Categorias
Uncategorized

Criação de Liga de Clubes ainda gera dúvidas sobre o papel da CBF

O silêncio de de dirigentes de clubes brasileiros a respeito da liga a ser criada para 2022 pode revelar uma unidade de objetivos e a busca de um discurso único, mas preocupa a respeito da reação que a CBF teve do anúncio da iniciativa. De acordo com o que a imprensa está divulgando, a tal liga terá de ter a “chancela” da entidade, o que soa contraditório e esquisito.

Mauricio Galiotte ainda não se pronunciou sobre a liga e como o Palmeiras encara a criação da entidade que vai gerar o empreendimento. Texto importante do GloboEsporte.com desta quinta-feira (17) mostra que os principais diretores e aliados já se movimentam para sabotar a Liga dos Clubes.

Embora a CBF não tenha publicamente demonstrado oposição ao projeto, nos bastidores a entidade age para enfraquecê-lo e manter o esquema de poder atual. Dirigentes duvidam que os clubes serão capazes de superar suas históricas desavenças internas e organizar sozinhos o Campeonato Brasileiro. A CBF também entende que a bola está com os clubes e são eles quem devem se movimentar agora.

De acordo com a reportagem, o discurso oficial é de que a CBF deve ser uma parceira, afinal é ela quem se relaciona com a Fifa e a Conmebol, e ninguém quer criar uma liga pirata. O exemplo recente da Superliga Europeia é citado como um exemplo de fracasso por tentar operar fora da estrutura estabelecida do futebol.

O grande nó a ser desatado é com as federações estaduais. Nenhum dos envolvidos topa um Campeonato Brasileiro espremido entre maio e dezembro, como é hoje, para acomodar os campeonatos estaduais no início do ano. Todas foram procuradas pelo ge, mas a maioria preferiu não se manifestar. Chama atenção o fato de a Federação Paulista, a mais rica e com o campeonato estadual mais forte, ter se posicionado a favor da liga.

2 respostas em “Criação de Liga de Clubes ainda gera dúvidas sobre o papel da CBF”

Não me surpreenderia se isso tudo acabasse em pizza. A política nesse país é extremamente forte e amarrada em todos os setores e escalões, é quase impossível mudar qualquer coisa aqui, seja onde e como for. Infelizmente a realidade é essa, e todos somos gado, sem exceção, não importa pra qual partido ou candidato você torça (isso mesmo, torça, pq é isso que acontece hj em dia, temos torcedores na política).

Poder tanto do estado, quando da CBF, vem da grana do povo/clubes. Não adianta chupinhar Lula ou Bolsonaro e chamar o lado opositor de gado, enquanto pagar impostos, que são o que possibilitam um estado pagar salário de forças militares e políciais, que é o que dá poder a eles de mandarem e desmandarem em nossas vidas, ambos os lados serão gado.

Não é mais gado, quem já entendeu que essa estrutura é anti ética, imoral, e que a base de funcionamento começa nos impostos, ou seja, a pessoa não gado, já procura esquemas e ideias para pagar o mínimo de impostos possível, para enfraquecer o estado. Adivinha porque estados tem calafrios ao ouvir falar de bitcoin, etc…

Agora que já dei a traulitada no assunto política, volto ao futebol. É o mesmo caso da CBF (Estado) e clubes (Povo). SE acontecesse um milagre, e todos os clubes das séries A e B criassem uma liga, não dou duas temporadas para a Conmebol e a Fifa aceitarem essa liga oficialmente e cederem vaga em Libertadores, Mundial, etc. Elas também precisam de dinheiro dos clubes.

Mas realmente, falta união entre clubes, até porque, os clubes não são inocentes. Todo mundo sabe que dirigente de clube só está lá para enriquecimento próprio, seja atraves de esquemas na base, venda de jogadores, etc. Rola muito dinheiro no mundo do futebol, e quem já está dentro do esquema, não tem porque querer que ele acabe.

PS: Eu estava parado os últimos meses, voltei a trabalhar e estou extremamente ocupado, entrei por último no post Palmeiras 1 x 1 Gambá, e quando volto, tem um milhão de posts no 3vv, até achei que o site tinha sido hackeado kk.

Os comentários estão desativados.