Opinião: ¿por qué no te callas?

 

 

 

Por Vicente Criscio

O Rei Juan Carlos da Espanha falou a frase do título dessa Opinião ao então Presidente da Venezuela Hugo Chávez durante a XVII Conferência Ibero-Americana, realizada na cidade de Santiago do Chile, no final de 2007.

Chávez era dado a uma certa diarréia verbal, e usava isso pra desviar a atenção do desastre que estava instalando no país que governava.

Lembrei-me dessa frase que ficou vamos do Rei Juan Carlos, quando li a entrevista de Andrés Sanchez na última sexta-feira. Você deve ter visto. O presidente corintiano resolveu comentar sobre contratos e salários do Palmeiras.

¿Por qué no te callas Andrés? 

Vou usar a expressão de alguns amigos: Andrés faz parte do establishment. E usa da arrogância de quem sabe transitar por esse establishment.

Entretanto esse mesmo establishment do futebol brasileiro está se desintegrando. Teixeira não se sabe onde está. Marin está preso. Hawilla com tornozeleira em prisão domiciliar nos Estados Unidos à custa de uma delação premiada. Del Nero foi banido do futebol pela FIFA – e espera-se que seja expulso do Conselho Deliberativo do Palmeiras.

Mais ainda: o padrinho político de Andrés está preso condenado em primeira e segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro. Isso porque ainda não foram julgados e condenados pelos desvios na construção da tal Arena Corinthians. Odebrecht, o pai, falou bastante sobre o caso (clique aqui e leia).

Mais de R$ 1,2 bilhão de dívida do estádio. Parcelas de R$ 5 milhões por mês onde mais da metade refere-se ao juros da dívida. Protestos (veja o ranking do nome sujo ao lado). Marmitas não pagas. Andrés sabe que se o Palmeiras for competente deverá dominar o cenário do futebol brasileiro por 10 anos. Ou mais. E seu time perderá espaço também nas receitas de TV. Sem receitas com o estádio, patrocínio minguado, maior concorrência na receita de tv (que deve baixar de maneira geral), Andrés se agarra à sua posição no tal establishment. Mas vê isso também minguando… e provavelmente não esperava a ação da diretoria palmeirense sobre o flagrante desrespeito às regras do futebol na final de 8 de abril. Alguém terá que pagar pela intervenção externa! E no mínimo o título Paulista 2018 está manchado.

O que deve fazer o Palmeiras sobre essa entrevista? Ignorar institucionalmente o que o presidente com p minúsculo falou. E seguir com sua ação contra a FPF. Que vá ao STJD. E em outras instâncias.

Em tempo: algo internamente no Palmeiras tem que ser feito: quem vazou informações para Andrés sobre salários de jogadores e interesses tem nome, sobrenome, RG e endereço. Todos sabem. Que os empregadores demitam sumariamente quem fez isso.

Vamos em frente… mas continuamos perguntando: Andrés, por qué no te callas? E cuida dos seus problemas, que já não são poucos?

Saudações Alviverdes!

***

Leia mais:

Revista Época, Setembro 2017: A impagável dívida pública da Arena Corinthians

Folha de São Paulo, Fevereiro 2018: Caixa ameaça executar dívida da Arena Corinthians