Porconomics: Síndrome de Robin Hood… #sqn

 

Por Victor Maimone

“O Palmeiras é o Robin Hooddo campeonato, tirando pontos dos grandes e entregando para os pequenos”

Caro nerd, geek e/ou cdf, quantas vezes já não escutamos (ou mesmo proferimos) essa frase em nossa recorrente mesa de bar pré ou pós prélio? Especialmente após decepções contra times como Ceará, América-MG, etc? Pois é. Mas será que é? A ideia de hoje é simples: vamos por à prova mais um clássico do senso comum alviverde!

Senão, vejamos! Dividamos nossos adversários até o momento da seguinte forma: qual era seu aproveitamento no momento em que enfrentaram o Palmeiras? Veja, pode ser que um time tenha começado o campeonato muito bem, enfrentado o Palmeiras a todo vapor, feito o jogo da vida e… tenha vendido a espinha dorsal do time na parada da copa, trocado de técnico, perdido o esquema de jogo e hoje esteja na lama. Não importa, o importante é que o time, quando enfrentou o Palmeiras, estava voando.

Para isso, vamos utilizar o aproveitamento de pontos disputados. Excluindo o primeiro jogo (afinal o primeiro adversário, quando nos enfrentou, não havia disputado nenhum ponto ainda), fizemos 20 jogos. Vamos ordená-los de acordo com o aproveitamento no momento do jogo contra o Palmeiras e fazer 4 grupos de adversários: 1) Bons; 2) Regulares; 3) Ruins; e 4) Péssimos. Como nosso Palmeiras (o único Ótimo em qualquer categoria, por definição) se saiu contra cada grupo?

Contra o grupo dos bons, com aproveitamentos acima de 59%, fomos muito bem. Conquistamos 73% dos pontos com vitórias sobre Grêmio (f), Rival líder (c) e Inter (c); e empates contra Flamengo (c) e Inter (f). Até aí ok, metade do mito confirmado. Contra o grupo dos péssimos, cujos aproveitamentos não ultrapassavam 37%, fomos muito bem também, com os mesmos 73%! Ué! Vitórias contra Paraná (c), Bahia (c) e Vitória (f) e empates contra Chape (c) e Ceará (f). Cadê a outra metade do mito do Robin Hood?

O leitor atento já percebeu aonde estamos indo: nosso problema é com os times medianos. Contra o grupo dos regulares (entre 43% e 59% de aproveitamento) e contra o grupo dos ruins (entre 37% e 43%), temos pífios 40% e 53% de aproveitamento, respectivamente. O grupo dos ruins, com o Rival praiano (f), América-MG (f) e os outros cariocasssxxxx nos deu apenas e tão somente duas vitórias! Outros dois empates e uma de nossas derrotas. Por fim, o grupo dos regulares, com os mineiros uai (Galo em casa e Cruzeiro fora), Sport (c), Brisa do Paraná (f) e o time do Sistema (f) dá até raiva de analisar. São TRÊS derrotas e apenas duas vitórias.

Cai aqui mais um mito na sua roda de bar pré ou pós prélio, caro nerd, geek ou cdf! Conquistamos muitos pontos contra os ricos do campeonato, mas também o fazemos contra os pobres. Por enquanto somos um time de extremos que traz alegria para a classe média dos adversários! Ah, a Chape tem hoje exatos 35% de aproveitamento. Quem aí arrisca uma previsão?

***

Victor Maimone é um palmeirense fanático por números. E um nerd fanático pelo Palmeiras. Não necessariamente nessa ordem. Também possui uns diplomas por aí.

 

2 Comments Added

Join Discussion
  1. Grande Victor, parabéns por mais um excelente artigo. Realmente não somos mesmo o Hobin Hood, somos apenas um time irregular, que acredito que nas competentes mãos do Felipão oscilaremos menos. Que hoje isso se comprove.

Leave Your Reply