Sobre favoritos e apostas

Por Victor Maimone

Dia desses me peguei assistindo a um jornalista esportivo reivindicar a expressão “favoritaço”, de maneira – digamos – jocosa para com seus colegas de profissão. Entendi que ele queria indicar que um time tinha maiores chances de ganhar em relação ao outro, uma probabilidade maior de vitória e, portanto, era o tal “favoritaço”. Pouco depois descobri que o tal jornalista mantém – a exemplo de, virtualmente, todo brasileiro – uma preferência clubística, o que me deixou com a pulga atrás da orelha sobre a previsão que ele fez. Afinal, previsão todos fazemos e, como faço em todos os bares pré-prélio, eu sempre prevejo uma vitória do Palmeiras. Faz parte.

Mas tem gente que vive disso. Tem gente que é bom em prever as coisas e segue a máxima “se você é bom em algo, nunca faça de graça”. Ora, as casas de apostas, os sites internacionais são exatamente esses caras. Vejo agora que um dos sites mais famosos está oferecendo R$ 3,80 para cada R$ 1,00 apostado se o Palmeiras vencer no domingo. Até aí ok, mas cadê a previsão, meus caros nerds?

Senão, vejamos.

Pense nesse bilhete como um título, algo que promete te pagar uma grana. Você dá R$ 1 hoje e, se o Palmeiras ganhar, você recebe R$ 3,80 amanhã. Deixemos a palestrinidade de lado por um momento e suponhamos que fosse certeza a nossa vitória. 100% de chance, tão certo como a nossa camisa é verde. Nesse cenário, esse bilhete seria o melhor investimento do mundo, certo? Te dou R$ 1 e colho R$ 3,80 amanhã com certeza!

Cade o pulo do gato então?

O jump of the cat está justamente na incerteza. Há um risco do Palmeiras não ganhar e você perder tudo. Por isso o pagamento (R$ 3,80) tem que ser maior que o preço do bilhete (R$ 1,00), para te compensar pelo risco.

E como tudo isso se conecta, meu caro e prolixo geek?

Ora, falemos em economês! O preço do bilhete tem que refletir o pagamento final e a probabilidade de ganhar. Mais especificamente:

Preço do Bilhete = Probabilidade de Ganhar x Pagamento Final

O preço do bilhete, da aposta é R$ 1,00. O pagamento, se ganharmos, é R$ 3,80. O que significa que a casa de aposta, o profissional, o cara que ganha dinheiro fazendo previsão previu que o Palmeiras tem aproximadamente 26% de chance de ganhar o jogo. O empate está pagando R$ 3,00 (aproximadamente 33% de probabilidade, portanto) e a nossa derrota está pagando R$ 2,15 (aproximadamente 46%). O leitor atento notou que se somarmos as probabilidades, temos mais que 100%! Estaria esse nerd equivocado? Infelizmente não. Embutida em cada jogo está a margem de lucro e a técnica de precificação do site, o que da uma pequena chacoalhada nas coisas. Façamos uma regrinha de 3 para descobrir que 26% dentre a soma 26% + 33% + 46% é aproximadamente 25%, quase que a mesma coisa.

Fica aqui o nosso jeito de descobrir, com os profissionais do ramo, qual a probabilidade que eles nos dão para o jogo de domingo. Divida 1 pelo prêmio em caso de vitória do Palmeiras e desbanque aquele jornalista clubista! Ou cante de galo, digo, porco, na sua roda pré-prélio!

Victor Maimone é um palmeirense fanático por números. E um nerd fanático pelo Palmeiras. Não necessariamente nessa ordem. Também possui uns diplomas por aí.