Categorias
Uncategorized

Amizade e rivalidade marcam os confrontos entre Palmeiras e Juventude

Um reencontro com um adversário indigesto que já foi um “irmão de leite” (bobagem inventada em 1995 por conta de terem o mesmo patrocinador, a Parmalat). O estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS), nunca foi um terreno amistoso para o Palmeiras, seja pelas condições do gramado, sempre ruins, pela péssima iluminação e pela dureza do jogo praticado pelos raçudos gaúcho da serra.

Adversários leais, mas aguerridos, os gaúchos acabaram atuando com faca nos dentes por conta de uma situação em que o Palmeiras nada tinha a ver, ma pagou o pato. O Juventude desclassificou o Palmeiras do primeiro turno do Brasileirão de 1995, o que ajudou a tirar o Verdão da briga pelo título.

Por terem o mesmo patrocinador, ventilou-se que o Juventude entregaria o jogo para que o Palmeiras garantisse uma vaga na fase seguinte – disputava a liderança do turno com o Cruzeiro. Mordidos, os gaúchos disputaram ma verdadeira partida de final de campeonato e mantiveram o empate por 1 a 1 – o Juventude ainda tinha escassa chance de classificação no primeiro turno. Os adversários, temerosos, insuflaram o ambiente e agradeceram pelo resultado, que praticamente afastou o time de Carlos Alberto Silva da classificação para as semifinais, e que ainda vivia das sobras das temporadas mágicas de 1993 e 1994.

O Verdão daria o troco em 2000, quando caiu no mesmo grupo dos gaúchos na Libertadores. Campeão da Copa do Brasil em 1999, o Juventude foi massacrado no Parque Antártica no primeiro turno do grupo e os 3 a 0 saíram baratos. Um mês depois, em jogo duro, um empate em 2 a 2 eliminou os gaúchos – o Palmeiras entrara já classificado para a fase seguinte.

Clique aqui para saber um pouco mais dos confrontos e das relações amistosas extracampo entre as duas equipes.

3 respostas em “Amizade e rivalidade marcam os confrontos entre Palmeiras e Juventude”

Continuando – suporte de um suposto presidente e um suposto diretor de futebol, que nunca existiram.

Realmente Reynaldo. Time que vem com Victor Luiz, F Mello, Luan, Dayvinho e mais uma meia dúzia, não dá para prever o que vai acontecer. Ainda mais com nosso técnico desanimado, sem qualquer suporte

Os comentários estão desativados.