Opinião: nossos erros

Parece que a temporada 2019 acabou. Libertadores encerrada pra nós faz tempo. E o Brasileirão é apenas questão de tempo.

Mas inegável que pro palmeirense o título deste sábado pro Flamengo teve um sabor amargo. Por que eles e não nós?

Diante de várias teorias conspiratórias ou apocalípticas sobre a queda do time pós Copa América, eu trago uma visão menos pontual e mais ampla sobre nossos erros.

“Nossos erros”. Coloco no plural nem sei por que… mas vamos lá. Óbvio que essa leitura é pessoal e como é uma mera opinião, como sempre, posso estar errado.

Existe no Palmeiras (e na figura de muitas pessoas lá dentro) que “dinheiro resolve tudo”. Não sei precisar quando começou. Talvez na era Mattos (lembrando que Mattos foi contratado por Paulo Nobre).

De certa forma essa tese podia ser metade verdade. Se você gastar bastante vai contratar um monte de jogadores. Os outros times não conseguirão acompanhar e portanto você formará um time melhor que os outros.

Foi assim em 2016, 2017, 2018… entretanto, como tudo que é meia verdade, também é meia mentira.

O futebol brasileiro caminha velozmente a ter apenas dois grupos de times. Os protagonistas:

  • Palmeiras foi o primeiro a se destacar, com arena, patrocínio milionário, receitas equilibradas, e com isso títulos e círculo virtuoso);
  • Flamengo, o candidato natural, apesar da ausência de estádio próprio;
  • Corinthians, o terceiro candidato, está com seus problemas pós-Lula-Odebrecht;
  • E o SPFC, o último candidato, sofre com seus problemas internos.

Eu dizia dois grupos. Os demais serão coadjuvantes. Terão que vender jogadores para compor renda. Ou subirão e cairão. Sorry Inter, Grêmio e demais. Talvez uma Copa do Brasil de vez em quando seja o seu prêmio.

Logo, o que se esperava do Palmeiras por ter largado na frente pós a pseudo reorganização (que nunca houve, diga-se de passagem) em 2013-2014? Ter um plano para conseguir a hegemonia do futebol brasileiro nos próximos 10 anos. Atingir o patamar de R$ 1 bilhão de reais em receitas. Ser protagonista em títulos no Brasil e América Latina. Ganhar Libertadores e participar do título mundial.

E desenvolver projetos para isso. Seja nas categorias de base (parece que foram feitos, mas diferente de servir de fonte para o time principal, é usada para vender jogador para o mercado secundário da europa/ásia).

#SóQueNão

Na gestão PN nunca houve nem planejamento nem profissionalização. Tudo era decidido entre o Presidente e Brunoro (depois Mattos). Deu no que deu.

Depois, a sequência foi a mesma. Mattos continua mandando. Contrata a seu critério. Pior. Agora tem o departamento médico na sua mão. Assim nossas contratações continuaram (aparentemente) com o modelo “quanto mais jogadores, melhor”. Priorizamos jogadores caros mas sem qualidade. Que não vieram para ser titulares. Mais ainda. Contramos treinadores para serem escudos de dirigentes (Cuca, Felipão, Mano) e não treinadores que pudessem trazer algo de novo para o futebol ou explorar jogadores que em tese eram talentosos (afinal, Scarpa é ou não talentoso? E Lucas Lima? Se não são, por que custaram os olhos da cara?).

Gastamos mal. Muito mal. Carlos Eduardo, Felipe Pires, Ramires, … a lista é longa… contratos de 4 anos …

Enquanto isso, olhemos por um instante a grama do vizinho.

Mal sabemos o nome do “Mattos” de lá.

Sabemos que a diretoria foi montada a partir de pessoas de mercado, se lixando para temas ligados à política interna.

As contratações seguiram critérios técnicos, e que buscaram titulares absolutos.

Usaram garotos da base.

Os resultados aí estão.

Ganhar ou perder é parte do futebol.

Perder do jeito que foi 2019, para quem tem o orçamento da SE Palmeiras, não é do futebol.

Saudações Alviverdes!

15 Comments Added

Join Discussion
  1. Gustavo Aroni 26/11/2019 | Responder

    Tudo isso que você falou aí, a já falo há uns 300 posts. A ficha está coneçando a cair agora. Qualidade e não quantidade. Foi isso que o ex-cheirinho fez. Contratou jogador, não aposta (talvez o Gérson, a única). Empurrou os meias-bocas pros outros e complementou com a base. E trouxe um técnico que não tem medo de jogar pra ganhar.

  2. Será que tudo o que acontecer no clube é culpa do Mattos? E aquele time de 33 rodadas sem perder, o que aconteceu?
    Tivemos erros cruciais com Felipão, mas ele fez a parte dele colocando o time nas semi finais. Mas ela jogadores, esqueceram de jogar futebol depois da fatídica parada da copa América. Isso é culpa do Mattos?
    Entramos na onda da imprensa achando que tiamos o melhor elenco.
    Erros ocorreram , mas precisamos apresentar soluções coerentes e pelo dinheiro que possuímos haver um diferencial. Não é possível que ficamos nesse Titi interno ainda.

  3. AugustoBH 24/11/2019 | Responder

    Concordo 100%. Sou um reles torcedor e mora longe e posso ir a poucos jogos por ano. Mas sempre q dá, compareço. Tudo isso dito, o q gostaria d saber d vcs q estão por dentro dos bastidores: 2020 vai ser isso msm??? Com Mattos, Mano e esses msm naipe de contratações q foi em 2019??? Não é possível… será + 1 ano jogado no lixo. E q se atentem no Palmeiras ao cenário de terra arrasada deixado pelo Mattos no cruzeirim… Palmeiras será o próximo?

  4. Renato 24/11/2019 | Responder

    Tentando assimilar aqui algumas afirmativas, como por exemplo, que temos o melhor elenco do Brasil.
    Jesus Cristo, esse time que está jogando agora contra o Grêmio seria massacrado contra o Flamengo na libertadores.

    • Paulo 24/11/2019 | Responder

      Renato, não só do Flamengo. Iríamos perder novamente de Boca e Do River. Futebol brasileiro é fraco em relação ao futebol Argentino. Calendário deles permite jogar a mesma libertadores em momentos distintos. Primeira fase eles jogam para classificar e na segunda contratam para ganhar a libertadores e vender depois para ganhar dinheiro. Flamengo esse ano fez isso. Ano que vem, monta um time para primeiro semestre bom e meio do ano reforça para ganhar libertadores. Final do ano vende tudo.

  5. Philipe Frois 24/11/2019 | Responder

    No sub 20 o Palmeiras conquistou hj o tri campeonato no paulista. Depois de perder o primeiro jogo por 2×0 , conseguiu a virada hj cedo metendo 3×0 com 2 gols do Gabriel Verón. Os dois últimos gols ainda saiu com o time com 1 jogador a menos . É o q nos resta, ter um pouco de esperança na mulekada da base porque se ficarmos dependendo da “competencia” dos que comandam a SEP estamos f.u.d.i.d o.s. E se eles não souberem usar alguns da base como o Verón, vamos acabar vendo alguns meninos daqui arrebentando e sendo campeões em outro lugar.

  6. Marco Ribeio 24/11/2019 | Responder

    Não vejo nada mirabolante. O Flamengo não tem segredo de sucesso mas o Palmerais tem o segredo do fracasso. O que precisamos mesmo é de um ajuste de contas e explicações das contratações absurdas de Carlos Eduardo, Felipe Pires, Ricardo Goulart e Ramirez. Mattos orecisa sair pois vai deixar um prejuízo de anos ao nosso time. Tem gente falando em investir em 2020 mas esqueçam. O Mattos já quebrou o Palmeiras como fez no Cruzeiro.

  7. Reynaldo Zanon 24/11/2019 | Responder

    Concordo quanto à inevitável hegemonia de alguns poucos clubes no futebol brasileiro. Palmeiras e Flamengo são os óbvios protagonistas desde já. Será inevitável grandes embates com eles o tempo todo. O SCCP também será parte dessa elite se e quando se livrarem da enrascada em que se meteram com a construção do Itaquerão. Não vejo mais nenhum clube com potencial para entrar nesse seleto clube dos protagonistas. Para o ano que vem a primeira providência do Palmeiras deve ser trocar o técnico. O Mano Menezes (embora não seja de todo ruim) não está à altura do técnico português do Flamengo. Sampaoli (de preferência) ou Renato Gaúcho são as opções. Não podemos vacilar. Mas o lento Galiotte ainda deve estar pensando. Mexa-se Galiotte! Ou continuaremos assistindo ao Flamengo comemorar!

  8. Concordo com tudo que foi exposto, ou seja, ou se muda a maneira de pensar o vulgo “modus operandi” ou vamos continuar gastando muito e conquistando pouco. Simples assim.

  9. Levi 24/11/2019 | Responder

    Começar 2020 com Mano, já é começar com atraso.
    No meio do ano vira a conta desse atraso.

    Coragem será ter Renato Gaucho ou Sampaoli
    Renato sabe pescar boas orcas da base.
    Gambás já pegaram um treinador com boas ideias para 2020.

  10. Renato 24/11/2019 | Responder

    O Palmeiras teve tudo nas mãos de 2016 para cá de exercer uma hegemonia no futebol brasileiro e sul-americano.
    Não aproveitou essa oportunidade.
    O que Paulo Nobre construiu, Galliote destruiu.
    O Flamengo não. Bandeira de Mello deu o start da mudança e o atual presidente deles foi ousado e corajoso e agora está colhendo os frutos.
    No meu ponto de vista, acho que o Palmeiras entrará num novo ciclo de fila e o Flamengo dará as cartas no futebol brasileiro e sul-americano.

    • Cesar 24/11/2019 | Responder

      PN que nos doou o Barcos por cinco jogadores que nunca chegaram, que levou 6 do MiraSun e Goias, nos rebaixou moralmente em 2014 e sumiu?

  11. victor 24/11/2019 | Responder

    Ou seja, o Palmeiras perde pra ele mesmo. Uma autofagia triste.

Leave Your Reply

Posts antigos, Por Onde Anda, e Links Patrocinados