Categorias
Notícias Opinião

Sobre o preço dos ingressos

 

Abrindo um espaço na comemoração da primorosa passagem do Palmeiras para a fase de semi-final do Paulistão 2018, vamos falar do preço dos ingressos.

Foi divulgada nesta 4a feira os preços dos ingressos para a Libertadores 2018 no Allianz Parque. Isso apenas para a primeira fase.

Veja tabela abaixo:

Gol Norte – R$ 180,00 [R$ 90,00 meia-entrada]
Gol Sul – R$ 260,00 [R$ 130,00 meia-entrada]
Central Leste – R$ 350,00 [R$ 175,00 meia-entrada]
Central Oeste – R$ 400,00 [R$ 200,00 meia-entrada]
Superior Norte e Sul – R$ 200,00 [R$ 100,00 meia-entrada]
Superior Leste e Oeste – R$ 220,00 [R$ 110,00 meia-entrada]
Superior Visitante – R$ 200,00 [R$ 100,00 meia-entrada]

Como o amigo palestrino pode ver, os preços variam (entrada inteira) de R$ 180 a R$ 400. A meia entrada naturalmente é 50% desses valores. Esses preços representam em média 70-80% a mais que a partida das quartas de final contra o Novorizontino.

Curto e grosso sobre esses preços: somos contra! Por mais apaixonado que seja o palmeirense, por mais milionário que seja o elenco, o chamado “match day” (como a nova geração gosta de definir) deve ser avaliado num sentido amplo. E nesse sentido, esse valor de ingresso está caro! Seja pelo poder aquisitivo médio do torcedor palmeirense, seja pelos padrões brasileiros.

Talvez a subida de preços possa indicar uma estratégia da Diretoria para forçar a migração para o plano com 100% de desconto. E indiretamente irá ajudar na venda das cadeiras especiais da WTorre.

Entretanto o grande regulador será a velha lei da oferta e demanda. Se lotarmos o Allianz nos três jogos em casa mesmo com esse preço (isso poderemos checar no borderô da renda) a diretoria poderá justificar dizendo que fez sentido esse aumento. Mas terá que avaliar conjuntamente o % de sócios-torcedores nos jogos e ainda quanto foi a migração dos planos do Avanti inferiores para o plano que dá 100% de desconto (esses dados não teremos acesso). Com esses números em mãos, aí a Diretoria poderá avaliar se errou na mão ou não.

De qualquer forma algumas preocupações vão persistir:

1. estamos elitizando o Allianz?
2. esses preços se sustentam no longo prazo?
3. talvez a pergunta mais importante: se essa precipitação se sustentar (imagine num cenário do Palmeiras ganhando tudo em 2018), qual a estratégia com o Avanti? Essa pergunta pode chegar inclusive na conclusão que o Avanti não faça sentido e a venda dos tais “season ticket” (na prática o Avanti a 100% de desconto) e a venda “spot” (jogo a jogo) traz mais valor ao clube.

Mas elitizará os jogos mais importantes, por exemplo, finais e da Libertadores.

Tema denso. Com a palavra a diretoria!

Saudações Alviverdes!

25 respostas em “Sobre o preço dos ingressos”

Depois do Allianz eu tenho ido muito pouco ver o Palmeiras na arena, o bolso não ta permitindo, mas não me encomodo com isso, nós palmerenses vivevemos quase 15 anos de humilhações, gozações de nossos rivais, só nós sabemos como foi duro esses anos, desta maneira prefiro acompanhar de casa um time bom que briga por títulos do que do estádio um time que briga pra não cair!!

Frequento estádios desde a década de 80. Tenho mais de 260 canhotos de ingressos guardados, fora os muitos outros em que não havia canhoto. Fui a três jogos no Allianz. Motivo?Preço…

em comparação aos valores cobrados nos jogos do Barcelona ou Real Madrid, alguém saberia compara-los?

Não sei se o preço na bilheteria é o mesmo, nem se existem descontos para sócios torcedores por lá também, mas pesquisei rapidamente a compra via internet para o próximo jogo do Barça em casa pelo Campeonato Espanhol, e o menor valor é de 64 Euros (cerca de 275 Reais). Pra Champions o preço deve aumentar bastante, mas o maior desequilíbrio nem é esse. O salário mínimo na Espanha é de aproximadamente R$ 3.545,00, quase quatro vezes o daqui. Creio que as comparações, quaisquer que sejam, precisam considerar essa diferença de poder aquisitivo.

Nós nunca devemos converter o valor das moedas. Os espanhóis pagam o equivalente aos 64 reais mesmo, já que eles recebem em euros, portanto, é como se eles pagassem 64 reais. Seriam cerca de 275 reais se nós, brasileiros, fôssemos comprar o bilhete lá convertendo os reais em euros. Ou seja, o preço do ingresso dos jogos do Palmeiras na Libertadores é muitíssimo mais caro, e ainda é pior porque a renda per capita daqui é bem menor do que a de lá.

Exatamente!
O salário minimo na Espanha gira em torno de 825 euros, ou seja, esse valor de 65 euros nos ingressos não corresponde nem a 10% do salário minimo.
Já aqui no Brasil o salário minimo é R$954, um ingresso a R$180 equivale a, aproximadamente, 20% do salário do brasileiro, povo que já paga muito caro em impostos, gasolina, transporte publico……Praticar esses valores aqui no Brasil é elitizar o futebol, é acabar com sua essência.

Sabe qual time do mundo tem a maior média de público? O Borussia Dortmund, com mais de 80 mil pessoas por jogo. Eles tem um setor popular onde os ingressos custam mais ou menos 32 euros, o que não equivale a 3% do salário minimo de lá que gera em torno de 1.500 euros. Isso sim é sucesso de público e renda.

Desculpe discordar, Reynaldo. 64 euros não são 64 reais para o espanhol, principalmente aquele com salário mínimo. Como escreveu o Breno, por menos que ele receba se optar por ir a um jogo por mês vai comprometer cerca de 7% de seus ganhos, aqui um palmeirense comum com salário mínimo (e não é esse o tipo de público que os clubes querem nos estádios hoje em dia) só vai ver um jogo de Libertadores se comprometer quase 20% da sua renda, sem falar nos custos de transporte e alimentação caso não queira ficar de quatro a cinco horas sem comer, indo e voltando a pé pra casa. Sem a conversão e, principalmente, as proporções dos poderes aquisitivos, qualquer comparação ficará defasada.

Com uma torcida realmente envolvida com o clube rolava um boicote pesado, deixava só os torcedor nutella ir no estádio. Mas infelizmente é como disseram, oferta e demanda, se tiver lotado o estádio o “aval” está dado.
Da minha parte não contem comigo, com 100 meia entrada dá pra encher a geladeira de cerveja pra ver o jogo e ainda curtir as finais do paulista.

O aumento foi abusivo, sem dúvidas. O clube não pode ter tanta ganância a ponto de explorar a própria torcida. Porém, nesse primeiro dia, já foram vendidos 14 mil ingressos. Então como é que os torcedores de menor aquisitivo vão poder pressionar o presidente? Fica difícil.

Que pelo menos todo esse dinheiro se reverta em qualidade do futebol dentro de campo. Por enquanto, com raríssimas exceções, está lembrando muito como é revertido todo o dinheiro arrecadado com impostos no País. O futebol vai acabar (falta de interesse + globalização + falta de grana).

Acabar não vai, mas se tornará uma milionária caixinha na grade de programação das emissoras, e no caso da RGT, por sinal, ela vai querer que o final das competições seja sempre igual ao das suas novelas, ou seja, o mesmo (e sem fazer muito sentido).

Acho que estou bloqueado, por alguma crítica que fiz ao site ou algo do gênero.

Em relação ao preços dos ingressos, também acho que a diretoria errou na mão e penso que deveriam pensar em lotar mais o estádio em jogos menores do que em fazer este teste. Penso que o Allianz deveria ser um sonho “realizável” financeiramente para a maioria dos palmeirenses que mora em São Paulo, pelo menos uma vez no ano. Isso aumentaria a demanda, com o estádio realmente sempre cheio aí sim faria sentido subir os valores. Mas com sempre em torno de 20% do estádio a preencher não concordo e não entendo o aumento!

Depois não entendem porque a torcida do Palmeiras diminui. Expulsam os pobres do estádio. O pai palmeirense não tem condições de levar o filho ao estádio e isso vai passando, de geração para geração. É um enorme tiro no pé que a longo prazo vai cobrar um preço altíssimo. O estádio cheio em todos os jogos daria muito mais receitas ao Palmeiras a longo prazo. Estamos no Brasil, o salário mínimo é 900 reais.

Já que os jogos da libertadores serão caros, então a diretoria poderia fazer um contraponto baixando os ingressos para os jogos do brasileirão, uma vez que teremos muitos jogos.

Um grande tiro no pé, se fosse um jogo ocasional, especifico, unico, tudo bem, mas alguém da diretoria analisou a quantidade de jogos que teremos em casa em Abril !? É Alianza Lima, Boca Jrs, finais do Paulista (se avançarmos) e Brasileirão, não existe a minima condição de lotarmos o estádio com esses preços! Eu, sócio do clube, com esposa e filha Palmeirense já fiz minha parte, deixei minha reclamação nos canais de comunicação do clube e não irei a esses jogos! O futebol vai muito além de renda e bilheteria! O Palmeiras é de todos!

Ao meu ver, é uma questão de demanda e procura. Se não houver procura com estes preços abusivos, logo ele volta a descer. Além do que, parece que os preços vão variar conforme o campeonato, entao se a grana tá curta, vá no Paulista, se tá sobrando, vá na libertadores. Eu, particularmente, não aumentaria tanto, mas como disse, vamos ver como será a procura, é ela quem vai determinar se esses preços salgados vão ficar ou não.

Eu acho absurdo o preço dos ingressos. Já que estamos com a grana, a diretoria devia fazer uma campanha e cobrar preços acessíveis para o torcedor acompanhar os jogos. Mudando u m pouco de assunto, sei que vou sofrer críticas, mas eu não confio nesses dois zagueiros. Precisamos de um Miranda urgente, além de testar o Emerson.

Pra mim isso é um abuso! Nada justifica um valor tão alto. Isso é sim elitizar o Allianz parque e espero que dê errado. Não sou esquerdista que vive pensando em direitos iguais pra todos a todo o tempo mas é óbvio que um pai de família que ganha 2 salários mínimos por mês ( não estou nem citando os que ganham apenas 1 ) , não vai poder assistir seu time do coração no estádio com um valor desse. É sacanagem, até pq a grande maioria de qualquer torcida é formada por pessoas pobres e são essas pessoas que acompanham o time tanto na fase boa qto na péssima como foi nos anos 80 e nos anos 2000 . Querem copiar o modelo Europeu em tudo aqui no futebol brasileiro, só estão esquecendo que o Brasil ainda continua sendo Brasil e o poder aquisitivo das pessoas ainda é de pais de terceiro mundo.

Então, falando em nível continental, se querem copiar os modelos europeus devem antes de mais nada investir em infraestrutura, estabelecendo padrões mínimos para que as equipes que participam de competições internacionais na América do Sul tenham estádios decentes, que não coloquem em risco a integridade dos clubes e das torcidas visitantes, além de arbitragens de nível compatível com a importância dos jogos.

Quanto à elitização dos estádios, infelizmente é um caminho que entendo como praticamente irreversível, o futebol aqui no país está se tornando cada vez mais um investimento para poucos. No caso de Palmeiras e SCCP, só vão baixar preços de ingressos se seus estádios ficarem vazios (pouco provável) ou se estiverem fugindo de rebaixamento precisando desesperadamente da ajuda da torcida, como vem fazendo o time do Jardim Leonor ano após ano.

Bora lotar o estádio. Vamos fazer nosso time faturar que vem jogador nível europa aí. Vamos rapar tudo (ou quase) este ano. Avante meu verdão!

Os comentários estão desativados.