Categorias
Brasileiro 2020 Resenha dos Jogos

Brasileiro 2020 Palmeiras 1×1 CAG: treino razoável

O Palmeiras entrou em campo para treinar contra o Atlético GO. 1×1. Gol de Viña ainda na primeira etapa.

Abel Ferreira fez testes com a formação da equipe. No primeiro tempo vimos algumas jogadas rápidas e triangulações.

No 2o tempo os jogadores foram sendo substituídos. Wesley voltou depois de longa parada. O ritmo caiu. No final o resultado ficou no 1×1.

Ninguém se machucou. Essa é a boa notícia.

Próximo treino, 5a feira em Belo Horizonte. O jogo pra valer é domingo.

Saudações Alviverdes!

112 respostas em “Brasileiro 2020 Palmeiras 1×1 CAG: treino razoável”

E tem uns sabichões iludidos que acham que não tem favorecimento para os gambás dentro da FPF.
Por que será que é o único campeonato que levam vantagem no histórico de número de títulos?

Coloca o sub 15 para jogar o Paulistinha. Portuga contra o Grêmio Luan e Marcos Rocha não, não não. Outra coisa o Danilo tem que ser titular ao lado do Patrick neste meio de campo. Deixa o “pitbul” para depois. Barrozzzzzzzzzzzzzzzzzzzz, cadê os reforçozzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz?

Isso ae
#luanemarcosrochanão
Jogar com o marcos rocha é pior do que jogar só com 10. Ele é morto e mata outro jogador para cobrí-lo. É só ver o que passou o Gabriel Menino contra o Tigres

E a FPF recusou o pedido do Palmeiras para que o clássico fosse marcado para depois das finais da Copa do Brasil. Ter a Federação como inimiga do Palmeiras e que favorece o Apito Amigo é uma vergonha. O presidente Reinaldo Bastos deveria ir todo dia à Federação com a camisa do Corinthians, seria menos hipócrita e o Palmeiras deveria pedir licença e não disputar o Campeonato Paulista.

Já era esperado, lembra em 99, que tivemos que jogar a final do paulista entre os dois jogos da libertadores? Jogamos com os reservas e os gambás encaminharam o título. A FPF é um lixo e o Palmeiras não tem Presidente. Se tivesse ele já estaria vociferando e fazendo escândalo na mídia. Se ele tivesse peito inscreveria no paulista o time B e a garotada da base. Infelizmente não tem. Nesse ano sem intervalo entre as temporadas, se usássemos o período do paulista para treinos o time chegaria mais forte ao final da temporada. Mas com o fraco Galiotte isso é impossível.

Pois é, Brasilaroni (espero que não mude pra paulistinharoni a partir da semana que vem…), contra esse time do lixão até o Lucas Lima joga, se quiser…

Não entendo muito o povo daqui… O Paulistinha é uma bo$t@, só serve pra atrapalhar o calendário e contundir jogador pra campeonatos que realmente são importantes. Pra quem precisa desesperadamente de um título como o SPFC, ou necessita desviar a atenção de fiascos (pra quem prefere, pode chamar de vexame, mas os “sabichões espertos” ficam melindrados, então…) como o de Doha, pode ser a salvação do ano, gera alguns dias de memes e zueiras no whatsapp depois todo mundo esquece.

A FPF está dando um tiro no próprio pé, esvaziando o produto dela, que quase ninguém vê e com o qual a televisão nem se importa mais. O bananão da nossa presidência é que já deveria ter dado uma banana pra esse campeonato de várzea, se ficarmos em último e cairmos pra série A2 vamos matar saudades dos jogos na Rua Javari à tarde sem iluminação e em Ulrico Mursa, afinal o que importa só é resultado e placar, e pra isso teremos Brasileirão, Copa do Brasil, Libertadores e quem sabe até Mundial pra contabilizar, o resto é falta de assunto.

A pergunta que devemos fazer pra nós mesmo é:

É melhor ficar feliz quatro ou cinco vezes por ano, comemorando eventuais (e não abundantes) titulos

Ou é melhor ficar feliz toda semana, porque seu time empolga e joga bem?

Ser campeão é ótimo, mas eu quero me divertir no percurso, não quase morrer de sono ou sufoco.

Vou responder, mas é só uma opinião!
Devemos sempre cobrar e buscar o melhor futebol até porque isso normalmente, mesmo que a longo prazo, propicia títulos.
O ideal são os dois, mas não consigo me empolgar sem títulos.
Um dos meus maiores traumas esportivos é a copa de 82 onde aos 8 anos me empolguei muito, mas a decepção foi maior e inesquecível!
Então volto a dizer: o ideal são os dois, mas o mais importante sempre serão as conquistas!
Prefiro muito mais a vitória da libertadores de 2020 com time mediano e sufoco em alguns jogos do que o futebol maravilhoso que jogamos em 94 e perdemos a liberta para as gazelas!

Concordo com vc, LGO! Títulos são inesquecíveis e bem melhor que bom futebol sem conquistas.

Mas temos que concordar que se tivéssemos um bom futebol quase todo jogo, teríamos mais chance ainda de ser campeão sempre.

Prefiro mil vezes bom futebol. Quando a gente só se preocupa com o título, é porque a gente se descolou da realidade do esporte em si, e começou a ficar neurótico com brincadeiras de adversários, aí só importa o título pra poder esfregar na cara deles. Não que isso seja ilegal, mas é só uma parte da equação, não pode se tornar toda ela.

Sem contar que, futebol bem jogado, eventualmente vai te levar a títulos.

Outra coisa, pontos corridos ajudam a matar também, o futebol. As pessoas acham o campeonato mais justo, e isso não é verdade. No começo do campeonato, todos times estão tentando alcançar algo, quando o fim do segundo turno se aproxima, já tem times em meio de tabela seen querer nada com nada, times já rebaixados, times com a confiança no talo, dependendo de sua tabela nesse momento, você vai ter mais facilidade/dificuldade que a tabela de outros. Quando o final era em mata mata, todas as e equipes naquela etapa, estavam tentando seu melhor pra ser campeão. As finais eram muito mais marcantes, o campeonato mais emocionante.

Então junta o futebol ruim, um modelo de campeonato moroso, injusto, e a receita dá em jogadores desinteressados, cumprindo tabela, nem me dei ao trabalho de assistir esse jogo contra o CAG, e me arrependo muito de ter ficado acordado pra ver o triste choque rei.

Nós anos 90, os jogos tinham clima de aventura, de guerra. Hoje, parece um museu de cera, uma pálida imagem do que deveria ser pois emoção. Ainda tem um ou outro momento, mas o bom futebol respira por aparelhos…

É óbvio que ê melhor ser campeão. Já ser campeão jogando bem às vezes é possível, outras vezes não, mas o principal é levantar a taça, porque além da alegria, fica na História, se eterniza. Imagine o Palmeiras ter feito uma partida espetacular na final da Libertadores da América, mas o Santos tivesse vencido por 1 a 0. Além da imensa frustração, nós continuariamos com apenas uma Libertadores da América na História. Tem que ganhar a taça, se possível, jogando bem, senão, está valendo da mesma maneira.

Mas vc não acha que se jogassemos um futebol melhor, teríamos mais chance de ganhar outras libertadores sem precisar esperar mais 20 anos?

Ou vc acha que com esse nível que temos hj, somos favoritos pra libertadores desse ano?

Sim Thom, claro que quanto melhor o futebol, maiores as chances de conquistas. Mas de nada adiantará grandes exibições se sempre fracassar nas decisões. O debate que está havendo no blog – de que haverá poucos clubes realmente grandes no Brasil – vale também para a América do Sul. Na Argentina, River Plate e Boca Juniors se “descolaram” dos outros três considerados grandes, eles se agigantaram. O Palmeiras se mantendo no seleto grupo dos gigantes (do Brasil e da América), não demorará outros vinte anos para ganhar a Libertadores. Acredito que iremos ganhar várias nos próximos anos, inclusive somos candidatíssimos à conquista da desse ano. O futebol vai voltar a melhorar e teremos reforços e ainda jogaremos como os atuais campeões. Tudo isso tem peso.

Acho bem difícil ganharmos quatro ou cinco títulos num único ano (nesta temporada, por uma série de fatores, até dá) ou jogarmos bem toda partida – nem o Bayern e o City atuais ou o Barcelona do início da década passada (pra não citarmos o melhor Palmeiras que eu vi, o de 93/94) conseguiram – mas continuo acreditando que dá pra encontrar um equilíbrio nessa equação que deixe, senão todos, pelo menos a grande maioria satisfeita.

A questão, meu caro Thom, é que pra muitas pessoas não adianta apresentar esse tipo de discussão, pois elas não conseguem formular o menor argumento que não seja maniqueísta, ou seja (no nosso contexto), ou você é palmeirense “de verdade” e tem que achar tudo maravilhoso, sem direito a crítica ou a qualquer tipo de questionamento e encampa a tese “Perseguidos sem dó desde 1914” ou é um gambá enrustido que não entende de futebol. É o tipo de pessoa que só vê, lê e entende o que quer, não importa a enxurrada de fatos que se apresentem diante dela. Quando olha para uma tromba de elefante, enxerga um pescoço de girafa porque acredita piamente que elefantes não existem.

Assim como torcedor é basicamente igual no mundo todo, o futebol apresenta ciclos em todos os lugares. Ou quase todos, se considerarmos a Bundesliga e a Serie A Tim, nos quais a briga tem sido há quase uma década do segundo lugar pra baixo. Mas mesmo na nossa pobre realidade brazuca e sul-americana, dá pra conciliar o prazer de ver um bom jogo com a alegria e a euforia de ser campeão com maior regularidade e qualidade. Isso tude depende, no entanto, de alguns pré-requisitos que o Palmeiras ainda não tem.

Um dia Yoda você comentou que eu estava “me achando” por questionar demais alguns comentários, só que há tempos você utiliza esse discurso de que os que não concordam com você são “fanáticos”, “seletivos” , “sem argumentos” , “construtores de obras prontas” e do time “perseguidos sem dó desde 1914”.
Acho que é rotular demais as pessoas e até certo ponto uma forma de preconceito.
Se as pessoas não tem poder de argumentação pode ser por uma série de motivos e todos deveriam respeitar. Afinal isso é democracia!
Sugiro dois caminhos: contra argumente com todo seu maravilhoso poder de argumentação (segundo você próprio) tentando mostrar novos caminhos e o segundo caminho é descartar e respeitar.
Quando você me criticou mesmo não concordando tentei entender o porque te passei essa imagem e tentei melhorar.

É sua opinião, meu caro LGO. Deve ser respeitada. Eu só não fico desesperado com quem critica o Palmeiras, como você faz. Dá a impressão que estamos cometendo algum crime, ou que seremos “cancelados” ou agredidos na rua caso alguém saiba disso.

O curioso é que você usa frequentemente o argumento “a grama do vizinho é sempre melhor e mais bonita” quando algum palmeirense faz referência a algum mérito que venha de outro clube, mas não hesitou em valorizar o comportamento da torcida corintiana em relação aos títulos dos gambás, só pra depreciar algumas críticas aqui contidas, ou seja, a incoerência será, em algum momento, um “privilégio” de todos que postam no 3vv. Meu, inclusive.

Admiro muita gente que escreve aqui. Só pra citar duas pessoas, adoraria por exemplo ter a tranquilidade do Gustavo Aroni e a lucidez do Thom (e já divergi com ambos algumas vezes) para alguns assuntos e provocações que eventualmente são feitas, mas um dia quem sabe chegue lá. Tinha um mala que escrevia no 3VV (graças a Deus, sumiu), que usava um nick curto, para o qual o culpado de todas as mazelas do futebol era o Aroni, e me divertia muito com as respostas dele.

Fico “lisonjeado” pela citação ao meu “maravilhoso poder de argumentação”, mas é você que está dizendo. Nunca “me achei”, também usando suas palavras, afinal não estou imune a cometer erros nas minhas observações. Aliás, minhas opiniões são só isso mesmo, opiniões. Procuro sempre apresentar argumentos e evitar a danosa “indignação seletiva”, pois não tenho compromisso com aquilo que acho errado, mas isso não significa que eu nunca erre, pelo contrário. Por outro lado, os debates no 3VV não precisam girar em torno apenas de quem está certo ou errado. Cada um tem sua forma de torcer, e todos a favor do Palmeiras. Só não espere da minha parte argumentações rasas, do tipo “você é gambá”, “fomos roubados” ou algo na linha da “versão oficial dos fatos”, pois vai perder seu tempo.

Em hipótese alguma fico desesperado com críticas ao Palmeiras.
Sem críticas não há crescimento, porém elas precisam ser construtivas e na hora certa, o que muitas vezes não ocorre por aqui.
Já com relação a incoerência fiquei até feliz, pois usei uma vez esse texto “o jardim do vizinho é mais bonito” e você não esqueceu. As vezes, infelizmente, e involuntariamente, posso cometer incoerências. Que bom que essa incoerência não ocorreu quando eu ANTES da final da libertadores “discuti” muito aqui no blog com você, Aroni e outros sobre as grandes limitações de Marinho e Soteldo, inclusive com bons fatos e dados, e desde então essa limitação já evidente para mim ficou mais explícita ainda para todos.
Quanto ao seu “maravilhoso poder de argumentação”, tirei das suas palavras quando disse ao Thom que “não adianta apresentar isso aqui, pois a maioria não tem poder de argumentação” como se só você e o Thom o tivessem.
É por esse tipo de postura que pedi ao meu filho Arthur que parasse de escrever aqui no blog.
Como um criança de 10 anos pode acabar sofrendo esse tipo de preconceito, já que com essa idade é natural que não tenha todo o poder de argumentação exigido por vocês! Ainda mais que ele ainda está com a emoção lá encima pelo título da libertadores.
Mas encerro esse tema por aqui de minha parte, pois também não gostava daqueles comentários agressivos de um bloguista citado por você!

O que acho curioso é todos nós aqui queremos exatamente a mesma coisa: que o Palmeiras nos de alegria.

O problema é que tem muitas pessoas que sempre serão infelizes, independente de conquistas ou futebol bem jogado. Nunca estarão satisfeitas e farão o discurso dos rivais invejosos.
Exigem perfeição a todo momento, provavelmente muito diferente do que acontece em suas vidas.

Quando você exige perfeição de alguma coisa, é porque você gosta tanto daquilo, que quer que seja o melhor do mundo.

Muitos aqui viram o Palmeiras ter times que entrariam pra história do futebol. Entendo que são novos tempos e que a realidade é outra.

Não estou dizendo que precisa vir um Edmundo. Mas os jogadores do Palmeiras precisam estar entre os melhores em atividades no país.

É ótimo ganhar como foi esse ano. Mas não é sustentável.

Não existem mais Edmundos, Rivaldos ou “Evaires” (rsrs) no futebol. Quem não se deu conta disso sofre um pouco mais, é verdade. Mas ainda assim dá pra ter mais prazer, alegria, futebol e títulos. Não todo jogo, não toda semana, não todo campeonato, mas dá.

O problema não é as pessoas adotarem discursos dos invejosos, a inveja só atinge quem assim o permitir. Uma das piores coisas que podem acontecer a qualquer pessoa é ela se acostumar com a mediocridade, com o “tá bom assim”. E o Brasil tem sido um retrato disso, ao longo das últimas décadas, em todos os setores – inclusive, o futebol.

Não acho tão difícil assim não, Yoda.

Nos últimos anos, só 3 times ganharam títulos de verdade. Palmeiras, SCCP e Flamengo. Os gambá já voltaram pra mediocridade, mas o Flamengo tem a mesma força que nós pra ganhar tudo o que disputar.

Perder títulos importantes pra eles é natural. Perder pros outros, da pra ser evitado sim.

Resumindo: bom futebol, via de regra, leva a títulos como consequência, principalmente em campeonatos de pontos corridos. Bom futebol, via de regra, leva a títulos como consequência, em campeonatos de mata-mata também, com a diferença que um time que não joga nada o ano inteiro, pode fazer um 3-0 num jogo de ida, e praticamente matar o confronto. Mas geralmente, a falta de bom futebol não leva a títulos.

E eu gosto do Palmeiras jogando bom futebol. Jogue bom futebol sempre, e títulos não faltarão.

Resumo nota dez. Um dos mantras recentes que mais abomino é o tal do “com sofrimento é melhor”. Sofrimento o c@r@alho! Se jogar futebol de qualidade, com organização, não precisa de sofrimento.

Essa questão remete a outra, a profissionalização da arbitragem, já muito comentada por aqui. Se melhorarem o nível do apito no Brasil, muitos dirigentes incompetentes dos clubes nacionais (a esmagadora maioria, por sinal) perderão uma das muletas que sustentam suas administrações pífias, que é a de transferir a (ir)responsabilidade, algo comum por parte de muito torcedor, aliás.

A outra muleta é a de tratarem clubes como se fossem padarias (com respeito aos profissionais dessa área) e não empresas gigantes com milhões de acionistas (os torcedores), que precisam gerar lucros e resultados (títulos) com qualidade e tecnologia (jogadores e comissão técnica de ótimo nível) e preço justo de acordo com essa qualidade (não privilegiar o acesso ao “espetáculo” para poucos) para um público amplo. Se fossem cobrados como os executivos das grandes empresas são, 95% desses dirigentes não completariam três meses de seus mandatos sem serem sumariamente demitidos.

Assino embaixo. Bom futebol traz muitos títulos, mas títulos não trazem, necessariamente, um bom futebol.

E sabemos muito sobre isso.

Mas também não se ganham títulos com mal futebol!
Se os ganhamos precisamos apresentar algo para isso. Pode até não ter sido muito, mas mal futebol não foi!

Claro que é possível ser campeao com um futebol ruim. Nós ganhamos a CdB em 2012 e caímos no mesmo ano.

Aquele time foi campeão. Era um bom time?

Não era um bom time, mas ganhou do favorito Grêmio lá no olímpico de 2×0!
E em casa empatamos de 1×1! Foram bons jogos. Se não tivesse jogado razoavelmente bem não passava.
Esse ano nosso time também não é grande coisa, mas apresentou bom futebol em alguns jogos!
Time ruim pode ganhar título sim, mas precisa se superar e apresentar algo além da sorte para poder ganhar!
Sem o mínimo de futebol não ganha!

Cara, penso eu que todo torcedor quer que o time vença jogos e títulos, e a maioria deles quer que o time jogue bem. Alguns não se importam de ganhar jogando feio. Mas não consigo entender a lógica de alguém preferir jogar bonito e perder. Ou seja, todos querem ganhar e alguns querem que para chegar a vitória o time jogue bem, sempre deixando claro que jogar bem não significa calcanhar, chapéu ou drible da vaca. Mesmo quem gosta do bom jogo vai gostar de ganhar títulos. Eu quero ver meu time jogar bem e acredito que assim fazendo os títulos serão consequência, principalmente em campeonato de pontos corridos. Como dizia o Tele Santana, não se trata de jogar bem OU vencer, mas de jogar bem PARA vencer. Mesmo assim, nunca vou deixar de comemorar um título, ainda que o futebol não tenha sido vistoso. Nunca vou cair na pilha da imprensa de desmerecer um título conquistado dentro de campo. E sempre vou querer que no próximo jogo o time jogue melhor que no anterior.

Acho que ninguém aqui defendeu em qualquer momento o binômio “jogar bonito para perder”, Paulão. Qualquer torcedor quer que seu time ganhe títulos, é pra isso que todo clube entra numa competição – ou deveria ser, pelo menos.

A questão é que ao minimizar os benefícios de se jogar bom futebol para se alcançar uma conquista, de uma forma talvez até inconsciente, adota-se uma postura de que “jogar feio dá taça”. Não dá. É exceção.

Alguns campeonatos são marcados pelas oscilações, como os de pontos corridos, enquanto os mata-matas permitem às vezes que uma única grande atuação em meio a tantas outras medianas ou protocolares levem uma equipe à decisão, e daí ao título. O fato entretanto é que, salvo raríssimas exceções, um time não é campeão sem que tenha apresentado um grande futebol em algum momento da sua campanha vitoriosa.

É por isso que disse e reafirmo que pra muitas pessoas analisar os meios-tons entre essa dicotomia “perder jogando bem” e “ganhar jogando mal” é extremamente difícil, parece que só existem os dois extremos e nada mais, fim de papo.

Tá saindo em alguns canais da mídia quem o Borré já está acertado com o Palmeiras, mas que chega só em junho. Tão falando em 25 milhões em luvas e 1 milhão por mês. Se for isso mesmo, vocês acham que a diretoria acertou? Borré chegaria pra resolver no sistema ofensivo? Ele é tudo isso mesmo ou pode se tornar um novo Borja? Esse negócio de acertar pra daqui 4 meses não desmotivaria ainda mais o já moribundo centro avante palmeirense na atualidade?

Olha Frois, eu acho que é muito difícil ele ser um novo Borja. O Borja se destacou em míseros 4 jogos de libertadores, ainda que tenham sido os últimos e mais importantes (semi final e final). E já tinha histórico de fracassos no exterior. Borré é titular do multicampeão River ha anos, ganhou títulos e marcou gols em anos e campeonatos distintos, já mostrou que camisas pesadas não o intimidam. Mas acho muito difícil que ele venha para o Palmeiras. Há muitos interessados e ele sonha com a Europa. Enquanto ele não assinar eu me mantenho indiferente, o river não quer perdê-lo de graça e os empresários estão tentando descolar uma proposta da Europa, ou mesmo forçar o river a igualar essa proposta do Palmeiras. Se vier eu acho ótimo, mas como disse não vou nutrir esperanças pra não ficar frustrado depois. Vamos ver.

Se vier, será uma ótima contratação. Mas se depender da regularidade e eficiência dos nossos meias e das ‘assistências” do Rony pra brilhar, vai passar nervoso, como de resto todos nós.

Acho bem engraçado algumas falas de torcedores do Palmeiras.
E ainda dizem que torcedor é tudo igual. Tá para nascer o torcedor do Curica que vai detonar o time como detonamos depois de uma temporada dessas. Como se a libertadores já tivesse sido ganha 5 ou 6 vezes. Aliás a única que havia sido ganha até então, e que eu também idolatro, foi nos pênaltis contra o fortíssimo Deportivo Cáli.
Comemorar títulos e cobrar melhora no futebol jogado são coisas distintas e deveriam ser feitas concomitantemente no nosso momento atual.
O pessoal aqui fala que futebol é importante e resultado nem tanto, mas basta uma derrota para o show começar. E não tem como “ganhar” essa discussão, pois o River quando perde gols como no primeiro jogo levou azar e foi atípico, e nós quando perdemos gols e até o jogo é porque nossos atacantes não prestam e merecemos a derrota. Quando perdemos com um erro pontual nossos jogadores são grossos e uma hora ia acontecer. Quando acontece com o jogador de outro time e nos beneficia só ganhamos porque demos sorte dele falhar.
Ao mesmo tempo que tem torcedor que só fica querendo ganhar para mandar mensagens, tem aqueles que não entendem absolutamente nada do clube e do futebol, que nunca passaram nem perto do clube e que esperam apenas esse momento para descarregar sua raiva (até pessoal) num blog como esse.
Ainda bem que não me encaixo em nenhum dos dois!

LGO, não sei a quem você se refere quando diz que “O pessoal aqui fala que futebol é importante e resultado nem tanto”. Pelo menos essa carapuça não me serve, pois na última postagem que fiz, mesmo, destaquei justamente o contrário, afinal considerando que “amadorismo” é coisa do século passado, não existe esporte sem resultado. Mas a tese contrária, isto é, que só o resultado é importante, o futebol que.se.fo.da, adotada por 90% dos torcedores brasileiros, de todos os clubes (inclusive os palmeirenses), apenas corrobora o que afirmei, a maioria nem acompanha jogos nem gosta de futebol, só gosta de saber qual foi o placar para zuar “amigos” no whatsapp e contar vantagens em redes sociais.

Sobre achar que torcedores de outros clubes endeusam todas as conquistas e apenas apoiam o time o tempo todo, convido-o a buscar os “3VV”s e grupos de discussões de torcidas rivais. Não que eu faça isso diariamente, mas já fiz e me diverti muito. Se tiver um mínimo de isenção e senso crítico e não for afetado pela indignação seletiva, como tanto imbe.cil faz por aqui, vai perceber que torcedor é sim tudo igual, no mundo todo, sempre acha que seu time é roubado e que as conquistas dos outros “são sujas” e outras baboseiras. Só muda a cor da camisa, e às vezes nem isso.

Enfim, é a minha opinião, só isso. Mas ela está embasada em fatos que são pouco ou nada contestáveis.

LGO, eu concordo com você. Devemos celebrar pra sempre essa temporada.

Mas eu e você e todos aqui queremos o bem do Palmeiras, não? Queremos ter os melhores jogadores possíveis, disputar como favorito o máximo que der.

Do jeito que está, todos aqui sabemos que vai ser bem difícil repetir o ano que tivemos. Por mais felizes e empolgados que fiquemos, sabemos que esse ano foi muito, mais muito complicado chegar onde chegamos.

Se a torcida fosse só esperança e felicidade, ainda estariamos com o Luxemburgo.

Obviamente, você está tendo problemas para fazer suas análises. A impressão que dá é que, se você se classificou, então foi épico e o time foi excepcional. Está esquecendo que muitas vezes, quem classifica não é o melhor, ainda mais em campeonato de mata mata, onde frequentemente um dia ruim, elimina uma equipe melhor. Só pra constar, em 2012, pra você, quem jogou melhor, curica ou Chelsea? Em 99, Manchester ou Palmeiras? Não caia na armadilha de passar pano, mesmo que involuntariamente. O Palmeiras não foi incrível, mas fez pro gasto, teve uma pitada de sorte, e alguns competência até a ida contra o River. Aí, o caldo engrossou e tomamos uma ducha de realidade, o time é muito fraco, e temos de comemorar muito sim, essa libertadores cair no nosso colo, porque fizemos muita, mas muita força pra não ganhar. E obvio, no Mundial, ficou escancarado o problema de ser campeão sem ter um bom time, não demos nem pro cheiro.

Que o time é limitado e precisa muito de reforços não há dúvida, mas é algo que alguns aqui não entendem e que utilizo muito até na minha vida profissional é que as vezes, por uma série de motivos, você não tem a melhor equipe, mas é fundamental você conseguir maximizar os resultados com essa equipe. O Palmeiras mesmo com time limitadíssimo conseguiu ser campeão sul-americano apenas pela segunda vez tendo na melhor das hipóteses pelo menos dois times melhores que nós e ainda jogando alguns (não muitos) jogos bons.
Não vejo nenhuma dificuldade nessa análise!
Como diz o Yoda isso é fato sem muita chance de contestação!

Palmeiras superou o Corínthians em tudo que disputou na temporada 2020.
Que vexame!

Se ganharmos a copa do Brasil também quero que todo ano seja como esse. Com muito “vexame”.

Nada disso, LGO, eu gosto de espetáculo, não me importo com taças erguidas.
A Copa de 1982 foi minha preferida. Show!
Tem também o timaço do Palmeiras de 1979. Eram só goleadas. Mas na hora de decidir deixamos pro timeco do Inter ganhar invicto, afinal de contas o que vale é o futebol arte.
A taça não me importo…

Você jura pra mim que não há diferença entre ser campeão e ser campeão jogando bem? Você tem a mesma felicidade e esperança de que não foi uma conquista isolada?

Claro que existe sim diferença!
Mas existe uma diferença muito maior em jogar bom futebol e não ganhar e jogar futebol regular e ganhar!

Agora me diz, qual Palmeiras que só ganhou o Paulista no ano, é mais lembrado, 2008 ou 1996? Só por curiosidade.

Lembro com tristeza, pois não ganhamos nada além do paulisteco e o time desmanchou rápido.

Exatamente!
Também tenho muita tristeza de lembrar alguns bons times que montamos e não chegamos nos resultados obtidos como os de 2020. E isso ocorreu várias vezes!
É só para responder lembro muito mais (assim como a história também) do time de 99 infinitamente inferior a 96 em futebol e qualidade, mas que levantou nossa libertadores, aliás único título daquele ano.

Tô lendo aqui que o Catar e a Austrália, que foram convidados pra jogar a Copa América, desistiram de participar.
Que vexame!

O São Paulo, oficialmente, está na mesma fase que o Palmeiras pegou de 2000 há 2014. Desde 2009 tão numa draga só. Só vão voltar a ter força quando caírem. E olhe lá.

E sobre o Palmeiras, a alegria de ganhar uma Libertadores nunca vai passar. Mas honestamente, eu não quero esperar 20 anos pela próxima.

O título não muda nada o fato de que esses jogadores são fracos, fazem partidas horríveis em 70% dos jogos. Nem todos precisam sair, mas não podem o nosso melhor. São coadjuvantes num elenco sem protagonista.

Não dá pra ganhar títulos passando raiva e vergonha. Não compensa e não tem graça, como torcedor.

Prefiro perder alguns títulos, mas que o time empolgue o torcedor todo jogo.

Análise perfeita, como na grande maioria das vezes, Thom. Seus dois últimos parágrafos, então, mereciam virar outdoors, de preferência fixados nas portas das casas de alguns “entendidos” que de vez em quando escrevem por aqui.

Nenhum palmeirense com um mínimo de bom senso vai querer fazer revolução armada com tochas e tacapes em frente ao CT da Barra Funda aos gritos de “Queremos jogador!” numa temporada em que, até aqui, o time do Palmeiras ganhou dois títulos e ainda pode levar mais três até abril (é importante salientar isso pois algumas pessoas mais limitadas só conseguem entender extremos – ou só damos vexames ou só damos shows – e não é nada disso). Daí a dizer que ver o Palmeiras jogar tem sido uma atividade prazerosa e que gera abstinência quando não acontece, há uma distância enorme.

O pior mesmo é ler aqueles óbvios da mediocridade – ou medíocres da obviedade – que só sabem olhar resultados (sim, futebol gira em torno dele, mas não é SÓ isso) e mal gostam de futebol, o objetivo é zuar rivais e distribuir memes em grupos de whatsapp. São esses mesmos idio.tas que por exemplo chamam Guardiola de produto de marketing, porque fora do Barcelona e sem o Messi o cara não ganhou Champions – como se fosse fácil e simples vencê-la, ou assim como acontece com a Libertadores a conquista também não dependesse de fatores imponderáveis.

Não precisamos de nenhum Guardiola por estas bandas do planeta, aliás jamais teremos, mas até um treinador mediano como o JJ (que deverá voltar ao Cheirinho) com um ótimo elenco já comprovou que dá pra fazer melhor. O Abel Ferreira é bom treinador e temos jogadores qualificados no elenco, mas uma hora a empolgação pela “glória eterna” vai acabar e precisaremos de outro tipo de magia pra continuar no topo – o que não significa vencer TODOS os campeonatos, mas brigar por eles com um padrão aceitável de qualidade até o final.

E pra quem ainda não entendeu a diferença, perder de goleada pro Bayern numa final de Mundial tentando vencer o jogo não seria vexame, ameaçar Tigres e Al Ahly esperando alguma obra divina que colocasse a bola pra dentro do gol, foi. Independentemente de placares ou resultados. Por mais que ter Mundial seja uma grife que pouco acrescentaria à grandeza do Palmeiras, que fique claro, mas alguns fatos são indiscutíveis.

“Tenho certeza que o Santos será campeão” – Andrés Rueda, presidente do clube litorâneo, antes da final da Libertadores da América.
“Tenho absoluta certeza que o Grêmio ganha a Copa do Brasil” – Romildo Bolzan, presidente do clube gaúcho nesta semana.

Na boa, Zanon, você imagina o Galiotte dizendo alguma coisa como “Vamos pra final da Libertadores, mas o vice-campeonato está bom demais!” ou “Chegamos à final da Copa do Brasil, mas quem deve ganhar é o Grêmio!”? Já tivemos presidente que falou em “matar Bambi” ou coisa do tipo, esses caras têm público específico quando falam essas coisas e não estão fazendo mais que suas obrigações. Falar até papagaio fala, eu quero ver é o Palmeiras jogar bola e não depender do imponderável pra levar esse título.

Quanto ao presidente do meu clube prefiro que não fale nada!
Se não chamar o azar no mínimo aumenta uma pressão desnecessária e que já existe na cabeça do jogador!
Ainda dá munição para o treinador adversário usar o tema na preleção!

Yoda, uma coisa é um presidente de clube se dizer confiante na conquista de um título, outra bem diferente, ê o que os presidentes do Santos e agora do Grêmio, disseram. Eles têm certeza” da conquista. O do Santos havia até recomendado à sua torcida para não exagerarem na comemoração. Já o presidente gremista enfatizou “que tem certeza absoluta” da conquista.

Entendo seu ponto de vista, Zanon, mas vejo essa questão de uma forma totalmente diferente. Esses caras jogam pra torcida, só isso, por isso não vejo nada de mais relevante. Eu me incomodo mais quando essas estultices partem de um pseudojornalista, que teoricamente forma opiniões e que é referência pra muita gente sem muito senso crítico. Mas não são jornalistas imbe.cis nem cartolas idi.otas que formam a minha opinião.

Acho pior, por exemplo, gente atrasada que pensa que no futebol existe apenas “título limpo” e “título sujo”, estereotipando o clube X como o Dick Vigarista da bola e o clube Y como a “eterna vítima” Penélope Charmosa. Mesmo sendo totalmente contra teorias conspiratórias mirabolantes, tenho convicção de que se nós, torcedores comuns, soubermos de metade do que rola nos bastidores no futebol, vamos perder muito do nosso te.são em acompanhá-lo…

Viram o penalty que marcaram pros bambis???
Ainda bem que o Luciano errou. Que vergonha!
Será que o sistema queria desobrigar o SPFW ganhar do Flamengo para se garantir na fase de grupos?

O melhor cenário é empate entre São Paulo e Flamengo, Vitória do Internacional e vitoria do Fluminense contra o Fortaleza. Assim o campeonato termininaria com o Internacional campeão e o São Paulo tendo que disputar a pré-Libertadores

Não é bem assim, se o Palmeiras ganhar a Copa do Brasil os bambis iriam pra fase de grupos.
Que tal as gazelas torcendo pro Palmeiras?

Verdade, esqueci desse detalhe. Acho que as meninas vão ter que torcer para nós. Mas elas não conseguem. Acompanho blogs de torcidas adversárias – sem comentar, é claro – só por curiosidade, e percebo que que os torcedores daquele clube odeia o Palmeiras intensamente, acredito que eles odeiam hoje mais o Palmeiras do que o Corinthians

Jango, cada partida tem sua história, mas pelo que as gazelas jogaram contra o desintetessado Palmeiras (ainda com chances pífias de título) e contra o lanterna e já rebaixado há quase um mês Botafogo (com chances de garantir a vaga direta na Libertadores), o Flamengo vence na quinta-feira mesmo se escalar aquele time que veio enfrentar o Palmeiras aqui no Allianz no primeiro turno.

Pois é. O Inter perdeu o título contra o Sport.

Os bambis serão incapazes até de segurar um empate.

Escalação para 5ª feira:
Jailson, Maike, Empereur, Kuscevic e Renan;
F. Melo, Zé Rafael e Lucas Lima;
Breno Lopes, Rony e Esteves.
6 jogadores no máximo no banco, todos da base.
Os outros manda direto pra Porto Alegre para treinar e se concentrar pra grande final, e que Veron e Wesley possam atuar em alto nível, nem que seja por 15 minutos.

Acho bem perigoso….com essa escalação aí com Jailson no gol a gente toma uns 4 do Atlético. Melhor botar o Weverton pelo menos pra perder só de 2 rsrs

Que se lasque o jogo de hoje, terminar em 2º ou 10º não faz diferença. O importante é a final contra o Grêmio, e tirar o título BR dos mulambos.

Terminar em 2° ou em 10° não faz diferença? O 2° ganha R$ 31 milhões e o 10° ganha 18. A verdade é que estamos jogando um futebol de 10° colocado, mas como já estamos classificados para a próxima Libertadores e Mundial, o resto passa a não importar (não para mim, viu LGO). Não ganhamos de ninguém, e pelo não futebol, a tendência é não ganharmos do Grêmio também.

Pensávamos assim na final contra o Santos e vencemos.
Final a pegada é diferente.
Vamos torcer.

Esse discurso que não vamos ganhar eu escutei muito aqui contra o Santos. Aliás estou com medo do Marinho e do Soteldo até hoje devido ao pessoal do blog. Será que depois desse meu comentário vão me colocar medo sobre o Diego Souza????
Para mim é empate ou vitória no sul e aqui em SP 2×0 sem sustos!

Pois é, LGO, o problema é que o Santos também tá esperando aquele adversário que destroçou o River em Avellaneda até hoje, o que teve pela frente no Maracanã foi um adversário covarde que teve muitos méritos em anular as melhores qualidades do Santos mas que não chutou uma bola no gol adversário. Foi campeão muito pela inconsequente atitude do treinador santista, o que não invalida a conquista. Pode continuar menosprezando as qualidades de Soteldo e Marinho à vontade, engenheiro de obra pronta temos aos borbotões por aí, mas pra mim ambos são melhores que todos os nossos atacantes juntos – exceção feita aos garotos da base.

Me desculpe Yoda!
Você se enganou completamente!
Estou muito longe de ser engenheiro de obra pronta. Discuti com todos vocês ANTES da final que esses jogadores são bem medianos, inclusive tive apoio de alguns aqui no blog. Trouxe aqui os números do Marinho que aos 28 anos ninguém conhecia e tinha 26 gols na carreira toda!!!
Se você quiser é só resgatar as mensagens e verá! Não foram duas ou três mensagens, foram no mínimo dez! Aliás discuti com o Aroni que não trocaria nunca LA e Rony pelos dois! E não troco mesmo.
Então não posso nunca aceitar essa sua crítica!
É que tem alguns aqui no blog que tem tanto medo de perder e querem deixar pronto o “eu avisei” que deixam de analisar com coerência para fazer esse tipo de comentário.
Claro que podemos perder para o Grêmio. Isso é futebol. Mas somos muito favoritos.
Alguns criticam nosso futebol de ano aqui dizendo que jogamos meia dúzia de partidas boas no ano. Alguém consegue citar 2 partidas boas do Grêmio?????

Pelo Grêmio em si, eu já vejo a gente como tetra da Copa do Brasil. Mas como eu disse recentemente, sempre avalio o adversário, e esqueço de colocar na equação, a nossa bolinha beeeeem quadrada.

Então sim, eu não consigo não me convencer de que seremos campeões sem problemas, mas a mais leve lembrança do nosso falecido futebol desde a volta contra o River, me faz pensar que é melhor respeitar sim, Diego Souza e afins.

E quanto a Marinho e Soteldo, se for trocar por Veiga/Lucas Lima e Ronny, eu trocaria pra ontem. Eles são melhores que esses citados.

A troca teria que ser Rony e LA pelos dois ou no máximo Veron e LÁ, pois serem os atacantes nossos na época da discussão!
Eu não troco nem se nos derem uma volta em dinheiro. E já sabia disso ANTES da final!

Marinho talvez seja discutível, mas o Soteldo já vem jogando bem desde que chegou ao Santos. Não é por uma partida de final única, onde ele foi bem anulado e o resto do time não tem um terço do futebol dele, que ele passou a ser mediano ou ruim. O Marinho parece ser mais caso de bom momento, mas quanto joga bem, joga muito bem. O Rony quando joga bem, é porque fez gol, apesar de trotar, passar errado, chutar errado, cobrar penalti bisonho, etc… O Marinho pode funcionar como ponta, assim como CA, o Rony é ponta, Soteldo é Meia Atacante, embora possa jogar de ponta, logo pode ser trocado por LL e Veiga.

Gustavo, pra ser campeão da CB não precisamos ganhar mais nenhum jogo nem fazer qualquer gol, é só não deixar o Grêmio jogar (não precisa muito, diga-se de passagem) e levar a decisão pros pênaltis, até porque duvido que o Renato Gaúcho quebre nosso galho como fez o Cuca.

Pau que bate em dragão, bate em javali. Os javalis estavam insaciáveis, mas bastou o dragão cuspir uma faísca e… Vamos ser 7° no Brasileirão? 7°?!!! Tô preocupado com a final contra o Grêmio.

Pois é, juro que não entendo. Juro. Podia ter terminado em 3° com facilidade, seria bom pra torcida, seria bom pras finanças.

Já cheguei a pensar que eles eram preguiçosos. Mas nem é isso. É que isso aí é limite desses caras mesmo…

Nenhum dos dois é vexame. Mas se o objetivo é realmente ser o maior das Américas, não dá pra ficar fora de G-4 e achar que era isso mesmo que deveria acontecer, mesmo com os outros títulos.

Desculpe, mas é que vivemos em uma época que perder de 1×0 ou perder uma disputa de penaltys é considerado vexame.

Desculpe, mas é que vivemos em uma época que perder de 1×0 ou perder uma disp.u.ta de penaltys é considerado vexame.

Mas acho que isso é que os anti-palmeiras criam uma narrativa de que temos que ganhar tudo, ou é vexame. E alguns palmeirenses compram essa ideia.

O vexame que eu achei do mundial, que depois do deste ano, não considero mais importante, foi da falta de futebol e atitude do Palmeiras em campo, não dos resultados em si.

Entendo, mas pra mim o conceito de vexame é diferente.
Por exemplo: os 7×1, os 4×0 que enfiamos nos gambás, a interferência externa do paulista 2018, etc…
Contra o Tigres fizemos um jogo ruim, e eles perderam só de 1×0 do Bayern, com gol roubado.
Muito longe de ser um vexame.

E nem considerei vexame. Foi um misto de amarelada com déficit técnico. Somos nível Egito mesmo, como toda a América do Sul. Talvez, River e Flamengo fujam a regra.

Nesse caso, o vexame que River e Flamengo passaram por terem sido eliminados da Libertadores foi nível hard.

Aí depende do parâmetro. Se pensar só nos resultados em si, foi ruim, mas nada pra fazer terra arrasada.

Mas se parar pra pensar que FOI a pior campanha da história da Conmebol no Mundial, nenhum outro time conseguiu ser tão incapaz ou apresentar futebol tão fraco, então é sim, vexame.

Óbvio, a imprensa que não vai com a nossa cara, vai martelar na visão de vexame, mas eles martelando ou não, não muda o fato, pior campanha do sulamericano no Mundial até hoje.

É que antes da final da Libertadores, foi muito comentado aqui que o Palmeiras poderia ganhar tudo (e poderia mesmo, não pelo futebol, mas por oportunidadr de ganhar mesmo). E eu disse, apesar da maciça discordância, que o único título que o Palmeiras não ganharia era o Brasileirão, pela distância do líder (São Paulo) e porque pontos corridos dificilmente engana. Agora, de possível campeão a 7° colocado? Tem algo errado aí, todo palmeirense sabe o que é, e não quer admitir. O que falta, começa com a letra F.

Pois é, Gustavo, hipervalorizar o Mundial é uma coisa, mas se alguém acha que enfrentar Tigres e Al Ahly sem praticamente incomodar os goleiros adversários em 180 minutos de futebol (cobranças de pênalti bizarras à parte) não é um fiasco histórico, precisa rever seus conceitos de futebol e até de vida. Daí, precisa apelar pra retórica barata.

E não perca seu tempo esperando que a torcida vai exigir futebol enquanto o time oferecer algum título. Nossa cultura não valoriza isso, a maioria (aqui inclusive) nem gosta tanto de ver futebol, gosta de ganhar pra zuar rivais e pra chamar de “gambá” quem pensa diferente. Isso não vai mudar.

Para mim não há dúvida que foi fiasco!
O que apresentamos lá não é digno do Palmeiras.
Porém existe uma dúvida lastimável em achar que comemorar e valorizar vitórias e títulos está ligado a não cobrar bom futebol. Uma coisa não tem absolutamente nada a ver a outra.

A temporada do Palmeiras foi absurdamente desgastante, mas de fato nosso futebol também não é lá essas coisas. Só que daí falar que pontos corridos não enganam dando a entender que enganamos nos mata mata é muita maldade! Eu não tenho coragem de desmerecer conquistas importantes do Palmeiras desse jeito, mesmo reconhecendo o futebol mediano que praticamos em muitos jogos.

LGO, os gambás comemoram todas suas conquistas sujas até hoje com muito orgulho. Até drone com mensagem “eterno 2018” eles tem coragem de mandar pro ar.
Você acha que vou desvalorizar nossas conquistas recentes, todas rigorosamente limpas?

Você não porco nervoso, mas infelizmente tem gente que faz!
Não entendo uma coisa! Esse medo todo do Grêmio se deve ao fato de eles estarem 1 ponto na nossa frente, mesmo jogando só o brasileiro faz 2 meses e lutando pela libertadores já que eles não tinham a vaga garantida????

Eu tô preocupado faz tempo . Pra mim grêmio e Palmeiras são do mesmo nível. Cometemos falhas na defesa e eles tbm, temos jogadores razoáveis no meio campo e eles tbm…temos um centroavante morto q se sair na cara do goleiro ele guarda….eles tbm kkkk

Já estava com saudades das jogadas endiabradas de Ruinny, do matador Adriano e do meio de campo com Felipe Meli, 38 anos, fazendo o Patrick correr por 2.
E de nenhum chute ao gol.

Aroni, o Atlético-GO é do nível dos times dos times de Palau.

Os comentários estão desativados.