Porconomics: A tabela favorece os corajosos

 

 

Por Victor Maimone

Caro nerd, geek e cdf, quem nunca aqui escutou, ou mesmo proferiu, em nossa boa e velha roda de bar pré ou pós prélio, algo como “Mas essa tabela foi feita na medida para que o time da RGB (quando eles começarem a dizer “Allianz Parque” eu começo a dizer o nome deles) seja favorecido!”

Às vezes parece mesmo. Especialmente quando vemos o Palmeiras pegar pedreiras na sequência e nossos rivais empilharem jogos seguidos contra times que lutam pra não cair. Mas, claro, o leitor atento já percebeu aonde vamos chegar. O que os números tem a dizer?

Vamos elevar um pouco o nível do debate e nos atentar ao aproveitamento recentedos adversários. Isto é, vamos olhar para o percentual de pontos conquistados pelos adversários nos 3 últimos jogos antes de nos enfrentar. Quando jogamos contra a Brisa do Paraná na última quarta feira, eles somavam apenas 27 pontos, na amarga 13ª colocação. Parecia um jogo tranquilo, não fosse o aproveitamento recentedeles: nos seus últimos 3 jogos antes de nos enfrentar, eles ganharam todas. Vitórias expressivas contra Bahia, Vasco e Grêmio (isso sem contar a vitória contra o Cheirinho). Aí a coisa fica mais complicada né?

Bem mais complicado, por exemplo, do que quando nosso rival situado no bairro paulistano do Jardim Leonor enfrentou a Brisa do Paraná. Na situação, o time paranaense tinha aproveitamento recente de 33% (ou seja, vinha de uma vitória e duas derrotas). Pois é.

Como fica o cenário para os 3 primeiros colocados então, caro nerd prolixo? Ora, uma análise de aproveitamento recente dos adversáriosmostra que o Palmeiras dá azar nisso. A cada 4 jogos, em um deles pegamos um adversário com aproveitamento recente de mais de 69% (ou seja, dos últimos 3 jogos, ganharam pelo menos dois). É time na ascendente, vindo pra cima. Já nossos sortudíssimos rivais do lado de lá do muro tem o privilégio de, a cada 4 jogos, em 3 enfrentarem um adversário que não conquistou nem metade dos pontos recentes que disputou (menos de 48%, pra ser exato)! Não dá pra crer nesse tipo de sorte, os caras pegam os adversários nos momentos mais propícios! Por fim, nossos rivais do Sul estão só um pouco melhores do que nós, enfrentando, a cada 4 jogos, apenas um adversário na ascendente (com mais de 58% de aproveitamento).

Só me resta dar razão ao Seo Roberval Maimone, palestrino dos mais ilustres, quando ele diz, nas nossas rodas de bar pré e pós prélio, que enquanto nossos rivais nadam na sorte, o Palmeiras tem que lutar até contra o azar.

***

Victor Maimone é um palmeirense fanático por números. E um nerd fanático pelo Palmeiras. Não necessariamente nessa ordem. Também possui uns diplomas por aí.