Palmeiras 0x3 Atlético PR: fechando o ano

O Palmeiras perdeu para o Atlético PR em Curitiba por 0x3. Jogo ruim do Palmeiras que poderia ter tomado mais gols não fosse Fernando Prass.

Mesmo com a derrota o Palmeiras terminou o Brasileiro com o vice-campeonato. Muito mais pelo demérito dos outros do que por seus méritos. Mas fica o gosto amargo que esse título não era difícil de buscar.

Que sirva pelo menos para aprender com os erros. Planejamento errado, treinadores errados, contratações erradas. Muito dinheiro gasto e pouca qualidade.

Agora é pensar em 2018.
Saudações Alviverdes!

***

266 Comments Added

Join Discussion
  1. Thom 12/12/2017 | Responder

    E sobre contratações:

    Lucas Lima e Scarpa são “sono”. Tem que trazer o Hernanes que é melhor que os dois.

    Tá, mas e se ele não quiser vir? Faz o que? Não traz ninguem?

    Lucas Lima é o melhor do Santos e Scarpa o melhor do Fluminense. São times bons, grandes e bons jogadores.

    Acertou e MUITO nas contratações.

    Quando traz um desconhecido é ruim, quando traz um reconhecidamente bom, é ruim tb?

    Não veio MEIAS melhores que eles DISPONÍVEIS no mercado.

    Se alguem souber…

    • Por melhores que sejam as intenções, uma contratação só se comprova acertada ao longo de uma temporada. Não perceber isso é não ter assimilado nada do que aconteceu de errado com o Palmeiras em 2017, quando a empolgação foi bem maior antes do que durante ou após a grande maioria dos jogos. E os “reconhecidamente bons” hoje no Brasil são raros, então é um conceito bastante relativo.

    • Gustavo Aroni 12/12/2017 | Responder

      O melhor do Santos, em 2017, foi o Bruno Henrique. Do Fluminense, o Scarpa pode ter sido o melhoe, mas a campanha do Fluminense, e principalmente (o que mais interessa) o futebol, foi calamitoso.

    • Thom 13/12/2017 | Responder

      Ahn ta bom. Então o Barcos era ruim porque o Palmeiras de 2014 foi mal?

      Vocês (e digo vários aqui) já sugeriram Conca, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart entre outros jogadores. Voce citou HERNANES que viria de um time com um futebol HORROROSO e que quase caiu.

      Gustavo e Lucas Lima mostraram um bom futebol durante um tempo razoavel. São contratações acertadas.

      Se vão dar certo ou não, é outra história. Mas como perfil de contratação, acho muito boa.

      • Gustavo Aroni 13/12/2017 | Responder

        Thom, em nenhum momento disse que Scarpa é ruim, só disse que ele é um jogador normal, e sono. Deus queira que venha peo Palmeiras e arrebente, mas até agora não vi no Scarpa esse bicho papão todo, um cara decisivo, que chama a responsabilidade. Que cale(m) a minha boca e irei me redimir.

        • Gustavo Aroni 13/12/2017 | Responder

          Ah, e desses nomes aí, só sugeri o Conca duas temporadas atrás. Hoje, não mais. Nessa, sugeri o Cardona do Boca.

  2. Thom 12/12/2017 | Responder

    Ser Campeão jogando mal = Vai me deixar feliz, mas não vai me deixar satisfeito.

    Não ser campeão, mas jogando bem = Não vai me deixar feliz, mas vai me deixar satisfeito.

    Ser campeão jogando bem = Vai me deixar feliz e satisfeito.

    É pedir muito querer ficar feliz e satisfeito com um time que arrecada o que o nosso arrecada?

    Esse é o ponto.

    • Se houver Campeonato Brasileiro de Arrecadação, a felicidade pela nossa fartura nas bilheterias é plenamente justificável. Não que ela seja ruim, é até necessária para que haja alguma independência em relação ao patrocinador, mas o que importa mesmo é o que acontece dentro de campo, pois se a qualidade do produto não for boa vai acontecer o que já ocorreu no final de 2017, com o estádio cada vez menos cheio. De resto, acho que você conseguiu definir muito bem a diferença entre ficar “feliz” e “satisfeito”.

  3. Levi 11/12/2017 | Responder

    Caro Gustavo….eu atirei no presidente e vc deu uma de agente secreto e pegou a bala dele…kkkkk…para com isso :-). Agora falando sério, se meu time for campeão jogando bem…ficarei muito feliz. Se for campeão jogando retrancado (tem muito time que foi campeão assim), também ficarei feliz. Se não for campeão, jogando bem….não adianta nada (vide Brasil de 82, na História está Itália e Paulo Rossi)….e se não ganhar nada e nem jogar, como esse ano…ai é que não estou feliz mesmo. E olha que o Palmeiras me tirou do sério esse ano. Mas futebol é apenas uma pequena diversão e isso não influencia minha vida. Mas quero o meu time campeão sempre e não ficar 20 anos esperando por 1. E no Brasil futebol se ganha dentro e fora das 4 linhas. Vc viu que nossos rivais, gambás e bambis tiveram toda tranqüilidade esse ano…. mesmo com as crises. E como essa paz ajuda a se recuperar e trabalhar. Imagina se é o Palmeiras na situação dos 2…o inferno que a tupiniquim press não faria….e o pior é o “Friendly Fire” que nós mesmos torcedores fazemos com nosso time e entre nós. E para de dar uma de agente do serviço secreto e de se atirar em toda bala não direcionada a vc… 🙂

    • Gustavo Aroni 11/12/2017 | Responder

      É que o seu comentário tem um “Ficam repetindo”, então achei que era para mais de uma pessoa, e neste caso, sou um os que preferem que os três pontos venham da decorrência de um bom futebol, e não simplesmente do acaso, de qualquer maneira. Mas, se o comentário era exclusivamente para uma única pessoa, que não era eu, então me preocupei à toa, sem essa de agente secreto.

  4. Renato 11/12/2017 | Responder

    Bom dia.
    Despedindo de 2017 e do site 3vv.
    Desejo um bom ano a todos que publicam textos e a todos que se manifestam por aqui.
    Fica aqui a minha expectativa de um 2018 melhor para o time que amamos e queremos vê-lo vencedor.
    Fiquem com Deus.
    Um Natal Feliz e Saúde à todos.

  5. Levi 09/12/2017 | Responder

    Meu Deus, como esse blog virou uma coisa chata.
    Ficam repetindo todo dia as abóbrinhas de 3 pontos. Em campeonato de pontos corridos, quem faz mais pontos é o campeão. Em todo campeonato quem faz mais 3 pontos=vitória, é campeão.No dia em que os gambás foram campeões tinham 20 vitórias….10 delas de 1×0….ou seja 3×10= 30 pontos. Com ou sem ajuda de juiz e o que fica para a história é que em 2017 foram campeões brasileiro……… casaco todo dia a mesma ladainha ….parece o filme o dia da marmota ou tem papagaio escrevendo por alguém aqui no blog. Quem aqui do blog vai aos jogos do Palmeiras, fora o Marin?……. ou só existe leão de teclado aqui?

    • Gustavo Aroni 09/12/2017 | Responder

      Levi, simplesmente temos opiniões distintas, e isso é bom para que haja debate. Eu sou adepto de um Palmeiras jogando bom futebol, e que os títulos sejam oriundos disso. Você pensa diferente. Ainda assim respeito seu ponto de vista. Isso é democracia. Diferente de eleição com candidato único.

      • Quer dizer então que quando o assunto é Palmeiras só valem as opiniões das pessoas que vão ao estádio? Temos no máximo 43.700 “torcedores verdadeiros” (capacidade máxima do Allianz, que pelo que sei ainda não foi atingida), os demais 14,956 milhões (inclusive os que não moram no país) são só um bando de “leões de teclado” ou outros espécimes não catalogados? É, isso só poderia ter vindo do rei das abobrinhas conspiratórias mesmo…

    • Reynaldo Zanon 11/12/2017 | Responder

      Concordo com você, Levi. Os outros clubes nos invejam, nós estamos contratando os nomes de maior destaque do futebol brasileiro já há alguns anos e vejo alguns que não fazem outra coisa a não ser resmungar ou ver tudo pelo viés negativo. Nunca nada nem ninguém agrada, enquanto torcedores dos demais clubes com certeza estariam comemorando as nossas contratações. Bom, para alguns, era quando contratávamos Messi Black, Tinga e inúmeros outros jogadores medíocres que então eram anunciados como “reforços”. Quem serão os cracaços que os rivais contratarão? Alguns aqui se comportam como milionários que não compram um picolé de 3 reais por serem muito avarentos e acabam não usufruindo da própria fortuna. O Palmeiras está em um dos melhores momentos de sua história e que já resultaram e ainda resultarão em muitas e grandiosas conquistas, mas para alguns tudo está ruim, nada presta, Patético.

      • Gustavo Aroni 11/12/2017 | Responder

        Juro que procurei, procurei e não encontrei no comentário do Levi a parte que fala de contratações e “reforços”, mas tudo bem. Criticam nossos resmungos, mas gostam. Até acham o que não foram escritas só para contestar. kkkkk

          • Pois é, nossas criticas são baseadas em fatos, mas na hora de contestar por contestar vale tudo, até ler ou ver o que não existe. Não se trata de desmerecer contratação alguma, apenas ter cautela e demonstrar aprendizado com os erros cometidos bem recentemente. Afinal, em janeiro deste ano também estávamos trazendo os melhores nomes (atenção para o termo NOMES!) do futebol brasileiro e sul-americano, verdadeiros cracaços que provocariam surtos de suicídio por inveja nos torcedores rivais (aqueles que nos odeiam e perseguem desde o início dos tempos) e lotariam nossa sala de troféus, inclusive com a taça do Mundial, porém a realidade foi bem diferente. Talvez porque exista uma diferença entre NOMES e JOGADORES (algumas pessoas não percebem, mas ela existe) que decidem, pois estes é que formam times vencedores que ganham partidas e campeonatos. Weverton, Pablo (tá pedindo uma nota preta, hein?), Rafinha, Diogo Barbosa, Scarpa e Lucas Lima são bons jogadores, mas “cracaços” só na terra da Alice mesmo. Alguns atuaram com o nome em 2017, mas independentemente disso precisam provar que podem fazer um time vencedor com a camisa do Palmeiras. Isso é o que importa, o resto é devaneio. E podem esperar que essas pessoas que contestam os críticos cautelosos já clamando pelas taças hoje são as mesmíssimas que no final da temporada culparão Globo, CBF, Daronco, Héber, Mustafá ou a Mãe Dinah em caso de fracasso.

            • Gustavo Aroni 11/12/2017 | Responder

              Pois é, em nenhum momento foi dito que o Lucas Lima ou Scarpa são mais jogadores, e sim que são normais, não decidem partidas e são “sono”. No Scarpa, ainda pode se muletar nas tais assistências, mas o que Dudu, Lucas Lima, Moisés, Guerra e Borja jogaram em 2017? Nada. E esse papo de que contesta-se tudo não cola, pois fisse que a contratação foi Diogo Barbosa foi boa, e serei o primeiro a me redimir (e cornetar) se não for.

      • Tem dois perfis de torcedores, os “alegrinhos”, e os pés no chão. Os “alegrinhos” comemoram dinheiro em caixa e contratações “de nome”, e tem a audácia de dizer que “vivemos a melhor época de nossa historia”. Pobres primeira e segunda academia, quem já se foi, se revirou no túmulo depois dessa… Eu não quero um palmeiras medíocre do bumba meu boi, quero um time que jogue com classe, e que, quando estiver jogando o fino da bola, com certeza passará a colecionar títulos pela qualidade, não por ser o “menos pior” da temporada, como tem acontecido no futebol brasileiro nos últimos anos…

        • Reynaldo Zanon 12/12/2017 | Responder

          Disse “vivemos um dos melhores momentos da nossa história”, pelo contexto geral: infraestrutura, poder financeiro, dívidas sanadas, elenco forte, etc. Não disse “o melhor momento da nossa história”. Há diferença. Interprete melhor o texto.

        • Seu texto, mais uma vez, é perfeito, não há nada mal interpretado. Azar de quem se contenta com liderança no campeonato de arrecadação e na copa das contratações. É por isso que digo que os “alegrinhos” são os primeiros a elegerem “inimigos ocultos” ao menor sinal de fracasso, pois no mundo perfeito deles o Palmeiras nunca comete erros. Há uma enorme diferença entre “tudo está ruim, nada presta” e “cuidado: já vimos esse filme e o final não agradou”. Por fim, o Grêmio sem alarde algum provou que dá pra ganhar título importante aqui no Brasil jogando bem com trabalho bem feito, então não tem essa de “menos pior”, basta acreditar e, é claro, trabalhar. E em tempo: tomara que o novo técnico e todas essas contratações, se vierem, arrebentem, o Palmeiras jogue muito e vença tudo em 2018.

    • Isso é verdade. Só não vale, é claro, quando se trata de treinador ultrapassado que ganha sozinho apesar do time pífio que monta com jogadores que escolheu, mas que não tem culpa de vexames históricos pois afinal de contas não é ele quem entra em campo.

  6. Aonde que Lucas Lima e Scarpa são sono eu não sei. Tem gente que nunca tá contente. Hoje alguns aqui
    chamariam o Ademir da Guia de sono pelo jeito mais cadenciado que ele jogava.

    • Gustavo Aroni 09/12/2017 | Responder

      É só assistir aos jogos. Moro na baixada santista, e o que 11 e 10 torcedores da sardinha que conheço reclamavam da falta de garra, do poder de decisão do Lucas Lima. Esse Scarpa é uma das maiores mentiras que já vi. Mas merecemos que eles venham também.

      • Taí uma coisa que a gente percebe que as pessoas não fazem mais: assistir aos jogos. Pouco importa o que acontece em campo, só vale o resultado mesmo. É mais fácil acompanhar pela internet, ver estatísticas de passes certos, posse de bola (como se deixar a bola com um perna de pau 90% do tempo garantisse alguma coisa) e, é claro, buscar os três pontos, o resto é “conversa fiada” e “balela”.

  7. Gustavo Aroni 09/12/2017 | Responder

    Se vamos perder o Mina pro Barcelona, porque não “vinculamos” um empréstimo do Arthur do Grêmio, e que está indo pra Catalunha, até o fim de 2018.

  8. Gustavo Aroni 08/12/2017 | Responder

    Moisés, Lucas Lima, Guerra, Scarpa…quantos meias “sono” mais teremos para o elenco, em 2018?

    • Felippe 08/12/2017 | Responder

      Moisés e Guerra são dois pés de vidro. Scarpa e Zeca seriam ótimas contratações. Vai o Time de 2018: Jailson, Rafinha(Zeca), Gil, Pablo(qual é a música) e Diogo Barbosa, F.Melo, ?, L.Lima, Scarpa, Dudu e Borja(Willian).

      • Quem vai marcar nesse time, já que o Felipe Melo não aguenta correr nem atrás do Ronaldo Balofo? E essa defesa, por enquanto, é puramente especulativa, vamos começar o ano com Emerson ex-Botafogo, Mina (já pensando na sua casinha em Barcelona), Dracena, Juninho e Luan. Sobre os tais meias “sono”, um dos maiores que eu vi jogar com a camisa do Palmeiras era chamado pela própria torcida de “Alexotan”. Quaisquer dez minutos “despertos” do Alex em uma partida valiam mais do que uma temporada inteira dessa lista aí.

        • Gustavo Aroni 08/12/2017 | Responder

          É verdade, o Alex quando despertava, decidia. Vamos ver se juntando esses quatro dá meio Alex sonâmbulo.

          • Felippe 09/12/2017 | Responder

            Achava que vocês acompanhavam futebol, que tal pesquisar então? Quem são os reis das assistências no Brasileirão de 2018? Quantas partidas Scarpa jogou no Brasileirão? As vezes me pergunto se o Palmeiras trazer o Messi vai ter gente dizendo que ele esta velho, não é mais o Messi de antigamente….etc……Lucas Lima e Scarpa estão entre os 3 maiores meias que jogam no Brasil, discorda? Então me mostre outros…..

            • Gustavo Aroni 09/12/2017 | Responder

              O Lucas Lima não joga nada faz tempo. Esse Scarpa pode ser o rei do universo, é um jogador normal. O Hernanes joga trinta vezes mais que os dois juntos.

            • Tá certo, meu caro, já que você é tão ligado em números, estatísticas e outras coisas que não se traduzem necessariamente em bom futebol dentro de campo, a verdadeira razão de se ver um jogo, então diz aí quantos títulos o Santos e o Fluminense levantaram em função de Lucas Lima e Scarpa? Volto a repetir: acho-os bom jogadores, mas depois das decepções deste ano é necessário o torcedor do Palmeiras – pelo menos aquele que aprende com os erros – ter muita cautela antes de voltar ao “entreguem as taças”.

              • Felippe 11/12/2017 | Responder

                A questão é títulos? Por que mandaram embora o Alecsandro então, quer maior ganhador que esse, ou que tal ficar com o Dracena até 2050. Realmente eu estou errado mesmo, lembro quando a Parmalat só fazia burradas, imagina trazer Luizão, Edilson, Djalminha, Edmundo, Roberto Carlos….jogadores sem títulos…Parabéns a Crefisa e Alexandre Mattos que só trazem campeões: Erick, A.Carlos, Juninho, Weverton, Dyeverson, Fabiano, Maique, A.Carlos (renovou até 2018), o multi campeão zagueiro do Botafogo, sem contar os campeoníssimo : E.baptista, Kleina, Dorival Jr. e agora Roger.

  9. Levi 07/12/2017 | Responder

    Contrato do Ricardo Oliveira vence em Dezembro e as sardinhas estão devendo para ele. Esse cara é matador e sabe fazer gols e muitos. O resto não interessa. O Mattos poderia surpreender e apresenta-lo em janeiro.

    • Reynaldo Zanon 07/12/2017 | Responder

      Ricardo Oliveira não! Além de tudo o que nos provocou em passado recente, está velho demais e já em decadência. Agora vamos querer trazer o time inteiro do Santos? Virá o Lucas Lima, há rumores de que o Zeca pode vir e ainda o Ricardo Oliveira? Não!

    • 3, 4 anos atrás, eu gostaria. Mas o Palmeiras recusou… fiquei p…, lembrava da passagem dele no Tricoflor, sabia que era ótima aposta (ele se ofereceu por míseros 50 mil mensais, se não me falha a memória). Hoje, realmente a idade bateu e ele entrou na fase da decadência. Quanto a provocar nossa torcida e jogadores, não esqueça que até o Viola jogou (e bem) por aqui.

    • Matheus 08/12/2017 | Responder

      Acho que a idade dele pesa muito. Agora o Zeca seria muito interessante pra compor o elenco.

    • Ricardo Oliveira é insuportável. Cara, tem jogadores que NUNCA devem pintar por aqui, de boa. Deixa ele lá ou pra onde decidir ir, mas aqui não.

  10. Felippe 07/12/2017 | Responder

    Erros já para 2018: não vender Dudu e com a grana trazer o Scarpa, renovar com Prass paneleiro e que só pula para trás, trazer esse zagueiro do Botafogo e querer trazer esse goleiro mão de pá do Atlético PR. Acertos por enquanto: Arouca , A.Carlos , Egidio , Fabiano fora e contratação de Lucas Lima.Aposta : Diogo Barbosa.

  11. Sei lá, só senti a necessidade de passar aqui e dizer que o Dudu, nos times dos anos 90, seria só reserva e olhe lá. Mas é claro que, nos dias de hoje, dá pra considerar ele camarão. Mas com a escassez de talento no mercado, o Palmeiras precisa fazer algo diferenciado para garimpar talentos, seja pra criar em casa, ou pra trazer de fora. Alguém sabe como é feito o trabalho de olheiro, scoutt no Palmeiras? Na minha opinião, deixa muito a desejar.

    • Pois é, quando eu escrevi que o Dudu pegaria “Everton e olhe lá” numa Premier League teve gente que não entendeu – e olha que errei feio, pois a oferta que chegou foi de um time mediano da pífia Liga Chinesa. Gosto muito do Dudu, repito que do elenco atual (não incluindo GJ, portanto) para mim é de longe o melhor jogador que atuou por aqui nos últimos três anos, e apesar dos muitos erros que comete neste momento só o trocaria por alguém comprovadamente superior, mas dentro da realidade do futebol atual (em nível mundial, incluindo Brasil, América do Sul e Europa) é somente um bom jogador.

      • Thom 07/12/2017 | Responder

        É bem por ai.

        O problema é que como quase não restam “bons jogadores”, alguém que sabe passar, chutar e correr sem tropecar, ja fica acima da média.

  12. Gustavo Aroni 06/12/2017 | Responder

    Agora, €13 milhões pelo Dudu, eu venderia no ato, sem pensar duas vezes.

    • Thom 06/12/2017 | Responder

      Jamais. Ta maluco?

      Diretoria ja mostrou que não sabe o que fazer com dinheiro.

      Melhor manter um jogador que sabemos que é bom e acima da média. E trazer mais.

      Dinheiro está sobrando aos montes. Precisamos é de bons jogadores.

      E pela eficiência em contratações atual, não da pra dispensar ninguém que deu certo aqui.

      • Gustavo Aroni 06/12/2017 | Responder

        Concordo. Se não for pra trazer coisa melhor, melhor deixá-lo aqui. Mas se fosse pra trazer mais qualidade (e esse ano ele foi bem normalzinho), venderia. Dá R$ 50 milhões, fora o que deixaremos de pagar com salários.

        • Thom 07/12/2017 | Responder

          Sim sim, sem sombra de duvida. Mas com essa galera gastando dinheiro igual eu compro salgado quando recebo… melhor nao arriscar haha.

          Capaz de ir Dudu e vir 3 do América, que acabou de subir

  13. Thom 06/12/2017 | Responder

    Caraca, eu vivi pra ver Hitl.er sendo usado como argumento para qualquer coisa aqui.

    haha

    • Thiago Souza 06/12/2017 | Responder

      Se todo mundo quer, então a ideia é boa???
      Ser a favor de algo estúpido e depois se defender dizendo que a maioria pensa assim é um péssimo argumento, porque a maioria pode sim estar incrivelmente errada (por exemplo, a Alemanha elegeu Hitler antes dele se tornar um ditador e recentemente os EUA elegeram Donald Trump).

    • O maior problema não foi a diretoria do Palmeiras ter ido buscar o Cuca de volta. Com ele à disposição no mercado após a saída do Bap, mesmo o Guardiola, se chegasse, seria cobrado para ter 100% de aproveitamento até o final do ano, caso contrário sairia apedrejado daqui. A grande questão foi o Cuca ter voltado sem a menor vontade, sem o menor tesão, pois sabia que encontraria um monte de gente com quem não gostaria de trabalhar no clube. A burrada no caso foi ele não ter sido honesto consigo mesmo e com a torcida palmeirense, todo o resto foi consequência.

      • Tiago 07/12/2017 | Responder

        Na vdd ele voltou cheio de vontade de ganhar dinheiro e se achando a última bolacha do pacote.
        Aí vou q as coisas não deram certo, ficou com frescurinha de querer sair…
        Bem era pra ter vindo..

  14. Felippe 05/12/2017 | Responder

    Só fizemos burrada esse ano, E.baptista , a volta de Cuca, fora as contratações de jogadores da Chape, Coxa, Vasco e outros times de nível baixo, e mesmo assim abandonando o Brasileiro chegamos em segundo lugar, ou seja, um pouco mais de profissionalismo e contratações pontuais não seria nada de mais sermos campeões ano que vem. Devemos pelo menos 1 ano com o Roger independentemente de seu primeiro bimestre. Acredito em título sim em 2018. Feliz 2018 à todos. Força Palestra.

    • Julgo como burrada as atitudes no ato, não após o resultado ruim. Por exemplo, contratar o EB foi burrada desde o começo, um cara com pouca experiência, trabalhos medianos, que foi engolido pelos leões do vestiário e dep. de futebol. Trazer o Cuca se mostrou uma decisão equivocada, mas na hora da escolha, não : técnico atual campeão brasileiro, conhecedor de 90% do grupo, nome com força no meio. Ninguém imaginava que ele voltaria sem interesse, quase que obrigado.

    • Joao Camilo 05/12/2017 | Responder

      Mas isso sempre acontece!!
      Todos os clubes do brasil vendem por uma mixaria e lá os caras triplicam o preço!

    • Você acha que se ele tivesse continuado por aqui jogando contra Novorizontino, Vitória ou Jorge Wilstermann, com a defesa que temos e os técnicos o colocando pra dar “casquinha” ou correr atrás de lateral, ele estaria avaliado nesse patamar? O problema não está no fato dele sair, o que aconteceria cedo ou tarde, mas na dificuldade que o Palmeiras tem em produzir talentos, se não equivalentes, pelo menos próximos ao dele.

  15. O Prass foi responsável pela Copa do Brasil em 2015; No brasileiro de 2016 quase não jogou e esse ano
    foi um baita goleiro meia boca. Tem pé de rato voltando, Alione.

    • Exatamente, o Prass está sendo vítima do que acontece com todo mundo: decadência. Inevitável, para jogadores, treinadores e até dirigentes, não importa a idolatria cega que se tenha por eles.

  16. Thom 04/12/2017 | Responder

    Discordo de voce, Gustavo. Mas em partes.

    Se a gente olhar só o nível do futebol Brasileiro (até porque craques não querem jogar aqui), temos muitos camarões sim.

    Atentem ao contexto. Tanto do futebol atual, quanto o que o Felipão quis dizer com “camarão”.

    Prass
    Mina
    F.Melo
    L.Lima
    Dudu
    Borja (não vingou, mas veio como camarão)
    Moisés (mas nao jogou esse ano, diga-se)

    Esses jogadores teriam espaço em TODOS os times da Série A.

    Isso é camarão, certo?

    O problema é que eles foram jogados na panela e estão fritando, sem saber pra onde ir.

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      Olha, Thom. Desses que você citou, o único que acho um camarãozinho sete barbas é o Mina. O Prass já está na descendente. Os outros são medianos, e jogariam em qualquer time da Série A, porque a Série A é mediana também. Não passam de bagres, não chegam perto de camarões, mas talvez pro Felipão ainda sirva.

      • Concordo que todos teriam espaço em qualquer time da Série A, assim como tem muita gente que atua pela nossa Série A que botaria a maior parte deles no banco. O único acima da média desses aí é o Dudu, gostem ou não. Se erra bastante em três, quatro jogos, decide outra meia-dúzia e dos atuais componentes do elenco é, ao lado do Prass, o maior responsável por dois títulos nacionais em dois anos. Numa Premier League jogaria no máximo no Everton, mas num país que acabou de eleger Jô como “Bola de Ouro” torna-se indispensável. Felipe Melo só jogou com a língua, Mina já está na Catalunha, Moisés não passa de um segundo volante com boa qualidade no passe que viveu uma temporada espetacular em 2016 e só, Borja não tem gana e Lucas Lima, por enquanto, é somente um grande ponto de interrogação.

    • Thom 05/12/2017 | Responder

      Não dá pra dizer que são medianos porque “todos os times da seria A são medianos”.

      Não são.

      Esqueçam Europa. Esqueçam. Olhem pro campeonato dentro do país.

      Não da pra querer jogando aqui 5, 6 jogadores com espaço em clube grande Europeu porque se eles tiverem espaço em clube grande Europeu, eles vão jogar lá, né?

      Estou dizendo em relação ao futebol brasileiro. Aos jogadores que aqui jogam.

      Se pegarem os 5 melhores goleiros atuando no Brasil, Prass ainda está entre eles.

      Os 5 melhores atacantes pelo lado, Dudu está lá.

      5 melhores segundos volantes, Moisés. (que deve ser analisado no contexto. Nem só 2016 onde era craque, nem 2017 que foi mal. Na soma dos dois, o saldo dele é bem positivo.)

      5 melhores meias, Lucas Lima.

      e por ai vai…

      O que eu quero é que, na maior quantidade de posições possíveis, o Palmeiras tenha jogadores que estão no top 3 do país. Não top 5, mas top 3.

      Não espero pelo Messi, nem pelo “o cara que jogaria num Everton”. Não quero comparação com Europa.

      Quero que o desempenho do cara esteja entre os melhores que jogam aqui. Ponto.

      Não estou dizendo que é o que acontece hoje. Mas esses que citei estão sim entre os melhores do país e o caminho é esse.

      • CARLOS BRAGA 05/12/2017 | Responder

        Só tira o F Melo dessa lista. Além de mau caráter, não joga nada.

      • Gustavo Aroni 05/12/2017 | Responder

        Thom, eu fico com a frase do Eduardo: “…todos teriam espaço em qualquer time da Série A, assim como tem muita gente que atua pela nossa Série A que botaria a maior parte deles no banco.” Podem ser os três melhores, mas não são tops. Moisés e Lucas Lima não são decisivos. Não passam de jogadores normais, e não chamam a responsabilidade.

        • Thom 05/12/2017 | Responder

          Prass decidiu varios jogos, Dudu decidiu vaaaaarios jogos, Moisés decidiu muitos jogos, Lucas Limas, pelo Santos, também decidiu muitos jogos.

          Não são craques. Mas se o objetivo é ter mais da metade do elenco com jogadores acima da média nacional, o caminho é esse.

          Imaginando que Rafinha vai vir e que MIna sairá, eu traria mais um zagueiro OTIMO e um Centroavante OTIMO. Titulares.

          E chega de volantes, pelo amor de Deus.

          • Se o objetivo é encher o elenco com gente cara e de nome que decide alguns jogos, estamos no caminho certo. Se é formar um time que tenha qualidade e encare cada disp.uta como seu último prato de comida, falta muito. E apesar de todos valerem três pontos, há uma grande diferença entre quem decide jogos contra Atlético Goianiense ou Avaí e quem ganha um clássico ou uma final. Prass e Dudu estão nesse rol, gostaria que alguém me lembrasse algum título que o Santos levantou graças ao Lucas Lima.

            Como escreveu com a costumeira precisão o Gustavo, jogadores normais que não chamam a responsabilidade temos às pencas, e neste momento o meia que veio do Santos só está aumentando essa lista. Torço pra que arrebente, ganhe a Bola de Ouro 2018 e conduza o Palmeiras a todos os títulos que forem possíveis, mas depois de Guerra, Borja, Felipe Melo e o “entreguem as taças” que uma enorme parte da torcida bradava em janeiro deste ano, prefiro esperar.

      • O pessoal adora “esquecer a Europa”, mas quer ser campeão do mundo. Como já escreveram por aqui, querem ir direto da página 2 para o último capítulo sem escalas, depois não entendem o que aconteceu na história e reclamam do final. No dia em que aceitarmos determinados conceitos que o Velho Continente já entendeu, como um time organizado e comprometido ser capaz de superar outro cheio de recursos (técnicos e financeiros) no futebol atual, vamos parar de atribuir fracassos somente às Globos e aos Daroncos da vida.

        • Thom 06/12/2017 | Responder

          Eu to esquecendo a Europa e não faço questão nenhuma de ser campeão do mundo.

          Pra mim, sinceramente, essa discussão de “Ganhamos ou nao um mundial” é completamente irrelevante.

          Mas voce não está errado no argumento.

          O que eu digo é que não vamos ter um time comparado a um Liverpool, Arsenal, United, Chelsea… e esses, hoje, são o segundo escalão da Europa.

          Infelizmente, não espero isso.

  17. Cássio Andrade 04/12/2017 | Responder

    Gente time que tem um grande meia, e o Lucas Lima quando quer é um baita meia. Tem o Moisés e o Guerra. Bons volantes. Bons goleiros. Na minha opinião falta um lateral direito. Acho o Mayke medonho. Uma zaga nova e confiável. E um centroavante implacável. O Borja parece não ter sangue na veia. Assim mesmo, quando jogou fez gols importantes. O Deyverson é um cara legal, mas não dá. Eu , e estou falando sério, contrataria o Walter, uma nutricionista e um psicologo 24hs só pra ele. Em forma, não tem atacante no Brasil com a capacidade de definição dele. O time dele caiu, sai de graça, contrato de produtividade. Vi esse cara magro na base do Inter. Era um monstro dentro e fora da área. E…peças de reposição.

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      Esse é o problema: o Lucas Lima querer alguma coisa. Investimento de mais de R$ 70 milhões.

    • Além de um psicólogo exclusivo para o cetáceo goleador eu traria mais uns quatro, sendo um especializado em goleiros com síndrome do pânico (com esse Wéverton, vamos precisar), outro em crise de identidade, para zagueiros que se acham a reedição do Luís Pereira, mais um que tenha pós em “Atacantes com Síndrome de Cafuringa” (correm, driblam, pedalam, mas quando o jogo é grande somem) e pelo menos um que entenda de transtorno bipolar, pra mostrar pro futuro técnico que “linha burra” pode ser uma jogada inteligente.

  18. Philipe Frois 04/12/2017 | Responder

    Graças a Deus acabou esse ano! Que lástima, que futebolzinho pobre de novo! Se a intenção da diretoria era manter 90% do elenco e fazer contratações pontuais, acho melhor rever isso daí. Luan, Juninho, Fabiano, Michel Bastos, Felipe Mello, Erik, tchê tchê pela falta de vontade, não podem ficar mais. Fora que tem a situação do Prass que já fez bastante mas tá na hora de pegar a mala e ir embora. Tem o Mina que não tá jogando nada faz tempo tbm e se for pq esta pensando no Barcelona que vá logo de uma vez. Além disso tem jogadores que alem de grossos , não tem cara que conseguirão ser soluções ano que vem, casos de Borja e Deyverson. Enfim, se trouxer 3 ou 4 jogadores e mantiver esse time q ta aí, esquece, vai passar vergonha em 2018 de novo!

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      Também acho, Frois. E vou te dizer uma coisa, não temos um único jogador, sequer, acima da média. Como dizia o 7el1pão, faltam os 🍤🍤. Todos são limitados. Não tem um cara em que você possa ter confiança que poderá decidir uma partida, que chame a responsabilidade. E ainda vem Lucas Lima.

  19. Renato 04/12/2017 | Responder

    Apenas dois times brasileiros merecem respaldo e respeito nesse ano de 2017:
    Grêmio e Flamengo.
    Quanto a nós , um desastre.
    Eu citei anteriormente e repito novamente.
    Resumo do ano do Palmeiras em uma única palavra:
    Melancólico.
    E o f.od.a é saber que 2018 será igual ou pior.
    Vai nos restar torcer contra os outros , uma pobreza de espírito sem tamanho para um clube que se diz rico cheio do dinheiro.

    • CARLOS BRAGA 04/12/2017 | Responder

      Acho que você escreveu errado…. Corrige aí, o Flamengo foi um grande fiasco!

      • Renato 04/12/2017 | Responder

        Fiasco?
        Os caras vão fazer a terceira final.
        E nós?
        Sul-americana é uma conquista internacional.
        Eu gostaria de ver o Palmeiras terminando o ano em três finais.
        120 milhões investidos para ser vice-campeão. E por deméritos dos outros.

        • Desculpe, Renato. Final de campeonato estadual o ABC de Natal tem 80 no currículo (e não sei se você vai ver o árbitro da partida vibrar com um gol da equipe em alguma delas, como aconteceu na decisão do carioca deste ano), isso faz dele o quê? Os urubus vão disp.utar a terceira final do ano com um time tão ou mais caro que o nosso, mas nas principais competições conseguiram ser piores que o Palmeiras, com eliminação na fase de grupos da Libertadores perdendo TODAS as partidas fora de casa e sexto lugar no Brasileiro graças a um zagueiro imbecil do Vitória, senão teria ficado atrás da Chapecoense. Aliás, o time catarinense e o Grêmio sim é que merecem o meu respeito neste ano, os demais só tiveram nome, pragmatismo, tradição e “resultadismo”, mas futebol mesmo que é bom, nada.

        • Reynaldo Zanon 04/12/2017 | Responder

          Sulamericana, série B da Libertadores. Tanto é verdade, que os terceiros colocados dos grupos da Libertadores são automaticamente transferidos para a Sulamericana.

          • Não deixa de ser um título internacional, que assim como a Liga Europa eventualmente tem jogos mais interessantes e melhores que a principal competição do continente. Quando ganhamos a Copa Conmebol em 1998, antecessora da Sula, ninguém a chamou de “Série B da Libertadores”, e já era a mesma coisa. O fato é o seguinte: o Flamengo só está na final, chegou lá por méritos mas ainda não ganhou nada, e isso não apaga o fiasco que foi o ano deles, assim como o vice-campeonato nacional não apaga o que foi o nosso.

            • Reynaldo Zanon 05/12/2017 | Responder

              Nós ganhamos a extinta Mercosul, e não era a mesma coisa da Sulamericana. Libertadores e Mercosul eram competições à parte. E ninguém dava maior importância também à Mercosul, porque, tanto quanto a Sulamericana hoje, realmente não tinha relevância.

              • Tratava-se da segunda competição em relevância da América do Sul, criada para substituir a Copa Conmebol, mas cujos critérios de participação levavam em conta ranking histórico e não desempenho recente. Tinha fase de grupos mas de resto era igual, sim, quem disp.utava queria ganhar e quando ganhamos demos importância, tanto que chegamos a três finais, e a edição de 1998 ajudou o time a criar “casca” para o título da América em 1999. Para um time grande conquistar a Sul-Americana é tanto prêmio de consolação por ter ficado de fora da Libertadores quanto vencer a Copa do Brasil o é pra quem não teve competência de ganhar o Brasileirão.

                • Reynaldo Zanon 05/12/2017 | Responder

                  A Copa do Brasil é muito mais importante do que a Sulamericana. A Copa do Brasil é disputada por todos os clubes, dos minúsculos aos gigantes do Brasil. A Sulamericana é mero consolo para fracassados da Libertadores.

        • CARLOS BRAGA 05/12/2017 | Responder

          Nós fomos sim um fiasco Renato, mas isso não valida dizer que o Flamengo merece “respaldo e respeito”. Foram um grande fiasco também, talvez maior que o nosso! O Grêmio merece respeito pelo futebol apresentado, que gerou um grande título! Flamengo não jogou nada esse ano, menos ainda que o Verdão!

  20. Thom 04/12/2017 | Responder

    Como número são engraçados né?

    Daqui a alguns anos, vão olhar pra esses 3 anos.

    Campeão 2015
    Campeão Brasileiro 2016
    Vice-Campeão Brasileiro 2017.

    Se olharmos APENAS isso, indica que estamos bem.

    E a realidade é completamente diferente….

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      E justamente porque a cultura dos três pontos de qualquer jeito está entranhada no pseudo-futebol brasileiro. A qualidade está em último plano, infelizmente.

    • Os mais fanáticos, daqueles que contabilizam Copinha SP e Carnaval no currículo do clube (como certo rival), ainda vão lembrar que ganhamos a CB 2012, a Série B 2013 e a Taça Julinho Botelho em 2014. Cinco troféus e um vice em seis anos, tá reclamando de quê? Hein? Bom futebol? Planejamento? Bah, conversa fiada, balela, torcedor quer saber é de taça, mesmo que não haja qualquer padrão (a não ser a ajuda de San Gennaro) entre essas conquistas.

    • Já fui ao Frevo, realmente é bom. Eu sei que o Kleina foi contratado em setembro de 2012, e que naquela ocasião o clube era “dirigido” pela dupla de bananas de pijama. Acontece que o sucessor e piloto de rally nas horas vagas não apenas ratificou a permanência do treinador até o final de 2013 (mesmo depois de sofrer a humilhante goleada por 6×2 para o rebaixado Mirassol, com incríveis seis gols levados em menos de 45 minutos, e da ridícula campanha na Libertadores, quando o time não marcou um gol sequer fora de casa em 4 partidas) como renovou seu contrato para o centenário. Dos 20 meses que ele passou no Palmeiras, 16 foram sob a gestão do Nobre, ou seja, pai é quem cria e não quem faz.

    • Já fui ao Frevo, realmente é bom. Eu sei que o Kleina foi contratado em setembro de 2012, e que naquela ocasião o clube era “dirigido” pela dupla de bananas de pijama. Acontece que o sucessor e pi.lo.to de ral.ly nas horas vagas não apenas ratificou a permanência do treinador até o final de 2013 (mesmo depois de sofrer a humilhante goleada por 6×2 para o rebaixado Mirassol, com incríveis seis gols levados em menos de 45 minutos, e da ridícula campanha na Libertadores, quando o time não marcou um gol sequer fora de casa em 4 partidas) como renovou seu contrato para o centenário. Dos 20 meses que ele passou no Palmeiras, 16 foram sob a gestão do No.bre, ou seja, pai é quem cria e não quem faz.

  21. Ivan da mooca 03/12/2017 | Responder

    Imaginem vocês que o tal do Roger é do nível do AV. Perdemos todos os jogos devido essa tal de zaga adiantada. Perdemos a chance de trazer o FD

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      Perdemos porque não temos jogadores de qualidade para jogar com defesa alta. A maioria dos grandes da Europa jogam assim, mas lá tem material humano qualificado, e os defensores (incluindo o goleiro), não têm medo, pavor, de sair jogando com a bola dominada.

      • Dê uma defesa com Mayke, Egídio, Luan, Juninho, Fabiano, Jean mais um zagueiro de 36 e um lateral de 43 anos “guarnecida” por um pitbull falastrão ou um rottweiler apenas bem intencionado, que atuaram quase dois anos na base da arcaica marcação individual, nas mãos dos melhores treinadores do futebol europeu pra ver quantos jogos eles ficam sem perder ou levar gols.

  22. Claudio Longo 03/12/2017 | Responder

    LIMPEZA GERAL, ELENCO CARO, SEM QUALIDADE , ATITUDE E POSTURA, VERMOS ESTE SHOW DE HORRORES E SERMOS CONIVENTES , COM A ADMINISTRAÇÃO AMADORA , QUE TEM NO COMANDO UM DIRETOR, QUE DE PROFISSIONAL, NUNCA TEVE NADA, GASTOU-SE MILHÕES , A TROCO DE VEXAMES , O NÍVEL TÉCNICO DO FUTEBOL TUPINIQUIM, NÃO ACEITA ARROGÂNCIA, AGORA FICA O CONHECIMENTO PRATICO E TEÓRICO, JOGAR CADA PARTIDA COMO UMA FINAL, É OBRIGAÇÃO, “JOGADOR DE FUTEBOL´´, NÃO É ÍDOLO, É SIM UM FUNCIONÁRIO BEM PAGO, A SER COBRADO A CADA DIA , PELA POSTURA , PELA ATITUDE , E RESULTADOS, PROFISSIONALISMO, É TER CONTROLE DE TUDO, E NÃO A POSTURA RIDÍCULA DE UMA , IMBECIL QUE LAVA DINHEIRO, E SE ACHA DONA DA VERDADE, TER MORDOMIAS, TER SALÁRIOS ALTOS , E PAGOS EM DIA, JÁ JUSTIFICAM AS DEMISSÕES , A SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS, TEM TORCIDA, NOME, HISTORIA , CONQUISTAS E GLORIAS, AGORA FALTAM COMPETÊNCIA, TRABALHO SERIO, E COMPROMISSO !

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      Pois é. Podemos ter todo dinheiro do mundo, estrutura interplanetária, 20 salários adiantados, se não priorizar a qualidade (dentro e fora das quatro linhas, desde a base) e o futebol bem jogado, nada adiantará.

    • Ganhamos no Beira-Rio três vezes em cerca de cinquenta anos, jogando quase todo ano lá. O Independência, que nem é do Galo, passou a ser um estádio que frequentamos há pouco tempo, mas cansamos de ganhar deles em MG.

  23. mário luiz 03/12/2017 | Responder

    Espero sinceramente tanto para o bem do Palmeiras como do próprio Alberto Valentim que ele não aceite fazer parte da comissão técnica de 2018, ele já provou que não serve como treinador, nem mesmo como interino. Que ele vá buscar novos ares em 2018 porque ele já demonstrou que possui um relacionamento próximo demais do elenco, ou seja, suas opções não são táticas/técnicas mas sim baseadas na ideia de manter o grupo unido.

    • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

      Não podemos esquecer que esses jogadores devem ser cobrados. Todos sem exceção. Ganham muito pelo pouco que jogam. E quem os contrata também não pode ser esquecido.

  24. Felippe 03/12/2017 | Responder

    2018: Eduardo Baptista rebaixado, confere. Gilson Kleina rebaixado, confere e, Dorival Jr nem entre os dez melhores do Br, confere. Parabéns Mattos e diretoria , como vocês entendem mesmo de futebol.

    • Pode botar o Gargamel nessa lista aí. Pra quem valoriza treinador só por causa de título e currículo, independentemente da evolução que tenha na carreira, caiu hoje o cara que chegou em cinco das últimas sete finais de Copa do Brasil e que está na história como um dos pouquíssimos treinadores legitimamente bi-campeões brasileiros. E não vamos esquecer que Kleina e Dorival foram obras da dupla dinâmica “Nobre/Brunoro”.

    • mário luiz 04/12/2017 | Responder

      Gilson Kleina e Dorival Júnior não foram contratados pelo Mattos. O primeiro foi uma invenção do Frizzo e o segundo uma invenção do Brunoro.

      • O Kleina foi a dupla B1/B2 quem fez, mas o sucessor foi quem criou, inclusive renovando contrato para o centenário após 6×2 pro Mirassol e campanha sem um gol fora de casa na Libertadores. Pai é quem cria, não quem faz. E justiça seja feita: o Kleina deixou a Ponte em 13º lugar (que terminou em 19º) e pegou a Chape em 16º (que terminou em 8º e campeã do returno), então está longe de ser a maior aberração do planeta.

    • Também pensei nisso, só que teremos de volta o Beira-Rio, além de continuarmos indo à Arena Condá e ao Panetone.

  25. Minha lista de dispensas para o ano que vem:

    Fabiano, Juninho, Luan, Antônio Carlos, Egídio (esse já foi), Michel Bastos, Bruno Henrique, Jean, Rafael Veiga (empréstimo), Roger Guedes, Erik, Deyverson e arrumar um outro clube que queira comprar o Borja mais rápido possível.

    Se eu tiver esquecendo de alguém que mereça, favor me lembrarem para que eu aumente essa lista.

    • Olha, parece que o novo treinador pediu a reintegração do Allione. Pode incluir. E se o Mina começar 2018 como terminou 2017, com a cabeça na Catalunha, melhor dispensar logo.

      • Gustavo Aroni 04/12/2017 | Responder

        Pu.ta que pa.riu! Lá vem essa merda argentina de novo. Só pode ser praga.

Leave Your Reply