Pós Jogo Atlético MG 1×1 Palmeiras: menos dois pontos

O Palmeiras empatou com o Atlético MG no Independência nessa tarde de sábado. 1×1.
Perdemos dois pontos.

Parte da torcida atribui à péssima arbitragem de Leandro Vuaden o empate de hoje. Talvez tenham razão. O árbitro no mínimo deixou de expulsar Valdívia no mesmo lance que expulsou Willian. E poderia ter dado outro pênalti ao Palmeiras. Mas o fato é que nos lances capitais fomos mal. Luan fez pênalti infantil e ainda por cima foi expulso quando o Palmeiras ganhava o jogo. Depois Deyverson cobrou de forma bisonha a penalidade que caiu no nosso colo na 2a etapa.

Difícil então argumentar sobre árbitro com um time tão inconstante e emocionalmente frágil. Sem considerar que o atacante Deyverson não tem condições de ser titular num time que gastou mais de R$ 100 milhões para uma temporada.

A diretoria e o treinador que expliquem isso.

Saudações Alviverdes!

***

O Palmeiras pega o Atlético MG pela R23 do Brasileiro 2017.

Depois de duas semanas os times voltam a campo para disputar o turno final do Brasileirão.

Cuca depois do perdão a Felipe Melo e das eliminações na Libertadores e Copa do Brasil, não tem mais o que pensar. O foco é fazer um excelente segundo turno e ir descontando para o líder. Em quarto lugar no campeonato, a meta é ser o campeão do returno. O que vier daí será consequência.

O Palmeiras deve vir como na formação contra o SPFC: dois meias.
Jean deve ir para o lugar de Bruno Henrique. Maike e Egidio devem vir para a lateral.

O time deve vir com Prass, Mayke, Luan, Dracena e Egídio; Tchê Tchê, Jean, Moises e Guerra; Willian e Deyverson.

O Atlético de Micale é ainda instável. Fred vem no ataque e Cazares entra no lugar de Robinho.

No retrospecto, Palmeiras leva vantagem contra o Galo mineiro:
77 jogos
36 vitórias
13 empates
28 derrotas
106 gols pró
91 gols contra.

No Independência a coisa é mais complicada:
12 jogos
3 vitórias do Verdão
6 derrotas e 3 empates.

A arbitragem é de Leandro Pedro Vuaden. Jogo às 16.

Se pretende ter alguma ambição nesse 2o turno, precisa vencer. Essa história de empate fora ser bom já não serve mais.

Saudações Alviverdes!

203 Comments Added

Join Discussion
  1. Paraíba 18/09/2017 | Responder

    Ano passado o pessoal da RGT e a imprensinha em geral divulgava que o framengu tinha a melhor

  2. Pode até ser. Porém. o gol do Jô qualquer membro do Instituo Padre Chico teria anulado já que não
    tem como não ver que foi de mão. Esse favorecimento tem que acabar. Esse quarto árbitro tem que ser expulso do futebol para que outros que estejam em seu lugar deixem de serem corruptos no in tuito
    de favorecer certos times .

    • Acho que aqueles “espantalhos” que ficam atrás da linha de fundo não passam de espectadores que assistem aos jogos de graça. Não consigo me lembrar de alguma intervenção relevante da parte deles que tenha contribuído para que fosse estabelecida justiça num resultado, isto é, não agem quando devem e quando o fazem é de maneira equivocada. É por isso que não acredito que o tal “árbitro de vídeo” vai acabar com polêmicas por aqui, afinal quem vai ser esse sujeito e a cargo de quem ficará a edição de imagens às quais o árbitro principal terá acesso para tomar suas decisões? Enquanto o sindicato das raposas for o responsável pela administração do galinheiro, isso não vai mudar.

  3. Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

    Agora me pergunto, com todo mega, hiper estrutura que temos, com toda a receita, todo o dinheiro e n° de sócios torcedores (já caímos pra 3ª posição, não se por que?), enfim, é certo estarmos mais perto do Z4 do que do título? Pelo futebol jogado eu sei que sim, mas e pela estrutura, não é pouco não? Pouco futebol, longe da disputa de títulos em todas as competições. Estamos mesmo no caminho certo?

  4. Este é o primeiro Brasileirão que “concorre” com uma Libertadores que vai de fevereiro a novembro, e os resultados já podem ser sentidos. O virtual campeão (por mais que algumas vítimas de delírios neguem), mesmo jogando mal e com limitação de elenco, vai sendo nitidamente favorecido pelo fato dos mais próximos seguidores priorizarem a competição continental ou por estarem jogando bolinha de gude, praticamente entregando a taça de bandeja. Que fique a lição para os próximos anos, já que o calendário será esse daqui em diante. Depois não adianta chorar, falar de favorecimento da Globo ou de “espanholização”, pois quem não fizer um bom planejamento no momento correto vai ficar pra trás mesmo, não importa o currículo.

    • Reynaldo Zanon 17/09/2017 | Responder

      É apenas o primeiro ano desse novo calendário, mas eu vejo que não está dando certo. Há um excesso de competições importantes no segundo semestre (Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores), enquanto que no primeiro semestre ficamos praticamente com o Paulista (e os outros regionais nos respectivos estados). Acho que isso precisa mudar. Sugeriria que passassem a Copa do Brasil para ser decidida no primeiro semestre. Tem que analisar o calendário. Não sei se é possível.

      • Meu comentário teve exatamente essa intenção. Independentemente de que o “favorecido” neste ano seja o rival, num próximo pode ser o Palmeiras, mas alguma coisa não está legal e precisa mesmo ser revista, principalmente considerando-se a realidade de planejamento dos clubes brasileiros. Sou absolutamente contra o “esvaziamento” da principal competição do país.

        • Reynaldo Zanon 17/09/2017 | Responder

          O problema é que todos sabemos que a CBF é um antro de corrupção e incompetência. Até eles chegarem à óbvia conclusão de que não está dando certo, pode demorar uma década.

    • Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

      Faria i seguinte. Quem está na Libertadores não disputaria a Copa do Brasil (como era antigamente), e só poder inscrever 25 atletas no Brasileirão, podendo fazer 5 alterações na janela de meio de ano.

  5. Corintcha ganha com gol de mão de jô, na cara do quarto árbitro. Não deu porque é mal intencionado.
    Esperar seriedade desses b a n d i d o s do apito é querer muito..

    • Paraíba 17/09/2017 | Responder

      A milícia ou sistema privilegia esse time é outro .

      Não tem o que fazer. Somos vítimas do monopólio.

      • Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

        Só tem uma solução. Jogar muito mais, o tanto quanto nenhuma arbitragem seja capaz de nos tirar o título. Como estamos jogando o básico para um g6 (e olhe lá), se não mudar a qualidade do nosso futebol, esse ano não disputaremos o título.

        • Paraíba 17/09/2017 | Responder

          Ano passado no Pacaembu, o Palmeiras superou a arbitragem e o grêmio, naquele 4 a 3 pro Verdão. Teve um gol do grêmio com duplo impedimento e o Edilson era pra ter sido expulso, o Palmeiras jogou muito naquela noite chuvosa.

    • Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

      Se fosse o Palmeiras, teria interferência externa e se anularia o gol. E o Jô simulou um pênalti, nada de cartão, fez gol de mão, nada de cartão. Cartão + cartão = expulsão.

      • Será que agora a Imprensa vai cair em cima do Jô cobrando o mesmo “fairplay” que o favoreceu no polêmico clássico do Campeonato Paulista ou mais uma vez o pau que bate em Chico vai se esconder do Francisco?

        • Reynaldo Zanon 17/09/2017 | Responder

          Perguntaram sobre isso ao Jô. Ele teve a cara de pau de dizer que “se eu soubesse que a bola bateu no braço, teria avisado”. Ou seja, o cara empurra a bola com o próprio braço e diz que não viu! É o fim da linha.

          • Pois é, espero que assim como enalteceram o Rodrigo Caio quando ele foi (corretamente) a favor do Corínthians cobrem o Jô por três pontos conquistados na pura malandragem. Ao contrário de outras pessoas, não quero jornalistas defendendo o Palmeiras, quero que eles façam seu trabalho com imparcialidade e isenção, que noticiem os fatos e que formem opiniões com profissionalismo e não vestindo as camisas de seus clubes de coração.

  6. Bianco 16/09/2017 | Responder

    Negar a grandeza do Palmeiras e não reconhecer que estamos crescendo e rumando no caminho certo para sermos hegemonia no futebol nacional, somente demonstra a mediocridade, pequenez e incapacidade de raciocínio de alguns. Vamos aos fatos:
    – Maior campeão nacional, primeiro campeão mundial.
    – Allianz Parque: arena mais lucrativa da América Latina, melhor localização na maior cidade do hemisfério sul. Manutenção 100% por conta da parceira, bilheteria 100% do Palmeiras. Participação % nos eventos extra-futebol organizados pela parceira.
    – Centro de treinamento com nível de excelência. Melhores equipamentos, hotel, sala de imprensa, corpo técnico altamente capacitado.
    – Programa Sócio Avanti: maior plano de sócio torcedor do Brasil, com arrecadação anual top em torno de R$ 50 milhões.
    – Maior patrocínio master da América Latina, superando R$ 70 milhões anuais.
    – 0% de cotas antecipadas de TV, receitas anuais garantidas pelos próximos anos.
    – Dívidas em curva acentuada descendente.
    – Departamento de futebol profissionalizado e estruturado, altamente capacitado.
    – Categorias de base altamente estruturadas, com centro de treinamento próprio em Guarulhos. Tem conquistado importantes torneios nas diversas categorias, além de ser o clube que mais cede atletas para as seleções brasileiras de base. Jogadores tem despertado interesses de grandes clubes europeus.
    – Categoria profissional: atual campeão brasileiro, elenco altamente qualificado, possuindo grandes destaques em todas as posições. Comissão técnica experiente e altamente capacitada, com muitos títulos no currículo.
    Hoje estamos entrando na rodada 24 do campeonato, ocupando a 4a. posição na tabela e subindo de produção. Apesas de alguns tropeços, normais de qualquer grande clube, Palmeiras segue sim como candidato ao título. E a verdadeira torcida deve sim estar ao lado do time nesta luta.
    Ao contrário do que as pequenas vozes dos velhos profetas do apocalipse querem pregar, com suas placas escritas e andando moribundos de um lado para outro em cima do viaduto do chá, o mundo não vai acabar em 2017. O elenco deste ano é este mesmo, não vai mudar. Temos que apoiar o time e buscar a melhor pontuação possível neste ano. Pode vir título sim, palmeirense acredita até o final.
    O planejamento 2018 já começou em julho e com certeza no próximo ano estaremos muito mais fortalecidos e preparados para novas conquistas. Palmeiras acima de tudo e de todos.

    • Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

      Então, não entendi o que deslumbradão aí, super palmeirense, quer dizer. O Palmeiras é candidato ao título, mas desde de julho já está planejando 2018? Que po.r.ra é essa? Em algum momento o clube pensou em não obter a melhor pontuação possível neste ano, em algum ano? Perder duas vezes pra Chapecoense é normal? Pro Atlético-PR em casa é normal? Sem jogar um pingo de bom futebol? Pra mim não é. Já sabemos que o elenco é esse, não precisa dizer. Mas esse elenco tem que jogar é bola.

      • Queria saber o que tem a ver tudo isso com explanar a verdade, ou seja, que o Palmeiras não está jogando bolinha de gude em 2017? Vai ver é mais um daqueles tipos que acham que quem não frequenta estádio, não paga Sócio Avanti nem compra cada nova camisa lançada pela Adidas não é palmeirense de verdade, o que excluiria quem não tem dinheiro nem mora na cidade. Outra coisa: a pessoa confunde FATO com OPINIÃO. Categoria de base “altamente estruturada”? Pra revelar um jogador que preste a cada 15, 20 anos e buscar baciáveis em times de segunda linha? Categoria profissional “possuindo grandes destaques em todas as posições”? Quantos laterais (somando direita e esquerda) minimamente aceitáveis (não estou dizendo “bons”) temos no elenco, para ficar apenas na defesa? Sinceramente, empolgação e deslumbramento a gente perdoa e considera, mas determinado nível de delírio a pessoa deveria guardar pra si própria. E negar a grandeza do Palmeiras é aceitar qualquer porcaria que vier ou que estiver aí, não cobrar futebol e profissionalismo de todos os responsáveis diretos ou indiretos pelo desempenho do time nesta temporada.

        • Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

          Mais dos super-palmeirenses fanáticos, mas que não deve aguentar assistir 1 minuto de futebol, então só pensa em números e resultados.

      • Bianco 17/09/2017 | Responder

        Obrigado, Reynaldo. Felizmente você, eu e tantos outros representamos a grande maioria da torcida palmeirense. Torcida que canta e vibra, junto com o time, como diz nosso lindo hino.
        Por outro lado, sabemos que ainda existem aqueles que iam ao velho Parque Antárctica e que se sentavam atrás do nosso banco de reservas. O grande prazer destes era xingar Luxemburgo e Felipão, pegavam nos pés dos jogadores que estavam se aquecendo ou gritavam contra aqueles que estavam jogando. Gritavam “Fora Parmalat, é tudo ilusão!”.
        Pois é, Parque Antártica reformado virou Allianz Parque. E este pessoal que não tem mais este lugar garantido atrás do nosso banco, encontrou um meio de continuar comendo amendoim pela internet. Por isso ainda vemos idéias daquele nível por aqui, mas felizmente são vozes pequenas que fazem parte de um discurso ultrapassado, de uma parte da história do Palmeiras que não existe mais.

    • Matheus 18/09/2017 | Responder

      Nem gambá desmerece o Palmeiras igual uma turma aqui haha

  7. Marcelo Vaccari 15/09/2017 | Responder

    A tranquilidade do futuro! O Palmeiras nasceu campeão e foi jogando bom futebol, montou duas ” academias” e tornou-se se o maior campeão do futebol brasileiro jogando apenas um bom futebol e depois não seria erado chamar uma.terceira academia nos anos 90, alguns caem na pilha da imprensinha vermelha que supervaloriza os títulos mundiais ( e curiosamente ignora o primeiro Campeão Mundial), enfim somos um time de DNA técnico e ofensivo, por mais que momentaneamente, em ocasiões que tem se feito exceção ( com influências negativas de um certo sapo boi que não tem o menor pudor em prejudicar o próprio clube para obter dividendos políticos), em pouco tempo veremos o renascimento de mais uma nova academia alviverde, que nos trará muito orgulho, acredito estarmos em momento histórico de transição, logo estaremos no nosso devido lugar: ganhando muitos títulos com futebol técnico, vistoso e ofensivo, e de quebra deixando muitos rivais, inimigos e torcedores de outros times transvestidos de jornalistas ou de árbitros de cabelos brancos e coronárias apertadas! Avanti Palmeiras!

    • Bianco 15/09/2017 | Responder

      Parabéns, este é o pensamento!!! Palmeiras é muito grande, história de muitas glórias, conquistas e grandes times. O clube passa realmente por um momento de transição (para melhor) em termos de estrutura, consolidação de sua posição de destaque no futebol brasileiro, maiores receitas. Maior campeão brasileiro, apesar de alguns momentos de dificuldade. Querer desprezar tudo isso somente por que o time está na 4o. colocação do brasileirão é usar tapa-olho de cavalo e olhar para o chão.

    • É isso aí, Marcelo. Não sei se voltaremos a ter futebol vistoso, técnico e ofensivo em algum time brasileiro, mas é a mesma coisa que vale para a política. Sabemos que os gestores públicos e os legisladores deste país estão afundados na lama da corrupção (e ela não brota na caneta com a qual esses caras assinam os termos de posse, ela já está dentro deles, do “jeitinho brasileiro” que emana do povo), mas se simplesmente aceitarmos que “é assim mesmo” nunca vai mudar, por isso é preciso crer na mudança. No dia em que eu não acreditar mais que o Palmeiras possa ser campeão praticando bom futebol e superando seus adversários (da mesma cidade, do mesmo país, do mesmo continente ou do mundo) pela superioridade técnica mas apenas por esse papinho enfadonho de que “agora não é hora de pensar em jogar bonito, é hora de ganhar três pontos”, eu paro de ver futebol.

      • Paraíba 16/09/2017 | Responder

        Daqui a 10… 20 anos, a emissora que tem os direitos de transmissão do futebol, vai realizar seu objetivo: só vai ter torcedores de framengu e curintia no País. O monopólio tomou conta de todos, o sistema que os protege é forte com a CBF e STJD dando suporte, a espanholização do futebol brasileiro, vai se concretizar. Infelizmente!

  8. Bianco 15/09/2017 | Responder

    Fim de semana chegando, vamos assistir de camarote nossos adversários perdendo pontos. E na 2a. feira será nossa vez de entrar em campo e buscar mais uma vitória, diminuindo a diferença para os que estão na nossa frente.
    Vamos torcer para que o time tenha ganhado mais consistência, como já dito anteriormente neste momento o importante é somar pontos. Reforçando a informação para as cabeças de amendoim (no tamanho mesmo), o campeonato é de pontos corridos, quem somar mais é campeão. Não se trata de concurso de ginástica rítmica, nem de nado sincronizado.

    • Gustavo Aroni 17/09/2017 | Responder

      Sem jogar bom futebol dificilmente os pontos virão. Só na medalhinha milagrosa.

  9. Não se pode esperar o mesmo nível de exigência de todo torcedor, porém quando este beira a mediocridade aceita-se qualquer coisa, e qualquer critério de qualidade perde o sentido. Dessa forma, para esses “torcedores dos três pontos” tanto faz se jogarmos com Borja, Deyverson, Jorge Preá ou Suárez, se há um trabalho consistente baseado em técnica e tática ou se é tudo na base da prece com medalhinha na mão pra ver se dá certo, se vamos disputar Mundial ou o Torneio Maria Quitéria. Aliás, para esse pessoal tanto faz estar no deserto, na beira da piscina ou jantando num restaurante francês que água filtrada, da torneira, Moët & Chandon e xixi de égua terão o mesmo sabor, afinal matam a sede mesmo. Pode parecer “baita frescura”, “abobrinha” ou algo do gênero, mas as últimas conquistas do Palmeiras comprovaram que sem trabalho voltado para a prática de bom futebol os resultados, por melhores que sejam, acabam se perdendo a curto prazo. Antes do “entreguem as taças” precisa vir o “joguem bola de verdade”. Não dá pra inverter os fatores dessa equação, gostemos ou não.

    • Gustavo Aroni 15/09/2017 | Responder

      Sabe o que é engraçado, quando falam dos outros é o Grêmio que não está tão bem, aí o futebol vale, o Santos não está lá essas coisas, aí futebol vale, o Corinthians tem o time limitado e é líder, aí futebol vale. Falou de Palmeiras, o futebol não tem mais importância, aí tanto faz, pode se jogar de qualquer jeito, na maioria das vezes no Sangennarobol. Só que não é sempre que se ganha sem jogar futebol. Não dá pra se enganar sempre. E títulos não caem do céu.

      • Pois é. O “futebol do vizinho” é sempre ruim e não tem méritos quando vence um jogo ou está na liderança mais de uma dúzia de pontos à frente, mas se ganhamos no Cucabol, no SanGennarobol ou no ka.ga.da.bol mesmo aí vale tudo pois só importam os três pontos e o resultado. Incoerência total, mas afinal que tipo de critério ou coerência vai se esperar de quem acha que “pedir bom futebol é uma baita frescura”?

  10. Gustavo Aroni 13/09/2017 | Responder

    Ontem, pela Sulamericana, Indepediente Avellaneda – Atlético Tucumán, o árbitro mandou repetir uma cobrança de pênalti do Tucumán, numa invasão de área muito semelhante a do Fred, no pênalti cobrado pelo Fábio Santos. Na 2ª cobrança, o Tucumán perdeu o pênalti.

  11. Bianco 12/09/2017 | Responder

    O nível do futebol brasileiro está tão baixo, que vemos um time tão limitado como o gambá na liderança, jogando sempre e somente por uma bola. Grêmio e Santos também não são lá estas coisas, além de estarem divididos entre libertadores e brasileiro. Infelizmente o Palmeiras deu muita derrapada, mas ainda acredito e seguirei torcendo muito pelo titulo. Daqui a 03 rodadas teremos confronto direto contra o Santos no Allianz, vamos vencer e tomar o terceiro lugar. Na rodada 36 vamos ganhar do Avaí fora de casa e ultrapassar Gambá + Grêmio, ao mesmo tempo. Mas vamos rodada a rodada, agora ganhar do Coritiba.

    • Gustavo Aroni 13/09/2017 | Responder

      Pra tudo isso acontecer, basta um detalhe desprezado pela maioria: o Palmeiras jogar um bom futebol.

      • Bianco 13/09/2017 | Responder

        1×0 vale 03 ptos, o mais importante agora é somar pontos. Cobrar qualidade num momento destes é puro ufanismo e beira frescura. Seria como exigir água filtrada e gelada no meio do deserto.

        • Bianco 13/09/2017 | Responder

          Prefiro mais um troféu do que um certificado ISO 9000.

          • Gustavo Aroni 14/09/2017 | Responder

            É, mas pra conquistar o troféu que falta na nossa galeria, não o Copa Rio, é bom começar aprender a jogar um futebol ISO 9001 pra cima, não esse xing ling do C.uca, para que num futuro próximo, torcedores mais deslumbrados não tatuem a estrela vermelha na testa.

            • Bianco 14/09/2017 | Responder

              Nossa, desqualificou nosso mundial, o primeiro da história… é por esta e outras que demonstram não respeitar nossa história, tradição e Camisa. Palmeiras acima de tudo e de todos.

              • Gustavo Aroni 15/09/2017 | Responder

                Quanta frescura! Mas o nome não era Copa Rio? Esse nós já ganhamos na época do meu avô. O título que falta na nossa galeria, sem bom futebol, pode esquecer.

        • Gustavo Aroni 14/09/2017 | Responder

          Só que 1-0 vale três pontos pra quem ganha. E na maioria das vezes ganha quem joga um melhor futebol. Mas de certa forma você tem razão, de um elenco meia-boca como o do Palmeiras, com um treinador enganador no comando, querer bom futebol é loucura, título então, ufanismo beirando o mongolismo.

      • Além do óbvio ululante (jogar futebol), pra isso acontecer precisa combinar também com os outros times… Volto a insistir: não dá pra falar da qualidade pífia do futebol dos outros quando o nosso consegue ser ainda pior. Duas derrotas pra Chape, derrotas pros paranaenses, derrotas em todos os clássicos do turno, vitórias a forceps contra times ridículos, e jogar bola que é bom, nada. Torcedor por definição é um ser que acredita em tudo, mas neste momento falar em título é delírio de uma grandeza que ainda não mostramos em 2017.

  12. O Santos tem um treinador ultrapassado que nos rebaixou em 2002, nunca ganhou títulos importantes
    e está invicto a 15 jogos. Além disso, não tem grana pra contratar medalhão. O Cuca não tá num bom ano
    mas esses jogadores como Luan, Egidio e Deiverson são verdadeiros asnos e aí não tem treinador que dê
    jeito.

    • Bianco 12/09/2017 | Responder

      Verdade, também acho que os citados não devem ser titulares. Mas o elenco é esse aí e é com eles que temos que fechar o ano da melhor maneira possível. Jean tb merece ser banco. Acredito que o Borja solto na área, sem compromisso de marcação, pode dar certo. Tem que testar, não podemos deixar que aconteça como foi com o Barrios, que depois que saiu desencantou.

  13. Gustavo Aroni 12/09/2017 | Responder

    Para mim, o problema não é o esquema tático, e sim técnico (não falei treinador). Os jogadores não marcam bem, não passam bem, finalizam mal, não são habilidosos, não sabem dominar uma bola direito, tem medo de armar uma jogada desde a defesa e o goleiro vive dando chutão. Pode botar 4-4-2, 5-3-2, 3-0-7, não vai mudar nada. Falta futebol. Esses treinadores medalhões (e medalhinhas), caçadores de multa, não servem pra nada. Servem sim, apenas para atrapalhar. Já são burros velhos, não estudaram, não se aperfeiçoaram e não vão mudar. Conseguem arrumar alguma coisa ainda porque são todos iguais e ruins. Mas hei de ver, espero que em breve, treinadores estudados e que tragam a modernidade para cá, tragam o verdadeiro bom futebol.

    • Reynaldo Zanon 12/09/2017 | Responder

      Tanto dinheiro e o time tem deficiências seríssimas como a lateral esquerda (a mais notória) entre outras.

      • Gustavo Aroni 12/09/2017 | Responder

        E cada jogo joga um diferente. Um jogo é Michel Bastos, ganha de 4 e quem sai jogando contra o Atlético? Egídio. Aí no próximo, quem sabe não volta o Michel ou entra o Zé Robert?. Na direita, num jogo vai Jean, no outro Mayke, no próximo pode ser o Tchê Tchê, ou será que ele vai de volante, e o Jean de lateral? De repente o Jean vai de volante e ele ressuscita o Fabiano na direita. Mas se vier o Bruno Henrique de volante, o lateral deve ser o Tchê Tchê, ou quem sabe retorna o Felipe Mello, aí deve vir Jean, mas não podemos descartar a possível volta do Thiago Santos, aí o lateral será o Maytchêbian, sei lá.

        • Reynaldo Zanon 13/09/2017 | Responder

          Realmente é um bumba-meu-boi. Isso acontece também porque o Cuca – embora sempre desminta – não confia em nenhum deles, tanto na lateral esquerda quanto na direita.

Leave Your Reply