Categorias
Notícias

Abel Ferreira pede mais união e menos críticas da torcida

FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS

O final da entrevista de Abel Ferreira após o jogo contra o América-MG foi emblemático – e pouco convincente. Ora reclama do calendário, ora reclama do equilíbrio e da dificuldade para engrenar apresentações no mínimo razoáveis.

“O Brasileiro é desafiante porque tem de trocar sempre de equipe, de um jogo para outro fiquei sem três jogadores, com Breno, Rony e Luan fora”, justificou. ” O treinador tem essa missão de arranjar soluções para arrumar uma equipe competitiva. Quem faz a diferença são os jogadores. Ter ou não ter Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar… Na equipe, são os jogadores que fazem a diferença.”

A cada partida ruim e decepcionante, o treinador tem cada vez mais dificuldade em explicar a falta de qualidade na troca de passes e a única opção pelos lançamentos, fazendo dos meios meros assistentes de volantes. “Desde que chegamos aqui, o discurso é que todos somos um na vitória e na derrota. Por isso que fico triste quando a torcida critica quando não ganhamos, porque na minha vida quando tenho dificuldades estou à espera que pessoas que realmente gostam de mim venha me dar apoio, incentivo. Isso que faz diferença. Tem uma frase no CT que diz que ser palmeirense é muito do que ser campeão, é uma emoção, é algo que sente e vibra. O mesmo que os torcedores exigem de mim eu exijo dos torcedores. Que apoiem nossa equipe, sejam fiéis e a mesma cobrança. Quando todos somos um, somos mais forte. Quanto mais unidos estivermos, mais temidos seremos.”

9 respostas em “Abel Ferreira pede mais união e menos críticas da torcida”

Pois é… triste nossa torcida.

Comemora quando ganha, quando nal está bem só sabe reclamar.

Ai é facil ser torcedor.

Torcedor Palmeirense ficou mimado depois da entrada da Crefisa. Só sabe chorar por arbritragem e reclamar que o time nao ta do jeito que ele quer.

Não há comentário seu parado. Se puder repostar…

Enquanto o Abel pede união.. os jogadores demonstram a preocupação com o clube.. Pk que pede desculpas pelo brinco..menino q passa mal durante o jogo (cachaça????), Breno Lopes amigdalite, Rony desgaste muscular…todos atrapalhando o time de alguma forma…mas todos unidos na balada.. LAMENTÁVEL…

Eu não sou Abelete não, acho que ele tem e teve falhas bem grandes, mas nunca ninguém vai me convencer que os títulos da Libertadores e da Copa do Brasil seriam nossos se não fosse a chegada dele. Ele falou uma coisa na entrevista que me faz pensar, e muito: as torcidas que fazem a diferença, na hora do aperto fazem diferente do que apenas criticar e atacar, ao contrário, apoiam. Não é que devemos apoiar o que está ruim ou errado, mas dar força ao que pode render muito mais, afinal esse mesmo time acabou de ser campeão do Brasil e da América. Malhar o Abel até ele cair, porque ele não é o Guardiola, e não é mesmo, vai nos colocar a mercê de rogeres machados, nelsinhos batistas e vagneres mancinis da vida. Vade retro.

E a torcida pede menos reclamação e mais futebol por parte de jogadores e comissão técnica. Muito mimimi pra pouca eficiência, se era necessário ter um Messi no elenco pra eliminar o CRB então tem muita coisa errada.

Bom
Vamos lá!
Logicamente o trabalho de Abel realmente precisa ser questionado.
Ele não está imune a cobranças.
Mas jogar toda a responsabilidade nele é de uma covardia descomunal.
O grande responsável responde pelo nome de Maurício Galiote.
Banana. Incompetente. Fraco. Frouxo.
Gostaria que o autor deste texto parasse de encher um pouco o saco do Abel é dissertasse um pouco mais sobre as “bananices” do MG, o pior presidente da história da SEP.

Abel não sei, mas o técnico dos bambis está “encrespado”.

Que nada, o Clodovil já está sendo devidamente alisado. É o maior da história, tirou os bambis da fila ganhando um campeonato paulista que está fazendo inveja ao Bayern, Liverpool, chelsea e vários outros europeus. Quem não presta é um português desconhecido que treina o time da colônia italiana.

Os comentários estão desativados.