Libertadores 2018 Palmeiras 2×2 Boca Juniors: e não deu…. vamos em frente

 

 

O Palmeiras empatou com o Boca Juniors nessa noite de 4a feira no Allianz Parque. 2×2.

Luan e Gómez fizeram os gols do Palmeiras.

A história do jogo poderia ter sido diferente em vários momentos da partida. Jogo iniciado e o Palmeiras teve atitude e foi pra cima ditando o jogo. Logo aos 8 minutos fizemos um gol. Depois anulado pelo VAR. Deyverson estava impedido no início do lance.

Aos 18 falha feia de Luan. E a classificação parecia perdida. Como fazer 4 gols nesse time do Boca?

O time sentiu o golpe. Passou a errar demais passes. As intermináveis bolas longas ligando defesa e ataque eram inúteis. Deyverson e Lucas Lima que foram as novidades de Felipão nesse time pouco faziam.

O árbitro deu apenas 3 minutos de acréscimos no 1o tempo. Com a cera que os jogadores do Boca de forma previsível fizeram era para no mínimo 6 minutos. Lamentável.

Veio o 2o tempo. O time com Moisés no lugar de um surpreendentemente apagado Bruno Henrique melhorou. Lucas Lima chutou pra defesa com os pés do goleiro. Logo depois Luan apareceu livre na área e chutou entre as pernas do goleiro deles. 1×1.

A torcida se encheu de esperança. Ainda mais porque logo depois pênalti em cima de Dudu. Eu, no estádio não quis ver a batida. Esperei pela gritaria da torcida de olhos fechados e de costas pro campo. Gol!

Esperança renascida. Antes dos 20 minutos do 2o tempo precisávamos de 25 a 30 minutos para operarmos o milagre esperado. Mais 2 gols….

Mas… mas…. mas… os deuses do futebol são caprichosos.

O gol de empate do River aos 25 ou 26 do 2o tempo acabou com qualquer capacidade de reação dos 11 em campo. Outra falha individual…

Como havíamos dito no pré jogo… qualquer resultado era possível. Caímos de pé. E vamos reconhecer: jogamos mal lá – quando podíamos ter ido pra cima e vencido. Ao final em Buenos Aires perdemos por 2×0 um jogo em 4 minutos.

Aqui, teríamos que vencer e não tomar gols. Tomamos dois gols em falhas individuais… Não jogamos com a intensidade que deveríamos. Coisas do futebol. Do lado de lá tinha um adversário que foi mais competente que nós nos 180 minutos.

Vida que segue. Agora é pensar no Brasileiro 2018 e vir forte para a Libertadores 2019.

Vamos em frente!

 

167 Comments Added

Join Discussion
  1. Philipe Frois 02/11/2018 | Responder

    Minha escalação pra amanhã seria: Goleiro ( qualquer um ), Jean, Gustavo Gomes , Dracena e Victor Luís; Thiago Santos, Felipe Melo , Bruno Henrique e Lucas Lima , Dudu e Borja. Sei que não vou acertar pq o professor não vai botar Dracena e GG juntos mas eu não aguento mais nem Antonio Carlos nem Luan. De resto espero estar certo, espero que jogue com meio campo com 3 volantes mesmo principalmente pra ajudar na cobertura da lateral direita que seja quem for que estiver lá não será nada confiável. De resto é fazer mesmo o arroz com feijão, não dar espaço pra contra ataque pros rápidos atacantes do Santos , tentar ganhar por meio a zero e torcer pra cheirinho e Inter não vencerem seus jogos. Eduardo tô na campanha heim rsrs….Que venha o Deca!

  2. Philipe Frois 02/11/2018 | Responder

    Com Maike suspenso e Marcos Rocha ainda lesionado, quem joga na LD sábado? Sem Willian por 3 semanas quem irá substituí-lo? Hyoran que esqueceu o que é jogar bola ou Scarpa que faz um século que não joga e está totalmente sem ritmo? Poderia tbm jogar com Dudu e 2 Centro avantes ( Borja e Deyverson ) mas não contra o Santos pq Deyverson tbm está suspenso. Poderia ainda jogar com Moisés e Lucas Lima no meio e apenas Dudu e Borja na frente, mas não contra o Santos pq Moisés está suspenso pelo terceiro amarelo. Será que vamos de Guerra? ( meu Deus ). Fora tudo isso ainda tem o cansaço pelo jogo de quarta onde o time se matou de correr pra nada , Felipe Melo por já ser um idoso e Dudu por ser o que mais corre terminaram o jogo mortos, será que já deu tempo de recuperar? Eu que estava otimista pra Esse jogo contra as sardinhas já estou considerando um empate ( mais um) , ótimo resultado.

  3. Bom, passada a ressaca da eliminação, agora é pensar no clássico. Tenho plena confiança que iremos conseguir os 3 pontos, e o cheirinho empata com o bambi. Seria ótimo, e não é tão difícil de acontecer.

  4. Mayke e Diogo Barbosa fora nas duas próximas rodadas (além da ausência do Bigode por pelo menos 3 semanas), justamente as mais difíceis dentre as sete restantes. Mais improvisações, poucos passes e muitos chutões à vista contra Santos e Galo. Que esqueçam logo a taça obsessão e concentrem esforços no Deca. E ninguém precisa “dar a vida”, basta fazer o feijão com arroz.

    • Wilson 02/11/2018 | Responder

      Diogo B. Kkkkk ganhamos um reforço, e o mão de alface vai continuar pulando para não chegar?

      • Adilson 02/11/2018 | Responder

        Na minha opinião o Jaílson pegaria os dois chuutes do maletido..tem muitos mais explosao..vide defesa q fez na bobonera chute do pavon..esse goleiro atual me lembra o Bruno..pula pra não chegar

  5. Felippe 01/11/2018 | Responder

    Alguém em sã consciência pode me explicar pq o Palmeiras vai jogar no sábado e não domingo?

    • Wilson 01/11/2018 | Responder

      Sim, a partida estava marcada para domingo e a cbf alterou para sabado, colocando flaxspo para domingo, porque a diretoria da SEP é frouxa.

      • Felippe 01/11/2018 | Responder

        Perfeito, era isso que eu queria ler. E parem de reclamar do time, só tem um culpado é aquele que assina os cheques.

    • Só pra refrescar a memória de vocês e evitar ler mensagens sem muito sentido de quem mais reclama do que pensa, as partidas de Grêmio (contra o Atlético MG) e Palmeiras (contra o Santos) foram antecipadas para o sábado porque desde o final de setembro as duas equipes se “qualificaram” para as finais da Libertadores, que inicialmente estavam marcadas para começar na próxima quarta, dia 7, e no caso de um novo confronto “Brasil X Argentina” essa partida seria obrigatoriamente em Buenos Aires.

      Eu só queria ver se o Palmeiras fosse pra final e precisasse jogar no próximo domingo. “Ô diretoria frouxa, bando de incompetentes, não conseguem nem antecipar uma partida do BR pra termos um dia a mais de preparação na Libertadores”…

      E que venha o Deca!

      • Felippe 02/11/2018 | Responder

        Na quinta foi dia de trabalho para mim e outros trabalhadores, mas para o cabeça de ovo…..

  6. Levi 01/11/2018 | Responder

    Xii…. já tem jogador falando em dar “a vida” para conquistar o Brasileiro.
    Toda vez que ouço isto….. já fico esperando quem vai entregar a rapadura ou quando vai ter uma amarelada coletiva.

    Nesses últimos 7 jogos o Palmeiras deve voltar a jogar o que sabe, ou seja, ficar compactado lá atrás e buscar a única bola do jogo.
    Com o material humano que temos, jamais podemos esperar que vá para cima e decida com talento.
    Simplesmente pq falta jogadores decisivos.
    E o que mais me irrita é nunca arriscarem chutes ao gol.

    o LL exigiu salários milionários e recebe 25 mil extra, toda vez que entra em campo.
    Saldo do jogo: chutou 1 única bola ao gol adversário e entregou a rapadura no 1. gol.
    Depois desapareceu.

    Felipe M. entregou nos 2 jogos, mas é “querido e líder” para os jogadores, assim como o cara do “CHIP”.
    Se abre buraco na frente da zaga, quem sofre são os zagueiros.
    O 2. gol do boca foi patético.

    Luan e Antonio Carlos revezam a entrega da rapadura há muito tempo.

    Diogo Barbosa é Avenida Egídio 2.
    Egídio ao menos tentava cruzar 1 ou outra bola, não lembro quando foi a última vez que esse lateral fez uma jogada de linha de fundo, mas sim do buraco que deixa atrás.

    O treinador não tem do meio para frente jogadores realmente decisivos.
    Só Dudu ainda se salva e o Willian.
    Mas é muito pouco.

    Nway, só não entreguem a rapadura, faltando 7 rodadas outra vez.

    • Normalmente, esse negócio de “dar a vida” se torna “dar o resultado” ou “dar o título” pra outro time. É pra ficar preocupado, mesmo, ainda mais que o Willian (jogador mediano pra bom que nesse elenco é essencial) ficará fora por três semanas.

      E que venha o Deca!

  7. Danilo 01/11/2018 | Responder

    Boa tarde a todos.

    Perdeu, bola pra frente, vamos lutar no BR.

    Agora fica a expectativa para a montagem do elenco para ano que vem, acredito que Felipão poderá montar um time com atletas com perfil vencedor, estamos cheios de bons jogadores, contudo, a maioria pipoca em jogo grande, diferente do time de 2015, inferior tecnicamente, mas forte em jogos decisivos.

    Não adianta sair comprando só os destaques de times menores sem uma analise mais profunda, vimos R.Veiga e Hyoran como ainda precisam amadurecer.

    Pelo que vemos no futebol atual, quais opções teríamos com esse perfil?

    Arrascaeta e Gabigol seriam uma boa?

    • Só opinião: Gabigol precisa de esquema exclusivo pra ele senão rende pouco, e De Arrascaeta é um craque que se machuca muito (fora convocações, então esqueça-o nas datas FIFA).

  8. Reynaldo Zanon 01/11/2018 | Responder

    O Palmeiras já poderia ter, no mínimo, cinco Libertadores. Duas nos anos sessenta, uma nos setenta e mais uma – além da que conquistamos – na virada do século. Desperdiçamos várias. Demos muita bobeira, como nesse ano. É inadmissível que fiquemos atrás de alguns clubes brasileiros, muito atrás de alguns estrangeiros e iguais a clubes como Colo Colo, entre outros, em conquistas de Libertadores. Isso tem de mudar!!!

    • O Santos tem três Libertadores graças a Pelé e Neymar, não ganhou mais umas cinco (pelo menos) nos anos 1960 porque excursionar pelo planeta dava mais dinheiro. O SPFC tem três títulos graças ao Telê Santana, que foi um dos melhores treinadores da história do futebol. O Grêmio idem, graças ao Renato Gaúcho. A Juventus, maior clube italiano, tem 20% dos títulos de Champions que possuem seus dois maiores rivais juntos. Até 2006 o Barcelona (símbolo histórico de futebol bem jogado) só tinha um título europeu contra nove do arquirrival.

      Não é somente isso que determina a grandeza de um clube, pra mim é muito mais grave ter um título nacional em 23 anos e dois rebaixamentos em 10 do que não vencer mais vezes um torneio mata-mata que envolve tantos fatores, inclusive psicológicos e extra-campo.

      O que precisa mudar urgentemente é nossa cultura imediatista e resultadista (aliás, no futebol mas não só nele), que dá margem para aberrações e absurdos.

      • Reynaldo Zanon 01/11/2018 | Responder

        Concordo em parte. A grandeza de um clube realmente não é medida apenas pelo número de conquistas de uma única competição. O Palmeiras já é o maior campeão nacional e isso, entre tantas outras situações, mostra a sua grandeza. Mas, pelo gigantismo do Palmeiras – e não me refiro apenas aos anos mais recentes e sim desde os primórdios, quando já nascemos grandes (tínhamos grande torcida desde 1914 e logo passamos a conquistar títulos) – vejo como indigno de um clube do porte do Palmeiras, termos uma única taça da Libertadores.

        • Entendo seu ponto de vista, Reynaldo, mas assim como você me critica quando exagero nas discussões, não dá pra ignorar que você também exagera no entusiasmo quando se trata de exaltar o Palmeiras.

          Não precisamos ter a maior torcida do Brasil nem o maior número de títulos de todas as competições para sermos gigantes. Mais indigno pra mim é ter condições de enfrentar de igual para igual um outro gigante do continente e adotar uma postura covarde dentro de campo, para depois tentar resolver tudo em casa jogando no limite do risco. Indigno é saber que ainda existe gente influente dentro do clube que pensa (mesmo depois de dois rebaixamentos em dez anos e do distanciamento do protagonismo nacional por praticamente três das últimas quatro décadas) que investimento em futebol é “gasto excessivo” – ora bolas, somos um clube de futebol, de bocha ou uma associação de amigos de bairro?

          Acho que poderíamos ter sim pelo menos umas duas Libertadores, mas é preciso entender que outro título desse não virá porque temos torcida enorme e fiel (além de endinheirada, pois só assim pra bancar ingressos a esses preços…), estádio moderno e estrutura de primeira, e sim quando formos igualmente competentes dentro de campo. E dessa vez, não fomos.

          E que venha o Deca!

    • Jango 01/11/2018 | Responder

      Discordo. O Palmeiras era pra ter 2-3 Libertadores. Só o Santos teria umas 5.

      Agora, os gambás e urubus não eram pra ter nenhuma. Tradição zero n competição.

      • Sobre o Santos foi exatamente isso que escrevi, Jango. E nas duas finais em que o Palmeiras esteve nos anos 1960, de fato a dispu.ta do Campeonato Paulista era considerada, então, mais importante.

        E na minha modesta opinião, o cheirinho só tem uma taça Libertadores por causa do Zé Roberto Wright, porém os gambás só não são tricampeões graças ao Felipão (acho que só isso já lhe garantiria estátua no clube). Mais do que ajudar o clube a vencer em 1999, ele foi fundamental para eliminar duas vezes um rival que, sendo bastante modesto, tinha times no mínimo iguais aos nossos, em 1999 e 2000.

  9. mario luiz 01/11/2018 | Responder

    Na minha opinião ontem na Arena o que faltou foram 2/3 jogadores mais “cascudos” do tipo que se precisa ter no time para ganhar uma libertadores (tipo Júnior Baiano, Zinho, Evair, Roque júnior, Paulo Nunes, São Marcos, etc…….), ou seja, nosso time não é ruim para disputar um paulistinha, CB ou mesmo o brasileirão, mas para torneios intercontinentais precisamos de mais. Na verdade não apenas o Palmeiras, pois Grêmio, Flamengo e Cruzeiro também tiveram o mesmo tipo de problema. Na verdade parece-me que o jogador brasileiro está perdendo a sua capacidade de ser protagonista e está virando mero coadjuvante, basta ver os jogadores brasileiros no exterior (exceção feita a Neymar) que deixaram de ser destaque faz tempo.

    • O que ilustra sua opinião com mais nitidez ainda, Mário, é o fato de nossos “craques” hoje serem Cebolinha, Paquetá e Rodrygo, que com muito boa vontade são esforçados talentos. Aquele cara que faz a diferença está em escassez no mundo e em absoluta extinção no Brasil.

      • mario luiz 01/11/2018 | Responder

        Concordo em grau, gênero e número. E o pior é que não vejo como se possa reverter essa situação no curto ou mesmo médio prazo…………..

  10. Concordo com tudo o que a maioria disse, principalmente com Eduardo Augusto Corrêa, mas permito-me algumas considerações e um desabafo.
    É preciso ter a visão de que esse elenco é de mediano pra ruim, e que uma peneira um pouco mais exigente, sobrariam meia dúzia ( se tantos).
    Pode parecer exagero, mas não, se não vejamos: não ganhamos um mata mata siquer desde a conquista da copa do Brasil, estou falando mata mata.
    É um elenco com DNA derrotista, e pra usar um termo mais popular, nada nada e morre na praia.
    A mentalidade dessa diretoria, técnico e comissão, ésta longe do conceito básico pra se jogar um bom futebol e vencer ( técnica+habilidade+vontade).
    E isso, salvo meia dúzia (se tanto) passa longe desse elenco.
    O Palmeiras precisa reformular totalmente sua forma de pensar o futebol, sinão a fila vai andar ainda por muito tempo.

    • mario luiz 01/11/2018 | Responder

      Concordo em partes, quando você fala em repensar dê uma olhada no nosso Páis como um todo e me responda: Alguém aqui pensa? nossa seleção de futebol consegui ser eliminada pela poderosa seleção da Bélgica (???????), o vôlei onde éramos soberanos, agora somos sacos de pancada. Na boa, o buraco é muito mais embiaxo, estamos ficando para trás em todos os sentidos, e isso é fruto da desestruturação pela qual o País passa em decorrência de 14 anos de um governo que não merece qualquer comentário, ou seja, os tempos de “vacas magras” vão continuar………….

        • mario luiz 01/11/2018 | Responder

          O que quis dizer é que sem organização, planejamento, competência e um mínimo de honestidade nada funciona, inclusive o futebol. Você acha mesmo que os maiores escândalos do futebol brasileiro terem acontecido nos últimos 14 anos foi apenas conincidência????

    • Centroavante e meia do Atlético Nacional campeão da América também naufragaram por aqui. Se a filosofia continuar sendo “Mundial a qualquer preço” jogando pra não perder, continuaremos fritando talentosos e caneludos.

      E que venha o Deca!

    • Erich 01/11/2018 | Responder

      Trouxemos um atacante do Santa Cruz que tá todo mundo dando falta.

      • Outro meia-boca que fazia pouco mais que correr, faria sucesso no futebol pragmático e vertical imposto ao time mas continuaria não passando de um atacante mediano.

  11. Para quem acha que uma Libertadores no currículo é pouco, vejo outras discrepâncias muito maiores. É inadmissível por exemplo o Palmeiras ter passado 21 campeonatos brasileiros (entre 1995 e 2015) com um único pódio (vice em 1997). O São Caetano conseguiu mais que isso no período. Até a Portuguesa também teve um vice-campeonato! Isso sem falar que na verdade não foram 21, mas apenas 19 campeonatos de Série A, pois tiramos duas “licenças remuneradas” na B. Desempenho pífio que aos poucos vem sendo superado, já que na pior e mais desastrosa das hipóteses teremos um título e dois vices no último triênio.

    Nem é preciso relembrar que esse retrospecto se deu gracas à mesquinharia de quem administrou o clube nas últimas décadas, mas o Palmeiras tem se afastado cada vez mais de sua tradição de priorizar bom futebol (e que ninguém leia aí “dar show” ou os costumeiros sinônimos que são usados nessas horas pra justificar o resultadismo). Essa fase de sucesso recente, ainda com poucos títulos mas sempre brigando lá no topo, vem provando que se em determinados momentos é preciso ser pragmático, jogar feio com bicão e de forma tosca (pra não dizer covarde) também não garante porr@ nenhuma. Assim, antes de definir listas de dispensas e contratações para 2019, acho que dentre as prioridades deveria estar o investimento na qualidade (técnica e tática) que traga à equipe capacidade de mudar partidas e superar problemas que vão aparecer de forma cada vez maior e mais constante daqui pra frente, pois se estivermos na nata do futebol encontraremos cada vez mais Cruzeiro, Grêmio, Boca e River e cada vez menos Santa Cruz, Botafogo PB, Santo André e Paraná. Como fazer isso? Não existe fórmula pronta, mas parar de contratar por impulso ou por grife e deixar convicções ultrapassadas de lado talvez seja um começo

    Eu ainda acredito que com bumba meu boi e casquinha as conquistas acontecem de forma aleatória, e com qualidade de jogo elas vêm naturalmente, talvez num prazo maior (e nem sempre queremos esperar), mas com solidez.

    E que venha o Deca!

  12. Cássio 01/11/2018 | Responder

    Só pra enxergar o copo meio cheio. Quando o RM saiu o Palmeiras tinha 23 pontos.Estava 8 atrás do Flamengo e o ano já era dado como perdido. De lá pra cá o Palmeiras fez 40 pontos no Brasileiro, está 4 pontos à frente do Flamengo , recuperou a confiança de vários jogadores e chegou a duas semifinais.

    Considerando que o ano começou todo errado, com apenas 4 meses de recuperação pós RM, acredito que a temporada do Palmeiras é muito boa e tem tudo pra terminar coroada com um título que vale pelo ano. O mais difícil.

    Basta a torcida entender que são apenas 7 jogos para apoiar o time. Diante dos números espetaculares que o time vem tendo, é natural oscilar e subir de novo na reta final. É só ter calma.

    Se fosse na Inglaterra, Espanha ou Itália a imprensa estaria cobrindo o Palmeiras de glórias pela brilhante temporada até aqui.

    Somos torcedores, entendo, só não entendo porque não podemos analisar a temporada como um todo. Por que no Brasil temos que ser tratados como idiotas pela mídia esportiva Bozo que temos?

    E pior, por que ainda acreditamos neles? Somos menos inteligentes que os Europeus?

    • Jango 01/11/2018 | Responder

      Se o Palmeiras conquistar o Brasileirão, o ano terminou excelente.

      Se todo ano o Palmeiras conquistar ao menos um título importante (paulistinha não conta), a torcida ficará satisfeita independente da piada do Mundial.

  13. Cássio 01/11/2018 | Responder

    O Bizu pelo menos era mais animado e corria mais. O Borja dá sono.

  14. lito 01/11/2018 | Responder

    Com certeza o Felipão detectou o problema do time. É necessário que se mantenha a base para o ano que vem. Tem que manter o Mattos e contratar um goleiro de confiança (esse do Boca), dois zagueiros, pois só temos o Gomes, outro lateral esquerdo para disputar a vaga com o Victor Luis, um volante pegador, além do Artur, Pablo, um 9 tipo Lucas Pratto. Temos várias moedas de troca, como nossos 3 goleiros, Luan, Drascena, A Carlos D barbosa, F Mello e mais uma meia duzia.

    • Mas se o Felipão insistir nessa estratégia de futebol tosco e vertical com média de 120 passes e 250 chutões em partidas decisivas, a Leiloca pode trazer a defesa da Juventus, o meio de campo do Barcelona e o ataque do PSG que vamos continuar derrapando e entregando taças na bandeja para os adversários. Futebol é um jogo de estratégia, mas envolve também qualidade, habilidade, técnica e competência, no qual correr riscos é essencial.

    • mario luiz 01/11/2018 | Responder

      Concordo ontem na Arena o que faltou foram 2/3 jogadores mais “cascudos” do tipo que se precisa ter no time para ganhar uma libertadores (tipo Júnior Baiano, Zinho, Evair, Roque júnior, Paulo Nunes, São Marcos, etc…….), ou seja, nosso time não é ruim para disputar um paulistinha, CB ou mesmo o brasileirão, mas para torneios intercontinentais precisamos de mais. Na verdade não apenas o Palmeiras, pois Grêmio, Flamengo e Cruzeiro também tiveram o mesmo tipo de problema. Na verdade parece-me que o jogador brasileiro está perdendo a sua capacidade de ser protagonista e está virando mero coadjuvante, basta ver os jogadores brasileiros no exterior (exceção feita a Neymar) que deixaram de ser destaque faz tempo.

  15. Jango 01/11/2018 | Responder

    Quando saiu a chave River x Grêmio e Palmeiras x Boca, eu avisei um amigo palmeirense que a final seria o Superclássico. Eu já tinha quase certeza.

    Times brasileiros não possuem nem 50% da vontade que times argentinos. São vagab.undos acomodados. Por isso quando chegam numa fase final, quase sempre os argentinos levam.
    Pra um time brasileiro conseguir levar, só sendo bem superior, o que não era o caso do Palmeiras, sejamos sinceros.

    • Philipe Frois 01/11/2018 | Responder

      Quase concordo com vc Jango rs. Só não acho que foi o caso do Palmeiras essa v.a.g.a.b.u.n.d.a.g.e.m. pra mim foi pipoca mesmo, amarelada de novo. Isso sim eu já esperava, de um modo geral times brasileiros já tremem pra argentinos na libertadores, esse plantel atual do Palmeiras então vem tendo c.a g.a.n.e i.r.a.s em todas as decisões que d.i.s.p.u.t.a.

  16. Lucas 01/11/2018 | Responder

    Alguém tem que avisar o Diogo barbosta que futebol se joga de chuteira, não de sapatilha nem tamanco

  17. Philipe Frois 01/11/2018 | Responder

    Só não poderia esquecer do nosso goleiro medalhista pegador de bolas fáceis.

  18. Philipe Frois 01/11/2018 | Responder

    Em jogos e derrotas assim é que vemos a realidade. O time não tinha se acertado defensivamente coisa nenhuma . Qdo o Felipão chegou ele armou uma retranca, deu sorte de pegar só time meia boca pela frente e foi avançando, foi ganhando jogos, o time acaba ganhando confiança e nos passou a falsa impressão que o time estava acertado. Aí foi só pegar dois time um pouquinho mais de qualidade ( cruzeiro e boca) que a realidade se esfregou na nossa cara de novo. Não tivemos nem chance contra os dois nas semifinais, estivemos o tempo todo longe da classificação. É em jogos assim que vemos quem é quem e não se trata de arrumar bodes expiatórios, se trata de constatar a realidade. Luan é zagueiro de condomínio,sempre foi, era muito criticado por aqui mas aí com a ilusão que o time nos passou , acabou subindo um pouco no conceito da maioria , porém provou nessas semi finais que não é nada confiável, é pipoqueiro e merece ir pro SP jogar ao lado do Rodrigo Caio. Outro que quero destacar é o Felipe Melo . Infelizmente além de louco está velho, pesado, se doa bastante durante um tempo e depois morre em campo, o gol do Benedetto deixou isso escancarado. Fora Isso, ainda é uma bomba relógio prestes a explodir, não pode ficar mais pro ano que vem tbm. Por enquanto vou parar nesses dois pq senão o comentário vira uma bíblia. Contra o Santos, ouso dizer que se perder e o Flamengo ganhar dos bambis ( o que não é nada difícil), vamos conseguir perder o brasileiro tbm, pq pressão em cima desses amarelões é certeza de vexame!

  19. Marcelo 01/11/2018 | Responder

    Esse zagueiro Luan é muito fraco, técnica e fisicamente. Parece o Rodrigo Caio.
    Foquemos no Br, bola para frente.

  20. Acho que a maioria por aqui (eu também) se enganou quanto a qualidade dos dois times. Vejam o banco do Boca hoje e comparem com o nosso.

  21. LGO 01/11/2018 | Responder

    Acho que estou ficando meio doido mesmo!!! Na semana passada fiquei transtornado xingando os jogadores e o Felipão. Fui severamente criticado aqui no blog. Falaram para mim que por causa de uma derrota estava fazendo terra arrasada, mas hoje estou completamente o oposto. Até porque tinha certeza da eliminação. Não quero criticar o elenco e nem o técnico como a maioria. Agora sim é hora de apoiar e ganhar o título brasileiro que vale muito, inclusive mais que a libertadores para alguns! Com isso teremos um ano considerado bom.
    Com o time que temos estaremos em todas as libertadores daqui para frente e certamente ganharemos uma nos próximos anos!
    Discordo do blog que esse era o jogo do ano!!! O jogo do ano é sábado!!!
    Vamos palestra!!!!
    Abraço a todos!!!!

    • Concordo contigo, LGO. Só acho que Libertadores precisa deixar de ser obsessão cega, senão passaremos os próximos anos correndo atrás do rabo.

      • LGO 01/11/2018 | Responder

        É isso aí Eduardo!!!
        Se parar com essa obsessão as vitórias viriam mais fácil e alguns jogadores talvez não pipocariam como estão pipocando!!!!
        Deveríamos ter jogado o jogo na Argentina e se perder no contra ataque por exemplo perdeu!!! Aí vem o outro ano e tenta ganhar!!!
        Depois de quarta passada comecei a entender melhor suas posições! Vamos jogar bola. Perder ou ganhar faz parte do jogo, mas se acovardar não!!!

    • Wilson 01/11/2018 | Responder

      É verdade, veja o River, se não estivesse ocorrido aquele desastre o ano passado seria a terceira final consecutiva.
      Queira ou não, ultimamente o Palmeiras vem chegando bem nas competições e se continuar assim os titulos vão chegar .

      • O River fez a final em 2015 e quase chegou em 2017 (foi roubado contra o Lanús, diga-se de passagem – essas coisas acontecem por lá, também…), em 2016 dispu.taram o título o Atlético Nacional e os Sucos Del Valle.

        Se continuarmos jogando pra não perder de forma covarde em mata-matas, seremos um time-testículo, aquele que está sempre perto do seu objetivo mas no momento principal sempre fica de fora…

        E que venha o Deca!

  22. Gogel 01/11/2018 | Responder

    O VAR, para mim, é o politicamente correto no futebol. Idêntico ao politicamente correto que tomou conta do nosso dia a dia. Aquela coisa chata que nos tira o prazer de tirar um sarro de um amigo. A vida está ficando muito chata. E o futebol vai ficando mais chato também.

    • O carteiro não é o culpado pelas más notícias contidas na correspondência que entrega. O VAR, quando usado em lugares que não toleram desonestidade, será apenas mais uma ferramenta para o bom andamento do jogo. Num país como o nosso, será mais uma forma de se desviar o foco da incompetência que impera no nosso futebol, seja entre os jogadores, os treinadores, os dirigentes, os àrbitros e até os jornalistas.

  23. Diogo Barbosa, Lucas Lima e Borja vieram aqui só pra receber salário. 3 vagabundos que merecem um pé
    no traseiro. Vejam o gol que o Borja perdeu logo que entrou e não pegou na bola pra variar

  24. Luix 01/11/2018 | Responder

    Avisem Borja, Diogo Barbosa e Scarpa que tem muito semáforos para eles venderem balas e doces e assim, deixar o Palmeiras em paz.

  25. Luix 01/11/2018 | Responder

    Vejam a diferença: Na Argentina o Palmeiras jogou( mal) na retranca, mesmo com resultado empatado, ou seja, deveria jogar para ganhar o jogo.
    O Boca Jr, mesmo com 2 gols de vantagem, jogou aqui no ataque e fez mais 2 gols, ou seja, não se acovardou.
    Enfim, Futebol é para craques e corajosos.
    Que esses dois jogos sirvam de lição para o resto da vida do Palmeiras.

    • Talvez não seja pra craques, ou o futebol já estaria extinto no Brasil, mas sem dúvidas é pra corajosos, e isso não se conpra nem com o melhor patrocinador do mundo.

      Não se iluda, se ano que vem avançarmos até a final e vencermos a Libertadores com esse futebol pobre e tosco ninguém vai se lembrar de 2018.

  26. Reynaldo Zanon 01/11/2018 | Responder

    É dose ser eliminado pelo Boca Juniors de novo. O time deles não é nada demais.Tudo se complicou no jogo de ida. É indigno do Palmeiras nós termos 1 Libertadores e eles 6. Isso tem de mudar o mais rápido possível.

      • Reynaldo Zanon 01/11/2018 | Responder

        O Palmeiras já poderia ter, no mínimo, cinco Libertadores. Duas nos anos sessenta, uma nos setenta e mais uma na virada do século. Desperdiçamos várias. Demos muita bobeira, como nesse ano.

  27. Paulão 01/11/2018 | Responder

    Fomos eliminados semana passada, não hoje. Acho que o pessoal já falou tudo… mas tem uma coisa que não sai da minha cabeça… se tivéssemos goleiro o maledeto não tinha feito nenhum dos três gols, eu acho que as três bolas eram defensáveis.

  28. Cássio 01/11/2018 | Responder

    Vamos ao Brasileiro.

    1. O time está pregado fisicamente. É preciso recuperar muito para ganhar.

    2. A bola já parou com o Felipe Mello mas ainda não avisaram pra ele. Dos 4 gols sofridos pelo menos 3 por falha dele. Fora a cabecinha pequena.

    Boa noite.

  29. Diogo Barbosa custou 17 milhões jogados no lixo. Errou tudo. Não sei não, mas acho que o Scarpa vai no mesmo caminho.

  30. A entrada do Borja matou o time. Tem que mandar embora urgente esse cara. Não presta pra nada. Tanto
    ele como o Diogo Barbosa

    • Wilson 01/11/2018 | Responder

      Quem matou o time tb foi o ex jogador que ficou olhando.

    • Tem mais gente que não presta pra nada nessa lista aí.

      E o Zé Raphaé já tá prontinho pra vir pro Palmeiras, na decisão por pênaltis entre Furacão e Bahia chutou o dele lá no Couto Pereira. O unodeca 2019 já é nosso, sem receios…

      • Wilson 01/11/2018 | Responder

        Kkk ja conertando o cara antes de chegar kkkk ele vai ser um bom reserva, e por outro lado o Artur do Ceará esta fazendo gols, vamos olhar para o lado positivo.

        • Não é cornetada, só constatação. É bom jogador, mas nesse esquema com “meio campo eunuco” será mais um reserva de luxo.

  31. Jango 01/11/2018 | Responder

    Boa, Felipão. Agora só falta perder o Brasileirão.

    • Wilson 01/11/2018 | Responder

      O Felipão pegou esse time montado, ele nao tem culpa de temos lacraia, Diego B, Fm, e outros.

  32. Luix 01/11/2018 | Responder

    Quero saber o que Diogo Barbosa veio fazer no palmeiras.
    Assim como borja, inúteis jogadores com os quais o clube jogou muito dinheiro no lixo.

  33. Wilson 01/11/2018 | Responder

    2000, 2001 e 2018, eu odeio o boca, Palestra tamo junto, domingo tem as sardinhas, estarei torcendo porque Amo meu Palestra!!!

  34. Paraiba 01/11/2018 | Responder

    Felipe Melo ficou olhando o maledetto fazer o gol

    • Wilson 01/11/2018 | Responder

      Paraiba, o cara é um ex jogador, ja deu, nao sei quando termina o contrato desse cara mas espero que em breve.

  35. Gustavo Aroni 01/11/2018 | Responder

    Somos refén da nossa própria limitação. O time do Boca é infinitamente superior ao do Palmeiras. Se classificou com os pés nas costas e o tal do Benedetto não precisou suar a camisa pra fazer três gols na nossa defesa. Ridículo.

  36. Paraiba 01/11/2018 | Responder

    Em 1994 o Palmeiras tinha uma seleção ganhou de 4 a 1 do Velez (campeão ) goleou o boca 6 a 1 foi eliminado pelo SP.
    Com Deyverson é cia vcs acham que iriam ganhar?

    • Carlos 01/11/2018 | Responder

      Em 94 haveria 3 jogos Palmeiras x SP na sequencia: quarta, domingo (Paulistão) e quarta. O primeiro jogo foi no Pacaembu, 0x0, na melhor partida da vida do Zetti. O segundo jogo foi quando ganhamos o Paulista de 94, que era pontos corridos, o SP estava um ponto à frente, e ganhamos de 3×2 no Morumbi, no dia da morte do Senna. Aí a diretoria do Palmeiras fez a grande caga.da! Aceitou postergar o último jogo para depois da Copa! E mais, levou o time para excursionar no Japão! O time voltou do Japão na quinta feira, e o jogo foi no sábado. O time estava com jet lag ferrado, o próprio Roberto Carlos disse que parecia que estavam jogando de madrugada…. Aí nos ferramos. Foi ridículo

    • Concordo, mas tem de considerar que aquele São Paulo tinha só Cafu, Muller, Raí e Zetti, era outra seleção. O Palmeiras atual é mais time sim que o Boca, o que matou foi a estratégia do ultrapassado Felipão, que prefere ganhar por atalhos, em vez de jogar bola.

  37. Não perdemos a classificação hoje, mas na postura covarde da semana passada, e não dá pra refrescar a culpa de ninguém.

    Que essa eliminação na bola (no nosso caso, na falta dela…) deixe algumas coisas definitivamente claras: temos alguns bons jogadores, mas um elenco cheio de grife e com pouca qualidade; Felipe Melo e Deyverson não valem o custo-benefício, assim como Lucas Lima não é cara pra decisão; na dúvida entre conseguir ser “o melhor quando não vale nada” e tirar um gigante argentino do caminho, já sabemos o que fazer no futuro; Felipão é rei em terra de ciclopes cegos, se vai ficar até o final de 2020 (e o iminente título brasileiro aponta pra isso) precisa rever alguns conceitos; e apesar dos apitos sinistros que de vez em quando pintam no nosso caminho, ficou claro que na hora H o que faz a diferença ainda é jogar bola.

    Assim… Que venha o Deca!

    • Perfeito Eduardo. A postura covarde na Argentina nos afundou. E Felile Melo, Deyverson, Borja, não tem condições de usar uma camisa tão pesada. Também tenho a sensação que nos passaram a perna no caso do Robinho. Disseram que ele saiu pq era paneleiro, na minha opinião, ele deve ter batido de frente com o técnico na época. Prefiro jogador difícil nos bastidores, que resolve no campo, do que cordeiros, que são uma nulidade nas partidas.

Leave Your Reply