Libertadores 2018 Colo Colo 0x2 Palmeiras: um pé na semi

 

 

E o Palmeiras de Felipão foi, viu e venceu. 2×0 no Colo Colo em Santiago do Chile.

Um começo de jogo fulminante. O Palmeiras foi pra cima e logo aos 3 minutos Borja do lado esquerdo cruzou, Moisés serviu e Bruno Henrique abriu o placar.

E poderia ter feito mais. Moisés de fora da área e Dudu (duas vezes) podiam ter ampliado. A partir dos 30 minutos do Colo Colo equilibrou e veio pra cima. Weverton espalmou uma bola na pequena área e quase gol deles.

Veio o 2o tempo e o Palmeiras perdeu o meio campo. Felipão colocou Jean no lugar de Borja e depois Gómez no lugar de Thiago Santos. O time se ajeitou. Voltou a se organizar. O Colo Colo até perdeu algumas chances mas dois contra ataques do Palmeiras com Dudu e Willian poderiam ter resultado em gols.

Mas aos 33 veio. Willian com velocidade veio pela esquerda, cortou pro meio e chutou. A bola bateu na trave depois do desvio do goleiro e Dudu pegou quase na pequena área pra estufar as redes. 2×0.

Lances capitais: o árbitro uruguaio Andrés Cunha usou duas vezes o VAR. No 2o tempo numa bola que bateu no braço de Mayke e foi para escanteio. O jogador estava com o braço encostado ao corpo. Escanteio bem marcado pelo árbitro.

No final da partida, novamente com Mayke, que sofre falta dura. Uma solada do chileno Pérez. Se a perna está firme no chão poderia ser uma lesão grave. O árbitro foi ao VAR e deu vermelho direto.

Ponto positivo ao VAR e ao árbitro.

Agora é esperar o mistão pra domingo em Recife e outra decisão na 4a feira, na Copa do Brasil. A volta da Libertadores é no dia 3 de outubro.

E assim vamos caminhando.

Saudações Alviverdes!

78 Comments Added

Join Discussion
  1. Assisti o jogo das cadelas hoje. Não tem futebol pra ser campeão brasileiro. Esse título está nas nossas mãos deixem as Copas pro time alternativo e foco no brasileiro. É muito difícil vencer Boca e River
    jogando 14 contra 11.

    • Concordo, só que faz tempo que jogar bem deixou de ser requisito básico pra ser campeão aqui no Brasil, então se dermos mole o título escapa.

    • Jango 23/09/2018 | Responder

      Eu não sei o que pensar sobre a Copa do Brasil.

  2. Philipe Frois 22/09/2018 | Responder

    Amanhã é dia de entrar com o mesmo espírito que está entrando na libertadores, independentemente de quem jogar tem que entrar com o único pensamento de vencer o jogo, só a Vitória interessa!

  3. Philipe Frois 22/09/2018 | Responder

    Olha aí a “sorte” sorrindo pro Verdão novamente. Temos a chance de passarmos os bambis e sinceramente não boto a menor fé no colorado , não só neste jogo contra os gambás mas no campeonato em si mesmo. Acho q o Inter não vai ter força pra vencer o brasileirão. Olha q eu não sou dos mais otimistas heim mas tô com o palpite que se o Palmeiras assumir a liderança não larga mais e levanta o caneco no fim do ano.

  4. Com esse empate na Bambilândia o Palmeiras pode terminar a rodada dependendo apenas de si pra ganhar o deca. E o jogo do dia 6 pode valer o fim do tabu de 16 anos mais a liderança. Caso isso aconteça, vale a pena traçar uma estratégia para mesclar mais as equipes e não poupar tanto no Brasileirão.

  5. Reynaldo Zanon 22/09/2018 | Responder

    Muito curioso o hit de verão de grande sucesso na Itália “Amore e Capoeira”, que, além de mostrar todos os eternos estereótipos do Brasil para os europeus (Cristo Redentor, favela, mulatas), também, claro, mostra um jogo de futebol. E qual não é a surpresa? Em pleno Rio de Janeiro a molecada está com a camisa do Palmeiras!!! Este hit já teve mais de 100 milhões de acessos. E é bem nítido o simbolo do Palmeiras em uma camisa verde. Mídia gratuita extraordinária. Só tenho dúvidas se é boa ou nem tanto, já que o ambiente onde está tento a partida é degradado.

  6. Thom 21/09/2018 | Responder

    A grande diferença com Roger e Felipão não e tática e nem técnica. É postura.

    O Cléber Machado foi preciso. Técnico treina, instrui e escala. Quem entra na área, limpa o zagueiro e mete a bola na trave pra outro vir e encher o pé, são os jogadores.

    E a confiança que dá ter um técnico como o Felipão (esqueca currículo e veja a postura dele) deve dar aos jogadores mais confiança, não e possível.

  7. Reynaldo Zanon 21/09/2018 | Responder

    Com a ótima vitória de ontem, o que já vinha se delineando (semifinal entre Palmeiras e Boca Juniors) ficou ainda mais próximo de acontecer. O Palmeiras costuma ir bem contra o Boca Juniors (leva vantagem nos confrontos diretos), mas infelizmente fomos eliminados na Libertadores duas vezes por eles nos pênaltis (também por causa de graves “erros” da arbitragem que impediram as vitórias que nos dariam a classificação direta). Chegou a hora de eliminar o clube argentino nesta competição. Eu acredito.

  8. Wilson 21/09/2018 | Responder

    Assisti a matéria de Palmeiras e Boca em 2001, impressionante como o Palmeiras é roubado.

    globoesporte.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/palmeiras-tem-palestra-sobre-var-com-arbitro-que-o-prejudicou-em-2001-e-estara-no-monumental.ghtml

    • Carlos 21/09/2018 | Responder

      Criminoso! O Palmeiras não deveria permitir esse canalha dar “palestra”!

  9. Philipe Frois 21/09/2018 | Responder

    Acho q agora o bigodao tem que ficar as próximas duas semanas no brasileiro. Quem sabe botar Moisés, Willian, Dudu etc pra jogar o brasileiro junto com Lucas Lima e Deyverson ou até o Borja mesmo pq o jogo de volta é só dia 3/10. Se tiver q jogar com Jean, Arthur, papagaio e Hyoran q seja na copa do Brasil que é o menos importante dos 3 campeonatos. É a minha opinião. O brasileiro é muito possível de se conquistar e a libertadores é sem dúvida o torneio mais legal de se ganhar. Já pensou fechar o ano sendo campeão brasileiro e da libertadores? É pra ficar na história heim….na verdade nem eu consigo acreditar nisso, mas já que é pra sonhar vamos sonhar direito então kkkkk…..agora, vencer os 3 torneios , já não é nem sonho , é insanidade. Não tem como com esse time mais ou menos, portanto acho legal focar nos dois mais importantes.

  10. lito 21/09/2018 | Responder

    Ontem o General mostrou para o Borja quem manda (apesar de que ele estava jogando bem). Acho que ele pensou, esse deve ser igual ao E Baptista ou Roger que pedia equilíbrio. Deixa o Gomes jogar general.

  11. Carlos 21/09/2018 | Responder

    Já tem gente sugerindo pra fazermos o jogo de volta lá em Santiago de novo….

  12. lito 21/09/2018 | Responder

    O Valdívia jogou bem, mas o que bateu em nossos jogadores foi uma festa. Toda jogada ele deixava o braço no rosto de nossos jogadores. Quando vestiu o manto ele não fazia isso. Será que é ciúmes????
    Sei não tá na hora do Gomes ser titular desse time.
    Dá-lhes general.

    • Philipe Frois 21/09/2018 | Responder

      Com certeza o Valdivia estava motivado além do normal pra ganhar do Palmeiras, só que ele joga num time pra lá de ruim, aí pode ter a motivação que for que não adianta de absolutamente nada rs.

  13. Se seremos campeões de alguma coisa eu não sei. Mas uma coisa é certa, esse time ficou a cara do bigodera. Cascudo e copeiro.

  14. Carlos 21/09/2018 | Responder

    Entrevista do Felipão agora, o repórter fala: “boa vantagem, mas a Libertadores pode ser traiçoeira, mesma vantagem que o Palmeiras teve na fase passada e pode acontecer uma expulsão como no outro jogo…”
    Felipão interrompe e diz: “Não! Expulsão igual aquela não irá mais acontecer! Expulsão com 3 min de jogo eu nunca tinha visto na minha carreira, não vai acontecer mais com esse time”!!!

  15. Cássio 21/09/2018 | Responder

    O Palmeiras não classificou o Boca. Fez o que times realmente GRANDES fazem. Jogou sério e venceu. O Boca está melhor, trocou meio time, mas ainda não é páreo para o Palmeiras.Ontem no começo do segundo tempo O Cruzeiro teve duas chances claras pra virar O jogo. Vinha bem melhor.Aí como todo mundo viu ,alguém deu a ordem e o juiz tirou o Cruzeiro do jogo. Na bola Palmeiras ou Grêmio vencem a Libertadores. O problema pra mim é que tudo já está resolvido nos bastidores.

    • Palavras bonitas, mas eu prefiro ganhar de forma limpa, mas estratégica. Acho que dá mais resultado do que bravatas. Passamos algumas décadas (80, 00) bravateando, e só tomando na cabeça, pois não havia estrategia, nem dentro, nem fora de campo.

Leave Your Reply