Síndrome de Estocolmo

Síndrome de Estocolmo ou síndroma de Estocolomo (Stockholmssyndromet em sueco) é o nome normalmente dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. (fonte: Wikipedia)

Não sabemos se é isso que passa no Palmeiras em relação ao treinador Cuca, mas que lembra essa situação, ah isso lembra.

Olhando em retrospectiva: Cuca chegou ao Palmeiras após a demissão de Marcelo Oliveira em 2016. Estreou em 17 de março contra o Nacional do Uruguai e perdeu quatro partidas seguidas. Foi eliminado na Libertadores e foi vice-campeão semi-finalista no Paulista. Mas falou grosso antes de iniciar o Brasileiro e prometeu o título. Levantou a bola do elenco. Ao final do primeiro turno do Brasileirão 2016 assumiu a liderança e seguiu até o fim, quando foi campeão. O Palmeiras tinha Jesus e Moisés como destaques. Mas outros protagonistas. Tchê Tchê, Mina, Jean, Róger Guedes e Jailsão da Massa. O time era forte, marcava no campo adversário e invariavelmente fazia seu primeiro gol antes dos 15 minutos do 1o tempo.

Em 2016 o treinador disputou 53 partidas pelo Palmeiras e ganhou 64% dos pontos disputados.

No final do ano saiu porque queria um período sabático pra viver com a família. Foi aquele drama. Sem Cuca, para onde iríamos? Quem iria nos liderar no importantíssimo ano de 2017? Veio Eduardo.

Cuca voltou depois que Eduardo Baptista sucumbiu. EB disputou 23 partidas e ganhou 67% dos pontos disputados. Mas a torcida não achava que era treinador pro Palmeiras, seja pela sua pouca experiência, principalmente para lidar com um elenco de estrelas (era mesmo?), seja por conta do seu pai (essa justificativa seria ridícula, mas assim é).

Cuca voltou. Disputou até a derrota de domingo sábado passado contra o Santos 33 partidas em 2017. Ganhou 55% dos pontos disputados. Perdeu 11 jogos, 4 destes no Allianz. Barrou Felipe Melo, não aproveita as principais contratações do Palmeiras no ano – Guerra, Borja, Bruno Henrique, o próprio Felipe – mas insiste com Deyverson, jogador contratado por sua indicação por 5 milhões de euros, com 26 anos e que assinou contrato de 5 anos com o Palmeiras. Deyverson merece um capítulo a parte. Teve destaque no Mangaratibense, que disputou a série C do campeonato carioca entre 2011 e 2012 e fez 18 gols em 31 jogos. Depois foi para o Benfica (em 2012) e fez no ano 8 gols em 29 jogos. A partir daí jogou no Belenense, Koln, Levante e Alavés. Quatro equipes em 5 temporadas. No Alavés, na temporada 2016-2017 fez 7 gols em 37 jogos. No Palmeiras fez 3 desde que chegou. Mas sua maior virtude – de acordo com aqueles que convivem com o treinador – é sua capacidade de marcação e força de vontade (?!).

Mas voltemos ao treinador. Cuca pela segunda vez esse ano veio numa coletiva de imprensa dizer que não sabe se continuará no Palmeiras em 2018. Pois é…

Ninguém duvida do mérito e competência de Cuca. Ano passado nessa época do ano já era considerado uma dos melhores treinadores brasileiros. Hoje já não é unanimidade. Cuca é um estudioso. Mas é um dos poucos treinadores no Brasil (talvez no mundo) que joga ainda no sistema de marcação individual. Por isso jogadores como Felipe Melo não terão lugar no seu time (sem falar nos problemas de temperamento, claro). Além disso gosta de atacante que marca. Ponto negativo para Borja (que convenhamos também fez pouco por merecer um lugar no time titular). Barrios sentiu na pele e hoje o Grêmio de Renato Gaúcho achou uma forma de aproveitar bem o atacante. Idem na mesma data para Jô, Henrique Dourado e outros “caneludos” atacantes de área. Menos para o nosso treinador.

Mas isso é problema dele e de quem treina a equipe. Somos torcedores, e ele é pago pra treinar e fazer o time campeão, principalmente com o elenco que tem nas mãos.

Mas parece que está na hora do treinador palmeirense mostrar que tem o desejo de ser campeão no Palmeiras e fazer mais história. Tem que mostrar aquela vontade de estar e permanecer. E não está certo a cada derrota vir com essa conversinha que não sabe se estará em 2018. É ruim pro clube, pro elenco e pra torcida.

Mas se não vai continuar em 2018, se está cheio de dúvidas, talvez o melhor fosse sair agora. Outro treinador chegaria e montaria seu elenco para a temporada do ano que vem (já que esse ano foi pro beleléu). E a decisão não é só do Sr. Stival. É também da Diretoria (leia-se, Presidente).

O pior cenário é ficar com o treinador até o final do ano e em dezembro (com ou sem classificação pra Libertadores) ser obrigado a procurar um novo treinador e montar um novo elenco. Aí correremos o risco de comprometer 2018. Se é que já não estamos nesse risco.

Saudações Alviverdes!

37 Comments Added

Join Discussion
  1. Luix 09/10/2017 | Responder

    Conhecendo o torcedor palmeirense, tenho a certeza absoluta se contratassem o Guardiola ou José Mourinho, ambos seriam chutados depois da 9a. rodada sem vitória por goleada (vitória por 1×0 só para técnicos nível Eduardo Batista), com a desculpa de não serem técnicos para o Palmeiras, pois o idioma atrapalha (mesmo que no exterior o jogador enfrente outro idioma) e que o clube não é lugar para testar esquemas táticos.
    Felipão seria ultrapassado e Garega é “apenas” nível seleções sul-americanas ou Eduardo Batista muito novo e sem (sic) experiência.
    Enquanto isso, torcedores brigam para “escalar” o time, conselheiros brigam para contratar o técnico que lhes afaguem o ego, dirigentes brigam para contratar o que lhe deem o que não pode e o tempo vai passando e o time se perdendo em todos os campeonatos que disputar. Isso é Palmeiras!!!

  2. Leu 07/10/2017 | Responder

    “O melhor elenco da América do Sul” reserva, tendo como titular “aquele” lateral esquerdo (que, surpresa, falhou em um dos gols) faz jogo treino com o SUB 20 do Desportivo Brasil e consegue empatar. Os 02 centro avantes não conseguiram fazer gols. A única notícia, que pode ser boa, foi a volta do Arouca, que mesmo que muitos não concordem, é o melhor volante que temos, em que pese, se machucar constantemente, e nunca ter jogado o que sabe no Palmeiras. O CRIATIVO acredita que com 12 vitórias nos jogos que faltam seremos campeões. Eu acho que só venceremos 11 das 12, uma empataremos, o nosso centro avante titular ainda será considerado o melhor pivô, com 150 “casquinhas” como disse o CRIATIVO.

    • Paraíba 08/10/2017 | Responder

      O elenco de 2015 e 16 era bem melhor que o atual elenco, principalmente se falando de atacantes, com Leandro Pereira e Cristaldo a torcida do Palmeiras era bem feliz.

      • Luix 09/10/2017 | Responder

        NUNCA!! Feliz com Leandro Pereira e Cristaldo??? NUNCA!!
        Esses dois perebas caneludos jamais fizeram o torcedor feliz, muito pelo contrário, já nos fizeram chorar de raiva. Capicce, Paraíba?
        Vá de retro Cristaldo e Leandro pereira

        • Leandro Banana + Rafael Marques + Leandro calopsita + Alecdonald’s + Deyverson = caçamba nacional. Mouche + Cristaldo + Barrios + Borja = caçamba importada. Nos últimos seis anos, sem contar GJ que é um fenômeno, salvaram-se Barcos e Kardec, o resto é lixo. Alegrias eles deram foi pra goleiros e defesas adversárias.

  3. Paraíba 06/10/2017 | Responder

    E o Borja ?Não, faz gol nem em jogo treino contra o deportivo Brasil, esse cara é a piada do Palmeiras em toda sua história, nem tanto pela contratação, tinha potencial, melhor jogador da América em 2016, mas pelo dinheiro jogado no ralo : 36 milhões em um atacante que não faz gols.

    • Borja está devendo e muito, mas vai ter sempre no currículo uma Libertadores que decidiu quase sozinho. Saber que o Deyverson custou metade do valor do colombiano e mesmo sendo mais velho nunca teve (e provavelmente não terá) conquistas relevantes na carreira simplesmente porque não nasceu pra jogar futebol pelo menos pra mim é muito pior. De qualquer forma, foi uma baita grana jogada no lixo em ambos.

  4. Gustavo Aroni 06/10/2017 | Responder

    Pelo que vejo, mesmo com toda a estrutura, toda receita, toda torcida, tudo indica que jogaremos mais um ano e ½ na lata do lixo. Temos a faca e o queijo na mão, mas só sabemos usar o mesmo tipo de corte, e torto. A conta do não futebol tarda, mas chega.

    • Não se preocupe, com mais um ano sem títulos nem futebol o Nobre se elege fácil no final de 2018, aí a Crefisa vai embora e vamos jogar dois anos com o “Avanti” na camisa. Vai ser uma hegemonia e tanto.

      • Paraíba 06/10/2017 | Responder

        Se a dona Leila não atingir seu próprio objetivo : chegar a presidência do Palmeiras, concordo contigo ,, ela sai do Palmeiras, o patrocínio master seras o Avanti.

  5. Mario 06/10/2017 | Responder

    Só acho que não podemos cair no conto do Mano Menezes.
    Treinador muito valorizado para quem tem apenas 2 copas do brasil.
    Era treinador dos gambás e o time não evoluía. Foi mandado embora, Tite chegou e com o mesmo grupo fez um time que ganhou fácil o brasileiro. Na seleção teve excelente material a disposição e o time jogava feio. Nada conquistou. Agora, pq venceu a copa do brasil empatando tudo é um gênio.
    Pelamor. Se o Cuca não ficar que busquemos um Jair Ventura, que deu consistência e padrão a um elenco bastante mediano do botafogo. Aliás foi mais longe do que nós tanto na libertadores quanto na copa do brasil. Não sei qual será a solução, mas Mano não!
    Agora especificamente sobre Cuca. Se não jogarmos com as malditas 2 linhas de 4 compactadas não iremos longe. Hoje o futebol é isso. Variações sobre esse tema, mas é essa a essência. Olhem como o Real e o PSG jogam. Os dois jogam com 11 jogadores atrás da linha da bola e são recheados de craques. Qualquer ser que nunca tenha visto futebol é capaz de perceber as 2 linhas de 4 estruturando o posicionamento defensivo e uma saída veloz com 3, 4 ou 5 jogadores na retomada de bola. Nossos defensores ficam muito expostos na marcação individual e sujeitos e falhas, além do maior desgaste físico. Levaremos desvantagem sempre.
    E pra finalizar. Todo mundo fala do Borja, mas é um absurdo muito maior o Bruno Henrique ficar no banco e assistirmos o Jean no meio. abraços

    • Muito bem explanado. E é exatamente por isso que não acredito que o Cuca fará bom trabalho se ficar, pois vai insistir nas suas convicções ultrapassadas. Não é por isso que precisa vir o Mano, que é outro enganador e ainda por cima retranqueiro.

  6. Renato 05/10/2017 | Responder

    Fosse eu , minha atitude :
    1) Mandar embora todos os jogadores que não servem para vestir a camisa do Palmeiras
    2) Valorizar a base
    3) Em 2018 , ignorar o campeonato paulista. Colocar o time sub-23
    4) Dar oportunidade e efetivar como treinador o Valentim
    5) Dar a ele todo o apoio possível

    • Apoiado, Paraíba. Sua lista só esbarra na realidade. Se mandarem embora quem não tem condições pra jogar no Palmeiras não teremos quórum pra treino de futsal. A Federação Paulista não permite que os principais clubes inscrevam muitos garotos exatamente para evitar o que você sugeriu e o esvaziamento do ridículo Campeonato Paulista, então esqueça time sub-23. Por fim, o Valentim, embora promissor, não sobreviveria à segunda derrota num clássico, pois essa diretoria (como aliás era a anterior) não valoriza trabalho mas somente resultados.

  7. Thom 05/10/2017 | Responder

    Parece que está claro que será o Cuca ano que vem.

    Se for pra trocar em Fevereiro, melhor deixar ele mesmo.

    Agora é torcer pra vir algum título no Cucabol

    • Essa é a questão. Se desde já vamos pedir a San Gennaro pra nos dar um título via Cucabol é sinal de que já nos conformamos com um 2018 sem futebol de mínima qualidade. Falar em Mundial nesse contexto equivale ao morador de rua/sem teto ou seja lá como é chamado hoje em dia parar diante de agência de viagens pra planejar um pacote completo Paris-Barcelona.

      • Paraíba 05/10/2017 | Responder

        O nome de Mano Menezes nunca teve forte como, hoje. O cruzeiro tá numa briga política, parece ser mudar os dirigentes de lá, o Mano sai e vem voando pro Palmeiras.

    • Thom 06/10/2017 | Responder

      Concordo Eduardo. Mas, como as coisas se encaminham pra uma permanência do Cuca até o começo do ano que vem, podemos dizer que ou o título vem pelo Cucabol (e ele continua 2018 inteiro) ou ele é demitido em Abril, vem outro que diz que nao teve tempo, e perdemos outro ano.

      Quanto ao Mano Menezes, ninguem seques especulou o nome dele no Palmeiras. E entre ele e o Cuca eu não vejo a menor diferença.

      • Reynaldo Zanon 06/10/2017 | Responder

        Thom, o Cuca é muito melhor do que o Mano Menezes. O Cuca vai ficar e não será demitido, mesmo que não ganhe o Paulista. Acredito em um grande trabalho do Cuca para o ano que vem.

        • O Cuca é melhor que o Mano, mas nem tanto assim, principalmente pelo trabalho pífio que faz nesse retorno ao Palmeiras. Só não enxerga esse fato quem é birrento. Agora aqui é só opinião: se ficar (o que não acredito que vai acontecer) nada me convence de que o Cuca fará um trabalho sequer razoável em termos de futebol, e será demitido no primeiro revés.

  8. Gustavo Aroni 04/10/2017 | Responder

    E já tem notícia dizendo que estão (diretoria) pressionando nosso bajulado treineiro a voltar a soltar o pitbull no meio campo do Palmeiras. Que moral, hein?

  9. Paraíba 04/10/2017 | Responder

    Como é legal ver a torcida do Paraná, lotando a arena da baixada , estádio do rival Atlético Pr, 39 mil pessoas, quebrou o recorde de público esse no estádio.
    Isso mostra que o futebol brasileiro ainda está vivo, mais daqui 10… 30… talvez 50 anos , só vai ter torcedores dos filhinhos da RGT, culpa do monopólio, da imprensinha que só fala dessas tranqueiras na TV , seja em canal aberto ou fechado, agente nota que comentaristas brigam com as imagens pra mostrar ao telespectador que o futebol não está sendo manipulado.
    A espanholizaçao do futebol segue firme e forte, times como: Paysandu, Remo, Guarani, Ceará, Santa Cruz, Náutico, ABC de Natal estão à beira da falência, a mesada da RGT deveria ser dividida honestamente, time grande existe por existência dos pequenos .

  10. Embora tenha minhas dúvidas se deveria mesmo trocar, pois, por mais que o time seja uma decepção, eu estou notando melhorias discretas, e fico em dúvida se essas melhorias não seriam maiores se tantos jogadores também não estivessem numa draga tão medonha. Mas se for para sair, eu deixaria um pré contrato acertado com outro técnico, e demitiria o Cuca após o último jogo do campeonato, e anunciaria o novo técnico no dia seguinte. Isso porquê o fundo do poço é sempre mais fundo do que imaginamos: o ano pode estar perdido em termos de título, mas temos de garantir vaga na libertadores, de preferência, direto na fase de grupos, e parece que, pelo menos g4, do jeito que o time está, dá pra assegurar. Trocar de técnico agora, faltando 12 rodadas, pode nós fazer perder um tempo danado (e muitos pontos). Anunciando novo técnico um dia depois da última rodada, dá a ele tempo de fazer a pré temporada, testes, contratações, etc.

  11. Marcos Donato 03/10/2017 | Responder

    Não vejo nenhum técnico brasileiro com capacidade superior à do Cuca. São todos iguais, com suas vaidades e manias
    Eu colocaria o Alberto Valentim. Já conhece o elenco e nas vezes que foi acionado, mostrou ser capaz.

  12. mario luiz 03/10/2017 | Responder

    Só discordo do comentário a respeito do Borja, quem assiste aos treinos vê que o rapaz é esforçado, porém o problema é que ele não joga como o Cuca quer, exatamente omo acontecia com o Barrios, aí temos 2 opções: 1- Cuca muda o esquema de joga para que o Borja possa fazer o que sabe, que basicamente é ficar próximo a área para arrematar para o gol as bolas que lhe mandarem; ou 2- trocar de treinador por um que monte o esquema tática com base no elenco, ou seja, um que adapte o esquema aos jogadores e não os jogadores ao esquema. Qual vocês acham que é mais fácil de acontecer?

    • Não vejo treinos, mas se ele tá assim tão bom, talvez mereça nova chance mesmo. Mas não crio expectativa alguma sobre ele. Como respondi a outro leitor, ele e Deyverson são dois caneleiros, mas um desses caneleiros pelo menos é esforçado: você vê ele pegando na bola, passando, cruzando, chutando, (mesmo que errando bastante) . Todas as vezes que o Borja jogou, eu não conseguia lembrar de ter visto ele na partida, tirando os lances dos evetuais e escarços gols que ele fez. Não sou o técnico, mas sob essa ótica, não dá pra dizer que o Cuca tá sendo injusto ou errando. O Borja tinha é que abraçar desesperadamente as chances que aparecerem e “provar” que ele é o Borja das 4 partidas da libertadores do ano passado, não o borja das 379 outras partidas da carreira dele (número inventado, mas deu pra entender).

  13. Gaetano Misiti 03/10/2017 | Responder

    É incrível! Considero o Cuca um dos melhores treinadores que temos, exceto por uma característica que o derruba, lá embaixo: SUA ENORME TEIMOSIA. Não fosse isso, algo que Tite se dobrou, estaria acima de qualquer um na série A. Contra o Santos o time jogou muito bem, principalmente depois da entrada de Guerra, que nunca deveria ter saído da equipe principal. Quanto a Borja, acho até um injustiçado. Ele é homem gol e nós torcedores o julgamos por aquilo que tem feito, totalmente fora de suas características. Seria, mais ou menos, um contador trabalhar como engenheiro – não dá certo, por mais que se esforce. Aí os gestores chamam o contador de incompetente e fraco.
    Se Cuca usar sua INTELIGÊNCIA e abrir mão de sua TEIMOSIA, saberá aproveitar o melhor que cada um pode oferecer de si e adequar a ele o esquema de jogo. Assim, com certeza, teríamos um GOLEADOR fazendo gols um meia criativo CRIANDO JOGADAS e um marcador MARCANDO. Cabem, sim, GUERRA e BORJA. Acho que grande parte da torcida concorda. Não vemos os treinamentos, mas na cabeça da maioria existe um time principal: Prass, Mike, Mina, Dracena e Egídio, Guerra, Moisés e um marcador (B. Henrique, Felipe Melo ou Tiagos Santos – até Tche Tche mesmo), Dudu e Borja e ainda sobra espaço para Willian, Michel Bastos, Roger Guedes e Keno. Deixar a teimosia de lado com Deyverson, Jean e Luan. Acho que esperamos por isso.

  14. lito 03/10/2017 | Responder

    É uma pena, mas se quer ir embora, que vá. Que venha o Abelão.

  15. Duas pequenas correções no texto: a derrota para o Santos foi no sábado e não no domingo, e no ano passado não fomos vice-campeões do Paulista pois caímos na semifinal. No mais, além da Síndrome de Estocolmo estamos vivendo uma síndrome de mediocridade e conformismo. Manter o Cuca significa que nada vai melhorar pra 2018, será mais do mesmo e cara feia o ano todo. Se pelo menos o futebol fosse bonito, vá lá…

  16. Leu 03/10/2017 | Responder

    A propósito do atacante citado, esse centroavante é o único no mundo que foi contratado NÃO PARA FAZER GOLS e sim para jogar de pivô, preparando jogadas para outros jogadores, e também, e principalmente ajudar na marcação. Coisas da MULA CRIATIVA.
    Por outro lado, as coisas devem melhorar; a partir de hoje teremos novamente treinos secretos e pelo que fiquei sabendo, novidades para o próximo jogo; como houveram muitas críticas da imprensa, da
    torcida, por mais uma péssima atuação do Jean, do Deyverson; os 02 já estão confirmados para o jogo contra o Bahia. Palavras da Mula Criativa “eu escalo quem eu quero e fo..-se o Palmeiras.”
    O melhor “reforço” para o próximo jogo, sem dúvida, será a ausência do Luan; dia desses citaram aqui o Darinta e outras ruindades, mais recentemente Leandro Amaro, que foram zagueiros do Palmeiras, posso afirmar com segurança, vi muitos desses, mas nenhum deles jogou 07 ou 08 partidas seguidas, falhando em todas, falhas que resultaram em gols. Coisas da Mula Criativa e “seus bons meninos”. Ia esquecendo: sai Luan e volta “aquele lateral esquerdo”.

  17. Gustavo Aroni 03/10/2017 | Responder

    Eu acho que estamos perdendo um tempo preciosíssimo, mantendo um “destreinador”, ultrapassado no comando do Palmeiras. Não tem futebol. Não haverá futebol com C.uca. Deveria ter empurrado ele pro Atlético e trazido o Klinsmann para ficar com o Valentim até o fim da pré-temporada. Então o Valentim assumiria o time sozinho para disputar os campeonatos. Paralelo a isso, e já, temos que começar a formar nossos treinadores desde a base. Implementar o que tem de melhor no futebol de maneira uniforme até chegar no profissional. Jogar como os melhores jogam. Ir atrás e trazer conhecimento, principalmente tático. Usem todo esse dinheiro com futebol, não com multas rescisórias.

  18. Junior 03/10/2017 | Responder

    Máxima dos Negócios:
    “Desenvolvimento passado não é garantia de sucesso futuro”

    Perfeito:
    “E não está certo a cada derrota vir com essa conversinha que não sabe se estará em 2018. É ruim pro clube, pro elenco e pra torcida.”

Leave Your Reply