Categorias
Opinião

Opinião: Sobre Corinthians, Palmeiras, PT, cultura e Rede Globo

Por Helder Bertazzi

O jogo de domingo pode ser considerado um case no jornalismo. Muito se fala sobre a influência da Rede Globo em todos os aspectos da vida brasileira. Ora criticada da maneira como faz jornalismo, e criticada com razão pelos petistas, que só veem seu partido ser vinculado à corrupção, até que a emissora depois de bater o que considera suficiente, mira também no PMDB, esse exemplo de partido ético e moral, ora aplaudida pelos grupos chamados progressistas, quando em suas séries e novelas trata do homossexualismo de maneira a convencer o público que é preciso enxergar a quem tem outras opções sexuais com naturalidade e dessa maneira equilibra o jogo entre conservadores (na política) e progressistas (na cultura). Ela sempre influencia a opinião pública de maneira determinante. Talvez essa força vá se perdendo com o avanço das redes sociais. A ver.

Mas os exemplos acima são notórios, chegando quase à unanimidade quanto à postura da emissora em temas tão importantes em nossas vidas. No entanto, há ainda outro viés muito pouco falado e que é preciso que também seja discutido até onde a emissora carioca influencia com suas reportagens o futebol brasileiro.

No meio desportivo há muito se comenta essa influência. Porém é preciso expandir esse público, para que todos conheçam o que diz a mídia. Assim como muito falamos da influência da emissora na política e nos costumes da sociedade, é fundamental discutir o quanto ela influencia (prejudica?) o esporte, pois este é um produto que lhe dá muito dinheiro e vale tudo para mantê-lo sob seu controle. Poderia aqui citar “n” vezes em que a Rede Globo exerceu influência nefasta sobre uma partida ou time que ela escolheu para ser o vencedor. Vou citar aqui como exemplo o jogo de ontem (fresco em nossas memórias) entre Corinthians e Palmeiras, o maior clássico do futebol brasileiro, queiram ou não os cariocas (mas essa é outra discussão) e como se dá a cobertura “jornalística” da emissora.

Na sexta-feira, o Globo Esporte mostra tudo sobre o Corinthians: como foi a semana de treinamento, como os jogadores estão concentrados, sempre com chamadas ao vivo do CT. Matéria de uns cinco minutos. Terminada, volta para o estúdio, onde o apresentador chama a matéria do Palmeiras, que também teria lá seus cinco minutos e…..bingo! a matéria não vai ao ar com problemas de áudio, algo inimaginável em se tratando de Rede Globo. E fica assim só com reportagens do Corinthians.

No dia seguinte, sábado, todo investimento é no CT do Corinthians. Lá estão o apresentador, o repórter e o comentarista e ex-jogador Casagrande. Que diz: “jamais vi algo tão maravilhoso. 32 mil pessoas vendo um treino de um time. É de arrepiar”. Esqueceu o nobre comentarista que um mês antes os tricolores paulistas colocaram 42 mil pessoas num treino cujo jogo seria lá no Rio de Janeiro, o que torna o fato ainda mais interessante… E aí, nesse oba-oba todo, chamam o repórter ao vivo da Academia de Futebol, que diz: “por aqui quase uma centena de torcedores vieram prestigiar o treino”. Claro que ele não disse que o treino era fechado inclusive para ele, jornalista, pois assim decidiu a diretoria, ao contrário do adversário, que abriu as portas para o seu torcedor. Mas essa informação não chegou ao público. Ou seja ficou assim para quem assistia o Globo Esporte: 32 mil torcedores de um lado e um punhado de outro, sem que o fato tivesse explicação. Após esse ao vivo da Academia, corta de novo para o CT corintiano, quando ouvimos a seguinte frase do repórter: “vai ser impossível o Corinthians perder para o Palmeiras”.

Vai ser impossível? Oi? Como assim?

Bom, aí você se pergunta: e por que tudo isso? Só para promover o clássico? Não há mais nada, nenhuma outra intenção?

Vamos lá: a pressão vem da TV. A cobertura que a Globo faz de seus produtos é feito de modo que seu objetivo seja alcançado. A ela, interessa que um time seja o campeão. Ponto. Nem sempre ela tem como influenciar um resultado. Ela não consegue influenciar a F-1, por exemplo. Se pudesse, o faria com certeza. Então, como fazer no caso do futebol? Influenciando o homem do apito. Afinal, ele também vê televisão.

É preciso deixar claro que o Corinthians não compra árbitros, e não tem nada a ver com isso ou com o que acontece fora do campo. Essa é uma questão que não passa pelo clube. Outrora, é verdade, já ocorreram fatos como 1-0-0, para ficar só com esse exemplo. E não só do Corinthians, sejamos justos. Houve tempo em que o governador do Estado sentava no banco de reservas do seu clube de coração para pressionar o árbitro da partida. Voltando ao jogo de ontem, e falando sobre a pressão exercida em cima da arbitragem, o que teria passado pela cabeça do árbitro de linha de fundo ao apontar o pênalti, com o braço esticado em direção à marca na grande área? Ora, eles usam microfones justamente para passar a informação, como forma de deixar o árbitro do jogo decidir se dá ou não a falta que apontam. Justamente usam o microfone para não exercer sobre o árbitro uma pressão enorme, já que a TV e o público acompanham tudo em campo. O que se viu ontem porém, foi o oposto.

Tem mais: sobre a postura do quarto árbitro que vê Gabriel voltar a campo sem que tenha sido autorizado. Por que não impediu o jogador de voltar ao gramado? Por que o árbitro não o advertiu com o cartão amarelo, que seria no segundo no jogo? Tudo isso ocorre porque a emissora exerce uma pressão descomunal em cima da arbitragem. E exerce por meio de seu jornalismo. Tal qual faz com a política e com a cultura do povo brasileiro. E nem discuto aqui o gol impedido ou o polêmico pênalti. Erros acontecem. A discussão não é sobre arbitragem, mas como ela sofre pressão da emissora que tem os direitos de transmissão.

A Globo decidiu que aquele jogo teria um vitorioso. Passou a semana falando do clássico. Sexta e sábado só cobriu o Corinthians, mostrando a paixão do torcedor, como se do outro lado não houvessem apaixonados pelo seu time. Você consegue imaginar o árbitro vendo e sentindo tudo isso durante uma semana? Pois é… Há de se dar razão a quem clama por arbitragem internacional, por um profissional que não viva no país e não vá sentir a pressão que é feita durante todos os os dias, durante uma semana, em seus telejornais. Se bem que aí pode aparecer um Castrile da vida e nada resolveria…

Moral da história: quando a Globo escolhe quem ela quer, não fica pedra sobre pedra. “Sai de Baixo”.

67 respostas em “Opinião: Sobre Corinthians, Palmeiras, PT, cultura e Rede Globo”

Aos que imaginam que o texto é fantasioso, como explicar entao porque a Rede Globo paga R$ 170 Milhoes para SSCP e CRF, 120 MIlhoes SPFW e somente R$ 110 Milhoes para o Palmeiras? Porque, qual o critério, audiencia não é, são praticamente iguais. Isso como é sabido é o pagamento pelo Andres e cia terem implodido o Clube dos 13 (a pedido da Globo) para ela não perder o Futebol, sua maior renda disparado na TV.
Porque é mais conveniente e mais barato que apenas 2 clubes disputem o Campeonato todo o ano. Com o tempo paga-se menos para os demais que perderão espaço e torcida, tendo que aceitar valores menores.
Teoria da Conspiraçao?? Eu também achava, até o dia que execraram o Palmeiras (honra, honestidade) por um erro do juiz no Campeonato Paulista que expulsou de maneira errada o Gabriel. Transformara o tal do “Jo” na bandeira da ética com um quadro no Globo Esporte. O mesmo Jo do gol de mão, do penalty cavado, das inumeras vezes que se atira na area. A verdade está aí, alguns insistem em não querer enxergar.

Desculpe, pra mim isso continua sendo blá blá blá de perdedor. Se os jogadores e a comissão técnica mostrassem competência e vontade de vencer na hora em que o queijo caiu no colo com faca e garfo, estaríamos aqui exaltando a “superação” do Palmeiras “contra tudo e contra todos”. Há anos ouço e leio esse papo de “espanholização” do futebol nacional, enquanto isso o Flamengo ganhou um título brasileiro nos últimos 25 anos (graças à enorme incapacidade do então líder, que terminou em 5º) e o rival de Itaquera só se aproveita da incompetência alheia. Com um empurrãozinho de vez em quando, é claro, mas só isso não justifica tanta choradeira.

Que matéria mais idiota. Faltou culpar a Globo pelos erros grotescos de Tche Tche. Os passes errados de Moisés e Dudu.
A Globo também deve ser culpada por existir um inútil jogador chamado Egydio. Ela é culpada dele NUNCA ACERTAR UM PASSE, nunca deixar de ser driblado por todos, dele não marcar o adversário, dele nunca fazer uma jogada de ataque.

como pode não!!!…..Egydio tri campeão brasileiro. São poucos que conseguem isso.

Weverton não, pelo amor de Deus, já estão começando a fazer besteira novamente. Traz o Gatito, esse sim é bom.

Muito chororô e pouco futebol. Contrate qualidade e tudo se resolve.

Às coisa somente mudaram no dia que todos os não torcedores do curica boicotarem os anunciantes da RGT, daí eles param de decidir campeões, rebaixados e deixam o campeonato seguir seu rumo. Eles nem disfarçam mais.

como pode não!!!…..Egydio tri campeão brasileiro. São poucos que conseguem isso.

A grande verdade é que esse ano foi tudo errado.
Planejamento , contratações e jogadores sem compromisso que não querem mais jogar no Palmeiras.
Não adianta ficar aqui culpando A ou B ou C
Uma outra verdade é , enquanto tivermos no elenco jogadores nota 4,5 será assim.

Ter torcedor que se contenta só com três pontos e em achar culpado quando o problema é falta de competência e de futebol também não ajuda muito…

Ano que vem, ao invés da Crefisa gastar mais de R$ 100 milhões com jogadores, ela deveria comprar a Globo. Já que a emissora tem o poder de influenciar para um certo time, ou partida, pressionar árbitros a errarem para determinada equipe, usam de interferência externa e tudo mais. Se o bom futebol fica para segundo plano mesmo, por que não se comprar a influência da Globo, com seus poderosos microfones? Eu sou contra, acho que o bom futebol não perde para nada, mas taí uma ideia a ser pensada, hein? Comprar o apoio da Globo. Já pensou um Globo Esporte falando quase 10 minutos só da gente? Quem sabe um Globo Repórter sobre a Copa Rio de 51? Ninguém nos seguraria.

E tenho até sugestão pra técnico nesse cenário (já que tanto faz mesmo, vamos ganhar tudo!): Roberto Cavalo, um treinador que é tudo menos burro… Bem, de qualquer maneira o Oeste de Itápolis, que nas mãos do badalado Fernando Diniz ano passado só não foi pra Série C por incompetência do Náutico, tá brigando pau a pau com o Paraná pelo quarto lugar na Segundona (Inter, Ceará e nossa filial mineira praticamente já garantiram vaga), mesmo com um orçamento pífio e jogadores do nível de Leandro Amaro, Robert (que passou por aqui em 2010) e Mazinho “Black Messi”. Se ele conseguir subir com esses caras, imaginem o que não fará com um elenco estelar composto por Egídio, Mayke, Juninho, Deyverson, Fabiano, Jean, Luan…

E os fanáticos e fantasmas que pairam de vez em nunca só sabem chorar. É muito buá-buá, mas futebol que é bom, nada.

Pena que não possa dizer o mesmo da turma do “Entreguem as taças”, aqueles bufões patéticos que no início do ano contam vantagem mas que quando a realidade vem à tona desaparecem, assim como seus argumentos. Lamentável mesmo…

Verdade Bianco, dá para perceber o deleite deles com o fracasso do Palmeiras.

E dá pra perceber claramente quem vive no País das Maravilhas correndo atrás do coelho da Alice e quem vive no mundo real, no qual quem não joga um mínimo de futebol decente não ganha mesmo.

Cabe ao Palmeiras mais uma vez mudar o rumo da história. Que tal começar pela renovação com a tal venus platinada de forma dura e também o VETO , repito VETO a esse tipo de jornalismo em nossa casa. Esse é o momento ou fazemos ou deja vu.

A partir de 2019 os direitos de transmissão do campeonato brasileiro serão do Esporte Interativo. Se vai mudar alguma coisa nos bastidores eu não sei, mas pelo menos eu vou assistir os jogos lá……Só uma pergunta: alguém sabe o que aconteceu que o Moisés está processando o Chico Lang? Kkk…seja lá o que for, espero que o tal do Lang seja preso, sei que não será, mas não custa nada sonhar né RS…cara nojento da pô.r r a.

O EI terá direitos de transmissão entre os canais por assinatura, na TV aberta e no pay-per-view não mudará nada, os clubes continuarão beijando a mão da dona Globo e isso só vai mudar se todos se unirem dizendo “Chega!”. É mais fácil encontrarem água potável nos anéis de Saturno. Quanto ao Chico Lambe, ele divulgou em seu twitter uma “conversa” de whatsapp na qual o Moisés teria dito que Tchê Tchê e Borja “pipocaram” no Itaquerão. Porém se tratava de uma montagem cuja fonte não foi checada (esse vagabundo fétido denigre o termo “jornalista”), por isso ele se deu mal, teve que pedir desculpas às pressas e alegou ter sido “enganado pela montagem” (sei…). Sou contra cronista que usa seu meio de comunicação pra torcer com o microfone na mão, seja a favor de qualquer clube (até do Palmeiras), mas esse caso se trata de má fé de um mau-caráter sociopata que, em qualquer empresa séria, seria demitido por justa causa.

Se o Andrés for presidente do time da Globo (e será), meu Deus! Melhor o Palmeiras nem treinar mais, e se dedicar a bocha.

Pois é, melhor o Palmeiras ganhar Libertadores, Mundial e tudo o mais que puder no ano que vem. A partir de janeiro de 2019, com o Andrés presidente do consórcio SCCP/Globo, o Lula de volta à Presidência da República e o nosso querido pi.lo.to de ral.ly retornando à presidência do Palmeiras, para que o clube “ande com as próprias pernas” (sem a Crefisa, obviamente), todos os campeonatos de futebol já estarão comprados pelo menos até 2022, então será melhor mesmo dedicarmos nossa paixão a outros esportes menos concorridos e corrompidos. Só espero que nossos jogadores de bocha não venham do Coritiba, nem do Uram…

Quando o André Sanches assumiu a diretoria do curintia, em 2009 , se juntou a globo pra acabar com o clube dos 13 , a partir daí os gambas passaram a ganha bem mais na cota de TV , passaram a ter mais transmissões em canal aberto.
Conquistaram a Copa do Brasil de 2009 com a ajuda da arbitragem, essa parceria curintia /globo /apito trouxe Libertadores e mais títulos aos gambas, e vai durar muito tempo esse monopólio se os outros clubes não acordarem.

Então, só tem duas opções: peitar a Globo, CBF, STJD e a imprensa gambá, ou jogar mais futebol que todo esse sistema possa interferir. Agora, ficar nesse eterno muro das lamentações é que não dá.

Escolhendo a segunda opção, a primeira se torna dispensável. Parece meio óbvio, pelo menos pra quem quer enxergar. Tivessem seguido por esse caminho e chegaríamos ao Derby de domingo com uns dez ou doze pontos na frente, evitando todo esse blá blá blá.

Vai nessa que é dispensável. Nem toda competição é por pontos corridos. Em um jogo decisivo numa Libertadores ou Copa do Brasil, por exemplo, se o nosso presidente se comportar como um bananão, o SCCP – com a conivência geral – arma um esquemaço para nos prejudicar. Tem de se impor sim, não pode dar bobeira.

Tem razão, o SCCP ganhou TODAS as disputas em mata-matas dos últimos 25 anos (inclusive contra nós), e o Palmeiras sempre foi roubado nessas ocasiões, como naquele pênalti inventado no jogo contra o Fluminense no Maracanã nas semifinais da CB-2015. Teoria bem embasada essa, depois as minhas é que são furadas…

Tem razão, o SCCP ganhou TODAS as dispu.tas em mata-matas dos últimos 25 anos (inclusive contra nós), e o Palmeiras sempre foi roubado nessas ocasiões, como naquele pênalti inventado no jogo contra o Fluminense no Maracanã nas semifinais da CB-2015. Teoria bem embasada essa, depois as minhas é que são furadas…

Cara, você apontar alguns favorecimentos ao Palmeiras que, lógico, em mais de um século de história,, todos os clubes têm e, em contrapartida, a ênfase com que defende o SCCP querendo ignorar que (pelo menos) metade dos títulos daquele clube foram ganham com o Apito Amigo, é indigna desse blog. Eu acho que o 3VV de tem ver bem infiltrados para que não tenhamos que aturar corintianos até mesmo entre palmeirenses. Suas teses são furadíssimas gavião.

Parece que alguns não querem entender. É claro que ao começar o campeonato ninguém sabe quais os times vão se destacar, porém as circunstâncias fizeram com que o “título ganho” do SCCP ficasse em risco e, a partir daí, houve notório favorecimento a eles – direta e indiretamente – como é histórico acontecer: 1) gol anulado do Borja contra o Cruzeiro; 2) Jô não ser suspenso por cartão amarelo ao agredir jogador da Ponte Preta; 3) Cobertura da imprensa (como citou o texto) totalmente favorável e com muito oba-oba ao SCCP, exercendo pressão sobre a arbitragem; 4) gol impedido do SCCP aceito; 5) pênalti inexistente marcado (inclusive com o árbitro de linha – que nunca fala nem marca nada nos jogos e são criticados por isso – apontando para a marca penal com muita ênfase, coisa jamais vista; 6) a não expulsão do Gabriel por ter entrado sem ser autorizado (o jogo ainda estava por volta dos 25 minutos do segundo tempo). Todos esses lances faz com que hoje estejamos a 8 pontos deles. Foi uma vergonha!!! Querer ignorar isso é ser, no mínimo, ingênuo, que só faz com que os espertalhões deem sonoras gargalhadas. Mas o nosso presidente foi um bananão esse tempo todo e tem enorme parcela de culpa também!

Não ignorei que exite pressão e favorecimento aos gambás. Disse que não é o fator determinante para não termos vencido os dois últimos jogos. Então, volto a repetir. Não entremos mais em campo. Pra quê, se não tem como vencer esse sistema? Será sempre assim e cada vez mais. O que acho é o seguinte: montar um time forte de verdade, priorizando a qualidade, jogar bom futebol e depois, se for o caso (e duvido que será), vir com chororô.

Respondo a você, Gustavo, e aos demais abaixo. Meu post tem apenas por objetivo mostrar que árbitros são pressionados, sim. E por vezes essa pressão é enorme, como foi no clássico. Se o time da Globo vai vencer ou perder não tenho bola de cristal. O que se vê de modo claro é a pressão exercida. Domingo funcionou muito também por nossos erros também. Mas o post é sobre pressão na arbitragem, e não para analisar os erros deles ou de nossos jogadores, do Egídio, Dudu, que não mostraram raça e etc. O ponto analisado foi outro. A pressão existe e funciona se times como o Palmeiras se comportarem taticamente errado, se os jogadores não se enregarem em campo. Se o Palmeiras tivesse vencido, com essa arbitragem, o post existiria do mesmo jeito. Por que a pressão não deixaria de existir e seria a mesma. E quase sempre determinante.

E disse alguma coisa diferente do que você está falando agora (diferente do que está no post), Bertazzi?
Também não analisei erros de arbitragem. Apenas disse que ela não foi o fator determinante para o insucesso do Palmeiras nesses dois jogos decisivos, mas sim a ausência de bom futebol. Não tem como dissociar uma coisa da outra. Você pode até dizer que sim, mas duvido que teria esse post se tivéssemos dado um show de bola no Corinthians, e vencido, mesmo com o árbitro pressionado a favorecer o time escolhido pela Globo, como você diz.

E o que eu quis dizer, complementando as observações cirúrgicas do Gustavo, foi que se tivéssemos investido em COMPETÊNCIA e FUTEBOL desde o início do ano ao invés de priorizar obsessões e crendices, não teríamos perdido seis pontos pra Chapecoense, seis pontos pro Santos (ou pelo menos os três disputados em casa), três pontos pra esse São Paulo em petição de miséria, quatro pontos contra o pior Galo desta década com dois pênaltis perdidos e mais um monte de outros pontos que foram ralo abaixo (Coritiba, Atlético PR, Bahia), e em todo esse desperdício os tais “conspiradores” tiveram pouca ou nenhuma influência. Consequentemente, não haveria CHANCE (afinal, a ocasião faz o ladrão, certo?) para as tais “forças ocultas” que “sempre nos roubaram desde nossa fundação” fazerem seu trabalho sinistro dando o título ao queridinho da mídia – que deve até as cuecas mas tem dinheiro pra pagar “mala branca”… E não adianta: quem não quiser não vai entender ou aceitar, nem com desenho, apresentação de powerpoint ou simpósio internacional, que perdemos o título graças à nossa incompetência em jogar futebol, vai continuar insistindo na visão tosca do “seremos sempre nós contra o mundo”, não importa o que aconteça. É mais fácil, confortante e serve de muleta para a perpetuação da mediocridade.

E o que eu quis dizer, complementando as observações cirúrgicas do Gustavo, foi que se tivéssemos investido em COMPETÊNCIA e FUTEBOL desde o início do ano ao invés de priorizar obsessões e crendices, não teríamos perdido seis pontos pra Chapecoense, seis pontos pro Santos (ou pelo menos os três dispu.tados em casa), três pontos pra esse São Paulo em petição de miséria, quatro pontos contra o pior Galo desta década com dois pênaltis perdidos e mais um monte de outros pontos que foram ralo abaixo (Coritiba, Atlético PR, Bahia), e em todo esse desperdício os tais “conspiradores” tiveram pouca ou nenhuma influência. Consequentemente, não haveria CHANCE (afinal, a ocasião faz o ladrão, certo?) para as tais “forças ocultas” que “sempre nos roubaram desde nossa fundação” fazerem seu trabalho sinistro dando o título ao queridinho da mídia – que deve até as cuecas mas tem dinheiro pra pagar “mala branca”… E não adianta: quem não quiser não vai entender ou aceitar, nem com desenho, apresentação de powerpoint ou simpósio internacional, que perdemos o título graças à nossa incompetência em jogar futebol, vai continuar insistindo na visão tosca do “seremos sempre nós contra o mundo”, não importa o que aconteça. É mais fácil, confortante e serve de muleta para a perpetuação da mediocridade.

O resultado do jogo não anula a pressão feita pela Globo durante toda a semana. Poderia ter publicado o texto antes da partida, mas aí perderia o que ocorreu dentro de campo, justamente por causa dessa pressão, como descrevi no texto. Agora, que o Palmeiras perdeu por causa disso, daquilo, daquele outro e etc, é outro discussão.

Parabéns, Helder. Seu post retrata exatamente o que acontece nos bastidores, onde o Palmeiras hoje é fraco. No ano passado também tentaram garfar nosso campeonato com o tal do cheirinho, lembram do Fla-Flu com interferência da Globo? Paulo Nobre bateu forte na mesa e disse que não iam levar o campeonato na mão grande, daí a nuvem de fumaça assentou e pudemos seguir na ponta da tabela, ganhando os jogos.

A Globo é uma vergonha, mas o que falta é o Palmeiras se impor com todo o seu peso e dizer em alto e bom som a toda a imprensa, a começar pela própria Globo. Mas nós temos um presidente que é um bananão!

Então, o Palmeiras deve parar com o futebol. A Crefisa parar de investir. O torcedor palmeirense deixar de ir ao estádio. Se é tudo em vão, se é uma emissora de TV que decide quem será o vencedor de uma partida, melhor abandonar. Deixamos de assumir a liderança depois dessas duas rodadas, sim por culpa da arbitragem, mas infinitamente mais pela falta de qualidade, de futebol. Amarelamos nos dois jogos, não jogamos nada. Quem tinha que jogar, decidir, mostrar que é craque (Dudu, Borja, Moisés, Keno) sumiu, não fez nada. E a culpa foi nas costas do limitado do Egídio. Faça um time com jogadores de qualidade, com técnico moderno, sem vaidades e alquimias, e não terá mais chororô.

O texto é bom e retrata a desigualdade com que a imprensa trata seus clubes preferidos (jamais vou me esquecer do Luciano do Valle narrando o primeiro gol do Travecaldo nos Gambás, num Derby em Presidente Prudente, aos gritos de “Deus existe!”, como se a torcida do outro time – no caso, nós – fôssemos uns excomungados ateus defenestrados). Porém, concordo em gênero, número e grau com o Gustavo. No caso específico deste campeonato, volto a perguntar: a Globo pagou para a Chapecoense vencer os dois jogos contra nós? Pressionou o Vítor a pegar dois pênaltis toscos em duas partidas diferentes? Influenciou nos 42 cruzamentos errados que fizemos na área do Santos? Houve erro domingo? Sim, mas daí a achar que tudo é uma conspiração internacional tem chão.

Helder, você está certo. Sabe aqueles profetas do apocalipse que ficam em cima do viaduto do chá, com suas placas indicando o fim do mundo? Não perca tempo com eles, vivem num mundinho de faz-de-conta.

Me desculpe, respeito seu ponto de vista, mas não me convence. Já havíamos jogado três vezes contra o Cruzeiro esse ano, e não vencido uma, sequer. Novamente jogamos contra o Cruzeiro e não vencemos. Quatro jogos, nenhuma vitória. Será que fomos prejudicados em todos eles? E ainda que fôssemos prejudicados em todos, cadê a qualidade para superar adversidades? Está virando um complexo, uma síndrome. Não quase ninguém aqui pedir o essencial, o primordial, o que realmente importa, que é o bom futebol, que fez o Palmeiras ser o gigante que é. Falam da imprensa gambá, mas gostam. Adoram ser roubados pela arbitragem para manter esse complexo de coitadismo. Adoram o Neto, Lang, e esse caras dizendo que não temos Mundial. Amam a Globo. Sabe por quê? Porque são masoquistas, gostam de sofrer, têm medo de agir, de sair do comodismo, de ousar, de buscar evolução e ser hegemônico. Morrem de medo do bom futebol. Vão morrer abraçados com estrela vermelha, e reclamando de tudo e todos. Reclamem por bom futebol, chorem por bons jogadores, e vamos ver se tem complô que dê jeito.

O Flamengo montou um time com jogadores de qualidade e um técnico dito pela imprensa como moderno. Onde está o Flamengo? O Atlético MG tbm montou um time com jogadores de qualidade e contratou no início do ano o mais moderno dos técnicos brasileiros ( Roger Machado ), onde está o Atlético MG. O Corinthians tem um time muuuuuito limitado tecnicamente e de moderno seu treinador não tem absolutamente nada, pois só sabe montar o time na retranca pra sair no contra ataque, parece filho do Mano Menezes, e será campeão brasileiro. Não existe uma receita pronta para o sucesso.

Então contrata qualquer um. Manda a Crefisa pastar e só traga jogador de graça. Pega o primeiro que passar em frente ao CT com cara de “cascudo” é mete de técnico. Se a qualidade não importa, e se a Globo é quem decide o vencedor, pra que se preocupar e gastar dinheiro.

Se me pagar 15 mil/mês visto a camisa agora, em qualquer posição, e não reclamo de ficar na reserva, e garanto que não farei um gol contra mais bonito que o do Juninjo. Só que eu sou 100000 vezes mais limitado que o Egídio. Mas como o vencedor já é pré determinado pela tv e qualidade não importa, não vai ter problema.

Parece que vocês não querem entender. É claro que ao começar o campeonato ninguém sabe quais os times vão se destacar, porém as circunstâncias fizeram com que o “título ganho” do SCCP ficasse em risco e, a partir daí, houve notório favorecimento a eles – direta e indiretamente – como é histórico acontecer: 1) gol anulado do Borja contra o Cruzeiro; 2) Jô não ser suspenso por cartão amarelo ao agredir jogador da Ponte Preta; 3) Cobertura da imprensa (como citou o texto) totalmente favorável e com muito oba-oba ao SCCP, exercendo pressão sobre a arbitragem; 4) gol impedido do SCCP aceito; 5) pênalti inexistente marcado (inclusive com o árbitro de linha – que nunca fala nem marca nada nos jogos e são criticados por isso – apontando para a marca penal com muita ênfase, coisa jamais vista; 6) a não expulsão do Gabriel por ter entrado sem ser autorizado (o jogo ainda estava por volta dos 25 minutos do segundo tempo). Todos esses lances faz com que hoje estejamos a 8 pontos deles. Foi uma vergonha!!! Querer ignorar isso é ser, no mínimo, ingênuo, que só faz com que os espertalhões deem sonoras gargalhadas. Mas o nosso presidente foi um bananão esse tempo todo e tem enorme parcela de culpa também!

Ano passado ganhamos 6 pontos dos 18 dispu.tados contra os postulantes ao título (Santos, Flamengo e Atlético MG, respectivamente 2º, 3º e 4º colocados ao final do campeonato), não vencemos nenhum deles em casa e só conquistamos uma vitória, em campo neutro e com maioria da torcida a nosso favor, lá no comecinho da dis.p.u.ta quando ainda não se sabia exatamente quem seria protagonista. É possível que se tivéssemos um jogo contra os Urubus faltando três rodadas pro final e eles estivessem dois pontos atrás pudéssemos ter uma “escalação estratégica” de árbitro em “condições específicas de temperatura e pressão”, mas acontece que como fomos excepcionalmente competentes contra os times da parte de baixo da tabela não houve “final antecipada” e esses pontos não fizeram falta. Quando, a exemplo de 2017, se faz uma campanha medíocre, que mediante a quase equivalente mediocridade dos rivais permite sonhar com o título, mas se deixa pra “resolver tudo” em apenas uma partida, aí fica mais fácil pras “forças ocultas” mexerem seus pauzinhos. No mais, é o que o Gustavo escreveu: salve a mediocridade. Ganhamos com Cucabol e 80 cruzamentos pras casquinhas na área? Viva os três pontos! Futebol pra quê? Perdemos a chance de igualar o líder com bizarrices de zagueiro meia-boca e icterícia coletiva no campo do rival? Culpa do juiz, da Globo, do STJD, da CBF, do “craque” Neto, do Luciano Huck, afinal somos roubados desde nossa fundação – que é de 1914., lembrando que a Globo só surgiu em 1965…

Concordo com tudo, tudo mesmo. Isso já é antigo. Quem não se lembra da cobertura na semana que antecedeu a final de 93 depois do gol do viola no primeiro jogo? Quem não se lembra que foram colocar microfone na porta do vestiário do CT pra ouvir o Felipão falando pros jogadores baterem no Edilson na libertadores 2000? Ano passado o Verdão era líder, jogaria contra o Corinthians na reta final , o Corinthians estava uma draga e o Verdão caminhava forte rumo ao título,e o que fizeram? Colocaram o jogo num sábado a tarde , só no PFC e a cobertura na segunda feira dava a impressão que foi um amistoso de pré temporada. Mas isso pq o Verdão foi lá e simplesmente amassou os Gambás, não deram a mínima chance pra eles, o Fernando Prass simplesmente assistiu o jogo e não fez uma defesa sequer. Como disse, isso é antigo e não vai acabar. O que não podemos esquecer é que o Palmeiras tbm tem culpa nisso. Tenho saudade de jogadores que se incomodavam com essa situação, que iam pro jogo com sangue nos olhos como em 93 e em 2000. Domingo passado poderíamos ter vencido lá de novo e ter calado a imprensa mais uma vez , mas hj temos uma diretoria e jogadores omissos, medrosos, que abaixam a cabeça pra qualquer comentaristazinho da imprensa. Tivéssemos homens com brio vestindo nossa camisa , teríamos vencido domingo. Mas se trata de um time que perdeu TODAS as decisões do ano , TODAS. Perdeu todos os clássicos pros gambás, perdeu 2 de 3 clássicos contra o Santos, e se não fosse os bambis teríamos perdido quase todos os clássicos do ano. Esse time de 2017 é ridículo no que diz respeito a raça e vontade de jogar em um time grande. Apanharam pra Ponte, Barcelona genérico etc…não dá pra querer botar tudo na conta da imprensa. Isso sempre existiu e sempre vai existir, não vai mudar. O Palmeiras precisa montar um time com jogadores que queiram vencer no Palmeiras, é uma diretoria de verdade tbm, pq esse Galliote é um bananão.

Vamos aos fatos: Parece algo já premeditado, tramado cirurgicamente para retornar a emoção ao apagado campeonato BR 17, tal situação dada pela queda inexplicável de rendimento do time da Marginal na virada do turno e desinteresse dos demais clubes em buscar os 10, 12, 17 pontos de vantagem, com foco em outras competições (o que acho errado). Esse combinado deu certo, colocou fogo no campeonato, deu esperanças a duas ou três torcidas e ao Brasil (dizia que o Palmeiras na reta final tem mais 50 milhões de torcedores, óbvio motivo), encheu estádios, aumentou gradativamente a audiência, pois torcedores adversários passaram a secar os marginais. Masssss, conforme iniciei aqui, era tudo combinado. Na 2f passada, o Palmeiras dependeria de suas próprias forças para ser campeão, escalaram o tão famosos larápio Heber para apitar, resultado: fomos operados. No confronto direto, o Palmeirense chegou a comemorar a escalação do Daronco, pois em diversos jogos ele teve boas arbitragens e imparcialidade nas partidas do Palmeiras, algo raro de se ver. Fomos surpreendidos!!!!!!! Mas, o combinado seguiu, fomos operados novamente. Se chagássemos a 2 pontos ou 3 faltando 6 rodadas, óbvio que passaríamos eles, e a corja CBF/Globo não quer, já fez sua escolha. Resta-nos o G4, tão falado antes na nossa empolgação em vão!

A verdade é a seguinte: deixaram o palmeiras encostar nos gambás para dar mais emossão ao campeonato e dar um up grade na audiência, que por sinal foi recorde. No momento em que encostamos fomos deliberadamente prejudicados (contra Cruzeiro e gambás), ou seja, este campeonato já em dono e só uma hecatombe pode mudar isso.

Palmeiras operado contra o cruzeiro e esquartejado diante do curintia.
Mas nós palmeirenses tem que cobrar quem contratou esse amontoado de Perebas esse ano.
O elenco de 2015 e 2016 era bem melhor que esse atual elenco , engraçado que o investimento esse ano foi maior e o time enfraqueceu.

Ótimo texto. Expôs tudo o que gostaríamos de dizer. E, quero acrescentar, que mesmo diante dessa pressão absurda que TODA A IMPRENSA, não apenas a globo exerceu sobre arbitragem, a diretoria do Palmeiras assistiu a tudo isso passivamente, sobretudo pelo nosso presidente, que há um ano no cargo, mostra-se um verdadeiro BANANA, sem a menor condição de exerce-lo!

Perfeito, mas a poderosa já está perdendo o seu poder. Eu não assisto mais esse canal. Quanto ao verdão, que falta faz um presidente de verdade, uma Paulo Nobre. Nosso presidente infelizmente não representa o clube junto a CBF como deveria.

Perfeito!
Escrevi no post anterior a respeito de uma informação que eu recebi sobre isso.
Manipulação da Rede Globo.
Muitos duvidaram.
Esse texto chegou aqui em boa hora.
E eu não tenho dúvidas e acredito sim que essa emissora determina quem deve ganhar no futebol brasileiro.

Parabéns pelo texto!!
Excelente análise!!
A Globo é o câncer do Brasil.
Se os políticos fazem o que fazem, deve-se a ela. Seus conchavos, alianças, promiscuidade com o poder.
Ela se intromete em tudo. Não é à toa que criou o programa Big Brother.
E tudo o que ela toca, destrói. O futebol brasileiro desce ladeira abaixo na qualidade, graças à insistência dela em espanholizar o futebol de um País onde cabe uma Europa inteira. Clubes menores estão morrendo e com eles a oportunidade de muitos jovens iniciarem suas carreiras. Oportunidades que muitos craques tiveram e que simplesmente deixaram de existir.
Até quando ela vai bancar o SCCP e FLA é uma boa pergunta.
Se os outros clubes fossem espertos o suficiente e se unissem pelo menos pra fazer pressão e equilibrar a balança, as coisas poderiam ser muito diferentes.

Os comentários estão desativados.