O maior treinador de todos os tempos

Por Vicente Criscio

O que define o “maior treinador” de um clube de futebol? O número de vitórias? O número de títulos? O tempo que permaneceu no cargo? Sua identidade com o clube?

Ou o número de jogos que dirigiu o time?

Em mais dois jogos que o treinador Luiz Felipe Scolari sentar no banco palmeirense ele irá igualar-se com Oswaldo Brandão, o velho mestre, em número de partidas oficiais dirigindo a SEP (a fonte é o Data3VV – 3vv.com.br).

Vejam o quadro abaixo:

Número de partidas em campeonatos e torneios (exclui amistosos)

Fonte: 3vv.com.br

Brandão dirigiu o time do Palmeiras por 13 anos, intercalados em 4 passagens. De 1945 a 1948. Depois de 1958 a 1060. Depois de 1971 a 1975 (época da 2a academia). E uma breve passagem em 1980. Foram 585 jogos contando competições (campeonatos e torneio comemorativos) e amistosos.

Felipão está em sua terceira passagem pelo Palmeiras. São 8 anos. O número de jogos total (competições mais amistosos) é de 473. 115 partidas a menos que Brandão.

Soma de partidas dos 5 maiores treinadores da SEP (considerando jogos em competições, torneios e amistosos); fonte: www.3vv.com.br

Mas olhando apenas os jogos em competições, Felipão está perto de bater a marca de Brandão: faltam dois jogos para igualar.

Nosso querido historiador e colunista do 3VV Jota Christianini comenta sobre esse número de amistosos: “Na época de Brandão tínhamos menos campeonatos e os times precisavam jogar. Era comum termos muitos amistosos. Hoje em dia são muitos e longos campeonatos“.

Felipão irá fazer uma marca. É querido e respeitado por muitos. Mas não é unanimidade nem mesmo entre os palmeirenses. Sofre críticas pelo seu estilo de jogo pragmático. Traz a marca dos tais 7×1. Outros ainda preferem a juventude de novos treinadores. Felipão passa por tudo isso com seu estilo “dando de ombros”. Enquanto muitos latem, o treinador mostra no campo com vitórias. Até agora são 32 partidas invictas no Brasileiro, melhor ataque, melhor defesa, e uma capacidade quase única de controlar um elenco milionário e cheio de estrelas e personalidades fortes. Além disso, sob sua batuta nos 8 anos que esteve no clube, foi bi campeão da Copa do Brasil, campeão da Libertadores, campeão da Mercosul, e Campeão Brasileiro de 2018. Não é pouca coisa!

Felipão passou pelo paraíso e inferno do futebol. Colecionou vitórias dramáticas e derrotas marcantes. Traz as cicatrizes das batalhas que passou e isso o deixou mais forte. Palmeirense, reconhece sua paixão pelo clube. Como esquecer a banana para aquela torcida nos penais da Libertadores do ano 2000?

Felipão é isso. Emocional, torcedor, humano e com isso passível de erros, mas um símbolo do Palmeiras. Poderá dirigir nossa equipe tranquilamente por mais dois anos e com isso irá superar Brandão em todos os números.

Por enquanto estamos prestes a ver uma marca digna de nota. Felipão será o treinador que mais dirigiu o Palmeiras em competições oficiais na partida contra o Vasco da Gama. Coincidentemente o Vasco de Vanderlei Luxemburgo, o terceiro treinador que mais dirigiu a SEP, e que também deixou sua marca na nossa história em 1993-1994 e 1996. Feliz coincidência.

Todas as homenagens ao nosso querido Felipão. Que seja reconhecido mais uma vez pela diretoria e por nossa torcida! E que tenha vida longa na SEP.

Saudações Alviverdes!

Posts antigos, Por Onde Anda, e Links Patrocinados