Categorias
Brasileiro 2018 Pós Jogo

Brasileiro 2018 R33 Atlético MG 1×1 Palmeiras: diferença mantida e uma rodada a menos

 

O Palmeiras empatou com o Atlético MG em Belo Horizonte pela R33. 1×1. Os gols saíram no 2o tempo. Elias fez 0x1 aos 18 e Bruno Henrique, de pênalti, empatou aos 31.

Foi bom resultado. A diferença de 5 pontos para o vice líder se manteve. O Inter empatou com o Ceará em Fortaleza.

Foi um jogo movimentado. O Palmeiras entrou com Weverton, Jean, A. Carlos, Dracena e V. Luiz; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés; Willian, Deyverson e Guerra. No 1o tempo o Galo era melhor mas o Palmeiras tinha mais chances de gol. Guerra perdeu gol incrível onde o goleiro Vitor defendeu com o pé. Depois Deyverson bateu de sem pulo em jogada de escanteio e Vitor também defendeu.

Mas Guerra e Moisés não pareciam bens. A torcida esperava mudanças no 2o tempo mas Felipão voltou com o mesmo time. E melhor que os mineiros. Jogando no campo deles o Palmeiras tinha mais volume. Mas Moisés saiu contundido e Felipão preferiu a defesa. Colocou Tiago Santos. E numa jogada pelo lado direito da defesa (Jean e Guerra falharam) Elias fez o gol. O Palmeiras desandou. Quase tomamos o segundo pelo mesmo lado.

Entraram Scarpa (saiu Willian cansado) e Lucas Lima (saiu um inútil Guerra). E num lance de falta cobrada por Scarpa, quando a gente menos merecia, pênalti claro em cima de Dracena. Bruno Henrique bateu bem e empatou. Coisas do futebol….

Aí quem desandou foi o Atlético. No contra-ataque poderíamos até vencer. Aos 48 o péssimo árbitro marcou falta inexistente quando Lucas Lima ia sozinho pra cima do gol.

Fim de papo. Empate até que foi bom. Cinco pontos de diferença e estamos a 5 rodadas com 3 jogos em casa e um jogo contra o Paraná em Londrina.

Nada está ganho. Mas estamos perto.

Saudações Alviverdes!

95 respostas em “Brasileiro 2018 R33 Atlético MG 1×1 Palmeiras: diferença mantida e uma rodada a menos”

Eta general, gostar de judiar de nós torcedores. Guerra, meu Deus. Que venha Lucas Pratto no próximo ano.

Palmeiras 2 x 0 Fluminense
São Paulo 1 x 0 Grêmio
Flamengo 2 x 1 Santos
Internacional 3 x 1 América-MG

Paraná 0 x 1 Palmeiras
São Paulo 2 x 1 Cruzeiro
Sport 1 x 3 Flamengo
Botafogo 2 x 0 Internacional

Palmeiras 3 x 0 América-MG (título)
Vasco 1 x 0 São Paulo
Flamengo 3 x 2 Grêmio
Internacional 2 x 1 Atlético-MG

Vasco 0 x 0 Palmeiras
Cruzeiro 1 x 2 Flamengo
São Paulo 3 x 0 Sport
Internacional 2 x 0 Fluminense

Palmeiras 2 x 0 Vitória
Flamengo 2 x 1 Atlético-PR
Chapecoense 1 x 1 São Paulo
Paraná 0 x 1 Internacional

1° Palmeiras 80
2° Flamengo 75
3° Internacional 74
4° São Paulo 68

Acho que o Grêmio tem grande chances de passar até o Flamengo. Isso se não passar o Inter também.

Cem por cento de aproveitamento para o cheirinho nas últimas cinco rodadas? Nem a pau, Juvenal!

Jango, você colocou que o flamerd@ ira ganhar todos os jogos? Eu acho que não ganha nem do Santos.

No ano de 2019 vai completa 20 anos da conquista da Libertadores, chama Marcos, Arce, Junior Baiano, Klebão ( Roque Junior ) Junior, Galeano, Cesar Sampaio, Alex , Zinho, Oseas, Paulo Nunes , Evair e Euller e do lado do Deportivo Cali traga o Zapata e o Dudamel pelo menos e faça um jogo comemorativo no Allianz Parque , dia 16 junho de 2019 aproveita que o Felipão tá morando em São Paulo, garanto que vai lotar o Allianz Parque.
Com esses jogadores e treinador a Libertadores no ano que vem, só se for de playstatiion.

É capaz do nosso treinador colocartrês volantes no jogo comemorativo…

Vai colocar três volantes e terminar o jogo com Júnior Baiano de atacante pra usar a “casquinha”…

Poderiam aproveitar o embalo e fazer outra partida-homenagem. Em dezembro do ano que vem vão se completar 40 anos que goleamos o Flamengo de Zico e cia. no Maracanã. Seria uma reunião dos veteranos daquela partida inesquecível (dentre os que ainda estão entre nós, pois alguns já partiram…) para enaltecer uma época em que o Palmeiras, mesmo com jogadores medianos e sem patrocínio milionário, entrava em qualquer estádio do mundo pra jogar bola e enfrentar seu adversário sem medo nem covardia.

Kkkkkkk com certeza, Aroni. O volante de 99 era o Rogério pedalada , o Galeano jogou no time de 2000. Acho engraçado o Felipão barra o Pierre em 2010 alegando que o camisa 5 não tinha saida de bola, o Thiago Santos tem o que ?

Os jogadores do SPFW derrubaram o treinador. Na comemoração do gol de empate o Nenê xinga o assistente do Aguirre.

O cara fez desse time líder por várias rodadas contanto apenas com dois paneleiros. Diego Souza e Nenê. Jogador brasileiro gosta de moleza. Por isso um monte bate e volta na Europa.

O treinador que levou o time medonho do Penarol a final da Libertadores, e tirou cada gota de leite das pedras que tem no SPFC foi demitido pelos “diferenciados” Raí, Lugano e Ricardo Rocha. Se o Wenger fosse brasileiro hoje estaria dirigindo algum time da Série C. Mas como é europeu hoje é cotado para dirigir o Milan. Precisamos aprender a enxergar e gerir futebol de forma diferente. E torcer também. Entender o que é uma boa temporada, um planejamento de curto e médio prazo, e não jogar fora sementes bem plantadas que darão frutos por força de opiniões alheias. Parar de ir na onda de “jornalistas padrão Bozo” ou daqueles como o Mauro César Pereira ( que eu considero sério e bom) que vê tudo que existe na Premier League como incrível , e aqui nada presta. E ontem teve um ataque de flamenguismo e quase sugeriu que faltou uma “pressaozinha mais forte” da torcida sobre os jogadores do Flamengo. Aliás ontem ele também foi um dos que bateu mais forte no Aguirre. Na Europa tem que se dar tempo ao projeto. Aqui 6 meses são suficientes para que tudo não preste. Existe um meio termo. Nem ficar 20 anos com um treinador ganhando quase nada, mas saber ler um trabalho que está no caminho certo e que com bons jogadores daria resultados, como era o caso do Aguirre. O problema no Brasil não são técnicos e jogadores, mas sim a insegurança profissional que mata a criatividade, as tentativas de inovações, o estímulo à habilidade e improviso que mata o potencial de jogadores diferenciados já na base.

Quem demitiu o Aguirre (que de fato tira leite de pedra mas que está a anos-luz de distância da competência de um Gallardo) foi o Leléco, o “triunvirato” de ex-jogadores nem sabia e só foi comunicado após a decisão ser tomada.

O Wenger no Brasil poderia treinar o Flamengo ou o Corínthians que fosse, implantando uma filosofia de posse de bola e trocas rápidas de passes. No primeiro empate com um Bonsucesso ou um Água Santa da vida num estadual inútil seria fritado porque aqui só interessa “contar taças”, dane-se a qualidade e o projeto. Enquanto não mudarmos esse conceito (a começar por nós, torcedores), continuaremos nos 7×1 dentro e fora de campo.

Sobre o Mauro Cézar, é dos poucos jornalistas esportivos sérios deste país, mas como todo “mortal” desse segmento tem um time de coração por cuja paixão muitas vezes é traído em seus comentários. A Premiere League tem defeitos, mas é impossível estabelecer qualquer nível de comparação com o que existe aqui, então é melhor nem tentar.

E, embora numa escala bem menor que dirigentes incompetentes e empresários gananciosos, jogadores e técnicos também têm culpa pelo baixíssimo nível de nosso futebol. A esmagadora maioria de “professores” por aqui reclama das condições de trabalho, mas em lugar algum do mundo ganham salários de protagonistas para serem preguiçosos e burocráticos em 90% do tempo. E jogador moderno tem tempo pra escrever mer.da em redes sociais, pra aparecer cada semana com um carro, um penteado, uma tatuagem e uma namorada diferente, mas “perder” uma hora por dia treinando falta e pênalti não dá. Não são os cavaleiros desse apocalipse, mas pouco fazer para evoluírem.

Será que se trouxer o Benedetto, ele começa a dar caneladas na bola assim que chegar? Apesar de que ele está em evidência, e é mais provável que vá jogar na Europa.

Dava pra terminar o primeiro tempo vencendo, se a qualidade nas finalizações fosse maior. Um ótimo começo de segundo tempo, mas a opção do Felipão pelo Thiago Santos, na prática, acabou chamando o Atlético pra cima, e aí levamos o gol. O pênalti me pareceu mais sorte de campeão, daquelas coisas que acontecem quando tudo tá dando certo. Vamos assim até o fim, com o pragmatismo do Felipão, jogando no erro do adversário. Que seja suficiente.

Corrigindo: 5 jogos em casa! Eu, que sou de Londrina, não vou estar na cidade. Mas tenho certeza que no estádio do Café só terá Palmeirenses.

Não ponho a mão no fogo pela palavra de ninguém que trabalhe ou esteja ligado ao futebol, no Brasil ou no mundo, mas o Ceni afirmou que com o Leléco na presidência ele não trabalha mais no SPFC.

Duvido que volte, depois do que fizeram com ele. Se voltar, será um tremendo idiota. Se bem que é capaz do Fortaleza tomar três ca.cetes nas três primeiras rodadas do Aszão19, e ele ser trocado pelo Claudinei.

Me falaram que o Bambi vai atrás do Carille. Eu acho difícil tirá-lo da Arábia.

O Grêmio vira o placar no último lance da partida com um frangaço do goleiro do Vasco, os Bambis (que começaram o ano como grandes candidatos ao rebaixamento) caem fora do G4 mas ainda têm uma boa margem para pegar a pré-Libertadores, e o até outrora “clube diferenciado” do Jardim Leonor demite o treinador faltando seis rodadas para o campeonato terminar. Esse é o nível do nosso futebol, com planejamento zero, times medianos (há vários anos) levando títulos e os “melhores jogadores de todos os tempos da última semana” amarelando em momentos-chave.

Pra mim os rebaixados serão, além do Paraná que já caiu: Chapecoense, América (já disse uns três posts atrás) e
o Vasco (se o Palmeiras não entregar)

Os comentários estão desativados.