Libertadores 2018 Boca Juniors 2×0 Palmeiras: calma

 

 

O Palmeiras perdeu pro Boca Junior na Bombonera por 2×0.

Uma bola parada (escanteio) foi o 1o gol.

No 2o gol, um drible sobre Luan e um chute de fora da área. Depois de 80 minutos, em apenas 6 minutos, uma derrota dolorida.

Resultado ruim. Nos força fazer 2×0 para pelo menos ir aos penais.

O resultado da volta não é impossível.

Vamos acreditar. Agora não é momento de caça às bruxas…. No Allianz esperamos outra história.

Saudações Alviverdes!

234 Comments Added

Join Discussion
  1. Eu estou querendo dizer já que você não conseguiu entender, é que nessa fase não tem time ruim porque quem tá pra cair se mata em campo. ,Acho que agora você compreendeu.

    • Então, Sérgio, isso é relativo. Em 2016 o Palmeiras não foi campeão por seu desempenho maravilhoso diante dos maiores rivais ao título (Santos, Flamengo e Atlético MG), mas pelo retrospecto assombroso contra as “rabeiras”. Caíram Inter, Figueirense, América MG e Santa Cruz, e dos 24 pontos possíveis de se somar contra esses times, em momentos distintos da competição, ganhamos TODOS.

      Quem tem competência pra ser campeão não tá nem aí com quem está desesperado pra não cair, ganha e ponto final. Se isso não acontece é porque temos times ruins nas duas extremidades da tabela.

  2. Philipe Frois 27/10/2018 | Responder

    Ta rolando um papo na internet que o Paquetá deu uns pegas na mulher do Diego Alves e esse seria o motivo dele ter saído do time kkķkkk….nessa época de fakenews não dá pra acreditar em absolutamente nada, mas que já vimos de tudo no futebol e não é nenhum absurdo essa história ser veridica, não é!

  3. O Inter foi prejudicado pela arbitragem mas não jogou nada. Vi tanta gente aqui dizer que a tabela deles era fácil. Sem o Zeca e o Leandro Damião o Inter é pior que SPFW. Contra o cheirinho tem que por força máxima , se vier com Antônio Carlos e Dracena o risco de derrota é enorme.

    • O que tem a ver eles se atrapalharem com times ruins, com a tabela ser difícil ou fácil? A tabela deles, nessa parte do campeonato, é mais fácil, ponto. SE eles vão jogar com 10 volantes, sofrer com um decadente vasco (roubado) ou não, são outros quinhentos. 2009, nossa tabela estava mel na chupeta, nos faltou competência pra ganhar de Santo André, São Caetano, etc…

    • Últimos dez jogos do Inter no BR-2018: SPFC (c), Santos (c), Vasco (f), Atlético PR (c), Ceará (f), América MG (c), Botafogo (f), Atlético MG (c), Fluminense (c) e Paraná (f).

      Do Flamengo: Fluminense (c), Paraná (f), Palmeiras (c), SPFC (f), Botafogo (f), Santos (c), Sport (f), Grêmio (c), Cruzeiro (f) e Atlético PR (c).

      Do Palmeiras: Grêmio (c), Ceará (c), Flamengo (f), Santos (c), Atlético MG (f), Fluminense (c), Paraná (f), América MG (c), Vasco (f) e Vitória (c).

      Não se trata de “muita gente disse”, mas de olhar as partidas de cada um e tirar suas próprias conclusões. E há uma enorme diferença entre ter “tabela fácil” e “tabela acessível”, além do essencial que é o desempenho do time. Se o Palmeiras enfrentar o já rebaixado Paraná com a mesma vontade com que encarou o Boca, por exemplo, dificilmente voltará do PR com três pontos.

  4. Philipe Frois 27/10/2018 | Responder

    Felipão tem que entrar com o time principal hoje de qualquer jeito. Se ele inventar de poupar jogadores estamos fritos e vamos acabar perdendo no Maracanã. No meio se quiser poupar o Moisés vai ter que por o Guerra, na frente se quiser poupar Dudu ou Wllian terá de jogar o Hyoran. Só nessas duas mudanças já perdemos muito do nosso time, não dá. É entrar com o time principal e tentar a Vitória pra sacramentar o Deca, um empate tbm seria um bom resultado e nos manteria com uma mão na taça. Já vai ter q improvisar o GG na lateral direita , então pelo amor de Deus Felipão, nada de invenções! Goleiro (qualquer um), Gustavo Gomes, Dracena , Tonhão (medo) e Victor Luís; Felipe Melo, Thiago Santos e Moisés; Dudu , Willian e Borja. Pelo que temos disponível, esse tem que ser os 11 hoje a noite.

  5. Paulão 27/10/2018 | Responder

    Fala moçada, dessa vez eu fiquei afastado da discussão porque eu seria barrado na moderação e expulso do 3vv, achei melhor deixar passar…. volto agora com a chave virada,. O inter acabou de empatar com o vasco, o que reforça a certeza de que uma vitória contra o cheirinho nos dará o deca campeonato. La décima somente não será nossa se nosso psicológico falhar feio na hora H. E isso me assusta muito, porque depois do animal e el matador, aquele Hulk verde que tratorava os adversários, por melhores que fossem, ficou na doce memória da década de 90, que não volta mais…. eu queria muito que esse time desse a vida no Maracanã daqui a pouco, e se vencermos os urubus e o boca, mesmo que eliminados da libertadores, estremeceremos o Allianz na quarta feira com o grito retumbante de É CAMPEÃO. Amanhã é o jogo do ano, se vencermos, até o urubu Ca. gão bueno bradará em alto e bom som ACABOU, ACABOU, É DECA, É DECA!!!!! Uma virada quarta feira será épica, mas uma vitória no rio será inesquecível. Ganhar uma libertadores é um êxtase que depende de equilíbrio psicológico qualidade sorte malandragem e outras cositas mais. Mas ganhar um brasileiro é competência, planejamento, investimento, treino, equilíbrio técnico e tático e outras cositas também. O trabalho bem feito te traz o brasileiro, já a libertadores é imponderavel. Claro que eu quero o bi, mas o deca me parece mais importante, ainda precisamos de afirmação depois do período 2002/2014. Uma vitória no maraca será lembrada daqui a décadas, como aquela de 1979. Vi na espn que eles elegeram o time do Flamengo superior, isso me dá uma esperança enorme de ver o verdão arrancar o deca daqui a algumas horas lá nas terras fluminenses. E eu dormirei feliz e tranquilo, até começar a próxima temporada….

    • Paraiba 27/10/2018 | Responder

      Aquele Campeonato Brasileiro de 2009 não consigo acreditar até hoje, como o Palmeiras perdeu aquele título, em dezembro desse mesmo ano eu perdi os rins, tive que fazer hemodiálise, quase que eu fui pro buraco .
      Mas graças a Deus hoje, estou transplantado com saúde e o Palmeiras tá melhor ainda brigando por títulos.

      • Caracoles, que bom que está bem Paraíba, já vi muita gente que fazia hemodiálise e bateu as botas. Você viveu pra ver o Enea, e esse ano o Deca. Tenho certeza que ganharemos do Urubu, eles são ruins demais.

        • Paraiba 27/10/2018 | Responder

          Faz 7 anos que transplantei no Hospital do Rim em SP
          Rumo ao Deca!

    • Acredito que iremos ganhar do cheirinho. MAS se conseguirmos a proeza de perder pra um time insosso e incapaz como o deles, realmente vamos entrar numa espiral descendente, e capaz de repetirmos 2009 (embora, se perdermos, mas não nos avaliarmos nos jogos seguintes, a nossa tabela ainda é mais favorável, e ainda dependeremos apenas de nós mesmos.

  6. Se ganhar do framengo hoje abre 7 pontos faltando 7 rodadas. Basta não amarelar e não olhar pra arquibancada. Depois do papelão do jogo do Boca é o mínimo que podem fazer

  7. Paraiba 26/10/2018 | Responder

    A última grande virada do Palmeiras em mata mata, foi pela Sula Miranda em 2010, perdeu de 2 a 0 do vitoria no barradão e no Pacaembu com 2 gols do ( matado ) Tadeu e 1 do Assunção de falta, o Palmeiras ganhou de 3 a 0 e se classificou a semifinal.
    Mas na semi final deste campeonato, Tinganei e Judas 30 entregaram a classficado ao já rebaixado goias que já tinha caído no BR 10.

  8. Alexandre 26/10/2018 | Responder

    Lendo os comentários, vejo muitas críticas ao Felipão. Mas, com ele foi sempre assim, ganhando no sufoco, no sofrimento. Penso que nosso problema não é o ele. Nosso problema são os jogadores tidos como craques e lideres que somem nos jogos decisivos. Caras sem perfil de campeão, que tremem, quando tem a responsabilidade de ganhar.

    • Gustavo Aroni 26/10/2018 | Responder

      Concordo. Falar em decisão, já baixa a febre amarela, e os consequentes calafrios. Nunca vi um elenco com jogadores tão badalados, mas que nenhum é capaz de decidir uma partida. Impressiona.

  9. Só um adendo (desnecessário?) ao bate papo do site, uma é que eu não dou a mínima pra título de categoria de base, se quando sobe alguém da base, ou não joga, ou não é 1 quinto do que falam. Outra é que o que o Palmeiras fez ano passado, 10 anos atrás, 50 anos atrás, não tem absolutamente nenhuma influência no jogo de quarta que vem. Cada partida é diferente, ainda mais com escalações e pessoas diferentes. A atual não passa confiança nenhuma de que pode golear o Boca.

    • Sobre essa história da equipe de 1942, de 1993 ou de 1999 que virou tal jogo e reverteu tal placar adverso, concordo que é balela. O time que entrará em campo na próxima quarta é o atual, que não consegue virar jogos nem reverter placares em casa ou fora porque não tem estrutura psicológica para tanto (e a grande maioria dos jogos de Libertadores dispu.tados no Allianz nestes últimos três anos comprova isso). Ter essa linha de pensamento não faz de ninguém mais nem menos palmeirense, trata-se apenas de uma visão lógica dos fatos. Ocorre que futebol tem muita coisa, mas nem sempre tem lógica, então tudo é possível.

      Já sobre categoria de base, acho mais importante revelar bem e bastante do que ser campeão a toda hora, mas as coisas acabam se interligando. É verdade que não adianta colocar o Papagaio (artilheiro do BR Sub-20) contra o Boca Juniors esperando que ele faça 3 gols pois isso não vai acontecer, mas pra gastar dinheiro inútil com Juninho e Antonio Carlos é melhor recorrer à molecada. E não teremos uma Crefisa pra sempre, uma hora o dinheiro vai acabar, as vacas magras voltarão e precisaremos desse recurso.

      • Paraiba 26/10/2018 | Responder

        Felipão cagou no time que jogou a semifinal no Mineirão, o time precisando vence coloca o Jean e o Guerra que se afagou na piscina, diante do boca o maledetto entra faz 1 a 0 o Scolari põe o fantástico Thiago Santos que tava atrás do maledetto no segundo gol. O Lucas Lima não é grande coisa, mas no momento tá melhor que o Moisés.
        O futebol de hoje mudou em comparação a 1999 os times se fecham com uma linha de 4 na defesa e uma linha 5 no meio de campo fica difícil achar espaço.
        Só um milagre!

  10. Vamos esquecer essa tal Libertadores. Time completo sábado e quem tiver perna que jogue na quarta feira. Buscar o deca é muito mais importante que esse torneio sul americano super valorizado. Tô vendo muita gente criticando o Felipão mas se não fosse ele já estaríamos pensando em 2019 a muito tempo.

    • Ao meu ver, seu pensamento é muito binário. O Felipão está muito bem nos pontos corridos, mas não está nas partidas de mata mata mais difíceis. Claro que a culpa não é apenas dele, muitos jogadores amarelões no time. Mas o Felipão confere erros, um deles foi ir pra Argentina sem confiar que seu elenco é melhor, e portanto, não teve ambição alguma na partida. Quem vai só pra não perder pra uma semi final, corre esse tipo de risco.

    • Philipe Frois 26/10/2018 | Responder

      Concordo qdo dizem que a obsessão pela libertadores é exagerada, mas não concordo em deprecia-la . Não é uma tal libertadores, é o torneio mais importante da América do Sul e é cobiçado por todos os grandes clubes daqui. O campeonato brasileiro tbm é muito importante mas se tivesse que escolher entre um e outro nesse ano, com a certeza de que venceria esse torneio , eu escolheria a libertadores tranquilamente, até por já ter conquistado o brasileiro em 2016. Uma coisa é não ser obsecado, outra é não dar a importância devida a um título enorme como esse.

    • A ironia é que o Felipão foi contratado pra “ganhar” os mata-matas e vai ficar vivo só nos pontos corridos, que nunca foi sua especialidade. Chegar nas semifinais da CB e da Libertadores enfrentando os times que enfrentamos o Axe também teria conseguido com um pé nas costas, e nem sei se teria ido tão mal contra Cruzeiro e Boca, mas certamente no BR não estaríamos nem no G4.

      De qualquer forma, culpado ou não pelas derrotas decisivas (ou quase) que tivemos – e acho que no máximo ele é um dos responsáveis – o que não dá pra fazer é inocentá-lo totalmente. Essa história de que ele “pediu uma coisa e os jogadores fizeram outra” não cola. Ele precisa e deve ser cobrado como todos os jogadores, o restante da comissão técnica e a diretoria, não dá pra ficar só com o bônus e deixar o ônus com a “rapa”.

      • Exato. Que é exatamemente a impressão que dá lendo os posts do Sergião. Não dá pra passar pabo pro Felipão e culpar só os jogadores, ou um jogador que tenha feito um erro individual. Quem armou o time mais retrancado que o normal, segurou os pontas e os laterais só defendendo, foi o general bigodão.

  11. Na minha opinião, jogar o segundo jogo em casa, é passado pro torcedor como uma coisa boa, mas na verdade é pior. Pois todo técnico faz essa caga.da que o Felipão fez ontem: o visitante no primeiro jogo, vai pra não perder, o que aumenta muito as chances do mandante ganhar. Aí o que decide em casa, geralmente vai no jogo de volta precisando reverter, acreditabdo que a torcida vai ajudar a fazer a diferença. Mas não é o que acontece.

    • É por concordar com isso que sou um dos poucos que não fazia questão alguma de ter “melhor campanha na primeira fase”, meu caro Luís. Mesmo porque isso só resultou em título uma vez (e nos pênaltis, pelo Galo do Cuca em 2013) desde que a Libertadores passou a ser dispu.tada nesse sistema. Para ter essa “regalia” ressuscitamos um corvo que agora está pronto para nos arrancar os olhos. Mas assim é o futebol…

      • E o pior… no regulamento tem o mal.dito gol fora de casa. O mais inteligente seria jogar buscando gol(s).

      • Tava no serviço, ia elaborar mais sobre isso, mas acabou o tempo do intervalo, e soltei sem aprofundar a mensagem hehe.

        Então, como eu estava dizendo, o time que vai jogar como mandante na volta, vai na ida querendo jogar com o regulamento embaixo do braço (traduzindo: retranca pra perder de poucl, empatar, ou fazer 1 x 0 numa bola bandida de contra ataque). É muito pouco, quando existe a regra do gol geografico. Daí você empata em zero a zero, acha que foi ótimo resultado, na volta em casa, acha que vai resolver fácil, por causa dessa ilusão de que torcida ganha jogo, e de repente toma o “beneditto” do gol, pronto, desespero pra fazer 2 gols, com o adversário que começa a fazer cera, provocar, e a partida de 90 minutos, tem só meia hora jogada de fato, o que é muito pouco para fazer 2 gols ou mais (salvo raras exceções). Melhor mesmo é jogar a primeira em casa: você se sente na obrigação de atacar, e jogo se ganha indo ao ataque, não ficando lá atrás 80 minutos. Daí você faz o resultado, e na volta, aí sim, existe a possibilidade de se defender mais, já que com o resultado positivo da primeira partida, voce REALMENTE está em vantagem.

        E se notarmos, time de futebol, quando precisa do resultado desesperadamente, tende a ignorar a torcida adversária, pelo nível de desespero que bate.

        • Time precisando desesperadamente de resultado ignora a própria torcida, por isso acho que para o Boca deixar o Allianz “ao seu feitio” na quarta não será preciso muito esforço, não, ainda mais com essa equipe emocionalmente instável.

          Atualmente o único treinador brasileiro que desafia essa filosofia de empatar ou perder de pouco fora pra ganhar dentro de casa é o Renato Gaúcho.

  12. Philipe Frois 25/10/2018 | Responder

    E o tal Benedetto não fazia um gol há quase 1 ano heim….eeeeee Palmeiras, a eterna madre Tereza kkķk…

    • E lá vamos nós de novo com a “meia-notícia”, igual aos “nove pendurados do Flamengo”…

      É verdade, o Benedetto não fazia um gol há 339 dias. Só faltou informar que ele sofreu uma ruptura de ligamento no joelho direito em novembro, ficou seis meses inativo e quando retornou teve uma tendinite no tornozelo esquerdo, o que lhe custou mais alguns meses de inatividade. Ou seja, nesses últimos onze meses ele não deve ter dispu.tado nenhuma partida inteira. Tentando enxergar o “lado inimigo”, imagine como esse rapaz deve estar se sentindo hoje…

      Por outro lado, temos jogador que vive fazendo presepada, inclusive quando abre a boca, contribui pouco tecnicamente e, apesar das inúmeras “novas chances” que recebe, não perde uma boa chance para afundar o time…

      • Philipe Frois 25/10/2018 | Responder

        As informação das lesões eu tbm sabia Eduardo, só não comentei aqui pq pra mim é pior ainda. Tomamos 2 gols em 5 minutos de um cara que ficou inativo por quase 1 ano. Era o Messi? O cr7? O Neymar? Não! Era o Benedetto kkķkkk…qto ao lado humano, muito legal pra ele, parabéns ao rapaz, mas sinceramente? Eu não costumo misturar as coisas, futebol é jogado , é um jogo onde vence quem for mais competente e não quem tem a história de superação mais bonita. Sempre haverá uma bela história pra qualquer jogador q se tornar decisivo em jogos assim. Que o Benedetto fizesse gols decisivos no campeonato argentino contra o River e não contra o Palmeiras numa semi de libertadores.

        • Tudo bem, é o seu ponto de vista e eu o respeito. Mas o Benedetto não se aproveitou da falha do Felipe Melo no primeiro gol e do cochilo do Luan no segundo por causa da sua “história de superação”, mas por conta da sua competência. O que aconteceu com ele ilustra que futebol é imprevisível, mas também premia quem não desiste, não quem solta bravatas. Por outro lado, se o Palmeiras tivesse tido, como um todo, competência pra atuar na Bombonera, nem o Messi, o CR7 ou o Neymar teriam marcado gols na gente.

          Garanto que se o Scarpa entrar quarta-feira e fizer três gols, sua “superação por todos os reveses sofridos” também será exaltada, mas no fundo isso será, também fruto da sua própria competência.

  13. Philipe Frois 25/10/2018 | Responder

    Por hoje nos resta comemorar o título brasileiro sub 20 rs. Tá 4×2 , já era! Quem sabe não é um presságio da última rodada do Assaizão contra o mesmo Vitória, no mesmo Allianz Parque daqui pouco mais de um mês.

    • Se é pra sonhar, vou mais longe: em junho ganhamos o mundial sub-17 em cima do Real Madrid, quem sabe não tenha sido um presságio do último jogo do ano contra o mesmo Real no “Assaizão FIFA 2018”?

      • Vocês têm umas gírias que eu não entendo. O que é Assaizão? Eu também nunca entendi porque o Roger Machado era chamado de “axe”.

        • Philipe Frois 26/10/2018 | Responder

          Assaizão foi o Gustavo Aroni que começou a falar pq o campeonato brasileiro é patrocinado pelo Assaí atacadista rs…já o Axe foi o Eduardo que inventou e confesso que eu tbm não sei oq é…sei q se refere aoRoger Machado, mas o porquê eu tbm não sei até hj kkkkk

            • Philipe Frois 26/10/2018 | Responder

              Opaaa…muito obrigado amigo. Eu não domino nem a língua portuguesa, não fazia ideia que Axe era Machado em inglês. Eu achava q tinha alguma coisa a ver com o desodorante kkkkkk

                • Obrigado, meu caro Luís. É isso mesmo.

                  O Aroni começou a chamar o Eduardo Baptista de Bap, ficou legal, aí em “homenagem” passei a chamar o Roger Machado de “Axe” (poderia ser “Machadão”, como alguns fizeram, mas achei melhor encurtar). Até que os dois poderiam dançar Axé, assim juntava tudo quanto é porcaria numa coisa só…

                  • Gustavo Aroni 26/10/2018 | Responder

                    Bap, Axe, kkkkk. Falta uma alc.unha para o nosso estimado treinador atual…

                    • Rodrigo Bucciolli 27/10/2018 |

                      Incrível que só hoje eu vi a placa bem no meio do campo “Brasileiro Assai 2018” kkkk… Aí entendi. Axe eu também achei que fosse alguma piada relacionada ao desodorante kkkk… Valeu rapaziada

  14. Cássio 25/10/2018 | Responder

    Na minha opinião, o Palmeiras terá que fazer o que não fez até agora para se classificar. Golear. Podia ter goleado vários jogos, mas fez 1, fez 2, perdeu alguns gols e se poupou. Para passar pelo Boca terá que meter pelo menos 4. Na minha opinião. É complicado, mas acredito pela quantidade de gols que o time perde em muitos jogos. Se a torcida partir para o abafa do começo ao fim, eu acredito que o Boca sente, principalmente se tomar gol no começo e não aguenta a pressão. A torcida do Cruzeiro não é parâmetro. É a torcida do SPFC de Minas.

    • Pelo mesmo motivo que você acredita que classifica, eu acho que não: vamos perder muitos gols pra variar um pouco, não vamos conseguir o resultado necessário, e no pós jogo, eu vou vir falar que nossos atacantes são ruins, perdem uma batelada de gols, e outros vão dizer que foi uma pena, porque atacamos demais, mas a sorte não ajudou rsrs. A gente já conhece bem essa dança.

      • Sem falar que se virar 0x0 o Felipão vai botar Deyverson e Borja juntos na área (se bobear, ainda coloca o Antonio Carlos no lugar do Dudu) no segundo tempo e mandar cruzar 360 bolas na área pra quem sabe a sorte ajudar. Lembra do Cuca contra o SCCP no primeiro turno do BR no ano passado?

  15. Cássio 25/10/2018 | Responder

    Aos mais pessimistas, lembro do jogo de volta de 2001, o Boca fez 2×0 em 18 minutos. O Palmeiras foi buscar o empate e quase ganhou no tempo normal em uma bola que passou raspando nos pés do Fábio Junior. Claro que agora tem o gol fora. O exemplo é apenas para pontuar que o Boca sente a pressão quando joga contra o Palmeiras aqui. Só passou nos penaltis em 2001 porque o Palmeiras foi assaltado descaradamente na Argentina. Esse ano eles não tem Riquelme.

    • Philipe Frois 25/10/2018 | Responder

      Cássio, tô aqui tentando fazer esse exercício tbm de otimismo, de enxergar alternativas pra virar no segundo jogo. O problema é que não consigo acreditar que vamos fazer 3 ou 4 gols no Boca. Vc já viu o tanto de finalizações erradas de Willian e Dudu? O Borja é um zumbi dentro de campo, o Moisés é um meia q não chega dentro da área mais, aí entra o Deyverson e vc não sabe se vai fazer gol ou uma c.a.g.a.d.a pra ferrar com o jogo de vez. Como vc disse, teve vários jogos que poderíamos ter goleado mas não goleamos justamente por essa incompetência dos jogadores. Só se estiver num dia iluminado onde tudo que chutar entra.

  16. O Felipão sempre jogou assim. Foi pra perder de 1 X 0 e depois reverter assim. Oque ele não esperava era o segundo gol. Ganhamos 99 desse jeito.

    • Jango 25/10/2018 | Responder

      Com a “pequena” diferença que em 99 não tinha regra do gol fora.

      • E a “enorme” diferença de que para o jogo de volta ele tinha Marcos, Arce, Roque Jr., Júnior, Alex, Paulo Nunes, Evair, Oséas…

        • E do outro lado, com todo o respeito, uma camisa peso-pena (Deportivo Cali), totalmente diferente da que virá agora…

  17. Todo mundo já contou até mil? A derrota pode ser considerada um resultado normal em se tratando de Libertadores. Talvez, quem sabe, se tivesse buscado mais manter a posse de bola e atacar, o resultado poderia ser melhor? Talvez sim. Mas não é novidade o estilo do Felipão. Ele fez o time ser competitivo de novo depois de todos nós já termos perdido as esperanças esse ano. A derrota de ontem é do futebol. O placar é dificílimo de reverter, mas nada é impossível no futebol. E o que me deixa tranquilo é que desta vez tivemos uma arbitragem correta. Não dá pra reclamar de nada. Está na hora de fazer o papel de torcedor, apoiar o time, até porque somos líderes do brasileiro, com grandes chances de ganhar o caneco.

  18. Thiago Souza 25/10/2018 | Responder

    Felipão foi covarde, vamo admitir. Quem joga só se defendendo fica mais exposto a lances esporádicos. Ganhamos na ida porque encaramos de igual pra igual.

    E o Felipe Melo já deu hein? Não tem consistência pra jogar 90 minutos. Tinha que jogar o Lucas Lima na volta.

  19. Queria comentar mais, mas o Eduardo sempre diz o que penso, então não há necessidade.

  20. Thiago Silva 25/10/2018 | Responder

    Tá difícil pra muitos admitir, mas vamos fazer um esforço: Felipão foi covarde. Ganhamos na primeira fase deles porque encaramos de igual pra igual. Quem só se defende fica mais exposto a lances esporádicos.

    Outra coisa: Felipe Melo já deu hein? Não tem consistência nos 90 minutos. Por mim entra o Lucas Lima no lugar dele pro jogo da volta.

  21. Não vou aproveitar o momento pra criticar o técnico e jogadores. Do Felipão é isso que se espera dele, nunca gostei da sua filosofia de jogo, ele é o que é e ponto. Dos jogadores é esperar que superem a si mesmos , não é um time de todo ruim, mas está muito.longe de ser um super time ou elenco.
    Na volta é superação , e aí sim acredito.
    Do mais, já vimos esse filme.

  22. Eu escalaria Guerra e Borja na semana que vem. Quem sabe baixa o espírito do Atlético Nacional nesses caras. Infelizmente é focar no brasileiro, Libertadores já era.

  23. Reynaldo Zanon 25/10/2018 | Responder

    Jogou para empatar. O Palmeiras tem time para ganhar do Boca Juniors, mas quis “segurar” o jogo. Complicou bastante, mas chegou a hora de mostrar que o Palmeiras é o maior clube da América. Temos que atropelaro Boca Juniors dentro do Palestra. É inadmissível ser eliminado pela terceira vez na Libertadores por aquele clube. O Palmeiras vai pu a final!!!

  24. Breno Henrique 25/10/2018 | Responder

    O que me deixou muito decepcionado foi a postura do time.

    Jogamos bem o jogo todo, não sofremos nenhuma pressão, a primeira defesa do Weverton foi a cobrança de falta que antecedeu o escanteio do gol.

    Mas eu fiquei com a sensação de que se o Felipão e o time tivesse um pouco mais de ambição, de vontade de vencer sairiamos de lá com um empate com gols no mínimo.

    Mas é isso ai, vamos jogar tudo o que der na volta e tentar a classificação.

    • Desculpe discordar totalmente. Ninguém jogou bem, a partida estava digna de Copa Kaizer pra baixo, horrorosa, aí o Felipe Melo fez a diferença. Há uma enorme distância entre “jogar bem” e “não sofrer com o adversário”.

  25. Paraiba 25/10/2018 | Responder

    Quarta feira que vem todos de calça vinho pra da sorte

    • Falando em calça vinho, não vamos esquecer que no ano passado lá em Guayaquil o Palmeiras também jogou pra não perder, perdeu e a Libertadores acabou. Não é culpa do Felipão, mas da inércia que toma conta dos treinadores brasileiros. Exceção feita (por mais incrível que possa parecer) ao Renato Gaúcho, cada “professor” adota um estilo e vai com ele até o final, seja para o céu ou para o fundo do oceano. Não há variação tática, não há adaptação ao jeito de jogar do adversário, é tudo sempre a mesma coisa em praticamente todos os times brazucas. Na hora de tirar um coelho da cartola ninguém consegue porque não sabe o que é cartola nem coelho.

  26. João 25/10/2018 | Responder

    Felipão foi covarde, mas Moisés e Bruno Henrique também foram culpados pelo péssimo resultado de ontem.
    O erro do Felipão foi não ter substituído o Moisés no intervalo pelo LL. Nitidamente o time não conseguia segurar nenhuma bola.

Leave Your Reply