atrapalha muito o foco no que é mais importante, o resultado.
    Além disso, perdemos boa parte do ano por conta da Libertadores. Se isso era possível até ano passado, em que a competição era condensada, não é mais possível sendo disputada o ano inteiro.
    Além disso, é óbvio que a perda do Gabriel Jesus foi fundamental para a queda do time, e não há no mercado alguém para substituí-lo. Perdemos também Moisés, outro “baciável” que se mostrou fundamental para a equipe.
    Enfim, a diretoria trouxe o que havia de melhor no mercado até então, ninguém questionou Borja ou Guerra quando foram contratados.
    Talvez ninguém tenha se atentado ao fato de que, com poucas exceções, geralmente um jogador estrangeiro leva uma temporada para se adaptar, alguns se vão sem conseguir.
    Só espero que a diretoria encontre os erros cometidos e os corrija, mantendo o que vem sendo bem executado, seja no futebol, seja na parte administrativa.

  5. Zek 10/08/2017 | Responder

    Caçamba 2017: Fabiano, Egidio, RVeiga, Hioram, Erik e vender logo Borja ganhando dinheiro e comprar 2 laterais Um esquerdo outro direito, um meia e um atacante todos que vierem tem que ser de nivel, com sangue nis olhos e faca nos dentes, que faltou ontem,pra alguns jogadores…

  6. Botafogo = 50 jogos no ano, semifinalista na CB e entre os 8 melhores da América (até o final de 2015 estava na Série B). Ah, mas não foi campeão de nada! Palmeiras = 47 jogos no ano, eliminado por Ponte Preta, Cruzeiro (levando 3 gols em 15 minutos jogando em casa) e Barcelona genérico, 15 pontos atrás do líder do Brasileiro ainda no primeiro turno, elenco mais caro da América do Sul. Foram quantos títulos mesmo neste ano? Perdi a conta…

    • Zek 10/08/2017 | Responder

      Botafogo, Gambas e o Barcelona de ontem, os jogadores são limitados, mas tem esquema de jogo e cada jogador que pega na bola, sabe o que fazer com ela e não erra passe ou vacila..Nòs cada jogada è uma duvida, o jogador nunca jogou nesse esquema ( cada jogo è um), cada jogo e um time, todo time ganhador a torcida sabe a escalacão antes do jogo…o nosso pardal tà errando muito ultimamente, mas não tem tecnico na praça…

      • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

        Não tem técnico na praça? Deixa o cargo vago, e com a fortuna que paga pro C.uca vai buscar o Kilnsmann para formar treinadores.

  7. e outra, tem que baixar o preço do ingresso. Pagar uma fortuna pra ver esses pés de macaco
    jogar não dá não. O ingresso tem que custar oque vale o elenco. Trintão tá de bom tamanho.

  8. O Botafogo em 9 minutos já faz 2 X 0 no Nacional do Uruguai. A folha dos caras é de 3 milhões. Deviam
    pegar esses l i x o s que vestem nossa camisa e mandar tudo embora. Banco de moleques incompetentes
    e v a g a b u n d o s.

    • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

      Estou assistindo o jogo e não vi em nenhum momento o Botafogo ser amassado e depois pegar um contra ataque, fazer o gol e se fechar. E olha que ele houvera vencido no Uruguai.

      • Exatamente. Não houve amasso nenhum, só futebol – nenhuma maravilha, que aliás ninguém espera ver hoje no país, mas organização tática, dedicação e eficiência. E despacharam mais um campeão continental (que no ano passado deitou e rolou no Allianz), não um genérico de farmácia popular equatoriana. Algumas pessoas que não sabem distinguir opinião de fato deveriam pensar e, principalmente, parar de olhar somente para o próprio umbigo antes de escrever abobrinhas. Detalhe: o time carioca completou hoje sua 50a partida no ano, enquanto que o Palmeiras fez 47. Mais uma conversa fiada que se conta por aqui e não justifica a falta de futebol e de competência que nos assola.

    • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

      Não tem cobrança, não tem meta, não tem nada Os caras podem khgar dentro de campo que está tudo bem. Treinador pode fazer laboratório à vontade, poupar jogadores que já não jogam e ganham rios de dinheiro, que tem plena confiança de todos. Diretor tem carta branca para contratar baciáveis a rodo, e caros, sem nenhum planejamento e coerência que continua com crédito. Enfim…

        • Mas o expectativa do Botafogo nunca foi essa, ao contrário de Palmeiras, Flamengo e Atlético Mineiro. Lá não se vendeu gato por lebre em momento algum, então o mérito é enorme. Mais um fato contra o qual não existe argumento, doa a quem doer.

  9. Eu acho que há um erro ao se traçar os objetivos. O time se planeja pra ganhar campeonato X ou Y, e esquece de jogar bola. Em vez de planejar “esse torneio nessa data, vou poupar todos, nessa aqui vou de time misto, aqui valha colocar o titular”, deveriam se focar só em fazer bom futebol: ” esqueçam os campeonatos, os títulos só virão se jogarmos bola. Então a estratégia de jogo é essa, vamos treinar essa segunda, terça e quarta, na quarta jogam os reservas para continuarmos treinando, domingo vocês jogam e põe em prática o treinado”. E ir levando assim e corrigindo. Primeiro treinar e aperfeiçoar, pensar só na partida atual, não se vai classificar, se vai terminar em décimo. Enfiar na cabeça que é mais importante se posicionar bem, passar a bola corretamente, e não ficar pensando se vai ganhar título ou não. Pois assim, o título vira consequência.

    • Isso aí que você escreveu é a cartilha “Caminho Suave” de uma equipe que quer ser vencedora. O básico do básico, que times limitados em vários sentidos adotaram com êxito, cada um dentro de seus objetivos – e isso não significa que todos serão campeões, até porque não tem taça pra todo mundo. Já o Palmeiras deste ano quis encarar logo um pós-doutorado tendo um monte de analfabetos na classe. Sabe onde e quando isso dá certo?

    • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

      “…deveriam se focar só em fazer bom futebol…” É com isso que o Palmeiras e torcedores deslumbrados menos se importam. Não pensam no resultado como consequência de um bom futebol, e sim nos resultados á fórceps, derivados de chutões, chuveirinhos e superstições. Não pensam num trabalho padronizado desde a base ao profissional, visando o bom futebol. Pagam a peso de ouro Veiga’s & Hyora’s que poderiam muito bem ser formados por aqui, dando lucro para nós. E mais, deveriam formar técnicos na base também. Com tanto dinheiro que é gasto com o C.uca por mês, não dá pra trazer os caras da Europa pra ensinar aqui. Parar de ficar contratanto esses velhos milionários caçadores de multa, corporativistas que só enganam?

  10. Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

    Eu desde já, aliás acho que nem deveria ter voltado, sou a favor da demissão do C.uca o quanto antes. É burro, teimoso, supersticioso e ultrapassado. Não dá.

    • Paraíba 10/08/2017 | Responder

      O Palmeiras ganhou o Br – 16 graças ao Moisés e Gabriel Jesus , passou muito jogo no sufoco pra gan

      • Paraíba 10/08/2017 | Responder

        Pra ganhar. O Geyverson não tava bem pra bater pênalty? Nossa olha o nível dos jogadores de , hoje.

    • Paraíba 10/08/2017 | Responder

      Essa geração de jogadores “mimi” , também tem sua parcela de culpa, muito caneludo e pé de rato jogando bola,hoje, os melhores jogadores estão na Europa e os treinadores também.

  11. Thiago Souza 10/08/2017 | Responder

    Conhecimento tá aí na internet pra quem quiser. O pior não é jogar o ano no lixo e ver o maior rival perto de ser campeão: é não aprender com os erros.

    http://globoesporte.globo.com/blogs/especial-blog/painel-tatico/1.html

    “Calça vinho, Cucabol, mística, nossa senhora, reza…e o futebol? Cuca chegou mística da camisa 8 e por ser tido como o “salvador da pátria”, o indivíduo com poderes mágicos e mão forte que solucionaria todo e qualquer problema contextual. Não apenas ele, mas Luxemburgo e Felipão também já foram alçados a postos parecidos pelos feitos no passado sem entender o presente.

    Acontece que nenhum técnico de futebol – ou pessoa – tem essa varinha mágica. Avaliamos treinadores por escalações, gols de gente que entra e sai, contratações e mística. Acreditamos que o técnico é o cara que escala e mexe bem, que o jogador precisa estar com vontade, que qualquer derrota é falta de vergonha na cara e que um técnico “está bom” ou “ está mal” por coisas que ele simplesmente não faz – o que acontece dentro de campo. Nunca avaliamos um trabalho pelos comportamentos coletivos de uma equipe – que no caso do Palmeiras são desastrosos – e pela evolução individual do jogador por meio do treino. A ligação direta para a casquinha ou demissões e contratações a rodo é a solução mais fácil para esconder o desconhecimento do processo.”

    • Infelizmente no Brasil existem clubes que usam o artifício de espalhar sal grosso nas escadarias que dão acesso ao campo ou atrás dos gols do seu estádio quando as coisas não vão bem. Avaliar o desempenho dos últimos cinco anos de cada profissional que se deseja contratar a fim de traçar estratégias visando atingir objetivos, procedimentos básicos em qualquer empresa mas que não garantem por si só os (adorados) resultados, nem pensar, tudo é feito na base do improviso de quem tem “alegria nas pernas”, da euforia do “entreguem as taças” e coisas do gênero. A América do Sul ganhou um dos últimos dez mundiais de clubes (justamente o nosso maior rival), continuando com esse nível de profissionalismo vai ganhar outro nos próximos trinta, provavelmente nos pênaltis e contra um time japonês que vai superar um europeu.

  12. O Borja já esteve na Itália e foi mal igual no Palmeiras. Jogador de Colômbia, deveriam ter visto isso quando contrataram. E o Valdivia II também pode pegar a estrada pra Colombia. Vive machucado
    e ontem entrou pra jogar 15 minutos e não viu a bola.

  13. Ryan 10/08/2017 | Responder

    Depois do vídeo em que o Deyverson inventa uma lesão na coxa para não bater o penalti, ele merece ser demitido.

      • Pois é, mas quem indicou Deyverson, o papa Francisco? Acho que nem pros aspirantes do San Lorenzo ele faria isso. Aí ele faz gol no Avaí e no mistão do Botafogo e já vira o novo César Maluco, só cornetas e amendoins é que não enxergam isso.

  14. Dói na alma pensar e nos dedos escrever, mas se os Gambás mantiverem o Carille, não sofrerem desmanche, não inventarem a contratação de algum Drogba da vida e encararem o desafio do bi sem obsessão insana, serão fortíssimos candidatos ao título da Libertadores em 2018. O Grêmio e o Botafogo estão provando que a combinação “time organizado taticamente + técnico que não inventa” funciona melhor que a máxima “o dinheiro não é meu, só vou gastar, gastar e gastar”.

    • Carlos Braga 10/08/2017 | Responder

      Botafogo? Acho que saiu errado aí…
      E é claro que só gastar não funciona, tem que ser inteligente, gastar com eficiência, ter um projeto, pensar as peças, e gerenciar as peças muito bem. Tudo que não fizemos esse ano, trouxemos peças que não funcionam, ficamos trocando técnico, jogadores que se desentendem etc….
      Mas os gambás se planejaram??!!!

      • Não tem nada errado, meu caro, é Botafogo mesmo. Entendeu muito melhor como funciona a Libertadores que o Palmeiras. Já eliminaram quatro e estão perto de eliminar o quinto campeão da América, não esses times pé de rato que pegamos sem jogar mais de meia hora de futebol somadas as oito partidas. Se vão ser campeões é outra história bem diferente, mas a proposta deles nunca foi essa. Vale o mesmo para o time gaúcho. Esses dois se planejaram com os recursos que tinham, sim senhor, principalmente porque não colocaram um torneio mata-mata como obsessão doentia. Já o rival da Marginal não se planejou (nem escrevi isso), vem apenas fazendo o feijão com arroz básico com os recursos que tem, algo que em momento algum de 2017 o Palmeiras conseguiu. Podemos não gostar desses fatos, mas ainda assim eles continuarão a ser fatos.

        • Eduardo, essa é sua verdade seu ponto de vista.
          O Palmeiras ano passado focou no Brasileiro e levou esse ano é a vez do curica.
          Eu entendo como o Carlos sobre o curica e concordo com vc sobre o Botafogo.
          Botafogo está focado e tem um time preparado psicologicamente pra aguentar ser amassado pegar um contra ataque fazer o dele e voltar, ou você vê alguma coisa diferente disso?

          • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

            Pois é, e o Palmeiras focou na Libertadores e nem passou das oitavas. O C.uca, nem pra fazer o time aguentar ser amassado pegar um contra ataque fazer o dele e voltar, como o Botafogo.

          • Não é a “minha verdade”, é um fato, do qual aliás não gosto mas que nem por isso consigo mudar. Ninguém no Corínthians se planejou pra ganhar dois ou talvez três títulos no ano, tampouco pra terminar o turno invicto, mas isso também não é obra do acaso nem “pacto com o demônio” (mais uma das insanidades que li por aqui). E o problema não é o que vejo no limitado (técnica e financeiramente) Botafogo, mas o que não vejo no abastado (financeira e quantitativamente) Palmeiras, que aliás no BR-2016 usou muito a tática de pegar um contra-ataque, fazer o dele e passar o resto do jogo matando cobra a paulada contra adversários fracos. Quando os outros fazem é uma porcaria, quando nós fazemos é genial, é nisso que devo acreditar?

  15. Reynaldo Zanon 10/08/2017 | Responder

    Agora tem de tentar somar o máximo número de pontos possíveis no Campeonato Brasileiro e depois ver em qual posição terminamos. Deveria insistir no Borja como centroavante titular. No fim do ano saberemos se ele é o “grande centroavante” esperado ou é mesmo uma grande enganação. Para o ano que vem devemos manter o Cuca, contratar um centroavante de qualidade (se o Borja realmente não vingar) e contratar laterais. O restante do elenco é bom e o Cuca, trabalhando desde o início, já mostrou capacidade de montar um time muito competitivo.

    • O Cuca esteve à frente do Palmeiras em 13 dos últimos 18 meses, sendo que dos cinco restantes praticamente dois foram de inatividade. Desse período se tiram três meses de bom futebol e o resto de pragmatismo, que resultou num título e na licença pra errar pelo resto da vida sem questionamentos. Seus conceitos são ultrapassados, ou ele dá um tempo para se atualizar e largar crendices idiotas ou sua carreira irá ralo abaixo.

    • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

      Até porque não tem mais desculpa (fora arbitragem, stjd, cbf e rgt), pois foi o único campeonato que nos restou. Será que nosso incaível piloto de ferrari conseguebmontar um time titular, sem invenções, sem poupar chinelinhos milionários e que jogue o mínimode bom futebol para nos manter, ao menos, no g6? Só tá faltando terminarmos o ano atrás dos bambis na tabela.

    • Devemos perder Mina, Dudu e Moisés por algum tempo. Adeus “sequência de vitórias sem sustos”. E na boa, efetivaria o Valentim hoje, pois o Cuca já provou ter repertório pífio, com ele vai ser só ladeira abaixo até dezembro.

      • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

        Eu também. Pode ter certeza que é muito mais atualizado que bap e c.uca.

      • Lucas Dalmáz 10/08/2017 | Responder

        Analisando ideias e repertório, muitos tem mais que o Cuca, o complicado é implantar em um elenco recheado de jogadores que só jogam quando querem. Por isso precisamos do vestiário sempre protegido para não ter chance das picuinhas ficarem vazando e minar o ambiente. Que não é o motivo, mas atrapalha e muito. Temos erros do Mattos, do Cuca e dos jogadores, tem que escolher qual consertar. Se deixar Mattos e Cuca e eles montarem todo o elenco pro ano que vem, vai ser um pandemônio se os resultados e bom futebol não vierem e ambos vão ser fritados.

  16. esperar oque de um time que joga 3 clássicos, perde os 3 e não marca um gol. Elenco fraco, sem força. Perdemos nossos 2 melhores atacantes no ano passado, jesus e Vitor Hugo que como atacante fazia mais gols que Borja e outros meia boca , além do Moisés que dessa salada é o único bom jogador. Pri
    meira coisa a fazer mandar embora Guerra e Borja, dois baita enganadores e trazer um 10 e um nove de verdade além de trocar todos os laterais. ,

    • Paraíba 10/08/2017 | Responder

      Se tivesse entrado com o Guerra ou Moisés no lugar do Keno (jogador de segundo tempo ) o Palmeiras tinha ganhado o jogo , a segunda bola o Tiago Santos ganhava todas .
      O professor pardal ganha 800 mil pra fazer cagada.

  17. Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

    Pois é. No início do ano se dizia (e não era a imprensa não) que tínhamos uma Ferrari pilotada por um motorista de fusca. Pois é, veio o Schumacher dos técnicos e a Ferrari continuou andando a 80 km/h (normal pois os pilotos só têm nome, mas são todos iguais e ultrapassados) mas fazendo os mesmos 36 pontos do 1° turno do ano passado. Então, será que a Ferrari é Ferrari mesmo. Eu acho que é no máximo um Palio, que serviu para vencer o ano passado, fez os mesmos 36 pontos no 1° semestre, mas esse ano encontrou motores mais possantes, e está comendo poeira.

    • Carlos Braga 10/08/2017 | Responder

      Óbvio que não é Ferrari! Perdeu Gabriel Jesus, o melhor atacante que surgiu no país nos últimos tempos, e Moisés, que ontem mostrou ser o craque que todos já sabiam. E trouxe peças de reposição que não corresponderam!!!!
      Com certeza está muito pior que ano passado, sem comparação! É outra história.
      O que pra mim ainda é um mistério é seu Borja! Pagamos grana alta, e parece que tem gente querendo pagar o mesmo valor pra levar embora…. Como pode? Será que não joga só aqui?? Eu duvido! Do que já vi em campo não consigo acreditar que seja bom

      • Gustavo Aroni 10/08/2017 | Responder

        Quanto ao Gabriel Jesus, foi muito massacrado aqui ( não estou dizendo que é o seu caso) o ano passado, chamado de vendido e que só jogava na selenike. Agora, estão com saudades. Vai entender. O Borja é limitado, mas mal escalado. Ele é atacante Ogro, sem lapidação, é pra jogar dentro da área, e apenas lá. O burro do c.uca não enxerga. Além disso, o Borja só tem companheiros fominhas: Dudu, Keno e Róger Guedes, que precisam de uma bola pra si, cada um.

        • Sem falar que o Gabriel Jesus (“jogador superestimado” para alguns) jogou praticamente metade do campeonato, convocado que foi pras seleções principal e olímpica, fora contusões e suspensões. Sim, foi decisivo em jogos estratégicos (evitou derrotas pra Flamengo e Atlético Mineiro, pra dizer o mínimo), e de longe é o melhor atacante revelado pelo clube nas últimas décadas, mas desde agosto passado sabia-se que não ficaria, ou seja, tempo pra planejar e montar o time sem ele não faltou. Quanto ao Borja, basta pesquisar pra ver que o Atlético Nacional de Medellín foi a exceção na sua curta mas já rodada carreira. Se a gente que é mero torcedor consegue encontrar essas informações básicas, quem ganha salário de seis dígitos tem obrigação de saber isso de cor e salteado. Elenco montado por diretor de futebol sem a participação do treinador, seja ele o Guardiola ou o Péricles Chamusca, só vira time e dá certo em videogame.

Leave Your Reply