Categorias
Paulistão 2018 Resenha dos Jogos

Paulistão Itaipava 2018 Palmeiras 2×0 São Paulo: e foi pouco!

 

 

O Palmeiras venceu o SPFC no Allianz Parque nesta noite de 5a feira. 2×0. Antonio Carlos e Borja fizeram os gols ainda no 1o tempo.

Olha…. podia ser mais. Muito mais. O árbitro não marcou um penal claro sobre Dudu na 2a etapa. Borja fez um gol de cabeça legal também na etapa complementar mas o bandeira apontou impedimento (inexistente). E vários gols perdidos ao longo dos 90 minutos.

Roger colocou o que tinha de melhor em campo. O time marcou pressão no campo do adversário no 1o tempo. E matou o São Paulo. Forçava o erro e vinha pra cima os dois gols saíram dessa forma. E outros foram perdidos.

No 2o tempo o time mudou o estilo. Esperava o adversário em seu campo. Dorival trocou tudo que podia e arriscou o tudo ou nada. Nem um nem outro. o Palmeiras teve campo para ampliar mas esbarrava nos erros de finalização ou na má vontade da arbitragem.

No final venceu. E bem. Sem sustos. 2×0.

Hora de dormir com tranquilidade.

Saudações Alviverdes!

80 respostas em “Paulistão Itaipava 2018 Palmeiras 2×0 São Paulo: e foi pouco!”

Concordo com o Eduardo em quase tudo. Realmente, quem quer ser grande não pode “abri mão” de campeonato nenhum. Pode priorizar, assim como o Grêmio. Pode jogar o mínimo, como fizemos no Paulista, mas sempre continuar disputando. Agora o Paulistão começa, e agora os caras não podem mais ter apresentações pífias.

Só discordo levemente sobre criticar. Temos que ter ciência do quanto o time pode ser bom, como vimos contra o SP. Mas não dá pra exigir disso pra mais.

O trabalho do Roger agora vai ser evoluir aos poucos do time que perdeu pro Corinthians ao time que ganhou do São Paulo.

Mas se perder antes da semifinal no Paulista ou passar sufoco pra se claasificar na libertadores, aí não dá MESMO pra aguentar. Fase de testes e de errar acabou.

Muito bom ganhar das meninas! Ainda mais assim, um massacre.
Acho que vencemos ontem mais no psicológico do que no futebol.
Me lembrei daqueles minutos iniciais com o Cruzeiro em que empatamos um jogo perdido.
O São Paulo ficou tonto. Assustado. Incapaz de nos enfrentar de igual pra igual. Dois a zero foi pouco.
Acho que o time teve diversos méritos e destaques que todo muito já falou. Antonio Carlos, Vitor Luis, Dudu, Borja e principalmente o coletivo.
Mas como quero ver esse time campeão vou ressaltar 2 pontos que merecem atenção a meu ver.
Em primeiro lugar Felipe Melo. São Paulo foi um time inofensivo, mas em mais de uma oportunidade nosso primeiro volante foi incapaz de voltar para recompor. Lento e cansado no segundo tempo. Espero honestamente estar errado e ter que engolir minha palavras. Espero que isso não nos cobre um preço alto em um jogo decisivo. Me preocupo pq não vejo ninguém falar sobre isso. Vai ver estou exagerando. Tomara.
Em segundo lugar, gostaria de ver o Lucas Lima participando mais das ações ofensivas. O jogo ontem foi bola no Dudu. Maravilha, ele jogou um bolão, mas temos que ter opções ofensivas além disso. Dorival deixou só o Edimar ali e tomou um baile. Contra o Curica, muitíssimo bem marcado, nosso 7 pouco produziu. Em resumo, gostaria de ver outras opções ofensivas funcionando bem para caso de necessidade. Mas são detalhes. Observações de quem sabe que em nossos futuros jogos decisivos enfrentaremos equipes melhores preparadas e com muito mais garra que esse arremedo de time que nos enfrentou ontem.

Paulo se anima é o jogo poderia mudar. Essa história de controlou o jogo no segundo tempo é um perigo. O Palmeiras tem time pra entrar em todos os jogos assim. O próprio Roger reconheceu que o primeiro tempo de ontem elevou o patamar de atuação do time. É foi tão unânime que o Dorival na coletiva parecia que tinha visto5 fantasma com o primeiro tempo do Palmeiras. Ele simplesmente não sabia o que fazer. O Palmeiras do primeiro tempo, mais efetivo, briga por tudo. Agora tem que ser assim em casa e fora. Não depender de pressão de torcida. Já vi o Palmeiras calar a Bombonera1 na bola. Só não ganhou porque foi assaltado algumas vezes.

É isso que a gente cobra. Se todo mundo já sabe o que precisa e o que não deve fazer pra produzir bom futebol, não tem mais desculpa para atuações mequetrefes. Seja no Allianz ou no campo do Alianza, em Lima. E controlar jogo contra um time falido em casa é uma coisa, não vamos ter só esses filés pra matar a fome no ano.

É disso que eu falava desde o jogo da Libertadores. Marcação lá em cima. Roubar a bola e em 3 toques estar concluindo a jogada. Rápido e mais letal. Foi 2×0 o juiz deu uma garfada, mas tem que meter o máximo de gols possíveis. Se a bola na trave entra, o Sao

Se analisarmos os três ultimos jogos com a razão apenas, essa discussão besta de “Iludidos vs Cornetas” acaba rapido.

Contra o SCCP, mostramos que ainda não temos um time pronto. Que dinheiro não é tudo e que é preciso jogar bola com os pés, e não com o nome.

Contra o São Caetano, alguns de nossos reservas ja mostraram que não compõe esse elenco “maravilhoso” que é dito por ai. Porem, o desempenho de alguns reservas e o fato de terem entrosamento 0 também mostra que, se treinado, nosso time reserva hoje goleria a maioria do nossos titulares de 2003 a 2014.

E com o São Paulo, mostramos por um tempo que temos um baita time. Que entrosado e querendo jogar bola, somos sim um dos (senão O) melhor time/elenco atualmente no Brasil.

Obviamente, todos os casos tem “poréns”, mas já sabemos o que devemos e não devemos fazer. Não há mais tantas desculpas a partir do próximo jogo.

Exato. Se sabemos tudo isso e não há mais desculpas, é preciso apresentar bom futebol, ponto. Quando ele não vier, todos merecerão críticas, e quem não souber lidar com elas respondendo dentro de campo, que vá trabalhar em outro clube. Simple that, end of discussion.

Só lembrando que os pontos continuan contando na fase seguinte, inclusive é a colocação no geral que determina quem pega quem nas semi-finais. Então, os pontos da aventura, do “experimento di Thiene”, ainda podem fazer falta.

Tanto faz ser campeão paulista ou não, po. Aproveita pra testar agora porque quando começar o brasileirão aí a coisa fica séria.

Respeito sua opinião mas descordo…
Não podemos pensar em deixar o paulistinha…. já fazem 10 anos…
Ano passado a escolha foi a Libertadores e não ganhamos nada…
Enquanto a gambazada vai enchendo o uuuu de titulo..

“Tanto faz ser campeão paulista”. Depende. Primeiro porque clube que realmente quer ser grande e ter hegemonia não pode se dar ao luxo de “dispensar” títulos. Nenhum. Perder para um clube melhor estruturado, com melhor elenco ou, na pior das hipóteses, que jogue mais que a gente, é aceitável. Pelo que a maioria alardeia por aqui, ninguém em SP apresenta essas condições atualmente. Por fim, já se passaram quase dois meses de trabalho, após as quartas de final teremos completado 15 jogos com 3 clássicos no ano, e cerca de 25% da temporada concluída (lembrando da parada para a Copa entre junho e julho). Vamos ficar “testando” até quando?

Os comentários estão desativados.