Que venha 2018!

 

 

Por Vicente Criscio

No filme Forrest Gump, a certa altura, o Tenente Dan Taylor, em briga com Deus, resolve desafiá-lo. E no bote em que ele e seu sócio Forrest só conseguiam pescar lixo ao invés de camarões, no meio de uma tormenta, pergunta aos berros, insanamente: “é isso que você tem para afundar esse barco? só isso? você não vai afundar esse barco!” (ao final do texto, um trecho do filme que encontrei no Youtube; o Tenente Dan começa sua “briga” com Deus logo após o primeiro minuto; infelizmente só encontrei com legendas em espanhol)

Volta pra cá. Em certos momentos de estresse no trabalho eu brinco com meus times. Eu digo a eles: “todos os dias, quando acordo, eu peço a Deus: mande-me problemas; só assim eu cresço; e ele me atende!”. Alguns dão risada, outros não acreditam, e outros ainda não gostam da piadinha em hora inapropriada. Mas é assim que eu penso. Quase que como o Tentente Dan, eu pergunto pros céus: “é isso que você tem?”.

Após um ano de 2017 – do ponto de vista da economia foi melhor que 2016, mas para muitas pessoas, empresas e instituições, foi uma enorme decepção – acho que o que podemos desejar é: que venha 2018. Que façamos melhor que 2017. Que os desafios sejam enfrentados com a devida humildade, com honestidade de princípios, com inteligência e serenidade para tomar decisões, e com coragem para fazer o que tem que ser feito. Claro, sempre com energia positiva. E que eventuais erros, fracassos, omissões de 2017, sejam usados como aprendizado.

Isso serve para nosso time. Em 2017 tivemos um problema de “soberba”. Após o título de 2016, acreditamos que éramos melhor que tudo e todos. Nos faltou humildade, nos faltou inteligência, nos faltou coragem pra fazer o que tinha que ser feito no tempo certo. Perdemos o ano. Não pode ser caracterizado como uma tragédia – afinal fomos vice-campeões brasileiros – mas em termos de expectativa ficamos lá embaixo. Achávamos que por term9s um grande elenco e investimentos milionários, mereceríamos o título.

Um parênteses quase saindo do texto: na vida, sucesso não tem nada a ver com merecimento. Tem a ver com trabalho, inteligência, riscos calculados, planejamento, persistência mas sem apego, admitir os erros e aprender com eles, honestidade de princípios. Aí vem o merecimento. Só depois disso tudo. E não antes.

Então que venha 2018. Que venham os desafios. E que todos nós tenhamos a energia necessária para enfrentá-los. Vamos ganhar algumas e perder outras. Como numa grande competição de futebol. Mas o saldo no final precisa ser positivo. E lembrem-se: não é porque merecemos que a coisa cairá no nosso colo. Temos que trabalhar por ele. Então aos trabalhos. Que venha 2018.

Feliz Ano Novo. Feliz Festas. São os votos meus e dos colaboradores do 3VV.

***