Categorias
Opinião

O fair play financeiro e o choro de torcedor

 

 

Por Vicente Criscio

A contratação de Gustavo Scarpa no Palmeiras despertou em parte da imprensa um assunto que estava esquecido havia algum tempo: o tal do Fair Play Financeiro.

Alguns jornalistas menos atentos aos detalhes dessa prática instituída na UEFA em 2010 travestiram o termo “Fair Play Financeiro” para “abuso de poder econômico da Crefisa”.

Pura bobagem.

Primeiro vamos esclarecer. O Fair Play Financeiro foi criado na Europa para se evitar exatamente o que a enorme maioria dos grandes clubes brasileiros – exceto o Palmeiras – pratica: o não pagamento de dívidas com jogadores, outros clubes e afins. Digo exceto o Palmeiras porque hoje o Palmeiras tem sua dívida equacionada e não dá calote nem em marmiteiros nem em conta de energia. Salários estão em dia, diferente por exemplo do Fluminense, que perdeu exatamente o Scarpa por não pagar salários e 13o. E ainda assim o Fluminense tenta provar na justiça que a lei não se aplica para ele. Outro assunto….

Então o Fair Play Financeiro visa em primeiro lugar impor regras para que os clubes não criem dívidas acima de sua capacidade de pagamento. Quer ver mais detalhe sobre isso clique aqui e leia.

Em segundo lugar, aí sim, aparece a auditoria que a UEFA faz para evitar que bilionários pelo mundo comprem um clube e deem uma turbinada no time através de injeção de dinheiro fora do contexto do futebol. Por exemplo, no PSG o xeque catari meteu uma grana alta para Neymar mudar de Barcelona para Paris. Como entrou esse dinheiro? Foi patrocínio? Aporte? Empréstimo? O investimento fazia sentido? Há retorno? Lá o investimento em apenas um jogador foi de R$ 823 milhões, quase duas vezes o faturamento anual do Palmeiras.

O Presidente do clube parisiense e dono, entende (e com certa dose de razão) que com Neymar vai aumentar suas receitas de marketing e com isso valia o investimento (leia mais no Estadao.com clicando aqui). Aparentemente ele quer o PSG ganhando uma Champions League e isso não tem preço, como diria a propaganda. Nesse contexto a UEFA tem a preocupação com o desequilíbrio do investimento mas também tem outra questão: como evitar a lavagem de dinheiro no milionário mundo do futebol. Por isso a UEFA vem impondo auditorias cada vez mais pesadas nos clubes, principalmente aqueles que eram “não tão grandes” e se tornaram milionários (PSG, City, Chelsea e outros). Problemas deles lá….

E no Brasil?

Em 2015 a ex-Presidente Dilma Roussef sancionou a lei do Fair Play Financeiro, que basicamente foca nas dívidas dos clubes ou seja …

“determina que os clubes cumpram uma série de pré-requisitos, tais como comprovar o pagamento dos vencimentos acertados em contratos de trabalho e dos contratos de imagem dos atletas, apresentação de Certidões Negativas e de certificado de regularidade do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O não cumprimento de tais leis pode acarretar no rebaixamento da equipe. Em 2015, a CBF incluiu nos regulamentos das Séries A, B, C e D o “Fair Play Trabalhista”, que prevê punições aos clubes que atrasarem salários. No entanto, a lei se mostrou ineficaz nesta temporada. (fonte: globoesporte.com; leia mais clicando aqui).”

No regulamento do Campeonato Brasileiro de 2016 essa lei foi incluída. Claro que sabemos que não pegou, como muitas que não pegam no Brasil, caso contrário, alguns clubes, dentre eles o campeão brasileiro de 2017, teria sido rebaixado no final de 2016 porque atrasou pagamento de salários.

 

Então volta pro tema atual: quando um jornalista da Fox, da ESPN, da Globo, do Lance, vem falar em fair play financeiro e cita o Palmeiras como anti-exemplo, estão sendo levianamente parciais na análise  ou desconhecem a lei que estão tentando explicar.

Quando focam apenas na Crefisa, olham parte do assunto, aquele que lhes é mais conveniente. Mas a Crefisa não é problema. O seu investimento no Palmeiras está retornando. Basta olhar seus resultados econômicos e financeiros. E mesmo do ponto de vista de imagem. Ou alguém falava na empresa e nas suas faculdades antes do Palmeiras?  Na apresentação de Mina no Barcelona, mais de 100 milhões de seguidores do clube catalão viram a marca Crefisa. Subjetivo? Pode ser. Mas o retorno de imagem é um fato.

Outro ponto que precisa ser discutido: a maioria que hoje vem cobrar o tal fair play ignora por completo a perversa disparidade entre o que a Globo paga a Flamengo e Corinthians versus o que paga a Palmeiras e outros grandes clubes para ter o monopólio do campeonato brasileiro. Esse sim está errado. A Globo não só induz a quem ela quer que seja grande (pagando mais) como valoriza a marca mostrando mais jogos em horário nobre (em 2018 prometem uma regra que deve dar mais equilíbrio à grade; a conferir).

Portanto se querem discutir o fair play do ponto de vista de receitas, deveriam começar por aí.

Mas nem tudo são trevas na imprensa. Alguns poucos jornalistas mostraram o outro lado da moeda.

Rica Perrone: www.ricaperrone.com.br/a-patrocinadora/

Alexandre Praetzel: blogdopraetzel.uol.com.br/…/palmeiras-nao-e-apenas-o-time-mas-o-clube-a-ser-batido

Conclusão! Conclusão?

História, maior campeão nacional, 3a maior torcida do país, melhor estádio da América Latina, melhor contrato de estádio do Brasil, sócio torcedor, contas em dia, e um patrocinador que aporta e extrai valor de uma parceria que  já rendeu e vai render muitos frutos mais para todos. O resto é choro de mau jornalista-torcedor.

Saudações Alviverdes!

 

21 respostas em “O fair play financeiro e o choro de torcedor”

Não havia me tocado até hoje que o 3vv tem colunas, que não aparecem no poll de notícias da página inicial. Navego pelo celular, talvez a barra esteja meio escondida na versão mobile, mas agora no PC, consegui ver. Adorei saber que há mais a ser lido por aqui.

Quanto ao assunto, concordo que a imprensa é estúpida (de propósito), mas não é só com o verdão, foi a própria imprensa que começou com essa história de espanholização do futebol brasileiro (mesmo sendo uma crítica aos dois queridinhos da plim plim). O que jornaleiro de tv quer, é causa, não importa com que time, pois sabem que dá audiência, falar m…. e polemizar. Sim, há uma predileção pelo Palmeiras, mas já vi eles azucrinando tudo quanto é time.

Texto excelente e oportuno!
Todo mundo precisa entender a dinâmica do FairPlay financeiro, porque a imprensa está usando contra nós a velha prática do Chacrinha – escrevem para confundir e não para explicar.

Lendo as diversas opiniões sobre o “Fair Play” quando o SEP não contratou o Alan Kardec por conta de R$5.000,00 teve Fair Play? Até um ex presidente de um time disse “O SEP está se apequenando”. Quando CRF e SCCP acabaram com o clube dos 13 e começaram a negociar com a TV, seus valores sempre foram superiores aos demais times, utilizaram o seguinte termo “o Brasil vai virar um campeonato Espanhol com 2 times ganhando muito e os demais competindo para ver quem chega em 3°”. Outras o SEP nunca precisou de patrocínio de empresas ligadas ao Governo (CEF, Petrobras) de todas as novas arenas acredito que são Allianz e no máximo mais 2 ou 3 não teve dinheiro público envolvido.

Lendo as diversas opiniões sobre o “Fair Play” quando o SEP não contratou o Alan Kardec por conta de R$5.000,00 teve Fair Play? Até um ex presidente de um time disse “O SEP está se apequenando”. Quando CRF e SCCP acabaram com o clube dos 13 e começaram a negociar com a TV, seus valores sempre foram superiores aos demais times, utilizaram o seguinte termo “o Brasil vai virar um campeonato Espanhol com 2 times ganhando muito e os demais competindo para ver quem chega em 3°”. Outras o SEP nunca precisou de patrocínio de empresas ligadas ao Governo (CEF, Petrobras) de todas as novas arenas acredito que são Allianz e no máximo mais 2 ou 3 não teve dinheiro público envolvido.

Excelente texto, existe uma má vontade proposital de grande parte da mídia televisa para com essa questão.
Sabes se o Fluminense poderia ser rebaixado ainda pois foi denunciado pelo imbróglio do Scarpa, seria o correto.

Excelente texto!! A verdade é que está todo mundo com medo mesmo, se esse ano traduzirmos em campo o investimento feito fora dele, isso vai se potencializar e depois de ontem passei a acreditar que isso tem tudo pra acontecer.

Parabéns pelo texto, preciso e conciso. Ifelizmente não é o que se lê na mídia hoje em dia.

Ótimo texto. Com relação ao monopólio que existe hoje pela RGT, anor que vem estaremos livres disso ja que fechamos o biênio 19/20 com o Esporte Interativo.

Curintia: 170 milhões
framengu: 180 milhões
Cervideos : 110milhões
Palmeiras : 100 milhões
Dinheiro da cota de TV distribuido pela RGT.
Só a diferença dos filhinhos pro Palmeiras já dá o dinheiro que a Crefisa paga por ano ao Palmeiras que 70 milhões anuais.
Cadê o Fair Play? Eu não assino Payperveiw, sou contra o monopólio.

Excelente texto, como sempre! O ponto é exatamente esse… O resto é choradeira.

Isso tudo não é novidade. É a velha má vontade (quando não perseguição) ao Palmeiras. A Rádio Bandeirantes (de notória e histórica ligação com o SPFC), decidiu “bater” insistentemente na Crefisa posando de jornalismo investigativo, mas com indisfarçada intenção de prejudicar o Palmeiras (não me surpreenderia se a mando dos dirigentes daquele clube). Instituições financeiras (e os grandes bancos) de fato exploram os clientes que lhes tomam empréstimos. Todos! Isso sempre foi assim, há décadas. A Crefisa não é melhor nem pior que os concorrentes, mas “estranhamente”, depois que ela passou a patrocinar o Palmeiras as críticas começaram a surgir. Há quantos anos existe a Crefisa? Vergonhoso o que faz a Rádio Bandeirantes, entre outros repórteres e midias.

Profissionais imparciais na imprensa esportiva brasileira são raríssimos. O comunista Kfouri (cada um com suas ideologias, diga-se de passagem, mas duvido que dispense o salário do capitalista Mickey Mouse) que nem diploma de jornalismo tem e já é por si só uma farsa chegou a sugerir, sempre de forma dissimulada como lhe é característico, que a FAM estaria demitindo professores para direcionar recursos ao futebol, omitindo que praticamente todas as instituições privadas de ensino têm usado o mesmo expediente por conta das novas leis trabalhistas. O Vicente mais uma vez toca no ponto central da questão: se vamos questionar monopólios econômicos no futebol, que tal começarmos por aquele que a “dona” do esporte no país tenta estabelecer há anos?

Parabéns ao texto, a conclusão só vem a reforçar o que já venho falando há muito tempo:
“História, maior campeão nacional, 3a maior torcida do país, melhor estádio da América Latina, melhor contrato de estádio do Brasil, sócio torcedor, contas em dia, e um patrocinador que aporta e extrai valor de uma parceria que já rendeu e vai render muitos frutos mais para todos. O resto é choro de mau jornalista-torcedor.”
Que fique claro de uma vez por todas para os profetas do apocalipse, que insistem em querer diminuir o crescimento do Palmeiras, pois preferem um troféu ISO 9000 de futebol sincronizado…

Primeiro que o Palmeiras só tem essa história enorme toda por ter priorizado ao longo da sua história (pelo menos pela maior parte dela) bom futebol, não por participar de campeonatos de maior renda, estádio mais bonito ou quitação de títulos bancários. Segundo que sem bom futebol, todo o resto não se sustenta e vira castelo de cartas. Qualquer um que tenha QI de asno percebe isso.

Caros Eduardo e Bianco. Se vocês continuarem com essa polarização e agressividade nos comentários entre vocês seremos obrigados a colocar em moderação todos os seus comentários. Por favor vamos debater ideias ou apenas ler os posts e comentários. Obrigado.

Caros Eduardo e Bianco. Se vocês continuarem com essa polarização e agressividade nos comentários entre vocês seremos obrigados a colocar em moderação todos os seus comentários. Por favor vamos debater ideias ou apenas ler os posts e comentários. Obrigado.

Cada um com sua ideologia, até tudo bem, desde que não seja uma ideologia que fere direitos humanos, como o comunismo, que deveria ser proibido por lei. Além disso, o caralha Kfouri faz apologia ao crime ao apoiar e ir jogar futebol com um político condenado por desfalque ao erário público, e que ainda é réu em mais 6 casos!

Os comentários estão desativados.